Home Clipping Indústria Naval pede união entre empresários e governo para evitar demissões

Indústria Naval pede união entre empresários e governo para evitar demissões

3299
82

EISA 006a
Com o crescente desemprego em todo o país, fruto da atual crise política e econômica, setores como a agricultura, a construção civil, e administração pública são alguns dos que mais sofrem. No Rio de Janeiro, no entanto, o caso mais alarmante ocorre na indústria naval, principal geradora de empregos do estado, que cortou cerca da metade de suas vagas em 2015.

Os estaleiros do estado se veem como reféns da situação caótica que se instaurou no setor petroleiro. A Petrobras, envolta em graves problemas financeiros decorrentes das investigações da Operação Lava Jato e da constante queda do preço do barril de petróleo, não está em condições de realizar, na média de anos anteriores, as contratações de que a indústria naval tanto depende. No que se desenha como um efeito em cadeia, empresas prestadoras de serviço aos estaleiros, já em dificuldades, também acabam arrecadando menos e demitindo mais.

Metalúrgicos fazem protesto contra demissões: cenário desaminador
“O setor metalúrgico está hoje em crise”, avalia o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro, Manuel Monteiro, responsável pelo setor de indústria naval. “Nós começamos 2016 com um quadro realmente muito ruim, a situação é crítica. Nós tivemos três mil trabalhadores demitidos no estaleiro Eisa, aproximadamente seis mil no estaleiro Inhaúma, antigo Ishibrás, na Enseada, alguns estaleiros, como o Sermetal, fecharam, e nós não temos perspectiva de reabertura desses que fecharam ou mesmo de melhora nos que vêm reduzindo postos de trabalho”, afirma. O diretor faz um apelo: “Falta um envolvimento maior dos empresários no sentido de buscar uma solução para o problema, com os trabalhadores e o governo. Acho que todos devem estar juntos para que possamos reverter esse quadro”.

As demissões no Eisa, que ocorreram em dezembro de 2015, exemplificam bem a gravidade da situação, apontada pelo diretor sindical. Os 3 mil funcionários demitidos da empresa chegaram ao estaleiro para trabalhar na manhã do dia 15 de dezembro, uma segunda-feira, e se depararam com portões lacrados. Sem perceber de início o que acontecia, receberam então uma carta da presidência que os informava de seu desligamento da empresa, resultado da recessão econômica e dos desdobramentos da Lava Jato.

“Temos discutido a redução das demissões, mas as perspectivas não são boas, por conta da Transpetro, da crise da Petrobras, e também do preço do barril de petróleo, que caiu muito. Isso inviabiliza, inclusive, a questão do pré-sal”, aponta Manuel Monteiro.

O diretor acredita que um maior envolvimento do governo é necessário para que o quadro apresente alguma melhora, mas a crise dificulta: “Uma solução depende de uma mudança na estrutura de governo, por conta dessa crise política que o país atravessa e da Operação Lava Jato. Nós esperamos que este quadro que está sendo colocado se desfaça a partir do momento em que a Lava Jato entre em reta final. Acho que haverá uma mudança a partir disso”.

“Há a lei de leniência, que nós temos discutido em Brasília. Contudo, o governo segue não enquadrando os empresários da forma que deveria. Isto é, punir o empresário, prendê-lo se for o caso, mas que a empresa possa ter vida própria. O CNPJ dela tem que estar ativo para que a gente possa estar buscando a retomada da geração de emprego”, acrescenta Monteiro, defendendo que os trabalhadores das empresas envolvidas em escândalos de corrupção não sejam indiretamente prejudicados.

Uma crise dessa envergadura na indústria naval pode trazer graves consequências também para outros setores, dependentes da venda de produtos e serviços para os estaleiros. Estes, aponta o diretor sindical, são “geradores de empregos indiretos”. “Isso (crise no setor) mexe com toda a cadeia produtiva de estado. Há, por exemplo, os fabricantes de válvulas, equipamentos no geral para a indústria naval, que também vão entrar nessa onda das demissões pelo que vem acontecendo. As empresas que prestam serviço aos estaleiros também estão tendo que demitir trabalhadores”, afirma Manuel Monteiro.

FONTE: JB, via Portos e Navios

82 COMMENTS

  1. A Lava Jato, vamos ser sinceros, nas suas investigações, tem sido mais deficitária ao Brasil do que o que se poderia recuperar em termos financeiros. Vemos Municípios com problemas para receber os royalties do Pré Sal, empresas sendo fechadas e com problemas de caixa, contratos sendo rescindidos com essa desculpa, empresários sendo vistos com desconfiança e com chacotas só pelo simples fato de terem contrato com a Petrobras, enfim toda uma Nação parada para ver como terminará esta palhaçada. Agregando a isso, a crise entre Cunha e Dilma, a qual se juntou Temmer. Todo um efeito cascata, que atinge quem está lá em baixo.

  2. Mas não foi a união de empresários e governo a causa de todas estas demissões? Trabalhando no ramo desde 2008 eu vi o samba do crioulo doido em primeira mão! Junte empresários aventureiros que cobram até pelos botões da farda do peão, empresas interessadas em lucrar mais com prazos estourados e aditivos de contrato do que com qualidade e competitividade e um trabalhador que não termina o primeiro grau e que recebe por estar com a carteira assinada e não pelo que produz. Acima disso, uma PeTrobras com um cheque em branco dos contribuintes pagando a farra toda e se fazendo de boba. Capitaneados por um presidente messiânico e malandrão que faz tudo pelo povo! Pelo ¨povo¨dele!!! A Lava Jato demorou demais! Tivesse começado em 2006, teria nos poupado bilhões e quem sabe salvo um pouco de nossa credibilidade. Porquê isso eu aprendi com esses calhordas: Eles nunca colocam o próprio dinheiro e a credibilidade em risco…

  3. Clibanario..
    Culpar o combate a corrupção pela crise no setor… e ser muito inocente… veja como esta o mercado no setor … e os indicadores futuros…

    Pré-sal esta morto… abaixo dos $45 o barril… se paga para produzir… e com o fim dos embargos contra o Irã… vai bater perto dos $20.

  4. É cada uma…
    A culpa é dos corruptos que além de roubar bilhões ainda reduzem as operações para deixar a população refém de seus roubos, e assim aceitar esse tipo de comentário: “Melhor deixar que roubem do que o país parar”.

    Realidade é que o pobre SEMPRE sofre quando o corrupto está no poder, seja quando o corrupto está livre para roubar dezenas de bilhões enquanto pobres se amontoam nos chão de hospitais fedendo a excrementos (meu tio ficou nessa condição), ou seja quando o corrupto desesperado pela ameaça de perder seu poder começa a parar obras e demitir funcionários para forçar a população a aceitar uma saída barata pra seus crimes.

    Essa tática de terrorismo implantada pelos corruptos (empresas envolvidas e governo) não tem como culpar nas investigações, é culpa única e exclusiva dos bandidos instalados no poder e de seus defensores que fecham os olhos pro desespero dos pobres em troca da manutenção de suas boquinhas.

  5. Não sou contra a Lava Jato, de forma alguma. Só estou chamando a atenção da forma como está sendo conduzida. Ha uma espetacularizacao ridícula dos fatos, como estão sendo apresentados. Toda a economia de um País de nossas dimensões parada, aguardando o que? Os valores a serem recuperados não chegarão a um por cento do que foi desviado e, prestem atenção, do que está deixando de ser gerado/ganho/produzido desde o inicio. E no final as penas que cada responsável serão desproporcionais aos estragos que causaram pois serão ridiculas. Os mais apenados serão beneficiados com fatores legais que diminuirão suas condenações. Os brasileiros ficarão “sastifeitos”, desempregados e endividados, pois os “empresários” em questão são os maiores empregadores do País. O desemprego dos funcionarios diretos e indiretos (empreiteiros e subempreiteiros) afeta toda uma cadeia de economia de uma região, cidade, município e por aí vai.
    Que se investigue todos os culpados, mas não parem um País em torno disto. Não estou sendo inocente, mas pragmático.
    Moises, pois é, esta é a realidade. É bonito, muito bonito, o discurso que disse (apesar do “fedendo a excremento”), mas… muitos dependem deste povo. E seja lá quem tomar o poder a m**** vai ser a mesma. Não sei sua idade, mas deve ter passado pelos governos de FHC. Pois é, lá a PF vivia arquivando investigações direto, quem rebolava era o MPU para tentar ir adiante com elas, sem sucesso. Os insatisfeitos que se mudem para alguma nação que considerem digna de assim ser chamada.

  6. Prezado burusera 18 de janeiro de 2016 at 21:53
    Faço coro a sua publicação!!!
    Sr Clibanario, não. A Lava Jato só expôs o cancro apodrecido para a sociedade cuidar e evitar que a infecção mate o corpo todo.
    Não devemos nos esquecer do básico: não se deve roubar, corromper ou enganar. O empresário, o politico ou seja quem for, assumiu os risco de cometer uma pratica ilegal para auferir benefícios a si ou a outrem então que arque com as consequências que espero sejam severas e desencorajem outros a cometer o mesmo erro.

  7. Outra coisa, Moisés, tente fazer esse belo discurso para um peão soldador de uma empreiteira da Petrobras que acabou de levar um pontapé na b**** , pois nesse emprego lhe deu a oportunidade de não depender dos sistemas de saúde e de educação do governo, pois o salário que ganhava era bem acima da media do pessoal de sua formação. Com o que ganhava viu a oportunidade de dar uma educação melhor para os seus filhos e conforto para a sua esposa, que mesmo trabalhando fazia os seus planos com certa tranquilidade. Você teria essa coragem?
    E você, José Souza, seria inocente o suficiente encarar também este desafio?

  8. Clibanario, o que você sugere são duas coisas que não se associam, não há coerência. Não há como ceder pra bandidos que querem usar o sofrimento do trabalhador como moeda de troca por sua impunidade e ter justiça ao mesmo tempo, não há como ser a favor da Lava Jato e querer ceder, não existe isso, se a estratégia que estão usando é fazer o trabalhador de refém em troca de sua absolvição, então ou se é a favor da justiça ou da manutenção da corrupção.

    É difícil pro funcionário que sofre com esse terrorismo, perdendo seu emprego, mas infelizmente punir o corrupto adequadamente é o único jeito de garantir que o pobre possa sofrer menos na mão do corrupto no futuro. Realmente é difícil querer escutar esse discurso quando a emoção aflora, mas se o sujeito tiver paciência e olho vivo vai entender que sacudiram sua vida e a de milhares outros só pra não ter que pagar uma multinha de nada e pra um bilionário não ficar alguns meses a menos na cadeia, com direito a bacalhau/veuve clicquot/serviço de quarto, aí então ele vai começar a ver quem é o real culpado.

    E se tem alguém que pode melhor compreender esse discurso é o peão que é quem mais entende de sofrer na mão do corrupto, quem mais sofre com transporte público, quem mais morre pela violência urbana e quem mais morre abandonado nos pronto socorros pelo Brasil, o mais pobre é quem tem mais a ganhar com o combate a corrupção. E acho mais fácil o peão aceitar esse discurso do que aceitar baboseira dita por sindicalistas, principalmente dos envolvidos nas investigações e que pelas costas dos funcionários fazem acordos com as empreiteiras.

    Já quanto aos valores recuperados, acho que há uma compreensão errada da coisa. Não se faz investigações de corrupção para recuperar valores pois é impossível reclamar tudo que foi roubado, como por exemplo propina usada pra pagar garotas de programa famosas. Você tenta evitar perder valores, faz controle faz antes do roubo, depois não tem mais jeito.
    O único motivo das investigações e julgamentos é para que o corrupto tenha medo na hora de roubar, tenha medo de ser preso, de ser expostos. O medo e o controle prévio são os único instrumentos disponíveis contra a corrupção.

    OBS: a descrição do hospital é o máximo que consegui eufemizar do pronto socorro onde meu tio morreu e infelizmente está bem melhor que outros pelo Brasil.

  9. Clibanario 18 de janeiro de 2016 at 18:15

    É para deixar roubar então ?

    O que este rapaz tem é um fenômeno que vocês verão muito no Brasil .. O SAM – Síndrome de Abstinência de Mortadela.

  10. Clibanário,
    .
    Pelo que você escreve, a impressão que se tem é que se a Lava-Jato acabasse hoje, a Petrobrás voltaria a contratar navios e sondas em um ritmo intenso e a indústria naval se recuperaria.
    .
    A União, estados e municípios teriam arrecadação recorde e a vida do brasileiro melhoraria muito.
    .
    Você só se esqueceu que há um governo incompetente nos governando e que mesmo se a Lava-Jato não tivesse ocorrido, a Petrobrás estaria com problemas de caixa e endividada, em razão de ter sido usada como ferramenta de controle da inflação, como financiadora de projetos artísticos, esportivos e industriais, principalmente, pela megalomania de seus diretores, que inventaram de investir em refinarias premium no Maranhão e no Ceará, além dos megainvestimentos em Pernambuco e Rio de Janeiro, e respectivos mega-superfaturamentos.
    .
    Isso para não falar da péssima condução da economia de 2008 para cá.
    .
    Então a culpa não é do Moro. È do Mantega, do Lula, da Dilma, do Trombini e de todos os seus apoiadores e eleitores, inclusive o senhor.
    .
    Quanto à indústria naval ela sempre foi uma ficção na qual apenas incautos acreditaram, em razão da propaganda governamental. Nossos estaleiros não tem qualidade e preço competitivo no mercado internacional. O desempregado de hoje é o funcionário desqualificado que fazia um serviço nas coxas (como o navio João Cândido) e ficava fazendo greve toda a hora em busca de mais “direitos”. Lembro do EISA, já na bacia das almas, e os funcionários em greve para receberem PLR.
    .
    Por mim, que toda indústria nacional incompetente feche as portas ainda mais se depender do dinheiro dos tributos que eu pago para sobreviver. O cidadão não tem obrigação de subsidiar empresas que não conseguem sobreviver com as próprias pernas, ainda mais quando são corruptas.

    Parabéns ao juiz Sérgio Moro que recuperou R$ 2,4 bilhões de reais desviados da Petrobrás. Nunca antes na história desse país isso ocorreu.

  11. Interpretem e deturpem como quiserem minhas palavras, moises e rafael. Responsabilizem quem quiserem (desde que suas excelsas pessoas fiquem isentas) pelas más ações perpretadas por esses cidadãos, pois os fatos aí estão para quem quiser ver.
    Moises o desafio que lhe propus continua. O peão soldador está muito retado por nao puder comprar aquele Celular porradao no natal, pois perdeu o emprego e irá engolir o seu discursuzinho de peessedebista frustado, que só agora se preocupa com o povo. Aliás, você nao me respondeu sobre os inqueritos arquivados no governo FHC.
    Nao sou petista, e muito menos peessedebista, pois o que eu vejo em SP nas administrações desses dois partidos é de doer.

  12. Eu não sou completamente isento. Votei no Lula em 2002.

    O PSDB é uma porcaria. Mas é uma porcaria menos pior que o PT. No estado de SP, pelo menos os professores, policiais e médicos recebem seus salários e décimos terceiros em dia, ao contrário de outros estados que já foram governados pelo PT e seus aliados (DF, RJ e RS, principalmente).

    Eu não sou político para ter que fazer discurso para peão que perdeu o emprego. Se ele ganhou acima da média durante o “ressurgimento da indústria naval”, deveria ter poupado algum dinheiro para tempos difíceis ou investido na sua qualificação (que era uma porcaria, como denotam os navios construídos para a Transpetro). Se não fez, azar o dele.

    Agora você dizer que os municípios estão com problemas para receber os royalties do pré-sal por causa da Lava-jato é demais. Com o preço do barril a US$ 30, mesmo que não existisse o próprio Poder Judiciário, que todos os empreiteiros estivessem soltos e, ao lado de políticos do PT/PMDB e PP estivessem nos roubando, a Petrobrás estaria com problemas de caixa e extraindo pouco petróleo do pré-sal e ainda fazendo com prejuízo ou com margem de lucro apertada.

    O pré-sal era algo muito interessante quando foi descoberto. Aí o governo ficou fazendo planos mirabolantes para sua exploração, criou mais uma estatal, mais um novo marco regulatório, o tempo foi passando, o negócio foi ficando menos atrativo e agora é um verdadeiro mico.

  13. Cidadão, aqui na trilogia já estamos cansados desse pessoal da tubaina com mortadela. Existem outros blogs por aí onde sua conversa de petista enrustido vai colar. Aqui não!

  14. Dom Velame (barão? Conde? Duque?). Vossa Excelência (é assim que devo me dirigir?). Já sei: Doutor (é mais tubaina com “mortandela”, como preferes?). Não sei quem es, muito menos me interessa. Vejo que tens aquele ranço de “você sabe com quem está falando?”.
    Va provar algum vinho e discutir sobre o seu bouquet, caro peessedebista.

  15. Quando há inflação? Quando o estado gasta mais do que arrecada! E sendo assim é só cortar o que está causando despesa nas contas públicas que não é muito difícil de deduzir e nem que para isso ocorre algumas privatizações em setores que causam prejuízo. Mas quem vai fazer isso?

  16. Rafael, sei que é opinião sua que devemos respeitar. Mas, PSDB menos pior que o PT?
    Vejo que nao viveu ou se esqueceu de ter vivido os oito anos de FHC. Foi nessa época que, a pretexto de enxugarem e tornarem mais “eficientes” as empresas que apareceram as “saudosas” reengenharias, os impraticaveis 5 “S”, os inesgotaveis ISO 9000 (alguém se lembra disto?), os gurus e suas intermináveis palestras e por aí foi. Poderia escrever um tratado sobre isso, mas foi dificil ver 10 colegas bons serem substituídos por 2 ou 3 que receberiam 1/4 do que cada um dos que sairam.
    É fácil dizer que foi azar do peão ter perdido o emprego por não ter se qualificado mais. O fato de ocupar tal serviço já o qualificava. O curso de soldagem é caro pacas, para quem não consegue uma vaga nos SESIs da vida. Agora trabalhar em média 8 a 10 horas por dia sob um sol escaldante, com aquelas roupas e equipamentos de segurança, e depois encarar um curso de qualificação, nem superhomem!!! É uma coisa que poderia fazer com o tempo de se estabilizar melhor no emprego. O que não ocorreu para muitos.
    Outra coisa, não torne uma exceção em regra o que acontceu a um navio construído por determinado estaleiro. Os erros foram reparados e outros navios foram entregues.
    Tentar resgatar a industria naval é uma forma de diversificar este segmento da economia. Ou tens o ranço aristocrático brasileiro de ficar observando os outros trabalharem ou tentarem fazer alguma coisa, observando e fazendo chacota?
    Não estou opinando, mas mostrando o que realmente ocorre neste nosso, ainda nosso, Brasil.

  17. Falam tão mal o FHC, mas foi ele que reequilibrou a economia, foi o pai do real,se não fosse por ele o PT n tinha surfado no equilíbrio do real, que inclusive o Lula era contra…

  18. O cidadão, não foi o cinco S, ou qualquer outra destas teorias que levou o Brasil para o lixo, foi sim a educação faz de conta, aonde se formam analfabetos funcionais nas universidades, a legislação trabalhista de período pre´diluviano, e falta total de infra estrutura fisica, intelectual e principalmente tributária para se ir adiante que este tipo de empreendimento
    .
    Qluaquer bestunto com dois miolos no cérebro sabia que o voo de galinha iria terminar logo ali.
    O Dr. Sergio Moro e a Lava jato estão fazendo o que tem qeu ser feito passar a régua nesta vagabundagem que está aí instalada doa a quem doer, foda a que tiver que foder….vamos passar dez anos na miséria total, na maior depressão já vista desde 1929, para que este povinho de merda aprenda a votar e aprenda principalmente que dinheiro não cai do céu, não dá árvore, e o dinheiro para pagar aposentdos não é um saco sem fundo, nem vem de Marte trazido por alienígenas, ele é sim fruto dos nossos impostos.

    A propósto quero mais é que comma merd….a muita merd…. para aprenderem e darem valor ao verdadeiro trabalho, a seriedade e a postura ética. Eu que sou pequeno empresário sofri na mão da pionada, com coisas do tipo;

    “naaaaão isto ái sérrrviço muiiito pesaaado seu moço, vou ficá no” borsa” ou então :

    Vou quebrar a transmissão do caminhão para ver se demite, para pegar os “dereito” e em seguida o “seguuuro disimprigo” e ficar seis” meis” in casa.

    tu acha que o soldador Coreano lá da Hyundai tem moleza, tem borsa, tem vale refeição, tem vale gas, tem vale vagabundagem, tem FFGTS, tem multa de FGTS quando é demitido, não tem porr……a nenhuma, tem é gente medindo o seu desempenho,a sua produtividade, a sua postura, dando condições a de trabalho para ele, sempre visando custo para ter competitividade no mercado

    Tchê nem os Coreanos da Samsung na base do chicote conseguiram fazer os caras trabalharem direito lá em suape, terminou com um petroleiro levando o triplo do tempo, com o dobro do custo e ainda por cima saiu torto..

    Viu Celibatáro, esta é a realidade, era isto exatamente que o PT queria, acabaram como pais, com uma geração, com sonhos, infelizmente, eu eu quero mais é que o Dr. Sergio Moro leve mais uns dois anos na operação, prenda todos os vagabundos e deixe este povo vagabundo, sem expressão, mau caráter, sem dginidade e sem honra juntando resto na lixeira.

    G abraço

  19. Clibanário,
    .
    Quanto à comparação entre PT e PSDB me referia ao governo do estado de SP. Se a gente levar em conta que dois dos candidatos do PT a governador de SP, vencidos no 2° turno pelo PSDB, foram presos (um ainda está, por nova prática criminosa), dá para presumir que os candidatos do PSDB eram menos piores.
    .
    Eu era estudante nos tempos do FHC, mas, intui que seria interessante mudar e, por isso, votei no Lula em 2002. Uma falha terrível da qual me arrependo.

    Para o bem e para o mal, durante os anos 90 as indústrias brasileiras foram postas em cheque, muitas fecharam e outras sobreviveram à Globalização (mesmo com setores protegidos pelo governo). Errado era manter as empresas brasileiras com seus métodos de produção e produtos defasados. Várias empresas cresceram nesse cenário, como a Embraer e a Ambev.
    .
    FHC falhou em muitas frentes, mas nada se compara a criação das “campeãs nacionais”, o marco regulatório do pré-sal, os planos de incentivo à indústria nacional e outras bizarrices da Era PT. Um dos grandes erros do FHC foi não ter privatizado a Petrobrás. Teria evitado toda essa crise.
    .
    Eu não disse que foi azar do peão ter perdido o emprego. O emprego na indústria naval brasileira é algo pouco sustentável. Praticamente só a Petrobrás aceitava pagar muito mais caro por um navio pior do que um similar construído na Coréia. Como o dinheiro da Petrobrás não é infinito, após 12 anos do governo petista, as compras despencaram e o resultado são estaleiros quebrando e empregados na rua. O azar dele foi não ter se qualificado ou não ter juntado dinheiro para investir. Qualificação não é fazer faculdade. Ele poderia ter feito cursos de fim de semana ou nas férias. Quem fez isso, tem bem mais chances de não estar tão revoltado quanto você fala.
    .
    De aristocrático eu não tenho nada. Só que não é papel do Estado usar uma empresa para diversificar a economia. Pior ainda quando o faz por meio de estaleiros incompetentes que cobram caro por um produto ruim. Ficam pagando bem mais caro num produto e depois cobram mais caro na gasolina, para compensar. Já não basta o povo ter que sustentar toda a indústria automobilística nacional, ainda ficam inventando de criar outros setores parasitas para serem protegidos.
    .
    O João Cândido só teve parte de seus problemas corrigidos. Tanto que não pode ser carregado com sua capacidade máxima de projeto. E até o estaleiro Atlântico Sul e a Transpetro sabem que ficou uma porcaria e que o estaleiro não tem capacidade técnica para construir navios decentes, tanto que boa parte da classe foi construída na China e apenas “finalizada” em Pernambuco.
    .
    Por fim, se a indústria naval brasileira fosse essa maravilha que você escreve, ela simplesmente estaria exportando navios em vez de estar fechando as portas. Por que não exporta navios?

    .

  20. Pois é Juizarez, os seus clientes (mesmo indiretos) tem mais que comer merd…, mas muita mesmo. Você se diz pequeno empresário, pensando que nada irá refletir no seu empreendimento, se sentirá inexpugnável, que eles continuem comendo merd… . Tenho pena de você, com tão funesto e escatológico pensamento.
    Vou ser mais claro, para não ter que desenhar: o Brasil está parado por disputas politicas, ou estão tentando para-lo (ainda existe esperança). Vemos uma disputa do poder pelo poder e não vemos alternativas democraticas e legais para substituir os 2 pólos divergentes.
    Rafael, vc votou em Lula em 2002… e depois? Passaram-se quase 14 anos. Não teve 2006, 2010 e 2014? Foi o voto de 2002 tão poderoso assim, que valeu por mais 3 eleições?
    Sobre exportação de navios… sera que não está ocorrendo? Procure saber para não ser mais um achometro.
    Juizarez, sobre os 5″S” e demais baboseiras, falei que teria que escrever um tratado, mas não tou afins. Tchau!!!

  21. Eu mencionar que votei em Lula em 2002 foi para fazer meu “mea culpa”.

    Depois votei nos candidatos do PSDB nos segundos turnos para presidente. Torço para que o Partido Novo emplaque, pois simpatizo mais com suas ideias do que com o PSDB.

    Sabe porque as exportações não estão ocorrendo? Porque se tivessem já tinham aparecido na propaganda eleitoral do PT. Se até o João Cândido foi lançado ao mar antes de estar pronto só para aparecer no horário político, imaginem o que um marketeiro faria com a 1ª exportação de um petroleiro nacional.

    No mais, se as exportações de navios estão ocorrendo, porque as empresas estão demitindo?

    Toda venda de navios militares que o Brasil iria fazer para a África (Angola, Namíbia, etc) não saiu do papel (isso eu pesquisei).

    Vou fazer uma pergunta mais simples: por que o EISA não entregou os Macaés encomendados pela MB? Pelo que eu já li, a MB efetuou pagamentos até a frente do cronograma da construção e mesmo assim, o estaleiro fechou com navios inacabados.

    AVISO DOS EDITORES A TODOS OS COMENTARISTAS:

    PAREM IMEDIATAMENTE COM ESSA DISCUSSÃO ESTÚPIDA POLÍTICO-PARTIDÁRIA DE PSDB x PT, COXINHAS x MORTADELAS E COISAS DO GÊNERO.

    ESTE NÃO É O ESPAÇO PARA DISCUSSÕES DESSE TIPO.

    PRÓXIMOS COMENTÁRIOS QUE INSISTIREM NISSO SERÃO APAGADOS.

    O AVISO FOI DADO NESTE COMENTÁRIO POR SER O ÚLTIMO DA LISTA, MAS VALE A TODOS OS COMENTARISTAS QUE ESTÃO NESSA DISCUSSÃO POLÍTICO-PARTIDÁRIA.

  22. De boa!!

    Que se dane os empregos!!

    O bom funcionário, bem preparado e atualizado arruma emprego e qualquer lugar!! perder o emprego é a coisa mais normal do mundo!! Se não for funcionário público, qualquer um está sujeito a perder o emprego de uma hora para outra. Bons funcionários (pessoas que se atualizam e não ficam acomodadas) não ficam desempregados.E as excessões, se reinventam e vão fazer outra coisa na vida.

    Agora querem que o governo socorra uma industria que não consegue produzir 1 navio de patrulha que preste? Colocando mais dinheiro?? Mais assistencialismo?? E o dinheiro onde vão conseguir?

    O preocupante é que a MB contratou os navios de patrulha e que estes não vão ser entregues. Os recursos gastos tem que ser recuperados. Oque eu duvido que aconteça. Este esqueleto da Classe Macaé vai ficar ali parado por décadas até que a justiça decida alguma coisa.

  23. Toda vez que alguém pede “união” de governo e empresários, em nome de “empregos”, eu seguro a minha carteira. Governo tem que criar bom ambiente para andamento da economia. E empresários tem que ser eficientes. Ponto. Quando falam em “união”, geralmente é contra o contribuinte.

  24. Vamos lá, com as notícias da SETE BRASIL de ontem, já era. O PETROS está falido e ponto.
    A indústria naval brasileira faliu e ponto. Todos aqui serão testemunhas, até o final do ano o que não parou ….. pára.
    Porquê ?
    Porque temos planejamento, estrutura tributária equilibrada, M.O. treinada e com ótima produtividade, enfim somos muito bons e temos um governo que não interfere em nada, deixa a livre iniciativa correr etc etc etc ….. e isso há mais de 13 anos …..
    Permitiram que se criassem muitos estaleiros com grana de BNDES, BB, CEF etc …. Enfim nós !
    Em 2017/18 não haverá um único grande estaleiro funcionando a contento, talvez uns dois ou três bem “meia boca”.
    Empresário do setor naval quer grana ? A minha não Juvenal.
    Basta olhar os Grupos de empresas e MICOempresários que assumiram o setor, sem riscos, mas reitero com nosso DinDin.
    Como dizia Miss MT:
    O Socialismo é muito bom até que acaba o dinheiro …. dos outros.
    Isto é uma Bíblia em finanças públicas, portanto …..

  25. Estaleiros que foram “criados” para atender ao sistema PETROBRAS:
    http://www.valor.com.br/empresas/4400042/metade-das-empresas-do-ibovespa-perde-mais-de-50-do-valor-de-mercado

    ////////////////////////////

    Sabem o que é aço em chapas grossas ? Boa parte atende a demanda naval.
    http://www.valor.com.br/empresas/4399790/vendas-de-aco-caem-226-em-dezembro-segundo-inda

    //////////////////////////

    http://www.valor.com.br/empresas/4400990/voto-contra-da-petros-cria-impasse-na-recuperacao-da-sete

    //////////////////////////

    Quem é do setor naval, boa sorte e muita saúde.
    Para quem não é …………………………………….. boa sorte e muita saúde.

  26. COMENTÁRIO APAGADO
    AVISO A TODOS: A ADVERTÊNCIA DE ONTEM NÃO SERVIU PARA NADA?
    MANTENHAM-SE NO TÓPICO, SEM ESSA DISPUTA POLÍTICO-PARTIDÁRIA, ONDE NENHUM LADO VAI CONVENCER O OUTRO E TODOS SÓ VÃO EMPORCALHAR O BLOG E ENCHER A PACIÊNCIA DOS QUE QUEREM DISCUTIR OS ASSUNTOS EM PAUTA.

  27. Amigos por favor deixemos a politica de fora deste fórum,pois o que queremos saber e sobre
    assuntos relativos a defesa nacional,o Brasil está acima da mediocridade dessa policalha que
    ora vemos,temos que nos mobilizarmos para que nosso pais tenha forças armadas para garantir
    nossa soberania hoje e no futuro.

  28. Que o “renascimento” da Industria Naval brasileira iria cedo ou tarde fracassar já estava definido quando de seu início.
    Este “renascimento” estava fundamentado em apenas 1 cliente, a Petrobras, que iria supostamente adquirir 50 navios (petroleiros e gaseiros) e 26 ou 28 navios sonda para o pré-sal.
    E, baseado nestas suposições, ou melhor, sonhos delirantes, 5 super megas hiper estaleiros foram criados da noite para o dia juntando empresários incompetentes no ramo e corruptos de plantão. Nem mão de obra capacitada existia na época tanto que me lembro que alguns estaleiros foram buscar no Japão brasileiros experientes em soldagem que haviam migrado em busca de melhores condições de emprego. Lembro, também, que muitos dos soldadores daquele estaleiro de Pernambuco eram ex trabalhadores em canaviais que receberam um curso expresso de soldagem e foram alocados imediatamente no trabalho. Obvio que louvo a possibilidade de ascensão profissional destes trabalhadores mas não se aloca profissionais ainda inexperientes em trabalhos desta responsabilidade. Claro que isso não ia dar certo e os problemas do navio João Cândido foram resultado direto disto.
    Mais uma vez, aquilo que poderia ter sido uma grande oportunidade, foi jogada no lixo pela absoluta falta de planejamento, pelos sonhos delirantes dos “nossos governantes” e pelos corruptos de sempre.
    O grande mal do Brasil, e isso independe de qual governo está de plantão, e “se achar” o máximo do pedaço e querer queimar etapas, passando da Idade da Pedra às Viagens Espaciais em um único salto.
    Exemplos existem em quase todas as áreas e, na área militar, cito apenas o caso dos submarinos franceses e do submarino nuclear. Queimou-se todo um acordo que vinha dando resultados práticos, o acordo com a Alemanha que já tinha permitido a construção local de 04 dos 05 submarinos atualmente em operação.
    Este “sonho” também vai fracassar pois não se viabiliza um estaleiro do porte do que esta sendo construído em Itaguaí com a encomenda de apenas 04 ou 05 submarinos convencionais e 01 ou 02 nucleares. Será mais um elefante branco deixado de herança para as futuras gerações.
    E isso não tem nada a ver com a qualidade do produto francês mas com o formato do negócio em si.
    Melhor teria sido deixar o Arsenal da Marinha produzindo 01 submarino convencional novo a cada 02/03 anos, mantendo uma equipe treinada e capacitada para tal e permitindo projetos nacionais de melhorias do original alemão além da nacionalização de materiais.
    Quanto ao submarino nuclear acho que o Brasil deveria buscar ter alguns mas dentro de um desenvolvimento realista de uma tecnologia própria e não desta forma aloprada. O casco é bem menos importante do que o reator em si que ainda nem existe.
    O que poderia ter acontecido, mas não aconteceu, pode ser visualizado neste artigo:

    http://www.ipea.gov.br/desafios/index.php?option=com_content&view=article&id=1478:catid=28&Itemid=23

    Abraços,

  29. Não estar errado ter indústria nacional.
    Mas que ela procure se qualificar e ter preços competitivos.
    Tudo bem. Talvez na China os salários ainda sejam baixos. Ainda porque isso está se acabando por lá.
    A Coreia é considerada um país desenvolvido não creio que os salários sejam baixos.
    Já no Japão reconhecidamente tem um dos maiores custos de vida do mundo com salários muito altos e os funcionários nascem e morrem trabalhando na mesma empresa. Como conseguem ser competitivos e uma das maiores indústrias navais do mundo?
    O mesmo se aplica aos EUA. Uma potência naval o. Constroem porta aviões a toque de caixa…
    Então está na hora da indústria naval se repensar e parar de depender da marinha e da Petrobras.
    Comecem a fabricar bons navios para fins civis privados, exportam, etc.
    Cito um bom exemplo de incoerência. A Vale a CSN e a Usiminas exportam minério de ferro para a China. A csn e a Usiminas produzem aço. So que os chinieses que compram minério de ferroferro no Brasil, levam o minério para passear uns 20 mil km produzem o aço dão outro passeio pelo oceano e chegam mais barato?
    Os estaleiros precisam se tornar competitivos.
    Outro exemplo. Já ouvi falar de casos de funcionários terceirizados da Petrobras ou da Vale que trabalham em plataformas ou na Amazônia.
    Aí trabalham nesses locais um mês e depois passam um mês nas suas cidades. Passagens bancadas pelas empresas.
    Para o trabalhador é ótimo.
    Mas não sei muito caro para a empresa contratada ficar pagando hotel e passagem aérea?
    E a Petrobras tem que bancar isso. A Vale também.
    Ja ouvi falar de empresa que tem vários ônibus para pegar funcionários próximo de casa. E o MPT não aceita que nenhum funcionário vá em pé (como se no transporte público isso não existisse). Resultado ônibus com meia lotação ou quase vazios aumentando muito os custos de empresas que geram 10 mil emoregos. E acabam resolvendo produzir ou comprar diretamente da China.

  30. Carlos.
    .
    Mais ou menos de vinte em vinte anos aparece um presidente com vontade política querendo (re)criar a indústria naval brasileira.
    .
    Juscelino, Geisel e Lula tiveram a mesma porcaria de ideia, criando subsídios, barreiras comerciais, impondo compras e etc.
    .
    E sempre o mercado vem e impõe a verdade dos fatos: a indústria naval brasileira não é competitiva.
    .
    Uma hora o dinheiro do governo acaba e a indústria naval acaba também. Simples assim.
    .
    Infelizmente, acredito que daqui uns 20 anos aparece mais um político sem o mínimo de conhecimento econômico e resolva, mais uma vez, usar o dinheiro do cidadão para ressuscitar os estaleiros.

  31. Caro MarcelloASM 21 de janeiro de 2016 at 1:07
    Quero lhe pedir com especial atenção:
    AMIGO, frequente mais este espaço.
    Sua explanação resumida é muito objetiva e verdadeira.
    Altíssimo grau de lucidez !
    PARABÉNS Colega.
    Jamais teria çaco na atual conjuntura para ser tão sucinto como você o fez.
    G Abraço.

  32. Rafael Oliveira 21 de janeiro de 2016 at 11:29
    É por ai Rafa, ai caímos “de boca” na ótima colocação do Colega MarcelloASM.
    Sds

  33. Difícil achar outros adjetivos para o desastre dos estaleiros nacionais. De fato, a ausência de uma legislação trabalhista e tributária moderna e sadia, somada à falta de escala de produção e, a má formação escolar do trabalhador brasileiro – em todas as escalas, incluindo nos cursos superiores – só pode resultar em desastre. Mas, o pior, é que sempre se cobra a conta do contribuinte nacional, que paga a farra dos outros e, não vê o benefício prático que se prometeu. Isso é o que dá um capitalismo de estado, aliado ao compadrio entre empresários ineficientes e políticos inescrupulosos, Enfim, segue o enterro…

  34. Voltei. Apos muito meditar. Devo dizer que, no desenrolar das discussões, queria que chegassem ao seguinte raciocinio: a crise servirá de desculpa para muitas mazelas. Por causa dela, muitos agirão de ma fé para não cumprir compromissos assumidos, mesmo tendo condições de executa-los. Isso em todos setores da economia. Vão dizer que são poucos que farão isso. Mas são esses poucos que interferem na vida de muitos.
    A especulação está em alta. Tem muita gente querendo vender limonada e lenço. Já existem “especialistas” de “prantao” querendo que façamos emprestimos consignados para investir em dolar, garantindo que estará a R $4,70 até o final do ano ou antes. Que isso deveria ser feito ja!! A meu ver, a janela para investir em dolar fechou-se há pouco mais de 1 ano. Com certeza estão querendo especular ainda mais para se livrar da moeda que têm em seu poder. Só com os juros, taxas, imposto que serão pagos nessas operações, se houver ganhos, serão insignificantes ou, com certeza, inexistentes.
    Os empresários estão querendo ganhar tempo. Cumpre ao BNDES e demais bancos envolvidos executar as garantias oferecidas, o mais rapido possível, enquanto elas ainda estão atuais, serviveis e com certo grau de liquidez, para garantir, pelo menos o principal das dividas. Quanto aos restante das dividas, que se busquem no patrimonio de todos os envovidos. Cumpre ao Judiciario srr ágil o suficiente para evitar que desapareçam em alguma conta em paraísos fiscais.
    Ah, sim! É “SACO”.

  35. O desastre do voo de galinha da indústria naval ocorreu por quatro fatores:
    1) política macroeconômica equivocada
    2) má-gestão (anos de atraso, estouro absurdo nos orçamentos)
    3) queda internacional no preço das commodities
    4) falta de credibilidade

    A falta de credibilidade não acontece por causa de qualquer investigação. Muito pelo contrário, se os casos de corrupção tivessem sido evitados ou descobertos antes, o dano era menor.

    O investidor trabalha com índices e os dados divulgados pelas empresas. A Petrobrás divulgou dados falsos por ação direta de seus diretores.

    Ela certamente será condenada nas ações que correm em NY e provavelmente também haverá repercursão penal.

    Ao contrário do defendido por algumas pessoas aqui, a investigação e punição é essencial para que um dia o Brasil possa recuperar sua credibilidade.

    Manter essa situação obscura e relação promíscuo entre agentes públicos e empresários afasta qualquer expectativa de recuperação a longo prazo.

  36. Nonato, praticamente TODAS as empesas localizadas fora da região metropolitana são obrigadas a manterem um serviço de transporte de funcionarios, ou próprio ou terceiruzado, pois elas não ficam nos trechos dos ônibus de linha. Fazem isso, pois a maior parte de funcionários têm que chegar pelo menos uma hora antes de seu turno e em quantidade suficiente para manter a linha de produção em funcionamento. Você deve saber o quanto os transportes coletivos no Brasil são “eficientes”. O transporte não é de graça. Voce deve ter ouvido falar do Vale Transporte e sobre os 6 por cento descontados em folha. Nada é de graça. As empresas que o adotam têm alguns beneficios fiscais, não ser dizer quais no momento. Mas voce já deve ter viajado em pé num ônibus coletivo 40 ou 50 kms., cheio e encarar 8 horas ou mais de trabalho todos dias uteis da semana com muita disposição para falar com tal propriedade.
    Outra coisa, quanto às diarias de viagem a serviço de determinada empresa, privada ou não. Mais uma vez TODAS as empresas pagam estadia, alimentação, hospedagem, para os funcionarios que viajam a seu serviço, por melhor que sejam os seus salarios e posições. Cabe a eles prestarem contas do que gastaram, devolvendo o excedente em dinheiro, se houver.
    Por final, os trabalhadores chineses moram nos alojamentos das fabricas. Com privacidade e conforto “exemplares”. Eles ficam 24 horas a disposição dela. Regime carcerário chinês “ótimo”. Sonho de todo “bom” patrão.

  37. Clibanário,

    “As empresas que o adotam têm alguns beneficios fiscais, não ser dizer quais no momento.”
    .
    Não tem nenhum, Apenas lançam como despesa na declaração do IRPF, mas isso não é benefício algum, dado que efetivamente é um despesa.
    .
    Assim como também não é um benefício fiscal considerar o vale-transporte uma verba indenizatória e não salarial.

  38. Rafael, independente disso, o vale transporte não deixa de ser pago pelo trabalhador.
    Os 6% descontados sobre o seu salário, a partir de determinado patamar. ele passa a assumir totalmente tal despesa. Mas, obrigado por esclarecer.

  39. Clibanario,

    A empresa custeia aquilo que exceder 6% do salário.

    Então, de acordo com o custo do vale-transporte e o salário do empregado, ela pode não pagar nada ou pagar muito mais do que trabalhador. Este, paga até 6% do seu salário.

  40. Outra coisa, Nonato: a Vale foi privatizada a muitos anos atrás. Você estava se referindo a ela como se fosse uma estatal como a Petrobrás. No momento, ela só deve satisfações a seus acionistas e a quaisquer órgãos fiscalizatórios do governo.

  41. Clibanário, Talvez você não saiba que nesta indústria naval, teúda e manteúda, a PeTrobras paga transporte,estadia, exames médicos, epis, ferramental, maquinário (como máquinas de solda), viagem para visitar a família a cada três meses, no caso do peão não ser do estado, etc…Até dias chuvosos viravam aditivos de contrato…Tudo isto no regime de Homem-hora, que encarece o custo de mão-de-obra de forma absurda! A terceirizada apenas administra a peãozada e mantém eles no canteiro, garantindo que eles tenham alguma qualificação e estejam aptos para determinadas funções. Aí tu já percebe a receita pro desastre que este regime representa! Não é a toa que estes “empresários” e “gestores” entraram neste ramo de forma tão entusiasmada! Verdadeiros brasileiros que geram empregos e progresso. Por coincidência, aqui em Rio Grande, a maior parte dessas mamatas acabaram após as primeiras prisões da Lava-Jato e aí foi aquela choradeira de empresários e líderes sindicais que viram a fonte secar! Eu trabalho com solda desde 2005 e levei um chute na bunda também! Vai por mim, a Lava-jato demorou demais e o bom trabalhador se adapta e busca emprego mais longe de casa! É incomodo? É, mas só é ruim mesmo pra esses carteirões que habitam o canteiro de obras e pra esta indústria naval que nunca quis dar certo e só queria ganhar tempo pra vilipendiar o cadáver da PeTrobras pelo maior tempo possível!!! Poderia escrever mais e mais sobre os absurdos que eu presenciei, mas eu termino dizendo o óbvio: Pros empresários, líderes sindicais, PeTrobras e governo, a indústria naval foi um meio de se beneficiar com aquela frase famosa “Agora, tudo o que puder ser feito aqui, será feito aqui!”. Será? Abs…

  42. Uma pena a situação de nossa MB e nossos estaleiros, que pena mesmo, eu lembro que lia as noticias otimistas dos estaleiros anos atrás e ficava cheio de orgulho…

    🙁

  43. Já entendi, foi um ponto de continuação “dedado” involuntariamente após a palavra “patamar” que mudou totalmente o significado do que eu estava querendo dizer. Mais uma vez, foi teclado virtual

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here