Home Indústria Naval RFA Tiderace chega às águas do Reino Unido após uma viagem de...

RFA Tiderace chega às águas do Reino Unido após uma viagem de dois meses

2013
28
RFA Tiderace

O navio da Royal Fleet Auxiliary RFA Tiderace chegou às águas do Reino Unido depois de ter começado viagem quase dois meses atrás, de Okpo, Coreia do Sul, onde foi construído pela Daewoo Shipbuilding and Marine Engineering (DSME).

O segundo dos quatro navios da classe “Tide” começou sua viagem em 3 de agosto e chegou a Falmouth na manhã do dia 25 de setembro.

Agora que está no Reino Unido, o RFA Tiderace de 39 mil toneladas iniciará um programa de customização onde irá receber blindagem, armamentos de autodefesa e sistemas de comunicação.

Espera-se que o RFA Tiderace passe cerca de quatro meses de customização antes de começar uma rodada de testes finais do mar antes de entrar em serviço no próximo ano.

Enquanto isso, o navio líder na classe, RFA Tidespring, deverá terminar os testes finais de mar nas próximas semanas e entrar em serviço antes do final deste ano.

Os navios da classe “Tide” de 39 mil toneladas podem transportar até 19 mil metros cúbicos de combustível e 1.400 metros cúbicos de água fresca em apoio às operações da Royal Navy em todo o mundo.

Eles foram projetados para apoiar os novos porta-aviões da classe “Queen Elizabeth”, o primeiro dos quais, HMS Queen Elizabeth, chegou a Portsmouth no mês passado.

A classe “Tide” possui uma plataforma de voo capaz de receber o grande helicóptero Chinook e oferece melhorias significativas em relação aos navios-tanque anteriores da RFA, como cascos duplos e maiores medidas de proteção ambiental.

Modelo 3D da classe Tide
Concepção artística de um NT classe Tide reabastecendo um destróier Type 45

FONTE: navaltoday.com

28 COMMENTS

  1. Bacana este NT, essa logística toda made in SEOUL deve está válendo a pena. A nós só nos resta apreciar e torcer para que o lixo deles seja o nosso luxo, ou seja, na “oportunidade” o próximo NT que deverá dá baixa, possamos compra lo a um módico preço.

  2. Marujo 26 de setembro de 2017 at 17:53
    Com a entrada em serviço do novo tanque, algum similar dará baixa?

    Veja o vídeo e dados do Wikipédia logo acima

  3. Top Gun Sea,

    Esse bruto desloca umas 31000 toneladas full… Está muito além do que a MB precisa…

    Esse era pra ser o nosso…

  4. Um NaPaLog de umas 18000 toneladas não é nada de outro mundo… Um ‘zerado’ não é uma meta irrealizável, mesmo na atual situação…

  5. _RR_
    São navios de grande capacidade de carga mas, não podemos pensar nele como apenas NT para exércitos anuais na costa do Brasil e sim NaPaLog em 3 condicionantes – 1º São navios com grande capacidade de transporte de água potável, como sólidos com refrigeração, sendo crucial para missões humanitárias e não podemos debitar tudo em cima do NDD Bahia “Full Time” que por sinal foi um sucesso de compra de oportunidade. 2º Caso não seja consolidada a compra do Ocean o NaPaLog dividiria com o NDD Bahia os translados de cargas em missões. 3º Caso se consolide a compra do Ocean e ainda por um milagre o A12 SP volte a operar serão 4 embarcações grandes incluindo o próprio na MB, mais escoltas, mais combustíveis para asa fixa e rotativa seguida de exercícios e missões na África do Sul, penso que seria uma ótima aquisição.

  6. Segundo a Wiki, os Tide vão substituir os Roveres, que já deram baixa há muito tempo. Esperava que fosse o Fort Vitória. Acho que o Fort e os River seriam mais úteis a MB que o Ocean.

  7. Caros

    Se a marinha quiser um tanker, hoje, terá de comprar petroleiro usado e dar uma demão de tinta cinza.

    “Armar” com 2 M2 7.62mm (assim como as “armas” do caralhal), uns 2 MANPADS revesados entre as “escoltas” e pronto. E tudo isso não pode passar de 10 mi de “doláres”, afinal, vocês já sabem que a marinha não tem recursos e quem sugou todos os parcos que existiam.

  8. Bavarion Lion
    Se o Ocean foi oferecido por 300 milhões de reais, acho o RFA usado da RN pode custar bem menos que o Ocean.

  9. Á marinha do Canadá converteu um navio porta container com o nome de asterix em um navio tanque e de apoio logístico em um estaleiro Nacional pra mim seria uma opção de baixo custo a mb .

  10. Matheus…
    .
    a conversão canadense é apenas um “tapa buracos” até que sejam construídos dois novos
    navios “especializados” para a função.

  11. Desculpem,
    mas li em possível volta do A 12 ?
    Entendi …. deixa pra lá vai ….
    Nem vou ler mais comentários de quem postou isso.
    Depois da própria MB e o Admiral LM afirmarem aqui … “Já era” ….
    ainda há ataques de ….

  12. Strobel, Rovers para o padrão atual (desconsiderando maquinas / casco/ bombas e condições dos tanques e afins) são pequenos, com pouca versarilidade, não sugeriria, sem contar que de cabeça (não pesquisei) não me lemgro se são DH, possivelmente sejam SH … (Single Hull = IMO banned)

  13. Sim e Não, depende da utilização

    Marujo 27/09/2017 às 13:12

    Segundo a Wiki, os Tide vão substituir os Roveres, que já deram baixa há muito tempo. Esperava que fosse o Fort Vitória. Acho que o Fort e os River seriam mais úteis a MB que o Ocean.

  14. Sei não, estou acostumados com N/T pequenos de 20.000 t., não consigo ver este como “uma grande capacidade de carga”, mas se foce eu, pensaria para isto tudo ai ums dos Forts´s deles ou um Bay´s …

    Top Gun Sea

    _RR_

    São navios de grande capacidade de carga mas, não podemos pensar nele como apenas NT para exércitos anuais na costa do Brasil e sim NaPaLog em 3 condicionantes – 1º São navios com grande capacidade de transporte de água potável, como sólidos com refrigeração, sendo crucial para missões humanitárias e não podemos debitar tudo em cima do NDD Bahia “Full Time” que por sinal foi um sucesso de compra de oportunidade. 2º Caso não seja consolidada a compra do Ocean o NaPaLog dividiria com o NDD Bahia os translados de cargas em missões. 3º Caso se consolide a compra do Ocean e ainda por um milagre o A12 SP volte a operar serão 4 embarcações grandes incluindo o próprio na MB, mais escoltas, mais combustíveis para asa fixa e rotativa seguida de exercícios e missões na África do Sul, penso que seria uma ótima aquisição.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here