Rússia apresenta o Pantsir-M, sistema antiaéreo naval

Rússia apresenta o Pantsir-M, sistema antiaéreo naval

3434
23

O protótipo do sistema de armas antiaéreo e anti-míssil Pantsir-M desenvolvido pelo JSC Academician A. Shipunov Instrument Design Bureau (Tula) será apresentado na 8ª Exposição Internacional de Defesa Marítima IMDS-2017, em São Petersburgo, de 28 de junho a 2 de julho de 2017.

Baseado na versão terrestre Pantsir-S1, o Pantsir-M tem dois canhões GSH-6-30K/AO-18KD de 30mm de seis canos, iguais aos do Kasthtan CIWS. O Pantsir-M também possui radar e FLIR na própria torreta.

A versão naval do Pantsir poderá empregar o míssil antiaéreo usado pelo sistema SPAAGM baseado no Pantsir-S1 (SA-22 Greyhound) e, no futuro, o míssil Hermes-K.

COLABOROU: Rustam Bogaudinov

23 COMMENTS

  1. “Amorim 27 de junho de 2017 at 14:09”
    .
    Depende de onde for instalado, e ou, do tamanho da embarcação…

  2. Que bichão imponente hein. Colocar este sistema junto com um lançador quadruplo do Harpoon nos navios patrulha classe Amazonas ou no futuro NapaOc BR e já estaríamos bem na fita.

  3. Cara, o pessoal não aprende!! Gente, Navio Patrulha não é escolta, pelo amor de Deus!!!

    Cada um serve para uma missão distinta!!

  4. esse sistema é um dos melhores e mais completos… o preço também acompanha a qualidade.
    Seria ótimo que viessem equipadas nas novas corvetas da MB e nas futuras (muito futuras) fragatas…

  5. Ádson,
    São referentes ao carregador automático dos mísseis. Há 8 mísseis prontos para uso e 32 recargas, totalizando 40 mísseis. Já a munição dos canhões é recarregada manualmente.
    Devido ao sistema do carregador automático que tem uma bandeja giratório com 4 conjunto de 4 misseis cada é que o Pantsir M tem 8 mísseis e não 12, como o sistema terrestre (S).

    Esse conceito russo representado pelo Kashtan e pelo Pantsir M que combina míssil sup-ar com canhão AA num mesmo reparo não é utilizado pelo Ocidente que prefere separar essas duas armas.
    Já em terra essa combinação (míssil sup-ar + canhão) num único veículo é universalmente utilizada.

  6. Bosco!
    Os russos usam O MESMO sistema para discriminar os erros de mira .Por tanto , dentro da razão, combinação apresentada esta amplamente utilizado nos sistemas AA. Você esta mais que certo.
    O modulo discriminador é seletivo e condicional que pode direcionar a informação para um tipo de arma especifico. Não vejo problema nisso inclusive: todo o complexo esta seguindo o mesmo alvo e conforme a mudança dos parâmetros pode entrara em ação um ou outro (distancia, velocidade, vetor de aproximação, etc).
    Um grande abraço!

  7. Bosco, muito obrigado! Mais uma: ele pode engajar alvos na superfície com os canhões? Não querendo transformar NaPaOc em corveta, mas caso possível utilização contra superfície os napa serviriam tbm como patrulha em caso de conflito, poco armados, mas serviriam.

  8. Ádson,
    Pode sim! E pode com os mísseis também. Como os mísseis podem ser guiados pelo canal eletroóptico (FLIR e TV) eles podem ser utilizados contra alvos na superfície.

    A vantagem do Pantsir M em relação ao Kashtan é um alcance dos misseis sendo 2 x maior e a capacidade de até 4 alvos poderem ser engajados ao mesmo tempo já que o radar de direção de tiro é do tipo “varredura eletrônica”

    Uma outra diferença com o Pantsir S é a adoção pela versão naval dos canhões do tipo Gatling de 6 canos (igual ao Kashtan) em vez do canhão do tipo Gast de 2 canos da versão terrestre.

  9. Bosco 28 de junho de 2017 at 0:44

    Bosco, não consegui imaginar como seriam estes recarregamentos dos mísseis…. poderia tentar explicar ?

  10. Obrigado Ivan BC. Este é o Scooby, adotei ele após um atropelamento (dele), infelizmente faleceu a alguns anos de problemas no coração.

  11. Alguém sabe dizer porque o sistema usa dois canhões rotativos ao invés de um ? Volume de fogo ? Se o tiro é convergente ou paralelo ?
    Podiam fazer uma versão “light” com um só canhão . . .
    Pena que é quase certo de não veremos nenhum desses pela MB . . .

  12. Ricardo,
    Na distância ideal os projéteis devem convergir para formar uma barreira para o alvo, aumentando a probabilidade que ocorram impactos.

LEAVE A REPLY