Home Marinha do Brasil Baixa do Serviço Ativo da fragata ‘Bosísio’ e da corveta ‘Frontin’

Baixa do Serviço Ativo da fragata ‘Bosísio’ e da corveta ‘Frontin’

1678
79

Bosísio - F48

Seguem abaixo as Portarias do Comandante da Marinha da desativação da corveta “Frontin” (que já se encontrava na reserva) e da fragata “Bosísio”.

COMANDO DA MARINHA
GABINETE DO COMANDANTE

PORTARIA Nº 433/MB, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015

Baixa do Serviço Ativo da Armada da Fragata, “Bosísio” e dá outras providências.

O COMANDANTE DA MARINHA, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 4º e 19 da Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999, alterada pela Lei Complementar no 136, de 25 de agosto de 2010, e o art. 26, inciso V, do Anexo I, do Decreto nº 5.417, de 13 de abril de 2005, e de acordo com o disposto na Lei no. 7.000, de 9 de junho de 1982, resolve:

  • Art.1º Dar Baixa, do Serviço Ativo da Armada, da Fragata “Bosísio”.
  • Art.2º Designar a Empresa Gerencial de Projetos Navais para proceder à alienação do casco da ex-Fragata “Bosísio”.
  • Art.3º Esta Portaria entra em vigor no dia 29 de setembro de 2015.

EDUARDO BACELLAR LEAL FERREIRA

CV Frontin V33

PORTARIA Nº 432/MB, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015

Baixa do Serviço Ativo da Armada da Corveta, “Frontin”.

O COMANDANTE DA MARINHA, no uso das atribuições que lhe conferem os art. 4º e 19 da Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999, alterada pela Lei Complementar nº 136, de 25 de agosto de 2010, e o art. 26, inciso V, do Anexo I ao Decreto nº 5.417, de 13 de abril de 2005, resolve:

  • Art. 1º Dar baixa do Serviço Ativo da Armada na Corveta “Frontin”.
  • Art. 2º O casco da ex-Corveta “Frontin” deverá permanecer com o Setor Operativo, para servir como alvo de exercícios operativos.
  • Art.3º Esta Portaria entra em vigor no dia 23 de setembro de 2015.
  • Art. 4º Revoga-se a Portaria nº 421/MB, de 28 de agosto de 2014.

EDUARDO BACELLAR LEAL FERREIRA

79 COMMENTS

  1. Comecou a procissao……..nao vai dar tempo para qualquer adequacao dos meios nos proximos 2 anos…..o Brasil vai ficar a deriva na protecao de seu mar territorial e quem sabe nem podera cumprir seus compromissos no exterior…..treinamento entao, nem pensar…..triste marinha e seus comandantes. Sds………

  2. Prezados,

    O desgosto de ver estes dois navios serem retirados sem substitutos é de toda a Força.

    Percebam que a “Frontin” será utilizada como alvo em exercícios futuros.

    Abraços

  3. Não é possivel… deram baixa em uma fragata e uma corveta sem substituição de meios… realmente existe um ministro da defesa nesse pais…será que trabalha ou fica só dando descupinha… vergonha no minimo!

  4. Triste demais ver esses valorosos navios terem destino tão inglório… Venda como sucata ou alvo… E o pior de tudo, é a ausência de possibilidade de aquisição de navios para repô-los, ainda que mediante compras de oportunidade…SDS.

    • Luiz Monteiro, boa tarde

      Quanto ao destino da Frontin, apesar de também sentir um grande desgosto pela baixa, eu considero uma solução (afundar como alvo) que pode ser interessante e gerar conhecimento.

      Afinal, o casco da corveta Barroso e das futuras (esperamos…) corvetas classe Tamandaré têm muito a ver com o da classe Inhaúma, incluindo a compartimentação. É uma oportunidade de se testar a resistência da estrutura ao impacto de diversos tipos de armamentos, a capacidade de se manter flutuando com x compartimentos alagados, além da eficácia dos armamentos empregados em atingir um alvo relativamente pequeno.

      É claro, desde que se instale equipamentos no casco que permitam essa averiguação, remotamente, antes do navio afundar.

      O grande problema é que, pelo que se sabe, o estado do casco não é dos melhores. Isso poderia enviesar os eventuais dados colhidos. Algum reparo seria necessário, no mínimo para rebocar o casco à área de exercício com segurança.

      Um abraço!

  5. Mais triste é saber que o atual CM comandou os dois Navios !!!, um como Fragata e outro como CMG ….

    Ele deve ter assinado estas baixas triste ….

  6. Talvez eu tenha perdido alguma coisa, mas fiquei surpreso com a decisão de transformar a Frontin em alvo.

    Pensava que, por ser um casco mais novo, poderia virar um NaPaOc ou mesmo ser revitalizada no futuro.

    Vendo pelo lado positivo, é importante a MB dar baixa e “dar fim” aos seus navios “inúteis”. Assim, talvez, os políticos levem a sério o fato dela não ter navios suficientes para cumprir sua missão e resolvam comprar alguma coisa.

  7. Triste as baixas e o encolhimento da esquadra, mas quanto a usar a Frontin de alvo acho que é um uso interessante para o casco.

    No mais, espero que o exercício em que a Frontin seja atingida seja gravado e divulgado pela MB.

  8. bom…. na verdade as type 22 batch 1 já são sucata a muito tempo… e a ‘ajuda’ alemã na Classe Inhaúma mais prejudicou que ajudou o navio submarino…
    que já nasceu errado! Meko ou Fremm chega de inventar!
    não temos capacidade de produzir um navio 100% nacional, e não adianta ficarem brabinhos! “não somos capazes”.

  9. Pessoal,
    Não fiquem sentimentais acerca da Frontin ser usada como alvo porque a julgar pelos estoques de munição ela ainda estará flutuando até a virada do século.

  10. Prezado Nunao,

    Meu comentário no que tange ao destino da Frontin foi ppssitivo e não negativo. Foi uma luta nossa a utilização desta como alvo.

    O sentido de minha colocação, foi que é o único alento desta notícia.

    Abraços

  11. Prezado Renato,

    Não costumo deixar de dar minha opinião, quando perguntado. Contudo, a decisão sobre o efetivo da MB é do CM, em conjunto com o Almirantado, sob aprovação do MinDef e da Presidência da República.

    Por esta razão e, a fim de evitar desconfortos e mal entendidos, peço licença para não dar minha opinião.

    Abraços

  12. será que nunca irei ver um catamarã do tipo: HSV-2 Swift nos mares Brasileiros, com bandeira Brasileira? #inveja …enquanto isso só navios deixando a marinha… baixas e mais baixas…….

    • “Luiz Monteiro
      25 de setembro de 2015 at 17:55”

      Luiz Monteiro, ficam então explicitados aqui os meus parabéns pela iniciativa de usar como alvo e por terem lutado e conseguido aprovar.

      De fato, é o alento da notícia e espero que gere conhecimentos e experiências importantes num exercício.

      Um abraço!

  13. Boa noite.

    Existe algum motivo específico para não utilizar a Bosísio como alvo também?

    Certamente serão canibalizadas certo ? O que pode ser aproveitado delas para as que ficarão em atividade ?

    Obrigado, sds.

  14. Comandante Luiz Monteiro, a observação do Roberto me parece pertinente. As corvetas Inhaúma não poderiam sofrer algum tipo de reforma e passarem a atuar na Bacia Amazônica?

    As embarcações que lá servem parecem possuir capacidade muito inferior que as Inhaúmas. Além de serem mais antigas.

  15. Quanto a Frontin vejo que em função da falta de recursos, não seria possivel a sua venda ao Uruguai ou um pais da Africa como Angola, para justificar o desembolso com o erario publico com a sua construção em 1992, pois afundar um navio que estaria em condições de uso é uma grande burrice…

  16. E senhores, o tempo mais uma vez sendo senhor de todas as verdades.
    Eu fui chamado ate de cachorro quando falei junto com outros colegas de debate que a MB deveria descer do mundo encantado do MN e seus miquinhos amestrados e botar os pes no chao.
    Tamandare deve estar se revirando caixao e o ultimo charlie mike verdadeiro, o alm. Guimaraes Carvalho deve estar chorando.

    G abraco

  17. “Flávio
    25 de setembro de 2015 at 19:20 # Edit
    Boa noite.
    Existe algum motivo específico para não utilizar a Bosísio como alvo também?”

    Na verdade, para essa resposta é melhor colocar a questão sob outro prisma.

    Um dos principais motivos para que nem todo casco desativado vire alvo, recife artificial ou mesmo museu flutuante é que assim não se pode conseguir algum recurso com a venda para sucateamento, que mesmo não sendo tanto dinheiro assim, em tempos de orçamentos cada vez menores faz diferença.

    Ao menos conseguiu-se que a Frontin tivesse como destino virar alvo, nesses tempos bicudos.

  18. “Marcelo
    25 de setembro de 2015 at 19:31
    … afundar um navio que estaria em condições de uso é uma grande burrice…”

    Mas o navio foi desativado justamente porque não estava em condições de uso. O custo para colocá-lo em condições foi considerado excessivo, face à falta de recursos, e a decisão foi priorizar outros navios.

    “…não seria possivel a sua venda ao Uruguai ou um pais da Africa como Angola…”

    Se o Uruguai ou Angola tivessem os recursos e o interesse em gastá-los com o navio, o que inclui o alto custo da revitalização, seria possível. Mas é preciso se colocar no papel de eventual comprador para analisar se a compra valeria a pena, frente a outras opções que poderiam ter.

  19. “Roberto
    25 de setembro de 2015 at 17:50
    mais pensando bem… as inhaúma poderiam operar na região amazônica? os meios que lá se encontram são cinquentenários não?”

    “Mario Heredia
    25 de setembro de 2015 at 19:26
    …a observação do Roberto me parece pertinente. As corvetas Inhaúma não poderiam sofrer algum tipo de reforma e passarem a atuar na Bacia Amazônica?”

    Se vocês estão pensando em operações fluviais, não são meios apropriados. As corvetas classe Inhaúma foram projetadas para o mar, não para rios.

    Apesar do Amazonas ser um rio muito largo em vários trechos, ter uma grande foz, aceitar a navegação de navios de grande porte e tudo o mais, as corvetas classe Inhaúma não são meios apropriados, com calado e comprimento muito maiores do que precisariam para efetivamente operar nos cenários de emprego da região. Uma coisa é poder navegar no rio, por exemplo, entre Belém e Manaus. Outra coisa, bem diferente, é manobrar e combater no rio, e avançar pelas regiões mais rasas, onde realmente é necessário ir.

    Quanto a substituir ou complementar navios cinquentenários, vale lembrar que os cinco navios-patrulha fluviais que operam na bacia do Amazonas ainda são quarentões e trintões (os dois da classe Pedro Teixeira e os três da classe Roraima), e têm especificações totalmente diferentes (para emprego também diferente) em relação às corvetas classe Inhaúma. Basta pesquisar as características e fotos das classes para perceber que as corvetas não tem nada a ver com os navios-patrulha fluviais da região (porque possibilidades de emprego diferentes geraram navios diferentes, adequados a cada cenário). Duvido que alguma reforma, por ampla que fosse, adequasse as Inhaúma ao Teatro de Operações Amazônico.

    Se o objetivo é operar no oceano, a partir de Belém (por exemplo), aí é outra história, de segunda esquadra etc. Para isso, precisa primeiro ter uma primeira esquadra.

  20. ahhh nem sei, meu sonho sempre foi ver uma type 23 com bandeira Brasileira…. pra mim um navio lindo e capaz, e um sonho distante…. a cada perda da marinha não vemos nada de substitutos!

    claro que sou fã da duke class, e pensar que deixaram o bonde passar, o chile comprou 3.

    • uma tipo 23 seria muito bom aqui, desde que nao tivesse aquela “super criatividade” na nomeação e indicativos dos navios …

      Seria legal um HMS Azambuja … agora um Swift ai ja eh coisa de aviaozinhum … kkkkkkkkkkkkkkk

  21. Fui marinheiro, no Primeiro Distrito Naval, no Rio de Janeiro, e uma das coisas que gostava de fazer, quando não estava de serviço era visitar os navios da MB que ficam até hoje ancorados nessa importante base na cidade maravilhosa.

    Isso foi em 1980, e lembro que nessa época tínhamos alguns contratorpedeiros vindos dos EUA. A MB sempre procurou cumprir seus objetivos com os poucos e sempre usados meios que dispõe.

    É digno de registro o esforço gigantescos desses bravos marinheiros, sargentos, oficiais, enfim, todos que mesmo com meios sempre aquém do ideal para um país de dimensões continentais como o Brasil, procuram cumprir seu papel de defender a nossa costa e os interesses do país.

    No entanto, não se pode, mesmo alegando que não há perigo iminente ou “inimigos à espreita” deixar a força naval chegar a esse ponto de sucateamento. Compartilho com todos aqui no blog meu protesto por mais essa perda da MB.

    Temos dinheiro sim, para fazermos o que quisermos em matéria de Defesa, com bons meios navais, equipamento para o Exército e aviões de caça para a Força Aérea. Não falta dinheiro ao Brasil, temos de sobra, mas como ele vem sendo empregado é a questão.

    Mas, como sempre, será preciso algo mais que acorde definitivamente esse gigante deitado em berço esplêndido. Grande abraço à todos!

  22. Conandante LM aproveita e de todas as mas noticias de uma so vez:

    Baixa do Matoso Maia
    Baixa do Ceara
    Baixa da Defensora
    E no segundo semestre de 2016 apos o aniversario de 100 anos da aviacao naval, a baixa do SP.

    Jesus avisou que os delirios navais iriam terminar mal.

    G abraco

  23. Mario e Juarez o Luiz Monteiro é contra – almirante e não comandante.

    Importante perguntar ao almirante se existe a possibilidade de se comprar algum escolta por oportunidade .

  24. Prezado Roberto,

    As Type 23 vendidas para a Marinha do Chile não estavam disponíveis para a MB.

    Estes meios foram oferecidos á marinha daquele país e adquiridos por eles.

    Abraços.

  25. Amigo Juarez,

    O NDD “Ceará” passa por avaliação da DEN. O NDCC “Mattoso Maia” teve o PMG estendido diante de alguns problemas surgidos e a fragata “Defensora” teve seu PMG retomadoe voltará a Esquafra no próximo ano.

    Quanto à Aviação Naval, acredito que esteja falando da de asa fixa e não da rotativa. Pois bem, aguardemos mais alguns meses para algumas definições

    Abraços

  26. Dois navios da esquadra dando baixa sem substitutos.

    Segue a passos largos a “guarda costeirização” da gloriosa MB.

    Parabéns aos envolvidos.

  27. Sugiro enviar as congratulacoes a um ser ‘celestial’que hoje esta no pijama, mora no 11 andar de um exificio na orla do RJ, o grande responsavel por tudo isto.

    G abraco

  28. Comandante, dada a hierarquia entendi nao deva e nao possa se manifestar de forma digamos mais aberta, mas e voz corrente que o M Maia vai virar panela, com a chegada do Bahia, o Ceara vai atras dele, seguindo a fila vauma Niteroi, a ultima Caboclo, dois varredores e mais alguns da fluvial, a fila vai ser grande.
    A Marinha so nao esta dando baixa antes afim nao afetar mais o moral do pessoal e ainda porque ordem do tomador de ‘Johnni’ do Mindef e nao trasparecer para a midia que o PT junto com o NJ e o MN fud….com a mMarinha.

    G abraco

  29. O Roberto Lopes quando fazia parte do PN já nos havia
    informado aqui que a baixa da Bosísio era esperada para
    setembro e quanto a Frontin a baixa ocorreu de fato ano passado apenas houve a revogação de uma portaria e substituída agora por outra conforme entendi no texto.

    Também o LM aqui já havia informado sobre o retorno da
    fragata Defensora em 2016/2017 o que dará um alívio à
    situação atual.

    Provavelmente outros navios serão retirados sem substitutos imediatos ou seja a esquadra irá encolher ainda mais para a duras penas retornar ao patamar atual para
    daí expandir-se o que apenas o tempo dirá.

  30. Triste isso, mesmo. A outrora belissima, grande Marinha já se converteu em Guarda Costeira Brasileira. E mesmo assim, pequenissima. E algums ainda ficam perguntando quando o Brasil vai exibir um porte mais duro na America Latina, ou ter um assento no Conselho De Segurança da ONU. Ja nao temos menhuma credibilidade no exterior, e ao caminhar das coisas estamos prestes a nos transformar em uma Super Grecia. Quem vai nos resgatar? A Venezuela? O Paraguay? Quando isso chegar, e vai ser daqui a pouco, sera que vai sobrar sequer um centavo para a defesa? Desde pequenininho sempre fui apaixonado pela Marinha Brasileira. Aos 17 anos, em 1989 concursei e passei o exame para a Escola De Aprendizes De Marinheiro. Meu pai, que passou a vida no Exercito, e enxergou a tempestade no horizonte, me contrariou, e me trouxe consigo para os Estados Unidos, me explicando que com os militares fora do poder, “os comunistas vao tomar conta de tudo, e [email protected] com o Brasil”. Na epoca claro, nao entendi, mas hoje tenho que abaixar a cabeça e dizer: Meu pai tava certo.

  31. O FIM DO BRASIL: O enfraquecimento militar do Brasil é uma das consequencias deste desgoverno, que vem trabalhando nesta linha de destruição ( é programada) associada ainda a uma maior ganancia mundial pelos recursos naturais do subsolo e solo, como petroleo, gas, minérios de ferro, bauxita, carvão, AGUA no estado liquido, ainda associada as grandes necessicidades de comida por parte da populações do planeta que não param de crescer, tornando este pais com grandes areas de solo agricultável, fazem do Brasil um campo CERTO de futuras investidas por parte de qualquer pais que queira se aventurar nestas conquistas, quem perde com isto , nós brasileiros que tinhamos um belo pais, que agora CERTAMENTE DEVERÁ ser compartilhado em pedaços com os outros paises…

  32. Acredito que a Marinha acertou em dar baixa do serviço ativo, meios que já não tenham condições de serem operados, Economiza-se, recursos valiosos e ainda mostra ao governo que não entende nada de força armada que uma Marinha sem navios não pode executar sua tarefa primordial, defender o Brasil e seus interesses no mar. Enquanto isso navios estrangeiros vem fazer “pesquisa” em águas jurisdicionais brasileiras com consentimento de nosso MD e CM, isso sim me deixa com vergonha a marinha não poderia fazer o papel destes estrangeiros com algum navio oceanográfico, nenhum meio da marinha é capaz pra esta tarefa ?

    saudações,

  33. Não diria “relativamente novo” afinal foi incorporado em 1994 o que já é significativo para um navio ainda mais quando se tem em mente um máximo de 25 anos.

    Modernizações e revitalizações permitem a um navio superar os 30 anos ou mesmo 40 ou até mais, mas, depende de quanto se queira gastar ou se vale a pena diante do orçamento à disposição.

  34. É com profundo desgosto e os olhos mareados que faço este comentário.

    Parabéns aos traidores da Pátria que veem paulatinamente, destruindo as FAAs brasieiras. Vcs venceram !!

    Destruir, separar, jogar uns contra os outros, mentir ROUBAR, aparelhar, regredir. Faz tempo que digo que as “saúvas” venceram.

    Tristes tempos estes que vivemos.

    Sds.

  35. Danilo…

    o navio francês terá a bordo ao menos um brasileiro que
    irá monitorar as ações se é que há necessidade de monitorar algo inofensivo.

    Não é por exemplo algo semelhante a ter o USNS Impeccable um navio tipo catamarã também e usado para “pesquisas” que consta do inventário da “Battle Fleet” da US Navy que costuma “ouvir” submarinos chineses e que poucos anos atrás foi intimidado pelos chineses obrigando a US Navy a despachar para a área um destroyer, no caso o USS Chung Hoon…sim…é um navio da US Navy mesmo com este nome !!!!

    abraços

  36. Bom isso deixa bem claro que a classe inhaúma já nasceu errada… e vai ser o mesmo destino de todos dessa classe… desperdício.

    ps. tomara que venham logo os Saab Kockums, os caça-minas da Saab

  37. Dalton
    26 de setembro de 2015 at 13:14 #

    Obrigado pela explicação, e agora é torcer para este navio Frances não descobrir nada de mais valioso em águas tupiniquins, e que este representante da MB fique de olhos bem abertos.

    Abraço,

  38. Senhores, não sei se este comentário cabe aqui ou se seria mais vantajoso abrir um novo tópico no forum para tratar dele.

    Com essas baixas, qual é a situação atual dos navios (de superfície e submarinos) da Esquadra?

    Alguém consegue montar um quadro geral da situação atual indicando:

    a) Quais navios estão em plenas condições?

    b) Quais navios estão mais ou menos, mas “dão conta do recado”?

    c) Quais navios serão os próximos a dar baixa?

    d) Quais navios estão fora de condições de uso (seja por estarem passando por manutenção ou por estarem em péssimas condições ou por falta de verba ou porque a sua baixa se aproxima etc)?

    e) Há quantos anos o NAe São Paulo não lança uma aeronave de asa fixa?

    Obrigado.

  39. pessoal, Vocês ficam fantasiando as coisas demais. Brasil está numa crise financeira muito grave. ou seja não tem dinheiro nem pra comprar navios novos e muito menos para modernizar navios que já são sucatas. o que o comando da marinha brasileira fiz está correto. desativou esses navios que são caros de se manter está utilizando a pouca verba que o governo federal destinou a marinha, para que seja utilizado em projetos estratégicos como a construção quatro submarinos convencionais e do submarino de propulsão nuclear. ou seja com o pouco dinheiro que tem, esses navios sucatas não forem desativados sobrar dinheiro para se investir projetos estratégicos que já estão em andamento. não adianta ficar fantasiando compra de navios de guerra modernos se o governo não tem dinheiro. o certo a se fazer agora é definir Quais são as prioridades, mantendo assim sua capacidade de proteção de suas águas territoriais, mesmo que essa capacidade seja pequena até que essa crise financeira que assola todo o país termine. aí então quando as forças armadas tiverem mais dinheiro no caixa, Aí sim Podem pensar em comprar meios mais modernos de proteção.

  40. A MB está fazendo uso da mesma estratégia que usou a FAB, dar baixa nos meios mesmo sem substitutos para pressionar o GF, do mesmo jeito que foi adquirido o gripen, agora é só continuar dando baixa nos escoltas que tem que um dia o prosuper sai

  41. Nossa… realmente sem tempo de comentar.

    Mas são poucos, na verdade menos de um dúzia de lúcidos que já vem falando aqui na Trilogia a quase uma década que a coisa vai piorar.

    – Não só piorou como ainda vai piorar mais…

    …essa tal BND é uma piada, simplesmente não temos as capacidades mínimas de nenhum desenvolvimento independente que valha a pena… não temos a disposição para tal coisa, tanto POLÍTICA, FISCAL e o pior: NÃO POSSUÍMOS uma capacidade PRIVADA realmente INDEPENDENTE e principalmente DISPOSTA.

    Aos acéfalos ufanistas e ditos “Patriotas” com seus “planos”, achismos e o pior de tudo, suas “Sugestões” sem nenhum dos pés em alguma realidade prática: – NÃO existe essa de desenvolver no Brasil… entendam que qualquer capacidade real de se obter independência em algumas partes não é para VOCÊ ou para MIM… é na melhor das hipóteses para os nossos netos… SE começar hj.

    Ps.: Alguém já ouviu falar da Secret Seven Society de Chicago? – Pesquisem e vc’s descobrirão que isso sim é ser PATRIOTA.

    O Brasil (as FFAA) está com 30 anos de atrazo em equipamento, o que impacta na obtenção de uma Moderna Doutrina… Mas a industria já está 40-50 anos atrasada e aumentando… NÃO TEMOS um gap tecnológico, é pior do que isso, o que vivemos é um gap de raciocínio/compartamento… e isso é um câncer em metástase.

    O Brasil “tem” hj meia dúzia de ilhas de excelência que se comporta com estrema arrogância em meio a um mar de Aperta-parafusos. E meus caros, essas tais ilhas (incluso ai algumas Instituições) não me dão orgulho nenhum, elas apenas tem uma mão melhor para continuarem na mesa de um jogo onde o que vale é a total falta de Sentimento de Nós enquanto Nação.

    Desde a criação do MD nossas FFAA nunca deixaram de competir entre si e só quem perdeu com isso foram elas próprias… Vc’s e no caso desse post, a MB, merece tudo de ruim que está ou possa vir a acontecer…

    Mas lhes garanto que esse Brasileiro que lhes escreve aqui tem como missão “salvar” partes do que se pensa e se produz de válido em nosso país e leva-los para uma realidade prática, produtiva e consequentemente lucrativa… dai a 50 anos voltaremos, mas ai seremos uma avalanche.

    Como disse: ”Não é para mim e nem para os meus filhos. Quem sabe será para os meus netos!!!”.

    Grande Abraço.

  42. Sou Suboficial da reserva da MB, é com grande tristeza que vejo a baixa precosse da Corveta frontin. Fui da primeira guarnição do referido navio, fui buscar o mesmo no estaleiro Verolme em Angra dos Reis (1993), das 4 corvetas foi a que melhor ficou, sou prova viva disso. É com grande dor que vejo o fato, eu e uma centena de verdadeiros marinheiros, demos o sopro de vida a este navio.
    Tenho na sala da minha casa, a placa com o nome de toda a primeira guarnição com muito orgulho.
    Que aquele espírito marinheiro inicial, acompanhe VC Frontin até o seu último momento na MB.
    Um forte e saudoso abraço.

  43. Há um mês, atravessando a baía da Guanabara, via tradicional barca, visualizei o SP, no local cativo aos “porta-aviões” da Marinha (inclui-se o antigo “Mingão”) – quando passamos, sempre há um lá. O estranho é não está lá! – assim como as “corvetinhas”, o ex- “iate” do Eike, os demais “costumeiros” meios e ultimamente a “venezuelana”,
    Aí lembrei que da penultima vez que passei, o SP, estava docado, fiquei em duvida, mas não me lembro, se saiu algo a respeito das conclusões. se “satisfatórias” ou será anexado à Frontin e o seu timão acompanhar o do “Mingão” lá no museu na Macega..

  44. Bem que a Cv Frontin, deixa pra lá, morreu maria preá…

    Apesar de ter uma opiniao pessoal sobre o destino das Corvetas Inhauma, não foi o pior dos fins. Fico imaginando qual será o armamento que sera usado para afunda-la.

    Vou viajar na maionese! Sem nenhum compromisso com a realidade…

    1- 0.50
    2- 20mm
    3- 25mm
    4- 30mm
    5- 40mm
    6- 114mm
    7- SBAT
    8- BAFG/Mk.8?
    9- AGM119
    10-AM39
    11-MM38/40
    12-Mk.46/48
    13-AGM84L

  45. A Marinha Venezuelana está melhor que a nossa, com blindados VN -1 8X8 armados com canhão de 30mm, mísseis anti-tanque HJ -73, blindados Urutu armados com canhões de 20mm. Recentemente fizeram um exercício chamado de ” Campaña Patriota” , com 1607 equipamentos militares, nos quais 56 aviões, 224 mísseis, 43 helicópteros, tanques T-72, blindados BTR-80, BMP3, obuseiros autopropulsados Mista-S, lança -foguetes GRAD (BM-21) com munições especiais, e mais de 7.000 soldados, inclusive bem perto de nossas fronteiras. Enquanto isso, aqui na república da bananeira, damos baixa em 2 navios de uma só vez, sem repor nenhum meio. Isso me dá até arrepios!!

  46. E vai ser uma tragedia,cada um colhe aquilo que planta.
    E a fila atras destas duas e grande,esouanda mais rapido por questoes politicas e de para nao despencar de vez o moral da tropa.G abraco

  47. Triste ,porém ,necessário fato. O velho precisa sair pra chegar o novo. Quem aqui compra carro novo e mantém o velho ocupando o espaço na garagem ? A MB tem q desfazer das velharias mesmo e mesmo que diminuindo sua frota, ela ao menos estará cedendo lugar para q venham os novos meios. Pode demorar um pouco? Pode, mas……Temos e devemos ser realistas, mais desesperançosos jamais e o pessimismo não nos levou,leva ou levará a lugar nenhum.

    Sds. Com a graça de Deus dias melhores virão para todos que creem !!!

  48. Desarmar para entregar…

    Caros, os unicos impecilhos para os comunistas dominarem o Brasil e nos transformar em escravos são as FFAA.

    Como o Comandante do Exercito ja disse, “não haverá golpe militar”, o que na verdade foi entendido como carta branca para a destruição das FFAA.

    A Marinha, com sua estupidez e seu comprometimento com a destruição dos proprios meios de superficie, desviou TODO o recurso para porta-aviões abrindo caminho para o fim da propria Marinha.

    Já o comandante da Força Aérea, parabenizou os criadores do decreto 8515 que dissolve os Comandos e permite ao PT transformar as FFAA em armas politicas.

    Agora, o socialista ALckimin e o resto da escoria começarão a desconstrução das Policias Militares e sua trasnformação em Policia Civil, onde os comandantes são ideologos do PT.

    Bem, não tenho filhos…

    Voces, caros foristas, tem???

  49. Creio boa parte dos foristas tenham filhos, eu tenho um enteado, mas praticamente o criei e trato como filho e te digo se tiver que ir para o pau com esta gente nós vamos, isto por estas bandas é certo, estamos apenas aguardando o “encaminhamento dos fatos”….
    A propósito o estatuto do desarmamento(dos cidadão é óbvio) não foi a toa, mas o que é deles está guardado, acham que estão tratando com “novinhos” mas vão ver o calor do aço de “veteranos”.

    g abraço

  50. Qualquer meio da MB não está no estado da arte, tanto faz ter 10 ou 01 Inhauma que na prática só serviria, dentro de moderno TO, como alvo. Sua maior utilidade seria a fiscalização e patrulha de águas territoriais ou contra um oponente do porte do terceiro mundo. Talvez a MB estja enxugando a quantidde de meios ” menos eficientes” pára focar uma condição melhor de ativos. Agora o resto e a desordem, tanto do GF quanto MD, realmente catalisaram esta posição.
    sds

  51. Joker,
    Eles são usados nesses vetores que você citou, só não servem pra atacar navios.
    Na teoria não tem nada que impeça mas na prática eles não têm essa capacidade. Só torpedos pesados são usados contra navios e no caso de navios a deriva seria usando só a corrida reta (modo inercial) ou o modo sonar ativo.
    Teria que ser implementada uma mudança no software no Mk-46 que nunca foi feita.
    Um abraço.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here