Venda da Transpetro poderá acabar com a retomada da indústria naval no...

Venda da Transpetro poderá acabar com a retomada da indústria naval no Brasil

5671
24

Inauguração-Navio-Dração-do-Mar-Transpetro-Agosto-2013-136

A possível venda da Transpetro, dentro do plano de desinvestimento da Petrobras, poderá colocar um ponto final na história da retomada da indústria naval no Brasil. Subsidiária de logística da petrolífera, a Transpetro é responsável pelo Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef), que encomendou 49 navios a estaleiros brasileiros para evitar a dependência de afretamento de navios nos transporte de petróleo e combustíveis. Na avaliação de especialistas é pouco provável que um novo dono mantenha um programa com mais propósito político do que viés produtivo.

Na última sexta-feira, o diretor financeiro da Petrobras, Ivan Monteiro, anunciou a possível venda da Transpetro. O assunto não foi discutido no Conselho de Administração da estatal mas, no mercado, circula a informação de que a companhia tem interesse em vender 23 navios da sua frota atual de 53 embarcações. O anúncio anda na contramão do que foi anunciado em 2004 pela Transpetro na apresentação do Promef, que pretendia aumentar a frota nacional com a produção de navios com bandeira brasileira.

“É um contra-senso anunciar um programa e depois “desanunciar”, mas a Petrobras não tem saída. A empresa vive um momento difícil, com alto endividamento em dólar. A empresa tinha dívida com um dólar cotado entre R$ 1,60 e R$ 2,60 e agora a moeda está em R$ 4,11 (fechamento de ontem). A empresa precisa reajustar o fluxo de caixa, engavetar investimentos e melhorar a gestão. É praticamente impossível a petrolífera manter um programa (Promef) que induza a empresa a fazer mais investimentos de curto prazo”, destaca o economista do Conselho Federal de Economia (Cofecon) e pós-doutorando em economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Luciano D’Agostini.

No final do ano passado, a Transpetro comunicou a intenção de suspender a encomenda de 13 navios, sendo 11 ao Estaleiro Atlântico Sul (EAS) e dois ao Vard Promar, no Complexo de Suape. As empresas e o governo de Pernambuco estão negociando com a estatal para tentar reverter a decisão, mas a informação de venda da subsidiária reforça o argumento de encolher o Promef.

“A venda da Transpetro ainda está no campo do boato, mas se isso acontecer esperamos que o novo acionista mantenha o Promef. Não é apenas uma questão financeira da Petrobras. Estamos falando de grandes empreendimentos implantados em vários Estados com geração de emprego e renda para fazer a indústria naval renascer. Países que se tornaram grandes players do setor, a exemplo de China, Coréia do Sul, Japão e Noruega receberam incentivos públicos e demoraram 20 anos para se consolidar. Matar o programa agora é um retrocesso”, defende o vice-presidente do Sinaval, Sérgio Bacci.

FONTE: Jornal do Comércio, via Portos e Navios

24 COMMENTS

  1. Tem que vender mesmo!!
    .
    Há um monte de matérias pra todo lado, a respeito do quanto está sendo pago por cada um destes navios encomendados. A maioria deles custou o dobro do preço de navios similares e de melhor qualidade do que os fabricados aqui.
    .
    Toda empresa existe para gerar lucro, principalmente a Petrobrás que deve dar retorno financeiro aos seus milhões de acionistas. Se puder obter lucro e incentivar a industria naval brasileira, tudo bem, mas pagar mais caro por um navio de qualidade inferior só para desenvolver artificialmente a industria, não funciona. E a prova está aí. Basta a Transpetro resolver deixar de encomendar mais navios que a tal industria naval criada artificialmente vai para o buraco. Como não há produtividade, não há capacidade técnica, como a carga tributária é enorme, fica impossivel a tal industria sobreviver sem as compras da União. Vai vender navio pra quem?? Não tem preço e nem qualidade.

  2. zoran, tem que dar qualidade e produtividade.
    E poderiam até fazer lanchas,barcos menores.
    Não apenas mega petroleiros…
    E quem sabe disputar o mercado internacional, sem depender só do governo.
    Os caras têm que rebolar.
    Culparam FHC de ter acabado com a indústria naval…
    Agora começaram a recriar, e já vão deixar morrer.
    Mas por que na coreia é mais barato?
    Alguns fabricantes são os mesmos.
    Não digam que a culpa é (só) dos tributos. Talvez até tenham incentivos e isenções…

  3. Incentivos, subsídios e outras vantagens fazem parte do arsenal de qualquer governo para desenvolver indústrias locais consideradas estratégicas. Todos os países fazem isso inclusive o americano. Lembrem-se dos incentivos e das sobretaxas cobradas nas importações de álcool com o intuito de proteger e incentivar a produção local do álcool de milho. Ou das leis de proteção e cotas de importação de aço para manter viva a indústria siderúrgica local.
    E nesse ponto a Indústria Naval se destaca pelo enorme efeito multiplicador nos demais ramos industriais, desde os básicos, como as siderúrgicas, como os mais sofisticados como o de componentes eletrônicos, tintas especiais e por ai vai. Além do mais é mão de obra intensiva demandando pessoal altamente especializado e bem remunerado, exatamente o que os países anseiam.
    O errado, aqui no Brasil, foi a total e absoluta falta de planejamento e a magnitude dos incentivos concedidos. Do nada quiseram criar uma mega indústria naval que já nasceria eternamente dependente do governo e, pior, de uma única empresa, a Petrobras. Além disso baseada em projeções de compras de novos navios totalmente delirantes, sem nenhuma base na realidade econômica. Óbvio que iria fracassar.
    E não será a venda ou não da Transpetro que irá definir os destinos desta “nova” indústria naval. Ela já nasceu quase morta e sua morte foi antecipada quando, do nada, foram criados 5 novos super hiper mega estaleiros para dividir as benesses do governo. Lamento, apenas, pelos milhares de trabalhadores que verão arruinados seus sonhos de uma vida melhor. São os únicos que não tem nenhuma responsabilidade pela incompetência governamental.
    Mas o pior mesmo foi que o Brasil já tinha uma base industrial estabelecida e que vinha crescendo em cima de determinados nichos de mercado como o de embarcações de apoio para as plataformas de petróleo, barcaças para transporte fluvial e até navios patrulhas para a Marinha como o INACE, do Ceará, que até exportou, se bem me lembro, navios patrulha para a Marinha da Namíbia. O correto seria expandir em cima desta base e não querer criar uma base totalmente nova e irreal. Não sei até que ponto esta base industrial pré existente foi contaminada por esta política aloprada mas espero sobreviva.

  4. Complementado a postagem anterior.
    Pelo menos uma das sobreviventes do holocausto anterior, a EISA do Rio de Janeiro e que possui contrato para a fabricação de navios para a Marinha brasileira também esta naufragando. Tem alguns artigos aqui no Blog a respeito.
    E é um estaleiro tradicional, conceituado e existe desde a década de 50 do século passado.
    É uma pena.

  5. Foseca, a resposta a tua pergunta e muito simples:

    Porque o aco produzido no Brasil e em media 23% mais caro que o nos USA, porque um trabalhador da ind naval Brasileira custa mais caro que um Coreano, mesmo este recendo um salarior maior que o pago ao operario Brasileiro, uma vez que os pinduricalhos como FGTS, INSS, 13., PIS, CONTRIB SINDICAl acabam multiplicando por ate 2,3 vezes o que ele recebe, porque a nossa infraestrutura e péssima, porque as nossas universidades continuam fazendo de conta que formam profissionais, mas na verdade jogam todos os anos milhares de analfabetos funcionais no mercado, e finalmente por causa da nossa carga tributaria estupida, que tributa em cascata.

    G abraco

  6. Interesse em vender?!? Pesquise em sites como o Marine Traffic e veja qual a bandeira atual de alguns navios da Transpetro como Lambari e Lavras. Apesar de que tais navios já deveriam ter saido de operação por não possuirem casco duplo.

  7. Amigos. Por que a Petrobrás possui o monopólio dos combustíveis? O que se faz com uma empresa, que possui milhares de acionistas, e, dilapidada internamente não tem mais condições de se sustentar? A bazófia de dizer que a Petrobrás é do povo brasileiro caiu por terra, ou seja na lama da corrupção. O que vocês, amigos, fariam? Manteriam essa Estatal ou quebrariam o monopólio?(Não falei em vender!?) Caso fosse no setor privado a venda seria imediata.

  8. Sobre o incentivo financeiro a áreas estrategicas, principalmente em países desenvolvidos como os EUA citado em comentário anterior, os governos desses países da uma mãozinha com o incentivo, diferente da política brasileira de sustentar a indústria naval . qualquer setor desses países ricos conseguem sobreviver sem ajuda do governo, diferente da indústria naval brasileira que não , por quê é simplesmente sustentada pelo governo o que é totalmente errado

  9. Notícia que não é notícia.
    Um boato, que ganha foro de “verdade”, o incrível é que a palavra boato se encontra no texto.
    Poucos se deram conta, ou quem viu não deu importância. Devia, é uma questão chave em relação ao texto publicado, pois, um relato que se baseia em parte, ou em todo em um boato não merece credibilidade.
    Realmente, não existe mais jornalismo no país, apenas opiniões publicadas e especulações.
    Os fatos são bem conhecidos, desde o ano passado. Vender as embarcações mais antigas, dentre elas algumas com menos de 10 anos de uso.
    Nada mais.

    A venda da Transpetro não foi abordada em nenhuma reunião do conselho da estatal, o que faz desta matéria um desejo, sabe-se lá de quem… O outro nome que se dá é lobby, que neste caso é muito mal feito, diga-se.

  10. Deviam vender toda a Petrobras e acabar de vez com este ralo que sangra a economia do país e a vida de trabalhadores honestos que pegam duas ou três conduções para ir trabalhar e ganhar uma miséria.
    Não haveriam mais cargos para politicos ladrões e outros falastrões que gostam muito de passar a esmola com chapéu alheio.
    Claro que o Sindipetro nao vai gostar, vão perder milhões de contribuições, de mamatas, de indicações, de falcatruas e de cargos, de 15 salário, 16 slário, dipensa calo no pé, dispensa enjôo, dispensa mal estar, em fim, todas os prostituídos “dereitos” que levaram a empresa junto com o roubo ao seu inevitável fim.
    Fica ainda para os senhores o rombo no Petros, que nós não vamos pagar, se virem como PT e seus apaniguados….

    g abraço

  11. Quem acredita que a privatização vai melhorar alguma coisa é um ingênuo. A industria de defesa nos USA é toda sustentada pelo governo americano. Mas aqui no Brasil não pode. Tem que privatizar.

  12. César A. Ferreira 25 de janeiro de 2016 at 19:46 Exato, isso é especulação, a empresa vai fazer o que for de interesse dela para melhorar suas finanças, colocar pesos e contrapesos e ver o que pesa menos. Eu aposto na venda de navios antigos, sem mexer muito nos que estão contratados.

  13. A mão de obra no Brasil não e tão qualificada,o custo Brasil é alto,os empresários Brasileiro não são competentes,enfim os BRASIL tem que associar com estaleiros coreanos(sul coreanos ou japoneses) igual parceria como caso dos grispen.` Inclusive nos projetos, Vi na internet uns videosinclusive sobre navios eles são modulares a fabricas em varias localidades e na montagem final sai uma perfeição .

  14. Entrei nesse fórum para dar uma olhada nos comentários.
    Cheguei a triste conclusão que o Nacionalismo e o Amor a Pátria nunca passaram por aqui.
    Só vejo um monte de __________ a execrar a terra onde nasceram e a bajular o grande capital internacional.
    Defendendo com unhas e dentes a entrega do patrimônio e da nossa soberania a sei lá qual grupo, desde que não seja Brasileiro!!!
    _____________ isso é o que são!!!
    _
    COMENTÁRIO EDITADO. NÃO OFENDA OS DEMAIS. LEIA AS REGRAS DO BLOG. PRIMEIRO AVISO.

  15. Sou Brasileiro e não admito a idolatria ao capital internacional que vejo nos comentários feitos nessa página!!!
    São todos _____________ e ___________________!!!
    Vivemos no quinto maior país do mundo e que pode e deve buscar seu lugar de direito no concerto das nações. Mas a depender de _______________________e _______________ da nação, nunca chegaremos lá!!!
    Hoje boa parte da elite brasileira aplaude a entrega incondicional de nossos recursos naturais e tecnológicos a nações estrangeiras e ____________________ que almejam acabar com a nossa soberania deixando o Brasil como simples colonial de exploração do capital internacional, notadamente o Americano.
    Defender a entrega de nossas riqueza é no mínimo um ato de covardia de pessoas que não merecem viver em nosso solo.
    _
    COMENTÁRIO EDITADO. NÃO OFENDA OS DEMAIS COMENTARISTAS. LEIA AS REGRAS DO BLOG. ESTE É UM ESPAÇO DE DEBATE E NÃO DE XINGAMENTOS. SEGUNDO E ÚLTIMO AVISO.

  16. santos que disse que nesse pais existe Pátriotimos, por partes da elite e estrangeiros, Brasileiro de VDD pensa no bem do Brasil e dos Brasileiros e defende com garras e unhas o`que é nossos, eu já vi no Blog aereo.jor.br 90% dos comentários para acabar com nosso programa espacial espacial Brasileiro, já da pra ver que não são Brasileiros que comentam.

  17. Engraçado o moderador, edta meus comentários e me adverte mas permite comentários entreguistas, desrespeitosos e difamantes ao nosso país, será que estou em um blog de brasileiros ou em uma simples página de propaganda da OTAN???
    _
    NOTA DOS EDITORES: SEUS COMENTÁRIOS FORAM EDITADOS POR CAUSA DE XINGAMENTOS E OFENSAS CONTIDOS NOS MESMOS, E NÃO PELA OPINIÃO E ARGUMENTOS. ARGUMENTE SEM XINGAR OS OUTROS NEM DENEGRIR ESTE ESPAÇO. SIGA AS REGRAS DO BLOG, COMO OS DEMAIS.

LEAVE A REPLY