Home Aviação Naval EUA vão treinar com três porta-aviões enquanto Trump visita a Ásia

EUA vão treinar com três porta-aviões enquanto Trump visita a Ásia

3398
37
USS Nimitz (CVN 68), USS Kitty Hawk (CV 63) e USS John C. Stennis (CVN 74) Carrier Strike Groups em PHOTOEX durante o exercício Valiant Shield 2007

WASHINGTON (Reuters) – Três grupos de ataque de porta-aviões dos Estados Unidos se exercitarão juntos no Pacífico Ocidental nos próximos dias em um raro show de força, enquanto o presidente Donald Trump visita a Ásia com advertências sobre a ameaça nuclear da Coreia do Norte, disseram autoridades norte-americanas.

O exercício incluirá o USS Nimitz, o Ronald Reagan, o Theodore Roosevelt e os navios de guerra que os acompanham, a primeira vez que três grupos de ataque de porta-aviões dos Estados Unidos se exercitam juntos na região em uma década.

Um destróier japonês, o Inazuma, vai se juntar à armada, disseram duas autoridades do governo japonês, depois de um exercício separado de três dias com o Reagan e dois navios de guerra indianos no Mar do Japão que terminaram segunda-feira.

Oficiais dos EUA disseram anteriormente que o exercício estava em consideração e que o planejamento estava em andamento. A decisão de prosseguir em breve com o exercício no Pacífico Ocidental não foi publicada anteriormente.

Os quatro funcionários dos EUA e duas fontes japonesas que discutiram o exercício com a Reuters falaram sob anonimato e não divulgaram a data precisa ou a localização do exercício. O Pentágono e a Frota do Pacífico da Marinha declinaram comentários sobre operações futuras.

A Reuters não estava ciente de nenhum plano de Trump de visitar os porta-aviões.

Trump reiterou sua dura retórica contra a Coreia do Norte em relação aos seus programas nucleares e mísseis desde o início de uma viagem de 12 dias para a Ásia no domingo. Falando em Tóquio na segunda-feira, Trump renovou seu aviso de que a “era de paciência estratégica” com a Coreia do Norte acabou.

37 COMMENTS

  1. Tá certo !!!
    Eles podem !!!
    Afinal são a maior Marinha do Mundo !!!
    Tem que tá sempre alinhado as mais diferentes situações de combate em todo o mundo.
    Nobody Seconds

  2. EUA ,está numa sinuca se atacar a coreia do norte,não garantirá a proteção da coreia do sul eo japão. Dois se atacarem também não é garantido que a china não vá entrar mesmo só fornecendo armas. Por isto que eles estão demonstrando poder mas parece que a coreia do norte está reconhecendo esses sinais.Será que o EUA vai fazer o primeiro movimento enfim virou um jogo de xadrez. E bem provável que uma terceira guerra que todos previam que se desce na europa,possa acontecer na Asia.Vejo que a china pouco ativa em relação a coreia,afinal foi eles que a armaram e deram cobertura,e proteção.

  3. Off, mas não tão Off…
    http://english.yonhapnews.co.kr/news/2017/11/07/0200000000AEN20171107012554315.html
    .
    A Cheong Wa Dae official later explained the discussion included Seoul’s development or acquisition of nuclear-powered submarines.
    Nuclear-powered submarines are considered asymmetrical assets that can intercept North Korea’s submarine-launched ballistic missiles, but are currently prohibited under a nuclear pact between Seoul and Washington.
    .
    Quero ver o que o Japão vai achar disso aí…

  4. A foto de ilustração do artigo é tão fantástica que chego a pensar que é montagem! Inclusive porque ela mostra uma formação com um B-52 e e 4 alas de caças, cada uma com 4 aeronaves! Mas o que intriga é que, aparentemente, só a ala à direita do B-52 é de F/A-18, um caça naval; a ala à esquerda (do B-52) parece-me ser de F-15, e há ainda as duas alas na retaguarda com 4 F-16 cada! (clicando na imagem e fazendo um zoom dá pra perceber melhor o perfil dos caças e identificar cada tipo!). Mas, é normal que meios da USAF tomem parte em exercícios da Marinha também?…

  5. Bardini 7 de novembro de 2017 at 23:38
    .
    Alguns dos melhores estaleiros do mundo são sul-coreanos. Há também um bem desenvolvido programa nuclear no país. Talvez, precisem apenas de alguns ‘blueprints’ para diminuírem o tempo de desenvolvimento do projeto, ou de um suporte diplomático de peso…

  6. A mensagem é evidente: vocês (marinhas chinesa e norte coreana) não estão à altura de nos enfrentar. Numa eventual guerra, essas marinhas podem acabar no fundo do oceano. Um prejuízo incalculável.

  7. Meio bilhão de toneladas de diplomacia.
    .
    Somando o deslocamento dos 3 (três) super porta-aviões (3 x 100.000 toneladas), suas escolhas e navios de apoio, o total da esquadra norte americana naquelas águas deverá deslocar mais de 500.000 toneladas.
    .
    Números impressionantes.
    .
    SDS.
    Ivan, o antigo.

  8. Bardini 7 de novembro de 2017 at 23:39
    Muito linda essa ‘baleia’! Bardini, qual o nome desse sub japonês?…

  9. Srs.
    Detalhe !!!
    Não desmerecendo ninguém, mas essa foto aí da ilustração da matéria tá me parecendo de uma Rinpac que houve alguns anos atrás lá pelas bandas do Hawai !!!
    Aí Galante !!!
    Desculpa aí mas eu tenho essa foto também
    Que é muito bonita por sinal.

  10. O texto do link do Bardini é claro:
    Os Âmis vão posicionar mísseis de curto alcance com capacidades NUC.
    Eles já tem um SubNuc na área em carácter permanente, com tal capacidade de curto alcance (?) nos mísseis Nuc (?).
    Boscoooooo !

  11. Linda foto, puta inveja.

    Ótimo exercício e em boa época e local.

    Guerra ?

    A SA entrará em Guerra bem antes que os Korea”s !

  12. André Luiz.’. 8 de novembro de 2017 at 12:27
    Never mind‘, eu achei: esse aí é o ‘SS-510, Shōryū (しょうりゅう), mais um submarino da classe ‘Sōryū’ (16SS), e que acaba de ser lançado ao mar, dia 6/11 passado! Mas só deve comissionado lá por 2019 (https://en.wikipedia.org/wiki/S%C5%8Dry%C5%AB-class_submarine).
    Pena que o Japão não ofereceu um desses aí pra nós! (bem, não sei se seriam adequados ao nosso cenário, mais que os Scorpenes…)
    Abraços!

  13. André,
    .
    Acredito que entre os convencionais (diesel-elétrico) os da classe ‘Sōryū’ são os mais adequados à águas oceânicas.
    É o maior entre os submarinos de ataque não nucleares do pós guerra, deslocando na superfície 2.900 toneladas e 4.200 submerso.

  14. Ivan 8 de novembro de 2017 at 16:32
    Não deixa de ser uma pena… Dado o histórico das relações Brasil-Japão, imagino que seria um negócio bem mais consistente e transparente do que a aquisição dos Scorpenes franceses (pelas críticas que li aqui mesmo no PN…)!
    Mas, voltando ao tópico principal: algum dos amigos saberia dizer se é normal a USAF participar de exercícios navais junto com a USN? (pergunto por conta das aeronaves da USAF que aparecem na ilustração que abre a matéria!)
    abraços!

  15. Carlos Alberto, pois é……li que a Arabia Saudita quer declarar guerra ao Libano. O que houve dessa vez, coitados? Kkk

  16. Juliano Bitencourt 8 de novembro de 2017 at 11:57
    A mensagem é evidente: vocês (marinhas chinesa e norte coreana) não estão à altura de nos enfrentar. Numa eventual guerra, essas marinhas podem acabar no fundo do oceano. Um prejuízo incalculável.

    Pode ser, mas, pergunta se algum PA americano se aproxima da costa chinesa??

  17. A classe Sōryū é uma evolução da classe Oyashio, outro grande submarino:
    .
    A diferença mais visível entre as classes é o leme.

  18. Os japoneses entraram na briga pelo PROSUPER…
    .
    O problema é quando o programa vai sair e a falta de um Estaleiro japoneses na concorrência das Tamandaré… Chances de ter um japonês na MB cada vez menores.

  19. Marcelo Andrade 8 de novembro de 2017 at 16:59
    Neste caso seria guerra total. Um dos 18 submarinos nucleares classe Ohio entraria em ação, e seria o fim do hemisfério norte. Quem possuir os melhores escudos anti-balisticos e os melhores e mais numerosos mísseis nucleares e vetores, sai menos destruído. Creio que da China só restariam as atuais cidades fantamas da mega bolha imobiliária.

  20. André, obrigado….é, faz sentido. Uma pena.

    Bardini, meu sonho de consumo são os navios de guerra do Japão. Em termos de equilíbrio das linhas, disposição de armamentos….tudo!

  21. Guizmo;
    Não esquecendo !!!
    Estamos com a Corveta Barroso no Líbano !!!
    Ser for oficializada essa comfusao aí (Arabia Saudita e Líbano) os navios da ONU se retiram do local (resolução 1701 da ONU).

  22. Ronaldo de souza gonçalves 7 de novembro de 2017 at 21:57
    EUA ,está numa sinuca se atacar a coreia do norte,não garantirá a proteção da coreia do sul eo japão.
    ———-
    Realmente esse é o problema maior !
    O impacto de uma ação que prejudicasse seriamente a Coreia do Sul seria horrível pros EUA,ainda mais se eles dispararem o primeiro tiro.
    ……………………………
    Ivan 8 de novembro de 2017 at 12:25
    Meio bilhão de toneladas de diplomacia.
    ———-
    O problema é que chegou muito tarde !
    A desgraça do míssil Norte Coreano já passa do Japão !!!
    ……………………………..
    O maior problema nesse momento é que a Coreia do Norte já possui a arma Nuclear.
    ………………………………………………………………………………………………………………………
    Ah, mas Coreia do Norte só fez uns testes !!!
    – Verdade, mas nestes testes ficou claro pra todo mundo que eles conseguem acertar Seul e Tóquio.
    Então, eles não precisam ter um arsenal para destruir o mundo 10 vezes.
    Basta conseguir acertar Seul que está a 50km da zona desmilitarizada e pronto ! O estrago está feito !!!
    O ultimo teste foi muito mais forte que o de 2016. Calculasse em quase 10x mais potência no “terremoto artificial” .

    Ah, mas os EUA tem o THAAD !!!
    – Verdade, mas alguém aqui pode cravar que ele vai ser 100% eficiente ???
    Alguém aqui pode afirmar que vai ser um caso de dispare e esqueça ???
    …………………………………………………………………………………………………………………………………………….
    O Trump vai penar muito pra superar essa disputa. Se conseguir superar.
    Hoje mesmo, ele seguiu com a retórica do “vamos atacar!”, mas depois falou em “vamos negociar!”.
    Uma coisa é vc ameaçar alguém que possui um arsenal convencional.
    Outra é ameaçar alguém que possui um artefato nuclear.
    Se uma arma dessas explodir no mar a 1km de distância de um desses porta aviões com 10 ktons (que é o valor que se imagina ser a potencia do artefato norte coreano e o número mais aceito entre os especialistas) já da um baita problema pra frota toda que acompanhar aquele porta aviões.

    Será que o “Cachorro Louco”; “Velho Gagá” vai desafiar o “Gordinho Maluco” ???

    Alguém já tinha um presidente americano ser chamado de cachorro ???
    “Se Trump achava que nos surpreenderia com um latido de cachorro, ele estava claramente sonhando”
    Eu não lembro.

  23. André…
    .
    você é bom observador…é isso mesmo a USAF e a US Navy costumam operar em conjunto e o exercício envolveu até mais
    unidades do que mostradas na foto que não foi de um “RIMPAC” e sim de um “Valiant Shield” como especificado na legenda
    e o que me chamou atenção na época além de 3 NAes foi que um dos 2 SSNs mostrados na foto, o USS Hampton estava
    sendo transferido do Atlântico para o Pacífico…foi o primeiro SSN do Atlântico a reforçar a frota do Pacífico.
    .
    Os 3 NAes agora irão operar juntos por uns poucos dias, um valioso aprendizado e então cada um seguirá seu curso…o “Nimitz” dentro de poucos meses irá para uma doca seca só retornando ao mar em 2019…o “Reagan” retornará à Yokosuka para uns 4 meses de manutenção que
    irão prepara-lo para sua próxima patrulha de verão, aliás ele esteve recentemente visitando Hong Kong com permissão chinesa
    e o “Roosevelt” seguirá para o Golfo Pérsico…então ao contrário de dezembro do ano passado quando nenhum NAe estava no mar em missão o que gerou críticas infantis…o “Roosevelt” estará na linha de frente.
    .
    Quanto a chamar o “Trump” de “cachorro”…o presidente filipino chamou Obama de coisa pior…e é assim, não passa de retórica
    vazia…os EUA não irão atacar a Coreia do Norte, mas, fica à mensagem que não vale a pena a Coreia do Norte atacar os aliados dos
    EUA e o “gordinho” não é suicida, ele apenas quer garantir-se no poder , azar da população que na sua imensa maioria continuará
    passando fome.

  24. Juliano…
    .
    dos 18 classe “Ohio” 4 foram convertidos para SSGN ou seja não transportam mais mísseis balísticos intercontinentais , apenas
    “Tomahawks” com ogivas convencionais e quantos aos “Zumwalts” nenhum dos 3 está em serviço…o líder da classe foi comissionado
    incompleto e só em 2019 estará devidamente certificado para missão e o terceiro nem foi lançado ainda.

  25. Juliano…
    .
    não esperaria muito do “Zumwalt” …não a curto prazo. Apenas 3 serão construídos e isso significará quando muito, um em missão,
    um em treinamento e um em manutenção, ao menos enquanto forem “jovens” e todos os 3 serão baseados em um único lugar, San Diego.
    .
    Apesar de serem impressionantes deslocando cerca de 15000 toneladas quando completamente carregados, possuem “apenas” 80
    silos verticais de mísseis, contra 122 de um “Ticonderoga” e entre 90 e 96 de um “Burke” dependendo da variante e mesmo não
    acreditando que haja míssil suficiente para preencher todos aqueles 122 silos, o fato é que um “Ticonderoga” é menor que um “Zumwalt”.
    .
    Tão importante quanto o número é o tipo de míssil embarcado e mais da metade dos silos no “Zumwalt” conterão mísseis “Tomahawks ”
    para ataque terrestre, ou seja, não serão navios tão flexíveis e não há munição suficiente para os dois “grandes ” canhões devido ao alto
    preço, há necessidade de se encontrar uma mais barata e consequentemente não tão eficiente e os 2 canhões de 57 mm originalmente
    planejados darão espaço para 2 de 30 mm.
    .
    Um grande convés de voo facilitará as operações aéreas, mas, não haverá aumento no número de helicópteros orgânicos, serão 2 tripulados ou
    provavelmente um tripulado e um ou dois não tripulados.
    .
    Não foi possível cancelar a terceira unidade, não era mais viável faze-lo, de qualquer forma a US Navy irá encontrar “trabalho” para eles,
    mas, também serão navios “experimentais” e o que for absorvido deles, poderá ser utilizado em futuros combatentes de superfície, barateando
    custos futuros e há mesmo a possibilidade que eles venham a embarcar novas armas, como o “rail gun”ou “lasers” que exigem grande geração de energia…mas…isso levará algum tempo.
    .
    O negócio por enquanto é continuar com os “chatíssimos” “Burkes”…64 deles já comissionados e mais um que deverá ser entregue antes de
    31 de dezembro e quando o terceiro e último “Zumwalt” for entregue se terá ao menos 70 “Burkes”.
    .
    abs

  26. Se fosse acontecer mesmo um ataque americano a Coréia do Norte com certeza a China invadiria a partir da sua fronteira “para fins humanitários” e para dar a um fim no “banho de sangue”, o “gordinho” sumiria no mapa, abrigado pela própria China, saldo de alguns milhões de mortos e desabrigados dos dois lados, economia da Coreia do Sul destruída, EUA “P. da cara” pela intervenção chinesa, China grande e feliz vencedora da Guerra.

  27. Agora se os Americanos simplesmente deixassem o local, largariam a “batata quente” diretamente nas mãos da China.

  28. Prezado Dalton, obrigado pela explanação. As Ticonderogas e Arleigh Burke são mesmo muito boas, e mantem respeito do mundo perante o Xheriff dos 7 mares. As futuras atualizações/evoluções daquelas certamente beberão na fonte dos dados e tecnologias testados nas Zumwalt. Além de que as Zumwalt vão, nas décadas de serviço, maturar e direcionar o desenvolvimento e evolução das tecnologias embarcadas. Ou seja, não vai ser neste século que os Yankees serão alcançados. Até porque já sabemos que a China está à beira de uma explosão de mega bolha imobiliária, com dívida monstruosa(deve repetir o Japão e passar boas décadas estagnada). Que venha o próximo sparring ( Depois de Império Britânico, Império Alemão, III Reich-Itália, Japão Imperial, União Soviética, Japão superpotência econômica, Islã, China Comunista. India?).

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here