Home Aviação Naval Um ano após queda de caça no mar do RJ, Marinha confirma...

Um ano após queda de caça no mar do RJ, Marinha confirma morte de piloto

4466
62
AF-1B matrícula N-1011 modernizado pela Embraer, exemplar perdido no acidente

Até então, o piloto era considerado, publicamente, como desaparecido pela Marinha. Acidente foi no dia 26 de julho de 2016 em Saquarema

A Marinha confirmou a morte do Capitão de Corveta Igor Simões Bastos em um comunicado na manhã desta quarta-feira (26), dia em que a queda do caça no mar de Saquarema, na Região dos Lagos do Rio, completa um ano. Até então, o piloto era considerado, publicamente, como desaparecido.

Segundo a Marinha, após o encerramento das buscas, em outubro, foi realizada cerimônia religiosa na Capela do Complexo Aeronaval de São Pedro da Aldeia, com a presença da tripulação e da família. Os parentes deixaram a casa na Vila dos Oficiais, em São Pedro, e voltaram para o Nordeste. Eles recebem pensão por morte em serviço.

O Inquérito Policial Militar (IPM), instaurado em 27 de julho, foi arquivado pelo Ministério público Militar e a Comissão de Investigação de Acidentes Aeronáuticos (ComInvAAer), estabelecida no dia 26 de julho, ainda busca identificar os fatores que contribuíram para o acidente, para prevenir novas ocorrências.

Na manhã desta quarta-feira, o G1 ouviu com exclusividade o especialista Alexandre Galante, ex-militar e consultor em defesa e acidentes aéreos. Ele reforçou a hipótese de que o caça tenha se desintegrado no mar, e os pedaços tenham sido cobertos pela areia do mar. As buscas foram encerradas em outubro de 2016.

Veja matéria completa no G1, clicando aqui.

LEIA TAMBÉM:

62 COMMENTS

  1. Capitão de Corveta Igor Simões Bastos morto no cumprimento do dever R.I.P assim como muitos outros q morreram pelo brasil e são esquecidos e tratados como lixo…mais é como se diz: a pátria tudo se dá e nada se pede!

  2. Não há “canalhice” alguma e sabe-se o que causou o acidente , foi uma colisão com outra aeronave, aliás fato até relativamente comum … o que não se pode saber com certeza e nunca se saberá é o que levou o piloto a colidir…até porque o piloto não sobreviveu para dar sua versão.

  3. Importante notícia até porque , juridicamente, a abertura de inventário depende desta declaração pois, há um lapso de tempo a ser respeitado entre o desaparecimento e a declaração de morte que se não me falha a memória é de 3 anos.

    Condolências á família!!

    As causas , se não puderem ser achados os destroços, nunca saberemos.

  4. No caso de desaparecido sem causa provável a morte é declarada com dois anos, é o caso de uma pessoa que tenha saído de casa para trabalhar e sumiu, não se tem ideia da causa do desaparecimento.
    No caso de uma pessoa desaparecida em um acidente aéreo ou naufrágio onde se sabe que estava a bordo e desapareceu o prazo é de um ano.
    Outro casa foi a palhaçada dos políticos que para aparecer aprovaram um projeto declarando os desaparecidos no acidente do Air France como mortos sob a alegação de que era desnecessário esperar um ano e as viúvas tinham pressa em receber a pensão e o seguro.

  5. Atividade é inerentemente perigosa, contudo quanto menor a quantidade de treinamento, mais se eleva o risco.

    O T45 era a aeronave ideal para a MB.

    O A4 está fadado a ter pouca disponibilidade pela idade da célula e a dor de cabeça do motor.

  6. Alto padrão de manutenção ? Duvido. O que a Marinha conhece de aeronaves ? Nada. Quando muito podem conhecer sobre barcos, mas de aeronaves ? Estória muito mal contada, em 88 dias de buscas, nada encontraram ? Não adianta de nada ter equipamentos sofisticados, se não sabem operar. É desanimador constatar a canalhice toda.

  7. Luis Carlos, quem sabe fazer a manutenção de helicopteros tambem sabe fazer a manutenção de aviões, portanto pode ter certeza que a MB e o EB tem todas as condições de fazer uma boa manutenção em aviões.

  8. Eh incrivel q possa haver opiniao qto a desintegracao do aparelho. Na verdade absoluta se isso ocorreu, milhares de pedacos estariam espalhados e centenas c certeza estariam boiando. Mas o pior mesmo eh q a MB nao tenha encontrado sequer a turbina, afinal eh uma massa metalica muito grande q nao seria desintegrada, independe inclusive q tenha afundado no fundo de areia. Tudo isso so para que tenhamos absoluta certeza q os meios de detecao da MB nao existem ou nao funcionam. Pior mesmo foi nao terem a humildade de pedirem ajuda a quem tem os meios ou capacidade. Brasil, pais de tolos.

  9. Condolências à família.
    E quanto à União, representada pela MB, que toda sua responsabilidade civil seja apurada, a pedido da família, e reparada, pois não se trata necessariamente de um sinistro no cumprimento do dever em sentido estrito, mas de um acidente em prol de uma causa inútil e desnecessária.
    Um projeto falho desde o início, durante e até o fim.
    Infelizmente não haverá responsabilidade criminal pela impossibilidade de se provar nexo causal até mesmo das condutas irresponsáveis de seus superiores nos últimos anos…
    Lamentável e insubstituível perda humana e indiferente perda material pela enfim desativação do que já era obsoleto e desnecessário.

  10. Eu troquei umas mensagens com ele em uma extinta rede de imagens e videos para aviação na gringa, ele era muito legal e sempre queria mostrar o esquadrão para o mundo, respondendo diversas perguntas dos gringos, postava diversos filmes e fotos. O site era o patricksaviation, não sei se alguém chegou a conhecer. Por lá tb conheci um plane captain dos A-4 da nossa marinha.

  11. Vergonha!!!! A aviação de caça naval brasileira está ai como resultado das administrações que todos já conhecemos, equipamentos ultra velhos, com manutenções totalmente discutíveis, modernizações com resultados também discutíveis; com operações com as aeronaves tendo que voar sem apresentar os equipamentos necessários para a sobrevivência dos seus pilotos e alem de permitir o seu socorro imediato em qualquer lugar do globo e em qualquer condição de mar, para mim quando o elemento humano foi exposto ao risco mortal para operar um equipamento, se isso foi o que aconteceu deveriam ter acabado imediatamente com o esquadrão……

  12. Até agora não entendo como não acharam o avião!!!! o radar não tava plotando ambos??? O piloto que voltou não sabia a localização no gps ou não reportou o ponto do acidente??? Não teria sido mais humilde pedirmos ajuda para outra MB com melhores recursos?? Sinceramente não entendo!!!!

  13. Fresney, eles não quiseram achar, porque achar a anv traria “problemas”,então é melhor não achar……..

    G abraci

  14. Juarez, dizer que a Marinha não quis achar a aeronave é de uma leviandade atroz. A sua perseguição à MB chega a ser patológica.

  15. Fresney…
    .
    há inúmeros casos onde “marinhas mais competentes” , também não encontram aeronaves ou
    se encontram, levam semanas…cada caso é um caso…a busca foi realizada nas proximidades de onde caiu à aeronave, conforme informações prestadas pela outra aeronave, mas, correntes marinhas à afastaram e muito do local original.
    .
    Pedir ajuda à uma marinha com melhores recursos, custaria caro, iria levar tempo, não haveria
    garantia de sucesso e no fim das contas não traria o piloto de volta à vida.
    .
    A marinha brasileira e não foi apenas a marinha que esteve envolvida nas buscas , fez tudo o que podia ser feito.

  16. O conjunto de várias marinhas maiores e até mais bem equipadas que a brasileira não conseguiu até hoje sequer encontrar resquícios do avião da Malasya Air. Queda de aeronave em mar aberto tem dessas peculiaridades, duvido que a Marinha Brasileira não tenha usado de todos os esforços e meios disponíveis para encontrar a aeronave e o corpo do piloto.

  17. Por mais que se tente relativizar as dificuldades do caso, eu tenho muita vergonha do ocorrido.
    Lamento pela morte do piloto, mas o episódio evidencia a inépcia da aviação naval e da capacidade de busca e salvamento da MB.
    Nossa Marinha, hoje, não pode nem cogitar entrar em combate. Ela mal navega. Só flutua.

  18. Galante, não tem perseguição alguma, todo mundo dentro da Marinha sabe o porquê, se tu autorizar eu digo aqui, pois tenho certeza q tu também sabe.

    G abraco

  19. Fábio Mayer, só que o A 4 caiu a 4 MN da costa, um para quedas foi visto por um salva idas, enquanto que o vôo da Malásia caiu no meio do Indico sabe Deus aonde.
    Percebes a diferença?

    G abraco

  20. Prezado Fresney, o piloto do outro avião, após o susto do choque com outra aeronave em voo (como dizem, “viu a avó pela greta”) iniciou procedimento de emergência e procedeu, aos trancos e barrancos, para um pouso de emergência. Até hoje não se sabe da real condição dessa aeronave, após esse pouso de emergência. Se alguém souber, por favor me informe.

  21. Prezado Galante, sempre aprecio seus comentarios e a defesa incontinenti aa MB, mas aqui entre todos nos meros expectadores………discordo e muito de sua opiniao, nao ha perdao pos acidente aconecido e ao fato da MB com todos os seus recursos de outra galaxia (sic) nao terem localizado magneticamente e na pior das hipoteses, uma turbina……..nao acharam ou nao quiseram de fato dar maiores explicacoes a tantas falhas, algumas aqui ja relatadas por outros comentarios. Nao da para acreditar nessa historinha, acredite no que quiser ou no que lhe contaram la na MB, mas que isso foi e ainda eh uma vergonha, nao tenho duvidas. Sds

  22. Juarez, se você sabe, por favor, fale para todos nós, caso contrário vamos considerar você apenas um “Boca-Aberta” que finge ter informações privilegiadas mas que na realidade só quer posar de sabichão.

  23. Wilson, eu não sou um “boca aberta” e muito menos pouso de sabichão, principalmente quando não domino um assunto, costumo ouvir e perguntar.
    Quanto ao assunto n momento em que o Galante me autorizar eu conto.
    Wilson, o tempo nestes anos tem sido meu cruel com os “donos da verdade”, a situação da Mb está para mostrar a todos, eu sei que para você não há necessidade.

    G abraço

  24. A propósito Wilson, ou seja que tu fores:

    Diga para o teu superior que infiltrar A 2 em fóruns de debate para tentar desqualificar pessoas que criticam a MB é feio. Acho que vocês tem muito mais o que fazer do que ficar por aí que nem MAVs ptralhas defendendo o indefensável.

    Passe bem.

  25. Estranho Juarez…o outro piloto viu apenas à aeronave cair de barriga na água e não viu
    para quedas nenhum…obviamente existem várias versões sobre o ocorrido e as habituais
    teorias de conspiração.
    .
    Em 2014, dois ” Hornets” colidiram distantes apenas 7 milhas do USS Carl Vinson e seu grupo …um dos pilotos foi salvo o outro não foi encontrado apesar do envio dos navios de escolta e helicópteros …há muitos semelhantes envolvendo inclusive outras nações…
    .
    abs

  26. Dalton, não tem nada de estranho, o para quedas foi visto por um salva vidas, bombeiro da PM do RJ, da beira da praii, portanto visual.
    Dalto, comparar um acidente destes com um PA navegando a 30 Kts em mar aberto com uma anv que caiu no “beiço” do litoral eu acho que não seja uma comparação justa, no meu entender.

    G abraço

  27. Senhores. Sou CMG da Reserva. Assino com o próprio nome. Acompanho e aprecio esse site, dentre outros fatores, por conta da vibração dos partícipes em relação a MB. Inicialmente, meus cumprimentos a todos. Pediria aos Senhores que ponderassem as palavras antes da escrituração. Muito embora as observações neste tipo de mídia, críticas ou não, sejam livres, permitam-me apontar que há colocações inaceitáveis e há ilações infundadas entre as postagens (as quais não serão objeto de contra-ponto de minha parte). Infelizmente, a MB não se faz, oficialmente, presente, neste site, para os esclarecimentos desejáveis. Tampouco, tenho a pretensão de substituí-la. Mas não podemos trocar a razão pela emoção. O conhecimento do tema é a base de qualquer diálogo ou explanação construtiva. Renovados Cumprimentos do De Luca.

  28. Fala ai Galante, parabens por mais uma vez figurar como pik da galaxia em defesa.
    Opa ja ia esquecendo, autoriza logo o Juarez a vomitar ai

  29. Juarez…
    .
    desculpe-me, mas, não consigo acreditar no tal bombeiro…sabe-se lá o que ele pensa que viu…e foi só ele que viu ? O acidente ocorreu dezenas de milhas da costa…a menos que tudo que li seja mentira…o outro piloto não viu para quedas nenhum…mas vá lá …será que é tão fácil assim encontrar um corpo no mar ?
    .
    Pessoas que foram vistas se atirando da “Golden Gate” cometendo suicídios não tiveram seus corpos encontrados…mesmo aqueles 3 “famosos” prisioneiros que escaparam de Alcatraz nas proximidades da própria “Golden Gate” depois de uma intensa busca.
    .
    Quanto a comparação com a colisão dos “Hornets” e apenas selecionei um dos muitos casos…
    acho que é válida sim…até hoje a US Navy não sabe exatamente o porque da colisão…ambos eram pilotos experientes, assim como os pilotos navais brasileiros…toda a escolta do USS carl Vinson, 4 navios mais helicópteros “correram” imediatamente para o local e seus “poderosos sonares” não detectaram nada…o capacete do piloto foi encontrado e só…e o “Carl Vinson” retomou seu caminho e coube à US Navy amparar a família do piloto desaparecido.
    .
    Mas, enfim, cada um que acredite no que quiser…
    .
    abraços

  30. Todo mundo sabe o corporativismo que existe dentro das FFAA. Corporativismo esse que permite esse tipo de aberração onde, caso cometa alguma falha, as FFAA possam investigar e punir a si mesmas. No final, a pizzaria de serviço público acabe atuando mais uma vez.
    .
    Parece que nada funcionava no A/F-1 sinistrado antes mesmo do acidente, não transmitia nada(?). O triste é que eram aeronaves recém modernizadas.
    .
    O Joarez tem razão, a MB deve explicações. Até agora a MB não deu (gostaria de estar errado) explicações oficiais sobre ocorreu. Tudo indica que tenha sido choque entre as aeronaves, mas eu lhes pergunto: Esta informação partiu da MB ou é o melhor palpite que temos? Sobre a explicação do Joarez, eu gostaria que ele postasse, até porque, de informação oficial da MB, nós temos muito pouco.
    .

  31. Galante, qualquer contribuinte brasileiro tem o dever cívico de criticar a MB por tudo o que vem acontecendo. Se existem “fofocas”, isto se é culpa da própria MB, que falha em cumprir seu dever moral, porque legalmente ela não precisa, (e abro parenteses aqui para dizer que a legislação brasileiro é uma piada) de prestar os devidos esclarecimentos.

  32. Zmun, se você fosse sério apareceria com o nome verdadeiro e não com apelido. O Juarez também mete o pau, mas não mostra a cara e nem a identidade. No meu caso, todo mundo sabe quem sou, aí fica fácil vocês me criticarem.

    Querem exercitar o dever cívico contra a Marinha do Brasil ou qualquer Força Armada? procurem os canais competentes, Ministério Público etc ou abram o próprio blog. O Poder Naval é lugar de quem gosta e estuda as Marinhas, navios de guerra, aviação naval, tecnologia bélica, história naval etc. Não é palanque para quem quer ver o circo pegar fogo ou fazer caça às bruxas.

  33. Levo para o lado pessoal porque no final das contas o prejudicado sou eu, vocês ficam tranquilões gozando do seu anonimato.

    Dever cívico uma ova!

  34. Prejudicado por que, a MB lhe patrocina? É só dizer lá que a opinião nos cometários não reflete da opinião do blog e/ou publicar um editorial com a opinião oficial do blog. Eu acesso o blog porque gosto de cometar livremente, nunca ofendi pessoalmente ninguém aqui. Acho que para outros também é assim. Então é uma faca de dois gumes, já que a liberdade que vc nos dá/dava lhe gera visibilidade/lucro.
    .
    E anônimo é uma ova, a NSA sabem quem eu sou.

  35. As acusações que estão sendo feitas à MB nesse tópico são bastante pesadas. Se ela estiver mesmo ocultando alguma coisa sobre esse acidente com o intuito de esconder que a aeronave não estaria em condições de voo, então estaríamos confrontados com dupla prática criminosa. Como militar da reserva vou contar uma história para os senhores: há alguns anos atrás, foi feita uma denúncia, junto à Procuradoria da Justiça Militar da 1 Circunscrição (RJ). A denúncia envolvia malversação de dinheiro público e foi acatada pela procuradoria (os procuradores são civis concursados) e esta determinou que a Esquadra instaurasse um IPM para investigar. Eu prestei depoimento como testemunha. Em um IPM não há testemunha de defesa ou acusação. Só testemunha. O IPM concluiu pelo arquivamento da denúncia. A procuradoria determinou novas diligências e, por fim, concluiu também pelo arquivamento. Algum tempo depois, fui intimado a prestar depoimento, novamente como testemunha, na Delegacia da PF de Niterói. Lá comparecendo, o delegado me informou que o MPF da 2 Região (São Gonçalo-RJ) havia determinado novas oitivas e esclareceu que, em inquéritos sobre malversação de dinheiro público, quem dá a palavra final é a Justiça Federal. Portanto, a Procuradoria Militar remeteu os autos e suas conclusões à Justiça Federal de São Gonçalo, sob a jurisdição da qual se encontra a sede da Esquadra. Lá o MPF determinou um novo inquérito, agora pela PF. Por fim, o MPF concordou com o IPM original e arquivou a denúncia.
    Por que contei essa história? Para esclarecer àqueles que dizem saber de crimes dentro da MB que não há como se esconder no corporativismo para abafá-los quando há dinheiro do contribuinte envolvido. A Justiça Militar não é soberana nesses casos. Os autos terão que ser remetidos ao MPF e à Justiça Federal, seja qual for a decisão da Justiça Militar. Como pensar em corporativismo desse jeito? Portanto, se possuem evidências de crimes, apresentem denúncia junto à Justiça Militar ou ao MPF. E quebrem aquilo que classificam como corporativismo, mas que na verdade é conivência criminosa. Ou parem de mimimi…

  36. Lynx 28 de julho de 2017 at 20:52

    Perfeita sua explanação!
    Agora, quem de fora da Marinha do Brasil tem provas para tanto? Acredito que ninguém.
    Logo, somente pessoas qualificadas da própria Marinha do Brasil poderiam afirmar alguma coisa e com conhecimento de causa.
    O que espanta a população, é que ninguém da Marinha do Brasil explicou nada. Hove somente notas breves e lacônicas, salvo ledo engano.
    Aí, desta forma, o que aparenta é mais do mesmo, qual seja para o desinformado, acreditar no tal do corporativismo.
    Ademais, qual seria a intenção subliminar dos textos do honrável comandante da reserva e até mesmo o texto do não menos honrável Linx, além do aviso claro de que acusar sem provas é crime; senão cessar as criticas, sem mais delongas.
    É evidente que acusar sem provas é erro grave e até crime!
    Mas e não informar adequadamente ao contribuinte seria o quê?

    Saudações

  37. EParro…
    .
    a marinha deu as explicações…agora…se todos acreditam é outra coisa e nada fará as pessoas que não acreditam mudar de ideia não importa o que a marinha diga.
    .
    Uma vez recebemos em casa um casal que não acreditava que os americanos tinham ido à lua e tinham até formado um “grupo de estudos” com uma nova teoria que comprovava a falsidade…não existiam fotos onde ao mesmo tempo se via a superfície da lua, parte do módulo lunar e a Terra.
    .
    Expliquei que apesar de ter visto uma foto assim no passado e são poucas realmente, isso se
    devia ao difícil ângulo, etc, mas, não adiantou e que eu poderia enviar a eles por e-mail caso eu achasse tal foto.
    .
    Depois que eles foram embora em alguns minutos encontrei algumas fotos na situação que
    eles desejavam e nunca haviam visto e as enviei por e-mail para dois dias depois receber como resposta que o “grupo” havia se reunido e chegaram à conclusão que as fotos eram uma
    montagem. Aí desisti !
    .
    abraços

  38. EParro, eu não estou dando aviso claro de nada. Eu não vou processar ninguém que fique falando besteiras sobre a MB em um forum. Tenho mais o que fazer. E acho que nem a MB vai. Só fiz questão de mostrar qual é o caminho para quem diz saber de falcatruas ajudar a acabar com elas. Ou ajudar a quem desconfia que não passa de bravatas a tomar posição.
    O que mais a MB deveria falar sobre o acidente que não tenha divulgado? Onde está o avião ou piloto? Ela não sabe! O SH-3 N3009 ficou desaparecido nessa região por 30 anos, até ser encontrado por pescadores por acaso. Vocês querem é uma teoria da conspiração. Aí vale a explicação do Dalton…

  39. Dalton 29 de julho de 2017 at 14:07
    Lynx 29 de julho de 2017 at 16:12

    Senhores, eu entendo perfeitamente suas colocações!
    Prezo-os todos, ao menos pelos comentários que publicam e a forma como vejo apresentarem e defenderem suas opiniões.
    Mas, acredito que sem explicações claras é evidente que surgirão “teorias da conspiração”, “rádio peão”, ameaças veladas e por aí segue. Só a Marinha do Brasil sabe o que aconteceu!
    E, me custa que não haja resultado nenhum a não ser a tal da “fatalidade”.
    Se acharam ou se não acharam o tal do jato, isto eu, um contribuinte comum, consegui entender perfeitamente as dificuldades; e “este vocês” aqui, não vê e nem crê em “teoria da conspiração” nenhuma.
    Agora, um experiente piloto morre e outro salva-se. Isto não pode ser somente creditado à providência divina.
    Há décadas aviões caem e, com raríssimas exceções, há divulgação de motivos e providências.
    Qual o resultado do IPM? Qual a causa da queda? Qual o motivo? Qual ou quais os responsáveis: equipamento ou erro humano? Quais as lições aprendidas? Quais as providências para mitigação ou correção futuras? E quais as sanções?
    Sinceramente, meus caros Lynx e Dalton, não soube destas respostas, pela Marinha do Brasil – é certo que não sou o mais informado.
    Acredito que, enquanto respostas como estas não existirem claramente, não conseguiremos aceitar o resultado.
    É assim que penso.

    Saudações meus caros senhores

  40. Caramba, só discussões sem lógica, teoria, técnica nenhuma do assunto.

    Muitos aqui não sabem nem colocar uma pipa no ar quanto mais um teco teco
    Aí querem dar opinião em um A4 modernizados

    É de cair o fiofó do bumbum mesmo(perdoem me o linguajar chulo).

  41. Lynx, não é exatamente assim. A Justiça Militar a Justiça Federal tem cada qual sua competência para julgar crimes e, consequentemente, o MPM e o MPF para apresentar denúncias. O que acontece é que em alguns fatos, não fica claro de quem é a competência e pode ser que ambos os MPs abram inquérito, mas o caso somente poderá ser julgado por uma das duas Justiças. Quando nenhuma das Justiças acha que possui competência ou quando ambas acham que tem, o STJ decide quem irá julgar.
    Testemunha é sempre testemunha. Quando a imprensa fala em testemunha de defesa ou testemunha de acusação é apenas porque foi arrolada por uma ou por outra. Mas a testemunha não é de ninguém e pode ser ouvida de ofício. Aliás, em inquéritos criminais, inclusive os não militares, isso é bem comum. A Polícia ao investigar o crime encontra testemunhas que são convocadas para depor. Não são testemunhas nem de defesa e nem da acusação. Aliás, antes da denúncia, sequer é possível falar em acusação, dado que ainda não foi feita pelo MP.
    No mais, você tem razão que as acusações feitas à MB são graves e devem ser apresentadas ao MP (a meu ver, MPM) para apuração.
    .
    Sobre o acidente, até onde eu sei o IPM não terminou ou, se terminou, não foi divulgado seu resultado. E também não vi manifestação da MB, muito menos foto, da aeronave que retornou para pouso. A meu ver, tanto sigilo da MB não é justificável.
    .
    Segue a nota oficial da MB quando encerrou as buscas a qual parece ser a última divulgada sobre o caso (o site da MB é um pouco confuso):
    MARINHA DO BRASIL
    CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA
    Nota à Imprensa IX
    Brasília, em 21 de outubro de 2016.
    A Marinha do Brasil (MB), em complemento às Notas publicadas anteriormente,
    informa que, após 88 dias de intenso trabalho, foram encerradas hoje (21) as buscas ao piloto
    e à aeronave AF-1B, matrícula N-1011 desaparecidos no mar de Saquarema-RJ, no dia 26 de
    julho. As equipes de salvamento realizaram, nesse período, varredura ao longo da área
    marítima e trechos de praia situados nas imediações do acidente, inclusive com o emprego de
    mergulhadores da Marinha do Brasil, porém, lamentavelmente, o piloto e a aeronave não
    foram encontrados.
    O acidente aconteceu quando duas aeronaves AF-1B encontravam-se realizando
    treinamento de ataque a navio de superfície. Durante o voo de afastamento do navio, em
    formatura tática, para a realização de um novo ataque, houve a colisão entre as aeronaves e a
    queda de uma delas no mar.
    Imediatamente após o acidente, aeronaves e navios foram para o local e deram início
    às buscas. Ao longo de todo esse período, os seguintes meios prestaram apoio: aeronaves da
    Marinha, do Exército Brasileiro, da Força Aérea Brasileira e do Corpo de Bombeiros Militar
    do Estado do Rio de Janeiro; navios da própria Marinha, subordinados à Esquadra, ao
    Comando do 1º Distrito Naval e à Diretoria de Hidrografia e Navegação; e navios contratados
    pela empresa Petrobras.
    Desde o acidente, a Marinha vem prestando todo o apoio necessário à família do piloto
    desaparecido, o Capitão de Corveta Igor Simões Bastos.
    O Inquérito Policial Militar (IPM), instaurado em 27 de julho, apura as circunstâncias
    do acidente e a Comissão de Investigação de Acidentes Aeronáuticos (ComInvAAer),
    estabelecida no dia 26 de julho, deve identificar os fatores que contribuíram para o acidente,
    visando prevenir novas ocorrências.

  42. A justiça militar é uma aberração, deem uma pesquisada e vejam quantos e quais países mantém esse tipo de estrutura em tempos de paz. Isto está no mesmo nível do foro privilegiado, do “sabem com que está falando?”, do antirrepublicanismo. Boa parte dos problemas deste país é resultado dessa cultura corporativistas, desta estrutura de cascas, da política das capitanias hereditárias, cujos herdeiros continuam vivos.
    .
    Enquanto esse tipo de coisa continuar existindo, jamais seremos um nação, jamais teremos um futuro, jamais seremos aquilo que alguns hipócritas gostam de ver em outros países, mas que se recusam em trocar alguns privilégios por resultados parecidos.
    .
    Então continuaremos assim, tendo um olho em terra de cegos, enquanto em outros países, mais avançados, o pessoal já enxerga a longa distância.

  43. Prezado Galante, meus cumprimentos! Quem vos escreve é o De Luca, CMG da Reserva, leitor assíduo do blog. Como advogado militante, permita-me esclarecer colocação de um leitor, a respeito da Justiça Militar no Brasil, tratando-a como “aberração” e qualificando-a como fruto de uma cultura “exclusivista”, propondo, inclusive, uma pesquisa a respeito.
    Muito bem, diferentemente do que o respeitado leitor colocou, informo que, em regra, onde há Forças Armadas, há Justiça Militar operando, seja em tempo de guerra ou de paz. Essa regra é observada nos Estados independentes, nas súper-potências, inclusive nas de caráter não-democrático, como China e Rússia. A Justiça Militar existe na França, na Itália, na Espanha e nos demais países latinos de cultura jurídica romanística. Aliás, existe no Reino Unido e suas ex-principais colônias, como a Índia. Até na Costa Rica, decantada por não ter Exército (mas que tem uma força policial bem equipada), há um “foro” específico, se assim podemos chamá-lo, de atribuição do MP “civil”, auxiliar nos chamados Tribunais Penais, para investigar crimes perpetrados contra agentes de segurança do Estado ou por estes, e com capacidade, inclusive, de deter preventivamente supostos culpados . Dos estados de maior extensão territorial, de maior população, de maior pujança econômica, nas Américas, Europa, Ásia e África (como o Senegal, por exemplo), além da Austrália e Nova Zelândia, só quatro (vejam bem: quatro) não dispõem de Justiça Militar em tempo de paz, que são a Suécia, a Noruega, a Dinamarca e a Alemanha . Usualmente, os tribunais militares, em tempo de guerra, têm sua jurisdição estabelecida em lei. Em tempo de paz, têm, somente, para os crimes militares cometidos pelos integrantes das Forças Armadas .
    No Brasil, a Justiça Militar foi criada em 1808, com a chegada da família real, e existe desde então. Embora já operasse, a sua previsão constitucional adveio dos ensinamentos trazidos pela Guerra do Paraguai, com a primeira Constituição da República. Aliás, é interessante observar que a Justiça Militar, no período imperial, mesmo sem previsão Constitucional, foi a responsável, em parte, junto com o Poder Moderador, exercido por SMAI D. Pedro II, pela estabilidade das relações entre o Império e o meio militar.
    Para finalizar, quando se fala dos EUA, o seu sistema judicial militar, também calcado na sua famosa Constituição, e sua existência em tempo de paz, não é objeto de contestação política ou doutrinária.
    Espero ter esclarecido. Saudações, De Luca, Vicente Roberto.

  44. Dalton 29 de julho de 2017 at 14:07

    Então, meu caro Dalton, onde estão “as fotos oficiais” da Marinha do Brasil? Onde estão as análises da aeronave que restou? Onde estão as declarações formais da Marinha do Brasil sobre as oitivas que fizeram com o piloto que sobreviveu? E sobre os relatos das testemunhas, onde estão as declarações formais, analisadas sobre uma ótica técnica, da Marinha do Brasil?
    Faz um ano!

    Forte abraço

  45. EParro…
    .
    que fotos oficiais ?? Eu vi no “youtube” por exemplo a declaração do piloto sobrevivente e aliada às demais declarações. para mim bastou. As aeronaves haviam sido modernizadas eram pilotadas por pilotos experientes , mas, como ocorreu com o caso dos “Hornets” que citei acima…mesmo um piloto experiente pode cometer um erro e não há nada de anormal nisso.
    .
    A marinha passou mais de 2 meses procurando à aeronave e o piloto, pouca coisa foi encontrada da mesma forma que muitas outras marinhas também não encontram ou encontram “pedaços”…vida que segue… nada trará o piloto de volta à vida.
    .
    O USS Carl Vinson e seu grupo fizeram o possível e depois de dois dias de buscas seguiram viagem para à V Frota…ser militar é antes de tudo ser consciente de que a própria vida pode
    estar em risco seja em combate ou simples treinamento.
    .
    Não vejo irresponsabilidade da marinha nesse caso ou qualquer tentativa de acobertamento mas, sempre haverá os que acreditarão que houve e é um direito seu e de qualquer um assim pensar mesmo sendo uma minoria, então cabe aos que assim pensam ou mesmo familiares da vítima “exigir” respostas pelos canais competentes.
    .
    abraços

  46. Dalton 31 de julho de 2017 at 11:43

    Meu caro Dalton, eu não ataquei a Marinha do Brasi! Não me cabe este papel.
    Eu não mencionei nada sobre “irresponsabilidade” ou mesmo “acobertamento”, que fique bem claro! Nem mesmo questionei as habilidades dos pilotos. E, menos ainda, falo sobre “teorias de conspiração” e/ou coisas que o valham.

    Eu questionei as posições oficiais da Marinha do Brasil; que é quem sabe e conhece do ocorrido.
    Penso que não deve haver necessidade de se requisitar nada aos canais competentes; os canais competentes, parece-me, é que devem manifestar-se de forma oficial e espontânea, dando conta dos fatos, das análises técnicas e das providências.
    Aliás, é o que deve ter feito a marinha americana, no citado caso do “hornets”.
    Posições claras, simples e oficiais cessam todas e quaisquer ilações, teorias, suposições, imaginações e assemelhados.

    Forte abraço

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here