Home Acidentes Navais Comandante da 7ª Frota dos EUA perde o comando após acidente com...

Comandante da 7ª Frota dos EUA perde o comando após acidente com destróier

4712
35
Vice-almirante Joseph P. Aucoin

O chefe da Frota do Pacífico (PACFLT) dos EUA removeu o comandante da 7ª Frota dos EUA da sua posição poucos dias após o segundo acidente mortal envolvendo um navio de guerra dos EUA este ano.

O vice-almirante Joseph Aucoin, atual comandante da 7ª Frota, deveria se aposentar no próximo mês, mas a mudança dos líderes da Marinha destina-se a acelerar a transição para a substituição de Aucoin, pelo contra-almirante Phillip Sawyer. Sawyer foi anunciado para liderar a 7ª frota dos EUA em maio.

O comandante da PACFLT, almirante Scott Swift, foi para o Japão desde Singapura para liberar oficialmente Aucoin do cargo.

“O almirante Scott Swift, comandante da frota do Pacífico dos EUA, exonerou o comandante da Sétima Frota, vice-almirante Joseph Aucoin, devido a uma perda de confiança em sua capacidade de comando” — disse um comunicado.
“O contra-almirante Phil Sawyer, que já foi nomeado e confirmado para o cargo e promoção para vice-almirante, assumirá o comando imediatamente”.

Rombo no casco do USS John McCain após colisão com navio mercante

A mudança da liderança da Marinha ocorre quando os esforços de busca e resgate estão em andamento para 10 marinheiros que desapareceram de uma colisão na segunda-feira em que o destróier de mísseis guiados USS John S. McCain (DDG-56) foi atingido por um petroleiro químico no Estreito de Malacca, perto de Singapura.

A colisão de segunda-feira é o segundo acidente fatal entre um navio da Marinha e um navio mercante, após um incidente de junho em que sete marinheiros morreram a bordo de USS Fitzgerald (DDG-62).

Esses incidentes são dois dos quatro que levaram o chefe de operações navais almirante John Richardson a solicitar uma “pausa operacional” mundial em todo o serviço e uma investigação liderada pelo comandante das Forças da Frota dos Estados Unidos, almirante Phil Davidson, nas operações no Pacífico Ocidental.

Aucoin liderou a 7ª frota desde 2015.

Sawyer, um submarinista de carreira, atualmente é o vice-comandante da PACFLT. Antes de dirigir-se a Pearl Harbor para trabalhar na PACFLT, Sawyer comandou todos os submarinos na 7ª Frota como comandante do Submarine Group 7/Task Force 74/54 e, em seguida, todos os submarinos no Pacífico como comandante da Submarine Force U.S. Pacific Fleet.

FONTE: USNI

35 COMMENTS

  1. Que diferença da Marinha do Brasil, se fosse aqui algum (ou alguns) praça ja teria sido responsabilizado e já estaria preso, dificilmente ou melhor nunca que um oficial seria responsabilizado, muito menos um almirante, essa é a grande diferença de um país sério para o Brasil corporativista

  2. E a transparência tbm é louvável: “perda da confiança na capacidade de comando”. Sabe quando um servidor brasileiro vai escrever isso?

  3. E vcs acham mesmo q as praças e oficiais dos dois navios não estão no chilindró também?
    Em 97, uma corveta nossa encalhou na saída do rio em Natal. Ficou sobre os recifes…. O Cmt da corveta estava preso. Só ele.
    Mas Alte, nunca vi….

  4. Nossa estação polar Antártica virou cinzas por total negligência e imprudência e deu em NADA, até o comandante da base, o responsável por tudo, devia ter ido preso, mas em Banânia os caras são promovidos e depois se aposentam; O preju no barato deu mais de 100 milhões de dólares, na conta da viúva…

  5. Agnelo, não sabia e dei uma pesquisada.
    A Corveta Forte de Coimbra acabou tendo perda total e foi desmantelada.
    Não achei nenhuma notícia relacionada à prisão ou punição dos envolvidos.
    Se alguém souber qual foi a punição imposta, por favor, compartilhe conosco.

  6. Olha eu não tenho capacidade de analisar de quem foi a culpa porém essas duas ultimas colisões foram de doer! Entao tá fácil assim se aproximar dos Contratorpedeiros Americanos?
    Se for assim… fica fácil inutilizar os meios de superfície americanos! Basta colidir!

  7. Boa noite a todos.
    Alguns eventos mais ou menos similares na MB:
    1977 ou 78 CT D 29 Parana bate em um dos pilares da ponte Rio Niteroi.
    1978 CT Marcilio Dias (D25) fundeado na baia de guanabara e abalroado por carqueiro americano.
    1982 Submarino Ceara S 14 bate em obstaculo submarino .Dizia se na epoca que foi uma “pedra flutuante”
    1983 uma corveta que nao me recordo o nome encalha em Fernando de Noronha,com perda total.
    Abraços

  8. Rafael
    Isso ai.
    Sei q o Cmt da corveta ficou preso, pois meu tio era o Cmt q assumia o 17o GAC, e ele me contou.
    Lembro q a história foi q o Cmt entrou no rio na hora errada. Lá, pelo q me falaram, os barcos saem quando a maré desce e entram quando sobe, pois o porto é dentro do rio e o “conflito” mar x rio exige isso. Mas o Cmt não quis obedecer e deu nisso.
    Uma onda pôs o barco sobre os recifes e uma ponta desses entrou no meio dela por baixo, então pra onde puxavam, rasgava a corveta e deu no q deu.
    Isso foi o q ouvi.
    Mas, lembro q, não sabermos o q houve com os responsáveis em cada incidente, não significa q não houve nada.
    Geralmente, para os níveis hierárquicos inferiores não sabem das punições aos superiores, e tem MUITA!!!
    Mas, ostensivamente, não vi no Brasil, ocorrer isso.
    Sds

  9. O comandante sempre é responsável por tudo de ruim que aconteça. E de bom não faz mais que sua obrigação. Essa é uma regra básica na caserna.

    Por aqui nosso problema não é só o contingenciamento financeiro que atinge a todos, pior é o contingenciamento moral que mais atinge a cúpula…

  10. O navio bate e troca o CMT da 7° Frota, isso é seriedade zero, porque o CMT da Frota do Pacífico tambem não se afastou junto, ja que estava na linha de comando.
    É um querendo se aproveitar e aparecer a custa dos erros dos outros.

  11. – Os comentários superaram a matéria, a respeito de que aqui estamos acostumados não acontecer nada, e ainda ver o incompetente ser agraciado com medalhas, enquanto a nosssa MB está definhando, diminuindo, reduzindo bruscamente de tamanho e meios, e se não bastasse isto, esse governo de MERDA do TEMER está a vender o que restou do Brasil, até nossas reservas de petróleo a investidores estrangeiros.
    Sempre fui anti-PMDB, e cheguei a namorar com o PSDB, mas ele nada difere do PMDB, vendeu a Vale, a SRM, e muito mais, né FHC. Vcs não me enganam. E quanto vcs levam??? Em Meiirelles, hein Temert.

  12. A comparação é meio tosca.
    Mas pra quem tem Navio e pode navegar acontece. É como um motorista que tem um carro pra dirigir (está sujeito a quebra e colisão), claro que seria importante como se Pudesse evitar.
    Para o caso de um Navio de Guerra tudo se resolveria em intensificar os adestramentos e ampliar o nível de conhecimento da tripulação a outros meios de navegação . Que para o Motorista de um carro seria por meio de condução defensiva.

  13. Na minha opinião, pelo que se mostrou até agora, desnecessária a decisão… O cara ia se aposentar de qualquer maneira no próximo mês, não era preciso acelerar em um mês pra tentar “punir” por algo que certamente não teve investigações concluídas a ponto de ele ter tanta culpa assim no ocorrido, provavelmente foi um acidente infeliz em que a tripulação teria mais controle da situação do que ele. Claro que se ele for considerado culpado (o que pode até acontecer), tudo bem, que tenha punição adequada e nada impede ele de ser punido estando ou não no cargo. Enfim…
    .
    Sei que vocês pensam o contrário, mas eu acho que foi uma decisão prematura SE foi tomada por causa do acidente e não por ele se mostrar incompetente no geral para exercer esse cargo.
    .
    Sds.

  14. Roberto Santana
    Segundo o Glossário das FFAA, em caso de guerra ou operações reais.

    PAUSA OPERACIONAL – Interrupção temporária das operações, após o alcance de
    efeitos táticos ou operacionais desejados, mas antes que seja atingido o próprio ponto
    crítico, para regenerar o poder combatente em preparação a uma ofensiva de caráter
    decisivo.
    Entenda, portanto, q é uma interrupção temporária, antes da força perder sua capacidade de cumprir as missões para as quais deve estar pronta, para adaptar-se, regenerar-se, e autoavaliar-se, visando evitar falhas como estes dois acidentes, os quais poderiam ser mais catastróficos.
    Sds

  15. Obrigado, Agnelo, pelo esclarecimento. Nesse caso, a culpa do comandante é bem evidente.
    Espero que tenha sido punido exemplarmente.

  16. theogatos 23 de agosto de 2017 at 21:56,

    A responsabilidade do comandante não é objetiva, uma vez que ele não estava a bordo e não comandava o navio. Sua responsabilidade é moral e funcional, a responsabilidade que um superior tem em relação aos atos de seus subordinados. É sua atribuição assegurar que seus subordinados não façam m…

  17. quem o puniu, faria ainda pior, esses almirantes sempre acham que podem passar por cima de tudo, na real, almirantes do eua, que do resto do mundo eles não são vaidosos a ponto de negar mudar de rota.

    e que destroyer de merda é esse? arrebentou feio de colidir com um simples navio cargueiro, não se fazem mais destroyers como antigamente, que tomavam surra muito mais pesada e mal riscavam!

    nota-se uma violenta queda de qualidade no material naval do eua, me fazendo repensar se isso é realmente a ultima esperança deles, digo isso, baseado em situações antigas, que houve choque muito mais bruto e aguentavam, amassar assim, eu iria antes mandar afastar quem construiu essa tralha, porque um destroyer NÃO PODE amassar com uma simples colisão, não importando se foi de ponta e se foi em alta velocidade, antigamente via aguentarem, podem fazer hoje igual.

  18. Destroyers antigos nem riscavam ou amassavam? O apelido de ‘tin can’ então deve ser uma ironia que eu perdi durante todos esses anos. Ah! Deve ser aqueles destroyers do Starship Troopers ou Space Above and Beyond? Até a Enterprise risca, amassa, quebra em colisão. Mas não sabia que os destroyers antigos alteravam as leis da física.
    .
    E outra, o video lá com o farol é hoax.

  19. Rodrigo 23 de agosto de 2017 at 18:15

    “8 anos de obamismo dando frutos, a US NAVY cheio de frouxos de todos os generos.”

    Agradeceria se me explicasse o que isso tem de relação com o assunto…….

  20. theogatos 23 de agosto de 2017 at 21:56

    Acho que você chegou perto, mas não acertou…

    Na minha opinião, com duas colisões em 3 meses e dois navios de primeira linha fora de combate por colisões com navios civis, sendo os dois da mesma Frota e na região que é um barril de pólvora, TINHA que haver um culpado, e rápido.

    Já a punição, antecipar a saída do comandante em 30 dias, já que ele estava a caminho da aposentadoria e com sucessor escolhido, me parece mais uma cortina de fumaça. Antes de condenar a “Banânia” por não fazer igual, seria bom saber a REAL causa de duas colisões como essas.

    Afinal, como muito bem disseram os amigos aí acima, está muito fácil chegar perto dos Burkes da US Navy, pelo ar, pelo mar……. E jogar a culpa no GPS já se mostrou – como no post que anunciou a colisão em si – uma outra cortina de fumaça….

  21. Como assim??? “um simples cargueiro”!!!!! Um navio de mais de 35 mil toneladas em navegação…..acha que não vai acontecer nada? Até no Yamato faria estrago……é física

  22. Wagner, “e que destroyer de merda é esse? arrebentou feio de colidir com um simples navio cargueiro, não se fazem mais destroyers como antigamente, que tomavam surra muito mais pesada e mal riscavam!”
    Qual o destroyer antigo que aguentava colisão?
    Será que um Allen M. Sumner da 2WW por exemplo?
    Que eu lembre o Frank E. Evans foi partido ao meio por um navio de deslocamento de cerca de 10mil ton a menos que o mercante que colidiu com o USS McCain

  23. Aqui na MB, iriam responsabilizar o CB-MR que estava no timão….rs.
    Seria preso e expulso ex-offício.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here