Home Marinha do Brasil Começam os testes da propulsão do NDCC ‘Mattoso Maia’

Começam os testes da propulsão do NDCC ‘Mattoso Maia’

4511
44
O NDCC Mattoso Maia fotografado pelo Poder Naval em 2008

Entre os dias 4 e 10 de agosto, o Navio de Desembarque de Carros de Combate (NDCC) “Mattoso Maia” iniciou os testes de funcionamento de dois dos seus motores diesel de propulsão. Os seis motores propulsores foram submetidos à extensa revisão geral, como parte do projeto de revitalização do navio, e serão comissionados progressivamente, ao longo do segundo semestre de 2017. Os testes com os motores permitirão o início dos ajustes e testes de aceitação do novo sistema de controle da propulsão, desenvolvido integralmente por empresa nacional.

Além dos testes com a propulsão, também estão em andamento os serviços finais de revitalização do sistema de geração de energia pelo navio. Os três grupos diesel geradores também foram submetidos à extensa revisão geral e um dos motores já foi parcialmente testado, com sucesso. Pretende-se comissionar o sistema até o final de 2017.

O dia 4 de agosto foi um marco importante do projeto de revitalização do NDCC “Mattoso Maia”. Na data, foi inaugurada a nova cozinha do navio, pelo então Comandante em Chefe da Esquadra, Almirante de Esquadra Celso Luiz Nazareth, acompanhado do Vice-Almirante Alipio Jorge Rodrigues da Silva, atual Comandante em Chefe.

O NDCC “Mattoso Maia” (ex-USS Cayuga – LST 1186) é o primeiro navio da Marinha do Brasil a ostentar esse nome, em homenagem ao Almirante Jorge do Paço Mattoso Maia, Ministro da Marinha, no período de 1958 a 1961. Seu deslocamento padrão é de 4.975 toneladas e de 8.576 toneladas carregado. Possui 171.05m de comprimento, 21.21m de boca e 5.24m de calado máximo.

Sua Propulsão é composta de seis motores diesel ALCO 16-215, com dois eixos e hélices de passo controlado. Dentre as capacidades do navio, destaca-se a de realizar abicagem e desembarcar material e tropa diretamente no terreno, por intermédio de sua rampa de proa. O navio é atualmente comandando pelo Capitão de Mar e Guerra Marcos Taylor Fontes.

FONTE: Marinha do Brasil

44 COMMENTS

  1. Felicitações a Esquadra e a seu pessoal que está fazendo milagres para manter um mínimo de operacionalidade destes navios.

    Não farei críticas porquê o operativo não tem o quê fazer se não existe vontade política para verbas minimamente decentes e o almirantado não enxerga na publicidade o caminho para formar opinião pública com mentalidade naval.

    CM

  2. Galante desculpe esse monte de perguntas,me permita mas essa,a fragata defensora
    ja inciou testes de mar?? obrigado.

  3. O belo SEA KING, podiam ter deixado ele pelo menos para transporte de fuzileiros. muitos paises ainda tem ele voando. com a devida manutenção a marinha ainda podia estar operando eles!

  4. Tallguiese, segundo um Oficial aposentado da Aviação Naval eles chegaram a vistoriar os SeaKing para verificar a possibilidade de uma modernização, mas só 3 ou 4 células poderiam ser modernizadas.
    E no final das contas não teriam recursos para modernizar estes 4 e operar em um HU fora do RJ, desistiram.
    Infelizmente chegaram a conclusão de que não seria possível dotar outros DN com helicopteros SAR, para exercer uma atividade essencial em um país litorâneo, deslocar um Black Hawk da FAB de Santa Maria para o litoral para fazer uma missão SAR é loucura, e tem acontecido.
    A Malásia ja começou a receber os Sikorsky S-61 Nuri modernizados do Exército e Força Aérea, veja o cockpit como ficou, só acho feia esta camuflagem quadriculada, mas gosto não se discute, tem quem goste.
    . https://malaysiazine.blogspot.com.br/2017/01/malaysian-sikorsky-s-61a-4-NURI-Helicopter.html

  5. Alguns dos amigos aqui sabe me responder, seria possível adotar navios offshore para esquadra de guerra? E se sim, esse seria uma solução ideal para o equipar e fortalecer a Marinha, por serem mais baratos.

  6. A coisa está feia….
    O CMT da Esquadra está comparecendo a inauguração da reforma da cozinha.
    .
    Isso me lembra de um ex CMT que foi convidado pelo CMT do Binfa para uma cerimônia de inauguração do banheiro do alojamento e ficou P… da vida e mandou cancelar a cerimônia, disse que reformar instalações antigas deveria ser rotina e não um evento a ser comemorado com cerimônia.
    Este mesmo CMT ja estava meio atravessado com o Binfa, pois dias antes ligou para o CMT do Binfa e atendeu o Ordenança do CMT do Binfa, o CMT ficou abismado, pois nunca viu um Major com Ordenança.

  7. Alguém sabe se o sistema PHALANX tá funcionando ? Ou tá só de enfeite ? 🙁
    Seria interessante uma arma dessa no lugar de um dos lançadores de SeaCat da rademaker.

  8. E o Exército da Indonésia ja tem LCU de 1200 tons que transporta os Leopard2 e vai partir para LCU maiores de 1500 tons com 93 metros de comprimento e heliponto.
    A Marinha faz o transporte dos Leo2 para locais mais distantes com as Telluk Bintuni class do post acima e o Exército com as LCU faz seu transporte independente para treinamentos nos locais mais próximos, não podemos esquecer que são um arquipélago.
    Navios do Exército hoje.
    – ADRI XXXII 300 DWT/1978,
    – ADRI XXXVI 150 DWT/1982,
    – ADRI XL 300 DWT/1981,
    – ADRI XLI 150 DWT/1982,
    – ADRI XLIII 150 DWT/1982,
    – ADRI XLIV 1000 DWT/1983.
    – ADRI XLV 500/2004,
    – ADRI XLV 500 DWT/2004,
    – ADRI XLVI 500 DWT/2004,
    – ADRI XLVII 500 DWT/2004,
    – ADRI XLVIII 1000 DWT/2015,
    – ADRI XLIX 1000 DWT/2015,
    – ADRI L 1200 DWT/2016.
    . https://m.youtube.com/watch?v=11-ph3-qgHM

  9. Guilherme, a F49 emprega lançadores de SeaWolf…e não basta instalar o Phalanx… ele tem de “conversar” com o sistema de dados táticos, caso contrário, seu emprego fica muito limitado… abraço…
    Obs – se voltar, vai ser uma bela opção de comando para 2019… veremos… fico na torcida…

  10. Walfrido Strobel 17 de agosto de 2017 at 17:03

    Pois é, o comandante da esquadra prestigiando inauguração de reforma de cozinha de navio velho…
    Aonde fomos parar…

  11. show de bola Nunão eu acho graça de mim mesmo rsrsrsr
    quando sai a AES e qto tempo deve levar para o Npa. maracanã chegar de balsa ao AMRJ??

    ps. faltou o rivotril kkkkk

  12. Mas o PHALANX CIWS não precisa “conversar” com todo o sistema de armas do navio, visto que ele tem seu próprio radar de busca e o seu radar de acompanhamento de alvo e além disso tem seu próprio computador.
    Creio que esse tipo de arma é só instalar e pronto.
    Pode ver que o HMS OCEAN tem 3 deles.

  13. Marinha da Indonésia inventa um jeito de manter a tripulação dos LST Korean Tacoma operacionais ainda ganhar um trocado, está alugando para festas, shows e turismo.
    Apesar do visual antigo, estes navios são fabricados pela Coreia do Sul em 1981, eles tem seis.
    Fotos que uma blogueira postou de sua viagem em 2011 de um passeio de um fim de semana em um pacote vendido por uma agencia de turismo, não tem mordomia, vejam o alojamento em que dormiam. Para uma jovem é uma aventura. Fonte: rumahwisma.blogspot
    Tem atividades esportivas, festa a noite, passeio com guias, etc. A Marinha fornece o navio com pousada e alimentação e as atividades ficam por conta dos guias da empresa de turismo.
    . http://3.bp.blogspot.com/-3h9qLF-HySw/Tly3PvUFaHI/AAAAAAAAAF8/rSxjtIMFeWM/s400/2011-06-22+06.58.40.jpg
    .
    . http://3.bp.blogspot.com/-yfuD7gwuGcs/Tl0hMnFy6KI/AAAAAAAAAGY/nCjbSx7y6Zg/s400/IMG_4734.jpg

  14. Mahan, ainda está longe de estar bem.
    Como comparação eu cito a Indonésia por ser um país com população próxima da brasileira e condições economicas teoricamente inferiores.
    A sua força anfíbia tem:
    LPD de projeto sul coreano com 8.600 tons …….5 em uso mais uma em construção.
    LST sul coreana de 3.700 tons, 5 em uso
    LST de fabricação própria 2500 tons, duas em uso e cinco em construção
    LCU alemãs modernizadas de 1.500 tons, 13 em uso.
    .
    Estão construindo estas cinco e tem mais planejadas para repor as LCU alemãs e atingir a meta de 20 navios para cada Frota na força anfíbia.
    .
    Fora isso eles ainda tem 3 grandes navios de passageiros convertidos para transporte de tropa da Força de Transporte Estratégico, cada um leva 1500 combatentes. E ainda tem como reserva da Marinha os 14 navios da empresa estatal de transporte de passageiros, cada um leva mais de 100 pessoas.
    Nos estamos muito longe de “bastante bem”.
    Este é um dos navios de transporte de tropa, o 973 KRI Tanjung Nusanive
    . https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQIUHRPkpJdQXbsypKUGZihBZebltl2ZMahBUVIK1_4mDBp_Lo-kwYonANZMQ

  15. No post acima comi um zero na capacidade dos navios de passageiros da empresa estatal.
    Na verdade queria citar uma média de 1000 passageiros, mas na verdade a Estatal PT-Pelni tem mais de 20 navios com capacidade entre 500 e 3.000 passageiros que funcionam como reserva de transporte estratégico da Marinha.
    Nos desfiles navais da Marinha a PT-Pelni participa com alguns navios.
    No Brasil por não termos transporte marítimo de passageiros, não dispomos desta reserva.
    . https://en.m.wikipedia.org/wiki/Pelni

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here