Home Marinhas de Guerra Alemanha fica sem submarinos operacionais até 2018

Alemanha fica sem submarinos operacionais até 2018

6890
63
U35

O submarino “U35”, primeiro Type 212A da Marinha alemã, danificou uma das lâminas do seu leme em forma de X durante testes de águas profundas na costa da Noruega.

O U35 está agora no estaleiro TyssenKrupp Marine Systems (TKMS) em Kiel, onde os danos estão sendo avaliados.

De acordo com a Marinha Alemã, o acidente aconteceu no dia 15 de outubro, enquanto o U35 estava realizando testes nas águas desafiadoras da costa de Kristiansand.

Com o U35 fora da água para avaliações, a Alemanha agora não possui submarinos totalmente operacionais à sua disposição. Quatro dos seis submarinos da frota estão no estaleiro em Kiel para vários reparos e revisões.

A Marinha Alemã espera ter de três a quatro submarinos operacionais em meados de 2018.

A disponibilidade limitada de submarinos foi causada pela falta de peças de reposição devido a restrições orçamentárias, segundo a Marinha.

O U35 foi incorporado à Marinha em 23 de março de 2015, como o primeiro submarino melhorado Type 212A especificamente otimizado para desdobramentos em todo o mundo. O submarino possui um reservatório maior, ar condicionado melhorado e um novo sistema de combate.

FONTE: navaltoday.com

63 COMMENTS

  1. Gostaria de mais detalhes sobre a quebra do leme. Colidiu com algo? Soltou pecinha?
    Disponibilidade de 0% é simplesmente vergonhoso. Falta de prioridades e de planejamento da Marinha Alemã que, numa nação rica, é ainda mais feio.

  2. Nenhum país tem recursos orçamentários infinitos… Até mesmo usamericanos estão pulando o muro para nao gastar a dobradiça do portão..
    SRN

  3. “Marcelo Andrade 20 de outubro de 2017 at 15:59
    E ainda tem gente aqui que defende a continuidade dessa parceria. Mundo que dá volta!!!”
    .
    O que tem a ver o c*** com as calças ? Nos explique melhor esse seu ponto de vista

  4. Imagine se essa notícia viesse da França, como haveria choro e ranger de dentes aqui!

    Agora… se a Alemanha não tem disponibilidade de seus submarinos, por quê é que o Brasil a teria, do outro lado do mundo, se optasse por seguir a parceria com os alemães?

  5. “O U35 foi incorporado à Marinha em 23 de março de 2015, como o primeiro submarino melhorado Type 212A especificamente otimizado para desdobramentos em todo o mundo. O submarino possui um reservatório maior, ar condicionado melhorado e um novo sistema de combate.”
    É movido a energia nuclerar ?
    _________________________________

    Certo, agora o Urso vai atacar, correto ?
    _________________________________

    Manobras, testes, etc ?
    E os sensores e o CMT ?
    Falha humana ?

  6. Se fosse francês, o submarino já teria ganho um novo apelido por seus detratores.
    .
    Bom, vou aproveitar a deixa: U212A – “O Indisponível”.

  7. Pelo menos, como boa noticia, o submarino U-31 que estava a uns 3 anos parado em manutençâo, voltou ao serviço ativo….:-)

  8. Por essas e outras, que o Trump reclamou dos parceiros da OTAN. Eles não gastam com suas forças armadas obrigando o Tio Sam a planejar e manter uma frota de 300 navios.

  9. Por essas e outras que devemos repensar o quão armados realmente precisamos estar. A Alemanha sofre pressões enormes da OTAN pra aumentar seu orçamento militar; redimensionar suas formas armadas… enfim gastar mais dinheiro públicos com defesa. A França não sofre essas pressões, pois já direciona bastante recurso pra manter grande capacidade militar.

    Bom, se compararmos as economias dos dois países e principalmente a qualidade de vida dos dois povos, veremos que a Alemanha mantém padrões até superiores ao franceses mesmo mantendo forças armadas bem menores e menos capazes que as francesas.

    Obviamente, que nós brasileiros, mantemos forças armadas cuja capacidade não chega nem perto do ideal diante do orçamento que temos – que é enorme!

    Mas a questão é: é verdadeira a assertiva que temos que ser militarmente tão poderosos quanto somos economicamente e politicamente para que nosso povo tenha grande qualidade de vida?

    A Alemanha parece demonstrar que não.

  10. A Alemanha tem a situação do pós SGM e a desconfiança da população com qualquer militarização.

    Não pode ser comparada com as demais nações europeias.

    A Marine Nationale francesa também vem sofrendo cortes, tanto é que tem somente 17 principais combatentes de superfície, em vias de redução para apenas 15, bem como somente 6 submarinos de ataque da década de 80 aguardando substituição pela classe Barracuda.

  11. Olá Manock
    Sua pergunta é extremamente relevante. Inclusive, parte da resposta seria a compra de equipamentos prontos no exterior (mais barato e rápido) ou a fabricação nacional (mais cara mas com geração de empregos e geração de renda local). De fato, não temos necessidade de forças armadas estratégicas, mas sim de autodefesa. Modernas, treinadas e bem-equipadas, fundamentalmente baseadas em equipamentos nacionais ou nacionalizados, com forte participação do setor industrial nacional. Nosso desafio é o tamanho do país.

  12. Bardini 21 de outubro de 2017 at 0:08
    Se fosse francês, já teríamos passado dos 200 comentários…

    Nada… com os russos já teria passado dos 1000. Fora especialista de internet com 100% do verdade que os russos são burros, podres/falidos/atrasados e comem sopa fria e vodka em longas filas

  13. Manock, com certeza a situação da Marinha Alemã não é algo “de propósito para garantir melhor qualidade de vida à sua população”.

    É pura incompetência e falta de responsabilidade mesmo.

    Com os russos ali no cangote, não pensar em manter uma marinha operacional é a maior idiotice do planeta.

    Já nós, mesmo com imensas cargas de recursos, não conseguimos ter nem forças de defesa modernas e operacionais nem garantir uma boa qualidade de vida à nossa população.
    E isso não envolve apenas “direcionamento de recursos”. Isso envolve tudo o que temos visto constantemente nos noticiários, mais incompetência, irresponsabilidade, preguiça etc etc etc.

    Podemos pegar toda a grana investida em defesa no Brasil e jogar para a educação que a situação continuará a mesma.

  14. Olá Felipe. Sei que você fez apenas um comentário retórico, mas é preciso um pouco de atenção sobre os números. Em 2016, o orçamento do MEC foi de 96,6 bilhões de reiais e do MinD foi de 81,9 bilhões. Supondo que essa relação seja mais ou menos constante ao longo dos anos, sua proposta dobraria o orçamento do MEC. É muita coisa… a questão aqui é que tem muita gente que lê o blog e não está acostumada com as declarações retóricas. Para comparação, o Gov.Federal pagou de juros em 2016 407 bilhões de reais, o dobro do que investiu no MEC e no MinD. Essa é a sangria.

  15. Manock, a diferença entre o Brasil e a Alemanha é que o Brasil não conta com a proteção da OTAN, muito pelo contrário.

  16. Camargoer,
    Tecnicamente o Brasil não usou seu orçamento (dinheiro dos tributos) para pagar juros. Ultimamente ele só está rolando a dívida, sem pagar nada.

  17. Nunca imaginei que veria a marinha alemã (e suas forças armadas em geral) em um estado de mediocridade tão grande quanto a do Brasil. A diferença é que eles possuem tecnologia e dinheiro, e nós não, o que torna incompreensível tamanho descaso.

  18. A Alemanha tem investido coisa de 1,3% do PIB em Defesa. Muito pouco. O Brasil também aplica essa merreca de ~1,3% em Defesa.
    .
    Acho que o maior problema da Alemanha, ainda é o Exército por conta da avalanche de tanques Russos.
    “Sorte” deles são os Poloneses se reestruturando.
    A Força aérea Alemã tem problemas de disponibilidade dos Typhoon.
    .
    Na questão dos submarinos, ainda tem os Holandeses na cobertura. Resta saber como estão os “Warlus” no momento. Mas acho difícil terem mais que um disponível no momento…
    .
    Alemanha, sem submarinos.
    Holanda, tem disponível 1, 2, nenhum?
    UK não está lá muito melhor que Alemanha. Vem enfrentando problemas com os Astute.
    França na cobertura? Eles tem o que disponível no momento?
    Italianos, Espanhóis e Portugueses tem o Mediterrâneo pra se incomodar…
    .
    É Europa… Tá complicado.

  19. Bardini,
    Na verdade ela não tá complicada, pq eles possuem uma forte relação comercial e até pessoal com os russos… Essa hipótese de conflito na Europa com a Rússia, serva mais pra fins políticos que qualquer outra coisa.

    Agora concordo que a polônia tá fazendo o dever de casa, porém ela é muito pouco… ela é só um pouco mais que a VDV. A VDV se encaminha para 90 mil soldados.
    Ela já recebeu 30 T-72B3M e vai receber mais 60 T-72B3M fora mais de 150 BMD-4M esse ano… Fora que esse ano ela já desfilou com os Pansir S2 fora os Strela M4 e míssil Verba.
    2018 vem o Typhoon VDV pra se juntar ao K

  20. O U- 36 ainda é muito novo, comissionado à apenas um ano atrás, natural que tenha retornado ao estaleiro para “correções”, mas, em 2018, será possível ter 2 submarinos disponíveis, dois em treinamento dos quais um poderá ser rapidamente disponibilizado e se muito necessário o outro também e dois em manutenção o que garantirá os 3 ou 4 “operacionais” como indica a matéria, situação muito melhor que por exemplo da Frota russa do Báltico que conta com apenas 2 “velhos” submarinos.
    .
    Pode estar “complicado” para a Europa, mas, nem tudo são rosas para os russos que precisam dividir seus submarinos entre 4 Frotas e muitos deles estão passando por manutenções de
    rotina ou modernizações, gerando uma grande indisponibilidade também.

  21. Alfredo Araujo 20 de outubro de 2017 at 21:04
    “Marcelo Andrade 20 de outubro de 2017 at 15:59
    E ainda tem gente aqui que defende a continuidade dessa parceria. Mundo que dá volta!!!”
    .
    O que tem a ver o c*** com as calças ? Nos explique melhor esse seu ponto de vista.

    Bom, em primeiro lugar, tenta não limpar o c*** e você verá, ou sentirá, o que acontece com as calças!!!

    Em segundo lugar, o Augusto já me fez o favor de responder….

  22. Essa mentalidade ocidental é cômica… pq a Rússia é a ameaça ? A Rússia quer é vender seus recursos para a Europa e ganhar dinheiro, PARA QUE VAI ATACAR ???

    Deviam se preocupar mais com os chineses ou piratas e terroristas. Moscou não atacará Berlim.

    Não existe nenhuma possibilidade de Guerra Naval na região, no máximo alguma escaramuça isolada devido a algum esquentadinho.

    Agora, para a Alemanha essa situação é uma vergonha… o país que mais contribuiu para o desenvolvimento dos submarinos, poxa… ta igual aos militares da Republica de Weimar ???

    Desculpem, mas isso não é erro de planejamento. É falta de vontade política. Falta de vontade militar, Falta de Nacionalismo.

  23. Aproveitando o tema submarino,encontrei na internet uma série de vídeos relativos ao filme ‘Das Boot’ ( pra mim o mais bem feito filme sobre a 2ªGM ) e dentre eles há um documentário ‘ A Batalha do Atlântico’, feito em 1983, em que marinheiros e oficiais dos 2 lados dão entrevistas, numa delas um comandante de corveta de escolta inglês relata que ao se aproximarem do submarino, pouco antes de ficar em cima do alvo, o sonar entrava numa zona morta em que eles ficam às cegas, os capitães alemães descobriram ( deixavam de ouvir o som característico do sonar ) e nesse momento faziam desesperadas manobras evasivas. Não sabia disso, então pergunto essa deficiência foi sanada c/ a evolução do sonar? O sonar phased array foi criado p/ solucionar esse problema?

  24. @Dalton

    Creio que agora os russos possuem 3 submarinos na frota do Baltico:

    2 da classe Kilo; o “Vyborg” e o “Dmitrov”
    1 da classe Lada, o “Sankt Petersburg”….que finalmente ficou pronto!

    Alias a classe Lada que no inicio teve varios problemas, tendo os planos de construir mais alguns serem cancelados, parece que os problemas foram resolvidos e agora mais 2 estâo sendo construidos; o “Kronstadt” e o “Veliki Luki”….mas em se tratando dos russos, fica dificil saber o que é verdade e o que nâo é….

  25. “Fernando 21 de outubro de 2017 at 10:08
    A MB com uma frota de 5 deve ter uns 3 operacionais.”
    .
    Dos cinco, dois estão fora da água em manutenção mais complexa no AMRJ, um na oficina de submarinos, outro no dique Santa Cruz. E um terceiro eu temho visto atracado ao cais Oeste do AMRJ, próximo aos diques Santa Cruz e Alte Jardim (onde também está atracado o dique flutuante Alte Schieck) provavelmente passando por pequenos serviços de menor complexidade.

  26. Soldat 22 de outubro de 2017 at 14:49

    50% do copyright daqueles submarinos é israelense. E outra: aquilo tem a ver não apenas com a ajuda alemã dada a Saddam Hussein em desacordo com o MTCR, do qual a Alemanha é signatária desde 1987, mas também com uma decisão política local de manter os estaleiros ocupados.

  27. Passei semana passada na ponte Rio-Niterói e vi somente um submarino atracado no cais da BACS. Fiquei triste porque lembrei imediatamente de quando eu via seis ou sete submarinos atracados no mesmo cais.

  28. Existem casos e casos, além de que não se compara o U-212 (o submarino convencional mais avançado do mundo), com insubmersível.

    Ele por carregar esse fato, é bem mais caro de operar e manter. A Alemanha não o libera para venda a todos os países, e suas ligas e compostos fazem parte de segredo industrial.

    É um submarino de águas rasas (o que o torna mais caro de operar), uma vez que é mais difícil manter-se “stealth” na faixa de profundidade que ele opera.

    O U-214 é outro submarino, baseado no U-209 com AIP. A base de projeto pode ser a mesma, porém, o 212 é muito mais complexo em sensores e operação.

    A qualidade do projeto é simplesmente inquestionável. A Itália adora os seus. O problema foi o custo de manutenção, coisa que logo estará definitivamente resolvida.

  29. Bavaria Lion,
    Como se resolve o problema do alto custo de manutenção de um submarino pronto e recém-entregue?

  30. Rafael Oliveira

    Quando se quer e se precisa das melhores armas, você arruma recursos para manter. É simples, e existe uma matéria lá no ForTe que monstra a Alemanha sendo instada a investir no mínimo 5% das receitas em defesa.

    Fazendo isso, o orçamento atual mais que triplica. Aí dá pra operar todos os Leo’s, Typhoons, U-212, fazer NAe e o escambau…

  31. Franz !
    .
    o que li é que o novo e finalmente entregue “S.Petersburg”esteve no Báltico em exercícios no passado…mas…continua registrado na Frota do Norte ! Como você entende alemão e também russo posso considerar como certo o mesmo já na Frota do Báltico ?
    .
    abraços

  32. Bavaria Lion.
    Ok, vão aumentar o orçamento. Tinha entendido que iriam tornar a manutenção mais barata e por isso estranhei.

  33. @Dalton
    As informaçôes sâo muito desencontradas…algumas fontes citam o “St. Petersburg” como sendo da Frota do Baltico, outras dizem frota do Norte e ainda tem uma fonte que diz como sendo da Frota do Baltico, mas no momento fazendo “testes” na Frota do Norte….assim fica dificil…..:-)

  34. Parceria do Brasil com a França decorre de ajuste político.

    A França, em alguns programas europeus, como o projeto “Horizon” tem uma fama ruim, de quem pretende dividir custos e participação industrial, porém não mantém as suas projeções de compras.

    Esse projeto citado envolvia UK, França e Itália. Os franceses exigiam 1/3 da participação industrial porém compraram/pagaram apenas 2 unidades (fragatas Horizon), mesma quantidade dos italianos, ao passo que os ingleses adquiriram 6 T45, tendo se retirado do projeto, que foi o primeiro ao introduzor os mísseis “aster”, capacidando a indústria francesa.

    A parceria com eles geralmente é boa… pra eles.

    Nas FREMM eles prometeram comprar 13 vasos, mas na verdade serão só 8. A Itália operará 10 vezes mas dividu os custos de desenvolvimento igualmente, salvo engano.

    Quanto ao Scorpene, eles sequer operam essa classe.

  35. “Wagner 21 de outubro de 2017 at 19:55
    Essa mentalidade ocidental é cômica… pq a Rússia é a ameaça ? ”

    Um século de lavagem cerebral propagandística constante anti-Rússia do lado de cá não acaba facilmente.

    As pessoas nem sabem porque são contra, mas são.

  36. A Rússia é uma ameaça…porque ela é “diferente”…assim como a Rússia enxerga na OTAN uma ameaça porque a “OTAN” é “diferente” e é normal se temer o que é diferente e/ou não se compreende ainda mais que em termos de História, a guerra fria terminou dias atrás apenas e
    as lembranças ainda estão bem frescas, principalmente nas mentes daqueles que possuem fronteiras com os russos, o que não é o nosso caso, então é mais fácil para “nós” considerar a Rússia como vítima.
    .
    Cada lado, OTAN e Rússia tentará impor o que pensa ser o certo, o que é complicado, e poderá mesmo acreditar que o outro lado nunca irá impor um limite…resta torcer para que
    cabeças frias predominem.

  37. A verdade e que ta dificil pra todo mundo se conseguirmos manter p PROSUB GRIPENS TAMANDARES e GUARANI estamos no ceu

  38. A OTAN tá parecendo aquele churrasco que ninguém levou a carne nem o carvão achando que os outros levariam.

    Mas a questão é que todos sabem que todos estão descapitalizados. Tirando a China e (talvez) a Rússia tá todo mundo se desarmando. Até porque os principais conflitos de interesse da OTAN são ultra-assimétricos.

    O problema é que como sempre todos confiam no Tio Sam que está chegando no limite de sua capacidade de intervenção mundial.

    Na crescente incapacidade do Ocidente de impor sua Pax duas dezenas de países pelo mundo estão colocando suas mãos em interesses regionais.

  39. De 6 unidades, nenhuma operacional…
    Que coisa, heim?

    Mas, o comentarista Wagner está correto: a Federação Russa não é uma ameaça. Querem os russos vender gás, muito gás, para a Europa e a Alemanha é a porta de entrada do Nord Stream …
    O que mais querem os russos é estabilidade na Europa, algo que certa potência insiste em abalar, primeiro com a Ucrânia, depois fomentando grupos extremistas para criar uma onda de refugiados gigantesca em direção a… Europa. Que ingenuamente os aceita, aos milhões…
    Qual é a nação que resiste a entrada de mais de um milhão de refugiados em questão de meses?

    Pois, então… De onde vem a ameaça?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here