Home Marinhas de Guerra Brasil e Chile avaliam aquisições de segunda mão da Royal Navy

Brasil e Chile avaliam aquisições de segunda mão da Royal Navy

14126
248
HMS Lancaster, fragata Type 23

O Jane’s noticiou que as Marinhas do Brasil e do Chile estão avaliando a potencial aquisição de fragatas da Marinha Real do Reino Unido (Royal Navy) e navios anfíbios no caso de estarem disponíveis para venda no curto prazo, segundo fontes militares no Rio de Janeiro e Santiago.

De acordo com oficiais em ambos os países, os representantes do Reino Unido informaram discretamente que um número de fragatas Type 23 e os dois navios de desembarque anfíbio (LPD) HMS Albion e HMS Bulwark podem estar disponíveis como resultado de opções de corte no orçamento que estão sendo consideradas para a linha de frente da Royal Navy.

O Brasil já manifestou interesse na aquisição do porta-helicópteros HMS Ocean, navio de apenas 20 anos de idade e que deve ser desativado no próximo ano.

A necessidade urgente de substituição de escoltas de mais de 40 anos na Esquadra Brasileira também poderia ser atendida pela aquisição de fragatas Type 23, caso elas estejam disponíveis e com boas condições de pagamento.

 

FOTOS (as duas últimas do post): Fabiana S. M. Lopes

248 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
JagderBand44
JagderBand44
2 anos atrás

Há quem goste das linhas dessas FF TYPE XX Inglesas.
Eu particularmente não, incluindo as Vosper MK.

GUPPY
GUPPY
2 anos atrás

Luz no fim do túneo.

Guilherme Poggio
Editor
2 anos atrás

Larga mão do Ocean e pega logo essas T23. Escolta é o nosso calcanhar de aquiles.

Fellipe Barbieri
Fellipe Barbieri
2 anos atrás

Não é o meu sonho de consumo para a MB, Mas ss dá pro gasto …

HMS Ocean + os navios Anfíbios = excelente negócio
Type 23 = Meia Boca

Sabe o que era o meu sonho para a MB se tratando de navios de segunda mão? … os Murasama, não sei se os Japas podem/querem vender, nem sei sei seria caro mas para mim os 9 navios da classe seriam perfeitos para nós mas deixa eu parar de viajar na maionese. ..

Fellipe Barbieri
Fellipe Barbieri
2 anos atrás

Galante, respeito muito você … e nem é minha área . Mas eu acho as Type 23 bem meia boca, não que exista coisa melhor no mercado de usados, mas eu não gosto delas … mas ….

Ozawa
Ozawa
2 anos atrás

Se…, se…, se…, se…, se…, se…, a MB pegar alguma coisa que sejam as Type 23…

Se for pegar o Ocean (só pra servir de convés pra festas e homenagens e satisfazer o capricho estúpido da Marinha por convescotes, sem perdão do trocadilho) e deixar as escoltas, tem que bater nesse Almirantado com gato morto até ele miar…

Mas tudo isso se…

Augusto
Augusto
2 anos atrás

Os h225 com exocet cabem no hangar da type 23 ? E os Seahawks ? Acho que essa deve ser a questão. E mais uma coisa se a MB pegar mesmo essas Type 23 poderíamos moderniza-las com os radares e mísseis que forem escolhidos para a Tamandaré, claro se for viável.

Dalton
Dalton
2 anos atrás

Não faz sentido…existem apenas 13 T-23s…quando muito, 5 estão em missão, o que é pouco diante das atribuições da Royal Navy e as T-26s ainda irão demorar alguns anos antes de estarem operacionais…meados da próxima década segundo à própria “Jane’s” e “2020s” ou seja em algum ponto da década de 2020 segundo a própria “BAE”.

Glasquis7
2 anos atrás

Fellipe Barbieri
“Type 23 = Meia Boca”

Nossa, o nível de exigência está subindo ultimamente…
As Type 23 são as Fragatas mais modernas e capasses que existem na região e elas marcam una enorme diferença assim como um grande salto tecnológico entre a ARCh e as outras Marinhas Sulamericanas.

Estão tão meia boca que a ARCh está modernizando as suas, implementando o CAMM, o Radar TRS-4D, novos sonares de proa S2150 e um tercer sonar de arrasto.

Fabio Souto.
Fabio Souto.
2 anos atrás

A MB precisa urgentemente de escoltas,soube que serão 3 tipo-23 a serem disponibilizadas
agora sem grana não vai.

Glasquis7
2 anos atrás

Augusto
“Os h225 com exocet cabem no hangar da type 23 ?”

Cabe sim, a ARCh os usa.

Glasquis7
2 anos atrás

Dalton,

“Não faz sentido…”

Já discutimos sobre isso. Aqui a prova de que se dá como iminente a baixa das Type 23.
Não que o seu argumento esteja errado mas, reafirma a expectativa de que a contar de 2020 sejam decomisadas algumas Type 23 e que estas já foram ofertadas ao Chile como mencionei antes.

Gustavo Garcia
Gustavo Garcia
2 anos atrás

Os HMS Albion e HMS Bulwark são bem novos de 2000 e 2001 pegava os dois mais o HMS Ocean. Com esses 3 navios em mãos vendia o NDM Bahia pro Chile que já tem um.

Quanto as fragatas o mais sensato seria procurar algumas mais novas o que é bem difícil…

Leonardo Pessoa Dias
Leonardo Pessoa Dias
2 anos atrás

Galante, como está hoje a definição da família do vaso? Destroieres teriam capacidades inferiores que uma fragata. No entanto, as type 23 (frigates) não podem receber a designação de flag ship em uma TF, mas os destroiers (type 45 – Dearing class) podem operar como tal?

Fellipe Barbieri
Fellipe Barbieri
2 anos atrás

Clasquis7 Eu não levo em conta a América do Sul, sei que deveria, mas foi o pensamento regionalista que nos colocou em tal situação que nos encontramos agora … as Type 23 na minha visão são navios com boa capacidade e seriam ótimos em um cenário do Atlântico Sul, mas o que eu levo em conta é que qualquer compra feita agora seria “definitiva”, ou seja seria um navios para além de 2030 . Ou alguém acha que esses navios seriam substituídos em 5 ou 6 anos ? … Levo em conta também que precisamos de pelo menos 8 navios,… Read more »

Bardini
Bardini
2 anos atrás

Alexandre Galante 25 de outubro de 2017 at 10:10
.
Acho que esse gráfico explica melhor a situação:
.
comment image
.
Talvez o problema não passe pelos novos navios…

Mercenário
Mercenário
2 anos atrás

O problema deles são os PA e a inclusão da dissuasão nuclear no orçamento da defesa.

Destarte, as T23 tem suas baixas programadas para iniciar em 2023, mas pode haver mudança. Algumas inclusive já foram modernizadas (radar 3D e sea ceptor) e outras estão em processo. 8 delas são especializadas na luta antisubmarino. Não vejo escoltas usadas à disposição melhores.

Além disso, podem ter boa parte de comunalidade de equipamentos com as futuras Tamandaré.

Jr
Jr
2 anos atrás

Infelizmente para a MB diferentemente do Ocean e dos dois classe Albion, as type 23 vão ser disputadas a tapas e pontapés, aumentando o seu preço, coisa que para a situação atual é muito ruim para a MB, acho mais fácil algum outro item da lista de vendas da Royal Navy vim do que essas type 23. Os Chilenos já saíram na frente da MB, até estiveram em uma delas na última DSEI para assinar a entrada deles no clube do Sea Ceptor, ou seja, ali já estavam demarcando território e dizendo em alto e bom som , olha estamos… Read more »

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
2 anos atrás

Gosto do Janes mas , ás vezes, eles soltam muitas fake news baseadas em suposições ou em visitas esporádicas de representantes navais a uma ou outra Marinha.

Prefiro aguardar pra ver!

RL
RL
2 anos atrás

Guilherme Poggio 25 de outubro de 2017 at 9:39

Larga mão do Ocean e pega logo essas T23. Escolta é o nosso calcanhar de aquiles.

Onde assino?

Bardini
Bardini
2 anos atrás

” Os Chilenos já saíram na frente da MB, até estiveram em uma delas na última DSEI para assinar a entrada deles no clube do Sea Ceptor”
.
Chile vai de ESSM, não?
.
“Outra coisa estranha é essa venda do Albion, navio que acabou de receber uma reforma de 90 milhões de Libras”
Gastaram um bom dinheiro no “Ocean” faz pouco tempo.

Dalton
Dalton
2 anos atrás

Galante/Glasquis… . de fato o “rombo” existe, mas, outras fontes citam que não há muito mais a ser cortado, muito menos as T-23s e no caso de descomissionarem primeiro as mais novas isso se encaixaria bem nas pretensões brasileiras e chilenas, como o próprio Glasquis já abordou de adquirirem navios de segunda mão com menos de 20 anos de serviço, mas, iria causar um buraco mais para frente pois as T-31s entrarão em serviço apenas ao longo da década de 30. . Posso estar errado, mas, prefiro acreditar que são apenas especulações, como o re- comissionamento de meia dúzia de… Read more »

Bardini
Bardini
2 anos atrás

Algo me diz que se os 2 LPDs forem vendidos, a Índia vai tentar levar…

Dalton
Dalton
2 anos atrás

Bardini…
.
o que foi gasto no “Ocean” foi o suficiente para o mesmo permanecer em serviço até 2018…
não esperava-se mais dele…já o “Albion” irá substituir o “Bulwark” que encontrava-se “hibernando”…não exatamente na reserva, apenas, ambos os navios operam em rodízio, cada
um por cerca de 6 anos, então antes de tirar o que encontra-se “hibernando” atualizações
são feitas.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
2 anos atrás

Na situação atual da MB, precisa agarrar qualquer oportunidade (que seja boa, claro) com unhas e dentes e não soltar mais. Gostaria muito de que fosse adquirido esse combo.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
2 anos atrás

Se bem que esses navios anfíbios são bem grandes para o padrão da MB né? Podem pegar todas escoltas que forem possível e o Ocean também, se os motores realmente estiverem bons.

Guilherme Poggio
Editor
2 anos atrás

Esses porta-F-35 vão ser a pá de cal na Royal Navy.

Já vi esse filme antes. RN não tem cacife para operar dois NAe ao mesmo tempo. Vão entregar os anéis para não perderem os dedos.

Glasquis7
2 anos atrás

Felipe Barbieri,
“quais são as atuais opções de segunda mão?”

A menos que esteja enganado, apenas as Type 23, as Halifax Canadences e as OHP da Austrália.

Glasquis7
2 anos atrás

Bardini

“Chile vai de ESSM, não?” ???

Não, a ARCh fechou com o CAMM da MBDA e está sendo implementado pela Lockheed Martin Canada: http://www.defensa.com/chile/armada-chile-lockheed-martin-canada-firman-contrato-para-armas

Mercenário
Mercenário
2 anos atrás

Dalton,

Salvo engano, eles pretendem assinar o contrato das T31 em 2019, com a primeira entrega programada para 2023.

A primeira retirada de serviço de T23 está originalmente programa também para 2023.

Bardino,

O Chile vai de CAMM (Sea Ceptor) na modernização das T23.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

Os Ingleses tem gratidão eterna com o Chile (Falkland), vai pro Chile o que eles quiserem e estiver disponível.
_______________________________

MB,
Alguém conversou com o Mansueto ?
Garanto que ele fica no próximo Governo seja qual for.
Ele é “O CARA” DA PLANILHA, parem de viajar na maionese.
Por isso a corrida as NPa’s do EISA.
É o que temos.

Jr
Jr
2 anos atrás

Bardini Chile vai de ESSM, não?
Não
http://www.infodefensa.com/latam/2017/10/10/noticia-chile-firma-creacion-grupo-usuarios-nuevo-misil.html
O detalhe é que essa assinatura foi feita na Hms Argyill a primeira type 23 que disparou um Sea Ceptor comprado pelo Chile e pelo que li agora pouco em fórum britânicos essa é uma das duas que podem ser vendidas caso essa notícia de venda seja verdadeira. Quanta coincidência

Dalton
Dalton
2 anos atrás

Com certeza apenas as “OHPs’ da Austrália e EUA estão/estarão disponíveis …não há oficialmente nada a respeito de baixas de fragatas canadenses e britânicas…apenas especulações…oficialmente os navios britânicos e canadenses começarão a dar baixa na próxima década.

Jr
Jr
2 anos atrás

Bardini Gastaram um bom dinheiro no “Ocean” faz pouco tempo.

Sim a QUATRO anos atrás, diferentemente do Albion que saiu no MÊS PASSADO do estaleiro e que começa esse mês as provas de mar para testar os upgrades de 90 milhões de libras que foram feitos, se a Royal Navy vender um dessa classe será o HMS Bulwark que não recebeu upgrade algum e acabou de ir para a reserva, faria até mais sentido a Royal Navy obrigaria assim que o comprador fizesse pelo menos uma revisão em estaleiros Britânicos

Bardini
Bardini
2 anos atrás

Não sabia desse acordo dos Chilenos para aquisição do CAMM…
.
Deram para trás com o ESSM, que haviam selecionado: https://news.usni.org/2016/07/05/chilean-navy-set-upgrade-frigates-u-s-missiles

Dalton
Dalton
2 anos atrás

Mercenário…
.
2023 para o “lançamento” ao mar tem sido considerado excessivamente otimista, além do
mais alguns anos mais após o “lançamento” são necessários para se ter um navio totalmente
operacional…eu…que não sou tão otimista assim, acredito que as T-31s ao menos a maioria
das 5 estarão devidamente operacionais na década de 2030 e assim irão substituir gradativamente as 5 últimas T-26s entre 2031 e 2035.
abs

Glasquis7
2 anos atrás

Carlos Alberto Soares, “Os Ingleses tem gratidão eterna com o Chile (Falkland), vai pro Chile o que eles quiserem e estiver disponível.” Na verdade, o Chile e a Inglaterra são “parceiros” desde muito antes. Na Guerra de emancipação do Chile os Ingleses foram oficiais navais do Chile e treinaram os Chilenos. Durante a história os ingleses tem dado grande apoio aos chilenos e isto tem gerado laços muito fortes entre ambas forças. O Primeiro Almirante da ARCh foi Lord Cochrane, o velho “lobo do Mar” que também se desempenhou no Brasil como primeiro Almirante sendo conhecido também como “O turbulento… Read more »

JagderBand44
JagderBand44
2 anos atrás

De qualquer maneira, sempre parece que a ARCh está um passo à frente.

Rodrigo
Rodrigo
2 anos atrás

Chile, Brasil… eu estou é morrendo de inveja do México construindo suas Sigmas 10514. 200 doletas cada. 🙁

Glasquis7
2 anos atrás

Bardini, “Deram para trás com o ESSM, que haviam selecionado”. Na verdade nunca foi selecionado. apenas se manteve no páreo até o fim e incluso continua sendo a segunda opção da ARCh. caso exista algum contratempo com o CAMM. Dalton, “não há oficialmente nada a respeito de baixas de fragatas canadenses e britânicas…apenas especulações…” No mercado de usados, Nada é oficial e por tanto muito valem as especulações. O Chile só fechou com Lockheed Martin Canada depois de inspecionar as Halifax e tem operado com elas abastecendo-as nos exercícios Canadenses. Se der uma analisada, todo gira em torno de “curiosas… Read more »

Glasquis7
2 anos atrás

Rodrigo,

“Eu estou é morrendo de inveja do México construindo suas Sigmas 10514”

Mas, as Sigma são corvetas não fragatas. Cada vaso na sua função com suas capacidades bem definidas.

Dalton
Dalton
2 anos atrás

Só parece Jagder… a partir de meados de 1990 o Brasil adquiriu 4 fragatas T-22 e iniciou a modernização das 6 fragatas classe Niterói…que só estão navegando hoje graças a essa modernização, portanto, analisando dessa forma a marinha brasileira passou à frente da marinha chilena na época. . O Chile adquiriu as 3 T-23s nos anos 2000 até porque não cabia no bolso da marinha brasileira mais navios, a “Barroso” estava em construção e falava-se na modernização de 3 das T-22s. . O Chile adquiriu o “Foudre”” em 2011 quando havia ainda grande expectativa quanto à revitalização do “NDD Ceará”… Read more »

Nunes
Nunes
2 anos atrás

Em relação a propulsão da tipo 23 e as fragatas Astralianas OHP qual é a diferença? Ou seja, qual representaria o menor custo de operação e manuntenção?

Glasquis7
2 anos atrás

Dalton

“Só parece Jagder…”

???

Otto Lima
2 anos atrás

As Type 23 são para anteontem e os NDD Classe Albion seriam interessantes para a MB, pois assim seria possível dar baixa nos três NDCC. O Ocean já não parece tão interessante.

Rodrigo
Rodrigo
2 anos atrás

Glasquis7, segundo o site da Damen, as sigmas são classes de corvetas e fragatas.

10514, 10513, 9813: Fragatas.
9113, 8313, 7513: Corvetas.

Bardini
Bardini
2 anos atrás

“O detalhe é que essa assinatura foi feita na Hms Argyill a primeira type 23 que disparou um Sea Ceptor comprado pelo Chile e pelo que li agora pouco em fórum britânicos essa é uma das duas que podem ser vendidas caso essa notícia de venda seja verdadeira.”
.
“@hms_argyll is due to deploy to Far East in 2018”
.
Não tão cedo…

Dalton
Dalton
2 anos atrás

Glasquis…
.
Houve ocasiões em que a marinha brasileira esteve na frente tanto em quantidade como qualidade…então…não acho que seja correto dar à marinha chilena o “sempre à frente” e
os novos submarinos brasileiros em construção colocarão o Brasil na vanguarda no continente americano…só perderemos para à US Navy 🙂