O primeiro porta-aviões construído na china foi lançado ao mar em 26 de abril de 2017

O primeiro porta-aviões construído na China provavelmente entrará em testes de amarração no próximo mês, bem antes do cronograma, disse Hu Wenming, diretor-geral de construção do porta-aviões, ao canal CCTV.com em 3 de agosto.

Hu disse que a construção do segundo porta-aviões da China, também o primeiro feito no país, está indo bem depois do lançamento ao mar em Dalian, em 26 de abril deste ano. Hu acrescentou que o porta-aviões provavelmente iniciará testes de amarração no próximo mês, antes do cronograma, para testar se seu equipamento pode atender aos requisitos para os testes de mar.

O primeiro porta-aviões da China, o Liaoning, foi entregue à Marinha Chinesa para treinamento e pesquisa. O segundo porta-aviões será baseado no Liaoning e estará entre os mais avançados do mundo, melhorando ainda mais a pesquisa e o desenvolvimento da China em porta-aviões, de acordo com o diretor.

Hu também revelou que um total de 412 empresas estatais, empresas privadas e instituições de pesquisa científica na China contribuíram para o seu desenvolvimento, ocupando 77,4 por cento do total, o que indica que sua construção é o resultado de esforços coletivos nacionais.

Além disso, através da construção do porta-aviões, a China preparou uma equipe de talentos com uma idade média de 36 anos e ganhou a capacidade de pesquisar e desenvolver, projetar e gerenciar de forma independente um projeto de porta-aviões, que estabeleceu as bases para a construção de melhores navios no futuro, observou o diretor.

FONTE: SeaWaves Magazine

46 COMMENTS

  1. A China não para de surpreender… em quanto tempo construiram esse porta-aviões? Para quem começou “recentemente” do zero a operar um Nae, estão indo muitíssimo bem…

  2. Assustadora a capacidade da China de projetar/desenvolver/comissionar navios. Eles fazem até parecer fácil.

  3. Projetar ou copiar?
    Esse Porta-aviões é uma cópia do Varyag, fabricado na Ucrânia que foi renomeado como Liaoning.

  4. Igoterpe, apesar de ser copiado, na sua estrutura, o primeiro porta aviões Chinês usou propulsão própria e todas os outros equipamentos próprios.

    Impressiona o fato que o primeiro Poarta Aviões Chinês esteja constantemente no Mar, operando, testando.
    O que não pode ser dito do Parta Aviões Russo que precisou de quase um ano de preparações para operar na Síria e, mesmo assim, sua operação durou pouco mais de um mês com a perda de duas aeronaves por rompimento dos cabos.
    Observa-se ainda que, enquanto os Russos não conseguem operar seu único porta aviões, de maneira convincente, os Chineses já estão testando seu segundo Porta-Aviões
    Os Russos simplesmente não tem dinheiro para fazer tudo que gostariam, então eles precisam improvisar, o que não é o caso da China..

  5. Trump precisa agir logo.
    Por falar nisso, cada produto chinês que vc compra está ajudando a China a crescer e fabricar navios serão usados contra seu país.

  6. “Antônio 6 de agosto de 2017 at 1:29”
    .
    É meu amigo… vc está ferrado então ! Vais ter que andar pelado ! Já que nem cuecas, estamos fabricando por aqui… rs

  7. Cabe aos cidadãos de bem exigirem produtos nacionais.
    Por exemplo, você vai numa loja de roupas e vê um calção tactel vendido a 30 reais.
    Um pedaço de pano. Coisa simples.
    Qual o preço de um calção na China? Talvez 1 ou 2 reais.
    Mas não seria possível fabricar no Brasil por 5, 10 reais e a empresa ainda ter lucro?
    Por que a Apple manda fabricar iPhones na China para vender por 4 mil reais no Brasil ou EUA? Talvez o custo de produção na China seja de 50 reais.
    O resto vai para o bolso da empresa, descontados o transporte de uns 15 mil quilômetros, impostos, despesas com vendedores, etc.

  8. É Antônio, melhor ficar no campo naval, pq de economia, estamos bem mal. Aqui o custo social do funcionário pesa muito para a empresa, sem contar com o sócio, o estado, que não faz nada e leva 30% ou mais do seu lucro líquido.

  9. independentemente da real capacidade dos destroyers, fragatas e do porta-aviões, que sonho seria se pudéssemos projetar e construir aqui todos os nosso próprios meios. Parabéns ao Dragão.

  10. Antônio – Os impostos não deixam, tanto os diretos como os indiretos sobre energia, transportes, combustível, etc, isso que mata a competitividade da indústria nacional. Para contornar um pouco isso o governo isenta alguns produtos de exportação de vários impostos, por isso os carros produzidos aqui são vendidos um bocado mais baratos no México e na Argentina e a gasolina da petrobras é mais barata no Paraguai.

  11. …e a culpa de a China poder construir um segundo porta-aviões depois de ter reformado o primeiro e o Brasil não conseguir manter o primeiro e nem reformar o segundo, segundo a lógica da oposição, é toda sua, porque furou a fila do supermercado.

  12. Em todos os países do mundo há impostos.
    Qualquer governo sobrevive de impostos, inclusive o chinês.
    O preço da mão de obra chinesa hoje já é igual à brasileira.
    Os salários no Brasil estão entre os mais baixos do mundo.
    Se um calção tactel é vendido a 30 reais e poderia muito bem ser fabricado no Brasil por 5 ou 10 reais, a culpa não é dos impostos.
    Na China fazem de tudo.
    Um verificador de pressão arterial portátil é vendido entre 100 e 200 reais.
    Não digam que não poderia ser fabricado no Brasil por 20 reais.
    Outro exemplo.
    O Tracker da GM é vendido entre 80 e 100 mil reais.
    Dizem que não colocam controles de tração e estabilidade devido aos custos.
    Só que tais esquipamentos custam 100 reais junto aos fornecedores…

  13. Primeiro aquele tanker gigante, em tópico recente por aqui. Depois, mais um NAe.
    Toda uma divisão de infantaria motorizada já autocne (não é cópia de outros, apesar de desenvolvidos a partir do equipamento russo).
    Uma indústria aeronáutica consolidada (2 caças de 4ª geração no mercado, e 2 de 5ª já no forno).
    Pegando a projeção de 10 anos, dá pra notar o aumento de força exponencial.
    Afora isso, um monte de base alugada ao redor do mundo…

  14. Parabéns à China.
    Quanto a nós… alugamos (caro) a inteligência alheia (tecnologia, cultura etc.), o nosso padrão de consumo é todo importado (eletroeletrônica, remédios etc.), os nossos produtos são primários (minérios e agronegócio, com nenhum ou quase nenhum valor agregado…), a carga tributária é alta e o retorno pífio, sendo que o grosso da população sustenta um aristocracia que se aboletou no serviço público com grandes privilégios…
    Os políticos são podres (salvo honrosas exceções) e apenas visam entregar as riquezas nacionais ao estrangeiro. A economia é toda dependente do capital externo. A lucratividade dos negócios é superada pelo rentismo sustentado pela exorbitância dos juros, quebrando as poucas empresas privadas nacionais que restam. As empresas multinacionais, cuja direção fica reservada aos estrangeiros, dominam o mercado e ainda fazem monstruosas remessas de lucros ao exterior, quase sem tributação, construindo uma enorme hemorragia da economia…
    Senhores, queriam o quê?
    Esse foi o Estado brasileiro que desenhamos com a redemocratização…
    SE NÃO HOUVER UM PROJETO SENSATO DE SUBSTITUIÇÃO DE IMPORTAÇÕES (talvez não de tudo, mas sim daquilo que mais sangra a nossa economia), DE READEQUAÇÃO DO TAMANHO DO ESTADO AO TAMANHO ADEQUADO (A NÃO A FALÁCIA DE ESTADO MÍNIMO OU DE ESTADO MÁXIMO), COM A RESERVA DO QUE É ESTRATÉGICO AO REAL INTERESSE DO PAÍS, E DA FORMAÇÃO DE UMA LIDERANÇA PATRIÓTICA, NÃO SAIREMOS DESTE ATOLEIRO.

  15. Ok não vou perder tempo com ignorante que acha que a culpa é dos empresários. Imposto todo país tem mas não de 40% para cima sobre os produtos e serviços, nos outros países o imposto é cobrado mais pelo imposto de renda.

  16. logo logo, o numero de 12 Super Nae americanos será pequeno ou confrontado.
    .
    Não terão outra alternativa a não ser voltar a construir Nae menores para contrabalançar o crescimento da mesma arma adversaria.
    .
    Chineses e Russos acenam com um numero de ao menos uns 6 deles somando os dois…ja seria quase a metade da frota americana…
    .
    Ate os indianos se aproximam de possuir 3 deles…

  17. FRL: melhor avaliaçao que li em diversos blogs. Em suma permita_me complementar acrescentando que falta a nosso Pais um projeto de Naçao em que fique claro que nenhum pais na historia alçou (e se manteve) na condiçao de desenvolvido sendo meramente consumidor passivo, sem contar com sua propria base de desenvolvimento e produçao. E dificil romper esse ciclo perverso. Os mais jovens que hoje admiram (com razao) a Embraer nao pensem que Ela sempre foi unanimidade. Dentro do tipico sentimento de vira_lata que predomina nas classes “mais abastadas” no Brasil em muitas oportunidades questionou_se o Governo estar dispendendo recursos p/desenvolver ou aprender a fazer qdo nossa “vocaçao natural” era extrair pedra da terra, praticar uma monocultura predatoria, e …comprar tudo o mais no Exterior contribuindo p/la gerar os melhores empregos. Quem duvidar pesquise sobre as teses de “pensadores” do PSDB (Gustavo Franco, Mendonça de Barros, etc).

  18. Pessoal

    Uma coisa é fato, os carros que temos hoje são carroças… Devido a inúmeros fatores, ganância, falta de opção de compra e até mesmo dos consumidores que não exigem qualidade…

    Voltando ao tópico, caso os EUA voltem a ter uma classe menor de NAE’s tipo ESSEX, e tivéssemos um Governo de VERDADE, com menos corrupção talvez seria uma boa para nós… Mas antes disso é preciso ter todos os navios escolta e de apoio.

    Acho que um dos fatores que fazem a China crescer é o simples fato do combate a corrupção e até mesmo a pena de morte para alguns casos, lá o estado se faz presente (excluindo obviamente os extremos).

    Caso tivéssemos um estado forte políticos honestos, uma população que quando visse um caminhão tombando fosse socorrer o motorista ao invés de saquear o caminhão, que os pais se preocupassem com a educação dos filhos e sua instrução, talvez ai sim poderíamos ou teríamos condições de projetar um futuro para a nação, do mais… Parabéns a China.

    E pensar que na década de 60 diziam que nós é que íamos ser a China de hoje.

    Que pena…

  19. A China se beneficia em todas as áreas de ter uma população gigantesca que troca a subsistência por pouco. Logo, a mão de obra é abundante, barata e facilmente substituível. Por outro lado, é um país onde inexistem regras ambientais, o que facilita a industrialização. Mais que isso, o Estado chinês impõe todas as suas decisões de cima para baixo e não admite discussões: quando resolveu fazer uma olimpíada, simplesmente enxotou os moradores de vários bairros de Pequim para outro lado e fez as obras que entendia ter que fazer. É um conjunto de fatores que certamente alavanca a economia e sim, diminui a pobreza e a miséria e alavanca uma classe média e mesmo uma classe abastada, embora se saiba que ao mesmo tempo vai chegando cada vez mais perto de um limite.

    É um país que engloba o pior de dois mundos: o capitalismo mais selvagem e o socialismo mais patrimonialista, o elitismo da classe política e a corrupção dos agentes estatais em todos os níveis, inclusive para alavancar o capitalismo.

    Mas… como não existe país 100% bom nem país 100% mau, a China tem suas qualidades. Uma delas é a de preservar seus interesses nacionais, suas muitas culturas internas (que não atentem contra o comunismo/capitalismo de Estado, bem dito) e mesmo o conceito de que a fome é o pior dos problemas – na China prefere-se mandar camponeses para a cidade na marra e pagar-lhes uma pensão de subsistência, do que deixá-los à fome. Mais do que isso, a China tem uma doutrina de segurança, mas eu, ao menos, não lembro dela ter uma doutrina de agressão fora dos limites do que imagina ser sua área de influência, em contrário, ela é que foi atacada no século XX pelo Japão.

    Seu investimento militar tem a mesma natureza do investimento militar norte-americano: chineses sabem que a guerra é o mais eficiente gerador de tecnologia que depois acaba nas casas dos cidadãos comuns, e também sabem que deter tecnologia é ter independência. Se estão produzindo porta-aviões, é porque sabem que, além da segurança militar que eles representam, também há muito de engenharia a aprender e depois oferecer ao mundo em seus baratíssimos estaleiros…

  20. Carvalho…
    .
    a US Navy não tem 12 e sim 11 NAes e a China pretende aumentar o tamanho dos seus
    futuros NAes sendo que no momento não há nada similar aos NAes da US Navy em construção ou já encomendados por qualquer outra nação.
    .

  21. depende Mestre Dalton,
    .
    A China já está construindo o seu terceiro nae e será desta vez um ctol. dizem que também estão avançando os estudos para o quarto Nae e desta vez seria um nuclear
    .
    bastaria os Russos construirem mais um ou dois e teríamos um placar de 6 ou 7 Nae adversários versus 11 americanos
    .
    Isto nunca foi contrabalançado desta forma desde wwII

  22. Carvalho, aí você colocou no mesmo lado da balança os chineses e russos……e eles não são tão alinhados assim como parece. Na realidade, em geopolitica eles tem mais discordâncias do que concordâncias. E pelo seu cálculo, vc teve que somar os PA’s da segunda e da terceira maiores potências militares para dar pouco mais do que a metade do nº de PA’s dos EUA (e isso para o futuro ainda, pois hoje os EUA já tem 11 PA’s, China 1 – 2 em breve – e Rússia 1).

  23. Sim compreendo
    .
    Mas os alinhamentos ou não estão demandando a atuação em mais de uma frente
    .
    hoje, os EUA têm de atuar na Siria, golfo Pérsico e mar da China e Coreia
    .
    já tinham a reclamação de sapato apertado tendo disponíveis apenas os 11 NAe
    .
    VEja que são áreas diferentes e faltará navio
    .
    Extrapole então esta dificuldade vs as encomendas chinesas e russas (mesmo sem incluir os recentes exageros anunciados)
    .
    A coisa toda pode ficar muito louca e global, graças a Deus, ficando a América do Sul mais uma vez longe disto

  24. Carvalho2008, não se esqueça dos 2 NAes britânicos classe Queen Elisabeth, e o francês nuclear Charles de Gaulle. Aí já serão 14 NAes Ocidentais. Sem contar que a Classe Ford é outra história…

  25. Nós vimos o que os americanos fizeram com os poderosos e superdesenvolvidos japoneses na WWII, nas batalhas entre NAes e marinhas em geral. Eu digo sem medo de errar, numa guerra naval, a China e seus NAes defasados seriam varridos dos 7 mares pelos Estados Unidos da América.

  26. Carvalho…
    .
    Não vejo essa necessidade da US Navy ter que ter tantos NAes conforme China e Rússia possuem/ possuirão e não é certo, quando, quantos ou como serão os NAes russos, em todo caso além do que o Flanker e o Juliano escreveram em último caso…a US Navy pode também utilizar seus LHDs e LHAs embarcando pelo menos um esquadrão de 16 F-35B dos fuzileiros navais, possivelmente alguns MV-22s configurados para reabastecimento aéreo e os 2 helicópteros da US Navy para busca e salvamento que já são normalmente embarcados.

  27. Nada de errado em copiar.Tudo hoje é cópia de invenções nazistas. Dos foguetes espaciais aos turbojatos.

    USA e URSS não desenvolveram nada de novo. Tomara que a China inove em alguma coisa.

  28. Sim Mestre Dalton, correto e também acho isto….os LHAs começarão a ser exigidos como Nae Ligeiros e dai entra naquele assuntos que discutíamos noutro dia

  29. Mestre Juliano, de fato…mas não consigo ver os Nae Franceses e Ingleses operando no Oriente ou Ásia….

  30. Não se esqueçam que em matéria de geopolítica, uma das primeiras estratégias é procurar depreciar influência de seu rival patrocinando conflitos que possam minar e diluir as forças de seu adversário e aliados
    .
    MUitos podem até achar que não, mas se estas coisas continuarem se atritando e apertando, conflitos como as próprias Malvinas seriam patrocinador apenas para drenar recursos. Tanto chineses quanto russos poderiam com dinheiro e tecnologia, elevar o nível de preocupação dos britânicos ali
    .
    Este é somente um exemplo dentro outros pontos no globo que poderiam aquecer a medida que uma guerra fria aumenta

  31. sub-urbano…
    .
    os “nazistas” que eu saiba não chegaram a possuir um NAe…até tentaram, mas, ele não ficou pronto, então, nem tudo é cópia de “invenções nazistas”, ou você vai dizer que a bomba atômica também foi cópia dos “nazistas” !
    .
    Até hoje nenhum país chegou perto de construir um NAe como o “Nimitz” e o “Ford” é sim uma inovação sobre o “Nimitz”.

  32. carvalho…
    .
    os navios de assalto anfíbio continuarão sendo empregados da forma como vem sendo há décadas…com apenas um destacamento de aeronaves F-35B a bordo…com a possibilidade de aumentar o número embarcado se extremamente necessário.
    .
    Apenas no fim da guerra fria a US Navy atingiu seu “pico” com 15 NAes, para logo em seguida
    cair para 12 e finalmente o que se considera o mínimo, mais ou menos sustentável de 11…não
    há previsão de se construir NAes menores e em maior quantidade…não poderiam ser muito menores e se em maior quantidade um número muito maior de navios de escolta e auxiliares precisariam ser construídos para apoiar um número maior de NAes…não irá acontecer.

  33. O Brasil tem ótimos engenheiros e instituições de pesquisa, mas aqui a prioridade não é investir em projetos desse tipo que nem a China faz, a prioridade aqui é gastar 300 bilhões de reais por ano com 2,2 milhões so de funcionários públicos federais ativos e inativos…, diferente da China nossos maiores inimigos são internos

  34. A aliança entre a China e Rússia é movida por interesses mútuos, difícil se quebrar, russos e chineses jogam de maneira articulada pra assumir a liderança do mundo e quebrar os EUA, acredito que conseguirão, são sociedades com forte senso de identidade nacional, racionais e com governos fortes, praticamente ja tem toda a Ásia e África em suas esferas de influência, os EUA hj são um sociedade a beira da fragmentação, não tem como fazer frente a duas superpotências como China e Rússia

  35. Srs
    Jovem Carvalho
    Veja os investimentos chineses na América do Sul e até a rede de bases no Indico e no Atlântico Sul. Não, a América do Sul não está fora da confusão que está a se delinear.
    Jovem Dalton
    A US Navy vai ter que se adaptar a nova guerra fria e isto implica em rever as suas estratégias e táticas e mesmo até os tipos e natureza de seus navios.
    Observe que ela já está repensando suas táticas considerando a possibilidade de ter que enfrentar batalhas navais, coisa impensável nas últimas décadas.
    Aparentemente estamos adentrando em uma corrida armamentista parecida com a que aconteceu no início do século XX (a corrida dos encouraçados e cruzadores de batalha), em que até o Brasil entrou com a compra de 2 deles.
    Sds

  36. A política americana de defesa prevê VENCER duas guerras simultâneas em locais distintos no Mundo.
    Vencer não significa lutar, defendendo, por exemplo, mas em uma campanha ofensiva e decisiva. Exige meios, muitos.
    Por isso, creio q os EUA deverão reajustar e rever suas FFAA, investindo mais.
    Sds

  37. Correto Mestre Control, é o que penso ser possivel tambem.
    .
    Foi por isto que mencionei as Malvinas como exemplo de peça de geopolitica na qual para drenar recursos e esforços dos britanicos dentro da aliança com os EUA, poderiam fazer brotar armas e equipamentos nas mãos dos argentinos. Isto por si só prejudicaria muito o balanço de força e a forma como eles se distribuem.
    .
    Mestre Flanker, logico que a Navy sempre manteria a hegemonia naval por longos anos, mas a questão que apresentei é justamente que o numero atual de recursos deles é insuficiente para a presença global em varios conflitos que estão se delineando.
    .
    A China terá em 2023 03 Nae em operação….com o quarto se encaminhando e desta vez um Nuclear…..os Russos possuem 1 e pretendem aumentar isto….e vejam, tranquilamente os Nae americanos são superiores, mas na estratégia a coisa é diferente….os navios Chineses e Russos nesetes cenarios irão operar no quintal de casa….isto faz muita diferença a seu favor….

  38. Correto Mestre Control, é o que penso ser possivel tambem.
    .
    Foi por isto que mencionei as Malvinas como exemplo de peça de geopolitica na qual para drenar recursos e esforços dos britanicos dentro da aliança com os EUA, poderiam fazer brotar armas e equipamentos nas mãos dos argentinos. Isto por si só prejudicaria muito o balanço de força e a forma como eles se distribuem.
    .
    Mestre Flanker, logico que a Navy sempre manteria a hegemonia naval por longos anos, mas a questão que apresentei é justamente que o numero atual de recursos deles é insuficiente para a presença global em varios conflitos que estão se delineando.
    .
    A China terá em 2023 03 Nae em operação….com o quarto se encaminhando e desta vez um Nuclear…..os Russos possuem 1 e pretendem aumentar isto….e vejam, tranquilamente os Nae americanos são superiores, mas na estratégia a coisa é diferente….os navios Chineses e Russos nesetes cenarios irão operar no quintal de casa….isto faz muita diferença a seu favor….

  39. Somente um Governo patriota, estrategista e sendo um Estadista, e um Congresso e Judiciário reformado.

    No mais, se as FFAA for fuzilar cada corrupto desta República, ficaríamos sem munição até para combater o Cabo Verde.

    Temos que fazer como eles e os Europeus: pequenas médias fábricas, habilidade técnica levada à 10a potencia e tenscidade: foi isso que os japoneses, chineses e coreanos fizeram.

    Após um tempo com uma revoluçåo educacional e fomento de invençoes e patentes, as megas-corporações surgiriam e produziriam vetores e vasos mercantes e de guerras, motores nativos, maquinários, e escaparíamos de sermos reféns de nossas “commodities” apenas.

    Com isso se cria um Mercado Interno potente e atrativo à investidores, em breve seríamos exportadores cada vez + complexose o País adquiriría uma soberania plena; escolas técnicas que formassem uma grande massa crítica de estudantes de elite [ em alta tecnologia, nas melhores Universidades do Mundo, con cobtrato de 15 anos para trabalhar em Institutos brasileiros, bem pagos, e implantarmos Universidades de escol em tecnologia, no Brasil]

    Conquistaríamos voz para negociar diplomática e comercialmente na comunidade mundial.

    Não inventei essa fórmula: é só olhar como os países desenvolvidos assim se tornaram.

    Sería necessário o Governo acima, Logística com milhares de Km de estradas de ferro, mudança das leis, principalmente a penal, 3 refeições ao dia, tenacidade e resiliência da população, Estado pequeno e desinsetizado. 15 anos….

    Você iría ver se não surgiriam caças, submarinos, porta-aviões, carros, caminhões, robôs industriais, CNC, Ferramentas de todo tipo, outras belonaves brasileiras legítimas, navios mercantes etc….de fazer os estrangeiros “babarem”..

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here