SSK Sekiryu

A Força Marítima de Autodefesa do Japão (JMSDF) recebeu o seu oitavo submarino diesel-elétrico de classe “Soryu” (SSK) da Kawasaki Heavy Industries (KHI). O navio de 4.100 toneladas (quando submerso), que foi batizado Sekiryu com o indicativo visual 508, foi entregue em 13 março em uma cerimônia realizada nas instalações da KHI em Kobe.

O SSK é o quarto da classe “Soryu” construído pela KHI, e teve a quilha batida em março de 2013. Ele foi lançado subseqüentemente pelo estaleiro em novembro de 2015.

De acordo com o Jane’s Fighting Ships, a classe “Soryu” tem um comprimento de 84 metros, uma boca de 9,1 m, e um calado de 8,5 m. A plataforma, que é propulsada por dois motores Kawasaki 12V 25/25 diesel, e quatro Kawasaki Kockums V4-275R Stirling de propulsão independente do ar (AIP), tem uma velocidade máxima de 20 nós quando submerso e 12 nós na superfície.

A classe “Soryu” está equipada com seis tubos de torpedos na proa de 533 mm (21 polegadas) que podem disparar o torpedo pesado Type 89, desenvolvido no Japão. Os submarinos também são capazes de disparar o míssil antinavio UGM-84C Harpoon de alcance médio contra alvos de superfície. Cada navio também foi equipado com lançadores de contramedidas submarinas.

A JMSDF atualmente opera uma frota de sete SSK classe “Soryu”, quatro dos quais foram construídos por outro estaleiro japonês, Mitsubishi Heavy Industries (MHI). O financiamento para a construção do 12° submarino foi aprovado no âmbito do orçamento do ano fiscal de 2016 do Japão, e o país deverá operar uma frota de 12 submarinos classe “Soryu” até 2021.

FONTE: Jane’s

4 COMMENTS

  1. Adelson,
    A Constituição Japonesa (que não são as pedras da Lei de Moisés) pode ser alterada quando e se o povo japonês assim o entender, mas o que a atual Constituição diz é que o Japão renuncia a resolver suas questões com o uso da força, o que deixa a entender que ele não irá ser quem vai começar um conflito e não que não terá forças armadas dedicadas à auto-defesa. Desde a SGM ela tem obedecido aos preceitos de sua Constituição.

  2. Andreas…
    .
    o fato de um “209” ter 8 tubos de torpedos é para dar ao submarino uma capacidade
    maior de lançar torpedos mais rapidamente e em maior número, mas, essa maior capacidade é
    discutível, tanto que submarinos posteriores como os 212/214 apresentam 6 tubos.
    .
    No caso do “209” além dos 8 torpedos já nos tubos , existem apenas 6 recargas, totalizando 14 armas ,enquanto um “Scorpene” por exemplo além dos 6 torpedos nos tubos, conta com 12 recargas, totalizando 18 torpedos ou uma combinação de torpedos e mísseis totalizando 18 armas.
    .
    No caso do muito maior “Soryu” o número de armas a bordo ultrapassa 20 unidades além de
    sensores mais poderosos.

  3. Andreas…
    .
    só para clarificar um pouco mais…o “Scorpene” não deve ser comparado com um “209”…o real
    competidor alemão seria o “214”, um submarino mais capaz que o “209” e que foi o oferecido
    ao Brasil e encontra-se em serviço em marinhas como a Coreia do Sul por exemplo.
    .
    Número de tubos de torpedos e número de armas transportadas não devem ser os únicos
    parâmetros quando se quer comparar classes de submarinos…ambos o Scorpene e o “214” são igualmente ótimos submarinos.
    .
    abraços

LEAVE A REPLY