RIMPAC 2016 - foto 5 USN

Ao longo da semana, a Marinha dos EUA (USN) divulgou mais fotos do exercício marítimo internacional RIMPAC 2016 (Rim of the Pacific), do qual já mostramos imagens em matéria anterior do Poder Naval (clique aqui para acessar).

Entre as fotos divulgadas recentemente, podem ser vistos em manobras conjuntas navios como a fragata Hengshui (572) e o contratorpedeiro / destróier de mísseis guiados Xian (153) da Marinha Chinesa, a fragata de vigilância  Prairial (F 731) da classe “Floreal” da Marinha Francesa e a corveta KRI Diponegoro (365), líder de sua classe na Marinha da República da Indonésia. Também vemos o destróier de mísseis guiados USS Stockdale (DDG 106) da Marinha dos EUA se aproximando de navio de apoio logístico da Marinha Chinesa, o Gaoyouhu (966).

RIMPAC 2016 - foto 6 USNManobrando em conjunto, também são vistos o navio de contramedidas de minagem USS Champion (MCM 4), o navio de desembarque-doca USS Pearl Harbor (LSD 52) e o navio de combate litorâneo Freedom (LCS 1), da Marinha dos EUA (USN), além dos navios de defesa costeira HMCS Yellowknife (MM 706) e HMCS Saskatoon (MM 709) da classe “Kingston”, da Marinha Real do Canadá.

Os navios são sobrevoados por três helicópteros MH-53E Sea Dragon operando no Esquadrão de Contramedidas de Minagem (HM) 14.

RIMPAC 2016 - foto 11 USN

A série publicada aqui inclui imagens divulgadas em 14 de julho do lançamento de míssil antinavio RGM-84 Harpoon, pelo cruzador de mísseis guiados USS Princeton (CG 59) da USN, como parte de um SINKEX (international sinking exercise), exercício de afundamento de um navio-alvo, em proveito do exercício RIMPAC 2016.

RIMPAC 2016 - foto 9 USN RIMPAC 2016 - foto 10 USN

Aeronaves e treinamentos antiaéreos também fazem parte do RIMPAC 2016, comas fotos mostrando o disparo de sistema de armas de defesa aproximada Phalanx do cruzador de mísseis guiados USS Mobile Bay (CG 53), da USN. Outras imagens mostram caças F/A-18 Super Hornet fazendo toque e arremetida e sobrevoo do navio aeródromo de propulsão nuclear USS John C. Stennis (CVN 74), também da USN.

RIMPAC 2016 - foto 3 USN RIMPAC 2016 - foto 2 USN RIMPAC 2016 - foto 4 USN

Falando no USS John C. Stennis, no dia 14 foi divulgada foto do pouso em seu convoo de MV-22 Osprey do Esquadrão VMM 161 da USN, trazendo a bordo o vice-presidente dos EUA, Joe Biden. Outras imagens publicadas nesta semana mostram o navio de combate litorâneo USS Coronado (LCS 4) da USN navegando em Pearl Harbor, de onde parte também o navio de assalto anfíbio USS America (LHA 6), também da Marinha dos EUA, sendo visto de seu convoo encouraçado Missouri, da Segunda Guerra Mundial, que é um memorial / navio-museu.

RIMPAC 2016 - foto 7 USN RIMPAC 2016 - foto USN RIMPAC 2016 - foto 8 USN

Vinte e seis países participam do exercício RIMPAC 2016, somando mais de 40 navios e submarinos, mais de 200 aeronaves e cerca de 25.000 militares, em operações programadas para o período entre 30 de junho e 4 de agosto, entre as ilhas do Hawai e o sul da California, no Oceano Pacífico. O RIMPAC, considerado o maior exercício marítimo internacional do mundo, é realizado desde 1971, sendo esta a sua 25ª edição. Abaixo, infográfico (em inglês) divulgado pela USN sobre o RIMPAC 2016, com mais informações.RIMPAC 2016 - infografico USN

VEJA TAMBÉM:

38 COMMENTS

  1. Realmente incrível… só o USS John C. Stennis, mais 2 escoltas e 1 submarino nuclear já é o bastante para destruir não só a MB como todo Brasil, colocar uns mísseis táticos na rota de Brasília, quem iria nos salvar? nossos Iglas ?

  2. Pois é UH… Eu estava pensando justamente nisso.
    Fico a pensar quantas MB (no estado em que se encontra hoje) seriam necessárias para fazer frente a isso tudo.
    Sorte nossa, que os estrangeiros tem pena, e não ódio de nós.

  3. Ao contrário do que muitos ainda pensam, navios de superfície e submarinos de ataque de propulsão nuclear da US Navy não transportam armas nucleares táticas…isso é função da
    Força Aérea, USAF.
    .
    Os 44 Super hornets a bordo do USS John Stennis , umas 2000 toneladas de bombas e mísseis a bordo e dezenas de mísseis de cruzeiro a bordo de 2 escoltas e 1 submarino como teorizado pelo UH, impressionam e seriam uma ameaça séria para 90% das nações do mundo, mas, não o suficiente para destruir um país.
    .
    No caso do Brasil a melhor escolha seria enviar um par de submarinos e tudo o que a FAB
    pudesse reunir.

  4. É vero, enviar os submarinos que ainda estão funcionando e tudo que ainda voe. Triste ver tudo isso e nossa MB reduzida a patrulha costeira.

  5. Hoje chegou-se a tal ponto a tecnologia militar que alguns Tomahawks lançados de águas internacionais podem destruir simultaneamente o Congresso Nacional, o Palácio da Alvorada e o STF simultaneamente. Na verdade a Praça dos Três Poderes e todos os projetos do Oscar Niemeyer têm uma configuração muito propícia aos sistemas de imagem dos mísseis cruise.

  6. Senhores,
    Não sejamos otimistas. Tirando a eventualidade de um submarino chegar discretamente á distância de lançamento de torpedo, ter a sorte de não ser detectado após o lançamento e do torpedo atingir um alvo de alto valor, não há nada que possamos fazer contra um porta-aviões da USN e seus escoltas.
    Impossível se aproximar pela superfície do mar ou pelo ar a ponto de poder lançar os mísseis. A regra principal da USN é “atirar no arqueiro e não na flecha”.

  7. realmente 1 sub e duas escoltas e um porta aviões tem chance de acabar com o brasil. chance pq vale lembra que em exercício a MB ja afundou um dos porta aviões dos EUA

  8. Um cruzador como o CG 59 (USS Princeton) tem sob seu comando 16 sistemas de radar:
    4 conjuntos de antenas do sistema multifuncional SPY-1 3D (banda S)
    4 radares direcionais de iluminação SPG-62 (banda X)
    1 radar rotativo 3D de controle de tiro SPQ-9 (banda X)
    1 radar rotativo 2D de busca aérea de longo alcance SPS-49 (banda L)
    2 radares rotativos 2D de navegação SPS-73 (banda X)
    2 radares rotativos 2D de busca dos 2 Phalanx (banda Ku)
    2 radares de direção de tiro dos 2 Phalanx (banda Ku)

    Além dos radares ele têm 6 sistemas eletroópticos:
    2 relativos aos 2 Phalanxs Block IB
    2 relativos aos canhões Mk-38B
    2 alças EOSS

  9. Diante desta perspectiva dantesca aventada pelos colegas ainda restaria uma última alternativa. Usar todos os aviões do GTE (devidamente ocupados por todos os congressistas e políticos que coubessem à bordo) e enviá-los num único e desesperado ataque Kamikaze contra a frota inimiga atacante.
    Bem, talvez não mudaria nada quanto ao destino final deste combate mas, deixaria boa parte da população brasileira muito feliz (exceção feita aos pilotos). E também, naturalmente, o restante da população iria para a beira do cais receber os invasores acenando as bandeirinhas adequadas à situação e já antevendo fazer bons negócios em troca de “verdinhas”.
    Fazer o que com um país destes!

    Este exercício é uma tremenda demonstração de poderio. A qualidade dos meios e da organização fazem inveja a qualquer um. Mas ainda penso que unir países com línguas e costumes diversos, além de meios e equipamentos muito diferentes numa coalizão, ainda seja um grande desafio a ser superado.
    Espero que o uso de tal poderio não seja necessário. Para o bem de todos.
    Abraços.

  10. Pessoal, realmente não entendo o por quê de que sempre que se mostra uma Frota da US Navy ou fotos de exercícios com vários navios, algumas pessoas de espírito pequeno ou ignorantes, não sei ao certo, teimam em comparar com a MB e dizer que : ” ahh, um PA da Navy pode destruir a MB toda; ah, só um submarino nuclear deles acaba com o Brasil!!! Gente, que sentimento mais imbecil, coisa de Zé povinho mesmo que não conhece nada de Defesa e está em um blog errado!!! Aqui r um fórum para discutirmos e dividirmos ideias de entusiastas. É por isso que muitos dos que frequentaram o blog saíram pois agora, salvo alguns, parece que só tem leitor de jornaleco popular!!! Uma coisa é vc ser leigo, gostar do assunto é fazer perguntas , outra é vc ocupar o espaço para comentários inúteis e que não levam a nada!!! Caraca, mal ou bem, estamos tentando construir uma frota de submarinos, um subir nuclear, desde 1979, sem ajuda de governo nenhum, o avião da Embraer não presta, o AMX é uma droga, a Embraer deveria acabar, o EB não presta, etc. não estou dizendo que tudo é mil maravilhas e que não tem corrupção no meio militar, mas, Po!!! Enche o saco a gente só exaltar as coisas de fora…..isso não é só aqui não. Nas rodas de amigos e o mesmo papo: se os EUA quiserem invadem o Brasil!!! Mas pra que??? A China hoje pode acabar com uma Frota inteira dos EUA se quiser, mas pra que ela vai fazer isso???

  11. Calma Marcelo, pega um Rivotril ai na gaveta do lado e vamos olhar algumas fotos do KC-390. Isso infelizmente e do ser humano só o que podemos faz e trazer a iluminação do raciocino a tona.

  12. Não há muito o que estudar dos navios chineses, assim como também não há muito o que eles possam estudar dos inúmeros navios reunidos…o convite foi feito a eles até para amenizar um pouco as tensões.
    .
    Teria sido bom se o Brasil tivesse enviado uma fragata “Niterói” para participar…não que seja
    imprescindível e sim pelo fato do RIMPAC ser o maior exercício naval do mundo, mas, infelizmente
    novamente o convite teve que ser recusado pois não há meios disponíveis seja porque são necessários aqui, estejam em manutenções ou por conta de outras prioridades como a missão
    no Líbano.
    .
    Quanto ao exercício de “imaginação” acima…foi apenas isso, pois os EUA no muito hipotético caso de atacar o Brasil jamais enviaria seus poucos e preciosos NAes ao menos enquanto houvesse uma probabilidade mesmo que pequena de ataca-los com sucesso.
    .
    Os britânicos não tinham opções e enviaram seus 2 preciosos NAes para às Falklands em 1982…
    os EUA tem outras opções, a USAF seria uma delas.

  13. A última foto deve ser como televisão de submarinista. Como cachorro olhando o frango da padoca.
    O que uma FT assim poderia fazer no caso de um atacante conseguir o disparo de pelo menos 3 torpedos pesados com sonar ativo sem que a FT soubesse disso? Dependeria somente de iscas sonoras?
    Como disse o mestre Bosco, a doutrina da US NAVY é atirar no arqueiro e não na flecha. As forças dos EUA em geral e, não por tradição, mas desde que o ataque ficou mais eficiente do que a defesa (pós-primeira guerra), são todas assim.
    Porém, ainda acho que falta na US NAVY um sistema de defesa anti torpedo do tipo hard-kill. Mesmo sabendo que as camadas de defesa ASW da US NAVY sejam as mais sofisticadas que existem.
    Acho que o mercado pensa do mesmo jeito e é o tipo de produto que os americanos poderiam comprar sem ficar com nenhuma dependência tecnológica:
    http://www.naval.com.br/blog/2016/06/01/vem-ai-o-torpedo-anti-torpedo-seaspider/

    Save Ferris!

  14. Não vejo nada de errado comparar nossas forças armadas com a de outros países.
    Aliás, isso é rotineiro no mundo todo. Há de se antever cenários diversos.
    E sempre que querem exaltar o Brasil se compara com outros países. Em nome da coerência o contrário também é valido.
    Como dizem que os EUA querem roubar nosso petróleo, nossa água doce, nossas terras agricultáveis, nossas “terras raras”, nosso nióbio, nossa biodiversidade, nossa Floresta Amazônica, as mulatas do Sargentelli, etc. , nada mais natural que comparar nossos meios de defesa com o inimigo potencial, e feito isso só tenho a acrescentar que estamos literalmente lascados no caso dos imperialistas malvados virem aqui nos roubar.

  15. Estas comparações envolvendo a MB e a nossa defesa de modo geral não deveriam ser feitas pois isto nos leva a pensar sobre algumas coisas ou números. Estava vendo os orçamentos militares de 126 países divulgados para o ano de 2015. O Brasil aparece como 12º com mais de trinta bilhões nominados. É o dobro do que o Japão dispõe, só para citar um exemplo, e mesmo assim não temos um único navio em condições para enviar para uma manobra importante como esta? E seria uma ótima oportunidade como treinamento.
    Isto só revela o país de “trouxas” que somos.
    Se alguém acha que isto é normal ou está bom por favor me expliquem que eu também gostaria de entender.

    Bosco,
    muito esclarecedor o teu post a respeito dos radares do cruzador americano. Valeu!
    Abraços.

  16. Reinaldo, torpedo na agua, ainda mais emitindo, seria detectado sem problemas devido ao caracteristico ruido de alta frequencia… o sucesso do ataque contra esses navios dependeria da distancia do disparo, creio eu… agora, com uma FT dessas, é hard para um sub chegar em posicao favoravel… principalmente pela presenca de ANV ASW… uma coisa é chegar sem ser detectado, outra é conseguir uma posicao para ter uma solucao de tiro valida… e conseguir evadir-se, claro… abraço…

  17. Gelson…

    quando você escreve…”O Brasil aparece como 12º com mais de trinta bilhões nominados. É o dobro do que o Japão dispõe,”…na verdade o orçamento do Japão é maior e ainda conta com
    milhares de militares dos EUA baseados em território japonês também.
    .
    Comparar orçamentos pode nos levar a conclusões precipitadas, por exemplo:
    .
    – Muitos países possuem alianças militares o que pode permitir um melhor aproveitamento do orçamento;
    .
    – Muitos países já possuem uma indústria militar em funcionamento e consolidada , mesmo exportando o que produzem;
    .
    – Muitos países possuem uma guarda costeira e meios de pesquisa independentes de suas respectivas marinha e consequentemente orçamentos separados também;
    .
    Muitos países são menores territorialmente e/ou populacionalmente do que o Brasil…isso por si só traz problemas e soluções diferentes;
    .
    Muitos países fazem fronteira ou estão muito próximos de ameaças reais ou seja é mais fácil
    justificar à sociedade os gastos militares.
    .
    E todos os países sem exceção tem que lidar com corrupção, más gestões, etc , alguns mais, alguns menos e quando a má gestão é no âmbito de governo o resultado é que as forças militares podem ser as mais afetadas quando dos cortes orçamentários.
    .
    Claro que sempre é possível fazer algum “enxugamento” ou melhor redirecionar os gastos, etc,
    mas sem um aumento expressivo do orçamento não se irá muito longe.
    .
    abs

  18. Todos os países estão envolvidos em corrupção, mas apenas alguns poucos (o Brasil inclusive) é que tem uma estrutura estatal voltada para a corrupção. Nesses países (como o Brasil) os serviços públicos se prestam somente a pano de fundo para se ganhar vantagens (lícitas e ilícitas) em detrimento do bem estar da população. E no caso do Brasil, devido à inércia da população, essa condição se perpetuará ad eternum.
    Em todo país se rouba,mas do excedente. No Brasil se rouba do básico e se jogam as sobras para a população e nós, como gnus amestrados, pastamos submissos no meio da carnificina perpetrada pelas hienas e temos verdadeira ojeriza quando se esboça alguma reação para de alguma forma punir,mesmo que de forma branda, a voracidade dos carniceiros. Somos gnus com dó das hienas e dos leões.
    Isso me lembra a estória do filho de médico que se tornou também médico e que um dia recebe a visita do coronel da cidade que foi agradecer emocionado ao jovem médico por ele ter curado uma ferida na sua perna que seu pai não havia conseguido curar por 30 anos. Após o coronel sair o pai dá um esporro no filho: seu idiota, foi com essa ferida que eu consegui tudo o que temos e inclusive, te formar.
    A miséria no Brasil (inclusive moral) é uma instituição que nunca irá acabar porque ela é que sustenta o discurso político, assim como a ferida do Coronel, facilmente curável, foi mantida e sustentou o médico por 30 anos. Baseado nesse contexto, não temos nenhuma solução à médio prazo já que não somos afeitos à soluções radicias tendo em vista que o politicamente correto é o pensamento que impera, e isso nos imobiliza tendo em vista que não somos afeitos à revoluções e soluções sanguinárias. Ou seja, temos que aguardar o dia que os leões e as hienas resolvam melhorar as coisas para os gnus. Vamos esperar sentados!

  19. Na Idade Média a aferição da bondade dos governantes era através da quantidade de sobras dos banquetes que eram jogados por sobre os muros do castelo.
    O Estado Brasileiro, mafioso, funciona do mesmo jeito. Recebemos as sobras e os governantes e as classes privilegiadas literalmente gozam na nossa cara e sambam sobre nossos corpos. O povo continua na miséria e cada vez mais atolado nela já que não há interesse de elevar a condição dele para algo mais relevante que “bucha de canhão”.
    Alguns são inclusive mais espertos e sutis em manter o povo com o atual statos quo, dando-lhe a impressão que dessa vez as hienas estão realmente preocupadas com o bem estar dos gnus.

  20. Daltoni,
    errei feio na minha pesquisa, confesso. Fiz apressadamente e peguei dados incorretos. Me desculpe por isso.
    Esta outra fonte parece mais realista:
    http://www.globalfirepower.com/defense-spending-budget.asp
    Mas, mesmo assim, com orçamentos parecidos com França, Itália e Coreia do Sul (que está sempre em estado de guerra),o Brasil poderia estar um pouco melhor, não é mesmo?. É claro que vários fatores, além dos simples números, concorrem para construir esta situação. Como vc muito bem colocou. Agora, não dá para aceitar como desculpa pelo mau estado de nossas forças de defesa o “pequeno” orçamento. Isto não é explicação cabível.
    E como o Bosco colocou excepcionalmente bem no texto acima a situação do nosso país, já que o nosso povo não tem vocação para brigar pelo correto, não nos resta nada além de ficar assistindo a este espetáculo circense, este faz-de-conta interminável. Além de ter que pagar esta enorme conta, é claro!
    Abraços.

  21. Gelson…

    historicamente cerca de 60% do orçamento é para o pagamento/benefícios do pessoal inclusive dos inativos. Como expus acima o Brasil pelas suas características precisa de números, não dá para se ter o número de militares do Canadá por exemplo então não há muito o que cortar e
    mesmo cortando pessoal a economia ganha não permitiria a marinha por exemplo adquirir navios sofisticados e em número razoável.
    .
    Aumentar o orçamento é apenas parte da coisa…mesmo com um aumento significativo serão
    necessários financiamentos e mesmo fundos suplementares coisas que outros países podem contar seja para renovar suas forças armadas e também para exportar.
    .
    Então na minha opinião, comparar orçamentos é uma coisa, comparar financiamentos é outra, assim como credibilidade além de outros motivos que elenquei.
    .
    Quanto ao povo não ter vocação para brigar pelo correto, acredito que houve alguma demonstração nas ruas recentemente que forçaram os governantes a repensar…de qualquer
    forma, a prioridade nunca será dos militares a não ser que a percepção de ameaça mude …
    há muito o que se fazer no país antes e gradualmente o Brasil irá recuperar sua credibilidade
    e as forças armadas serão reequipadas, dentro das necessidades brasileiras.
    .
    abs

  22. Daltoni,
    agradeço ao colega pela argumentação bem embasada na lógica e não, como é o meu caso, na emoção.
    Admiro o teu otimismo a respeito da situação embora ainda não consiga compartilhar desta mesma sensação.
    Acho que passei a vida toda convivendo sempre com a mesma situação e pouco há, pelo menos que eu consiga ver, que poderá reverter esta situação num futuro próximo.
    Tomara que eu esteja muito enganado.
    Abraços.

  23. Para nós 20 escoltas novas estaria bom.
    10 fragatas e 10 corvetas.
    Mais uns dez submarinos modernos, inclusive dois nucleares.
    NAE não vejo tanta necessidade.
    Acho que seria possível fazer isso. Bo problema parece ser a manutenção.
    Comprar daria uns 30 bi? Dividido em dez anos?

  24. Eu sou a favor do Brasil ressuscitar a “arma do juízo final”. Instala no meio do país uma bomba de cobalto de uns meros 100 a 200 Mt que se explodir extingue a vida na Terra dentro de 100 anos.
    Poderíamos abolir as forças armadas. Se algum país nos negasse algo ameaçaríamos extinguir a vida na Terra. Se fôssemos humilhados apertaríamos o botão verde e amarelo. E poderíamos ainda anexar o Havaí, Paris e a Disneylândia. Queria ver alguém vir aqui roubar nosso pré-sal. Na verdade iríamos anexar a Arábia Saudita pra poder ter petróleo mais barato.
    Seríamos os maiorais! rsrsss Poríamos os EUA, a Rússia, a China e a Europa no chinelo.
    Eu sou um gêêêênnniooooo!!!!

  25. Da série “Compre alguns dos equipamentos o que a MB precisa com os 30 Bilhões do Nonato”:
    .
    10 Corvetas ASW de 2.500t ……………………………………..~3,5 Bi
    4 AW159 (para somar aos demais Lynx)………………~0,3 Bi
    10 ScanEagle……………………………………………………~0,05 Bi
    6 Fragatas EG de 6.000t…………………………………………..~6 Bi
    Usa a Kombi e os MH-16 que se tem.
    2 Fragatas AAW de 6.000t………………………………………..~3 Bi
    Usa a Kombi
    3 “NPMs” de 27.000t………………………………………………….~5 Bi
    18 F-35B …………………………………………………………~2,5 Bi
    4 V-22 …………………………………………………………….~0,6 Bi
    12 SH-70B………………………………………………………..~1,5 Bi
    E demais asas rotativas do inventário
    3 NApLog 20.000t……………………………………………………~1,2 Bi
    Usa a Kombi
    5 RbAMP………………………………………………………………….~0,5 Bi
    6 Navios de contra medidas de minagem……………………..~1 Bi
    12 NaPOcs 1.800……………………………………………………..~1,5 Bi
    12 H-145M………………………………………………………~0,2 Bi
    12 ScanEagle…………………………………………………..~0,06Bi
    Para terminar ao menos 3 Submarinos……………………….~2 Bi
    10 NPaFlu 800t………………………………………………………..~0,8 Bi
    10 ScanEagle…………………………………………………..~0,05Bi
    2 NApLogFlu 800t…………………………………………………….~0,1 Bi
    Para terminar os 3 NPa 500t………………………………………~0,1 Bi
    8 ScanEagle para Fuzileiros………………………………………~0,04Bi
    .
    Total: ……………………………………………………………………..~30Bi
    .
    Margem de erro: não existem U$30 bilhões para a MB…

  26. Felipe,
    É fictícia! Foi mencionada no filme “Dr. Strangelove”, de Kubrick, da década de 60.
    Seria uma bomba apocalíptica (máquina do juízo final) que teria sido desenvolvida pelos soviéticos e que impediria um ataque nuclear surpresa americano sob pena de toda a humanidade ser exterminada.
    Obs: Os russos só esqueceram de avisar que ela existia e estava funcionando o que era um absurdo tendo em vista que a razão dela existir era exatamente a dissuasão.
    Ela seria uma bomba de hidrogênio muito poderosa envolta por uma capa de cobalto, que quando bombardeada por nêutrons no momento da explosão criaria uma imensa quantidade de material radioativo residual que teria potencial de exterminar toda a vida humana em menos de 100 anos. Ela era automática e funcionaria caso a URSS fosse atacada, sem fazer diferença se era um ataque limitado ou extenso. Seria levar ao extremo a política da “destruição mútua assegurada”. rsrsss

  27. Bosco…

    a bomba de cobalto também é mencionada no filme “De volta ao planeta dos macacos” de 1970
    aquela cena final com o Charlton Heston foi realmente de “matar” 🙂

  28. Gelson…

    como alguém que já passou ligeiramente dos 50…mas…ainda sou um pouquinho mais novo que
    o Bosco 🙂 também estou acostumado com a “situação”, e uma pilha de revistas antigas de defesa constantemente me lembram do passado, mas, ao mesmo tempo também estou acostumado com a situação das outras marinhas e as coisas não andam bem e mesmo algumas
    marinhas que são vistas por muitos como exemplo, não resistem a uma análise mais aprofundada
    isso quando o país da respectiva marinha não abriga milhares de militares dos EUA.
    .
    Não sou contra alianças militares, mas, não gostaria de ver militares dos EUA por aqui, porque
    ou o país não pode defender-se sozinho ou está na linha de tiro de uma ameaça real ou
    ambas as coisas.
    .
    O Brasil é a maior potência regional e o tamanho territorial e populacional já representam uma
    dissuasão, enfim, o Brasil está em uma situação privilegiada.
    .
    Siga os navios da US Navy e você descobrirá onde os problemas estão e felizmente para nós
    eles estão se afastando cada vez mais do Atlântico Sul !
    .
    abraços

  29. Reinaldo Deprera 18 de julho de 2016 at 15:52
    …”poderiam comprar sem ficar com nenhuma dependência tecnológica”
    Obviamente, queria dizer: …sem ficar com alguma dependência tecnológica”.

    XO 18 de julho de 2016 at 19:48
    Por isso citei o torpedo pesado. Que geralmente possuem guiamento semi ativo por fibra ótica, que pode ser alterado remotamente pelo lançador através dessa fibra. Ou seja:
    – Engajar fora do perímetro de detecção em modo semi ativo
    – Ligar o sonar ativo do torpedo dentro de uma NEZ (no escape zone) naval 😀 ou quase isso
    Então, ficaria difícil de usar decoys contra esse perfil de engamento, e nada eficaz. Nesse cenário, penso que somente um sistema hard kill poderia dar conta de evitar o sucesso do atacante.
    Sonares ativos certamente possuem uma menor vulnerabilidade à camuflagem sonora. Contando é claro, com um bom algoritmo de filtro para discernir os sinais do/s decoy/s e do alvo real.
    Se combinado com algum sensor passivo, que não seja o acústico, como um mini detector de anomalias magnéticas, por exemplo, seria um ataque muito eficiente. Mas não sei se torpedos possuem MAD ou outro tipo de sensor não sonoro.

    Save Ferris!

  30. Daltoni,
    dentro deste quadro que vc muito bem retratou acredito que este seria o momento ideal para a MB repensar a sua própria estrutura, enxugar este enorme quadro de pessoal, limpar de uma vez estas suas máculas com possíveis envolvimentos em processos corrompidos e encarar a sua própria existência dentro de uma realidade mais adequada às condições do país.
    Acho que ela própria deveria tomar esta iniciativa pois se o processo vier de fora dela será muito mais traumático. Ou seja, terão que cortar a própria carne que eles mesmos ajudaram a engordar.
    São cerca de 80.000 homens e mulheres e quase nenhum navio (submarinos ou aviões) em condições. Não vejo nenhum sentido nisso.
    Não seria melhor ter 30 ou 40 mil no efetivo mas com pelo menos uma dúzia de meios realmente operacionais?
    Ficar mendigando recursos para políticos não-comprometidos é simplesmente vergonhoso, humilhante e indigno da tradição que esta arma alega possuir. Além de parecer uma desculpa esfarrapada para encobrir a própria incompetência.
    Eu não ficaria nada confortável dentro de um uniforme desses, com certeza!
    Mas, vamos ver o que a maré nos trará no amanhã!
    Abraços.

  31. Com o perdão da ignorância e antecipando agradecimentos, alguém poderia dizer o que é aquele “escudo” nas Ticonderoga e outros buques?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here