Home Marinhas de Guerra ARA San Juan: houve uma explosão no submarino

ARA San Juan: houve uma explosão no submarino

9380
86
ARA San Juan

O porta-voz da Armada Argentina Enrico Balbi comunicou há pouco em coletiva de imprensa que a Áustria informou que também captou uma anomalia pelos sensores sísmicos e hidroacústicos de monitoramento para controle de testes nucleares.

Essa anomalia corresponde a uma explosão não nuclear, coincidindo com a anomalia detectada e informada pelos EUA, ocorrida no dia 15 de novembro. A informação foi confirmada também por agências de outros países.

Balbi disse que os austríacos “registraram um evento anômalo, singular, curto, violento e não nuclear consistente com uma explosão” em suas estações sísmicas. Ele disse também que ainda se desconhecem as causas.

“Seguimos buscando. Vamos continuar com o esforço de busca ao submarino San Juan”, disse Balbi.

“Foi uma explosão, eles estão todos mortos. Eles mataram meu irmão”, gritou um dos parentes quando soube da notícia da última coletiva de imprensa sobre a busca ao submarino.

Com a coincidência das informações dos EUA e da Áustria, uma explosão a bordo seria o evento mais provável, mas só poderá ser confirmada de fato quando o submarino for descoberto.

Nota: houve erro na colocação de aspas no título quando da publicação desta notícia, já corrigido.

86 COMMENTS

  1. ‘houve uma explosão no submarino’
    Balbi não disse isto.
    Balbi disse que: “hubo un evento anómalo, singular, corto, violento y no nuclear, consistente con una explosión.” E completou: “”No sabemos la causa que produjo en ese lugar, en esa fecha, un evento de estas características”
    Ou seja, quem está dizendo que houve uma explosão no submarino é este site.
    Em momento algum alguém disse que ‘houve uma explosão no submarino’

  2. Triste noticia. Agora e’ continuar as buscas e fazer o maximo possivel para encontrar o que foi possivel, principalmente em respeito as familias dos tripulantes.

    So’ acho que uma informacao como essa ja deveria ser de conhecimento da marinha ja nas primeiras horas de avaliacao.

  3. Problemas nas baterias? Isto não provocaria uma explosão….assim entendo.
    Agora um torpedo explodir por problemas nas células de energia….pouco provável.
    Agora se foi uma explosão…ficou MT difícil a situação.

  4. Para uma explosão ser detectada à longa distância por sismógrafos, ela não precisa ter uma determinada potência mínima? É possível que um acidente dentro e um submarino detone as ogivas de todo o estoque de torpedos e armamentos, que cause tamanho impacto?

    Perguntas de um leigo…

  5. Senhores, acabou. É isso. Agora, se houver interesse e parece que há, as equipes de busca e resgate submarino dos EEUU e tvz da Rússia que segundo consta estão a caminho, podem usar seus equipamentos de alta tecnologia e mergulho profundo para identificar possíveis destroços. Tão somente como desoneração de consciência da Armada Argentina em face dos familiares.

    RIP, San Juan.

  6. Gente, vendo a tela que está de fundo na reportagem dá pra ter uma noção da diferença de profundidade entre o Talud e fossa oceânica. Meu, que abismo! Torçamos pra que ees estejam no talud mesmo.

  7. Explosão dessa magnitude, nem precisa ser expert, e ainda a juíza que acompanha a investigação dizer que pode haver informações classificadas como segredo de estado, e ainda outra que haviam mergulhadores de combate a bordo. Esse submarino foi atacado.

  8. Os canais sobre Conspiração, já começaram a divulgar que o submarino pode ter sido alvejado, talvez, até por “engano,” por norte-coreanos, russos, chineses ou até mesmo britânicos.

  9. Ao dar uma olhada nas características da classe 209, li que não há divisões internas, o que favorece a furtividade mas torna a classe mais vulnerável a avarias, confere ?

  10. O curto das baterias, se gerou o arco voltaico como dito num comentário na outra postagem nao poderia explodir as munições a bordo?

  11. Gente, teoria por teoria, vamos inventar que o submarino, ao se ver em emergência, mudou de rota pra se aproximar da costa e bateu numa outra embarcação (o que explicaria a balsa encontrada) e que ambas embarcações afundaram. Seria mais plausível do que um torpedo inglês.
    Inventar historias é fácil mas na verdade, quem sabe ao certo que aconteceu está no fundo do mar encerrado num cilindro metálico esperando o resgate então, vamos torcer que no fim das contas, é bem melhor do que ficar inventando historias de torpedos.

  12. Houve um erro na colocação de aspas no título, já foi corrigido.
    Daqui a pouco vai sair matéria nova sobre a explosão.

  13. Concordo Ferreira!
    Se foi atacado esse Sub, foi atingido com o que!?!?
    Pra ter uma explosão forte a intenção é de que não sobre quase nada!
    E se esse Sub desceu pro abismo foi proposital por parte de quem atacou!
    Sei também que estou conjecturando aqui!

  14. A pergunta principal no momento é:
    O que vão procurar agora ?
    Em que estado estará o que sobrou ?
    Haveria alguma possibilidade de alguém ter sobrevivido ?
    Pelo tempo decorrido (da explosão) já poderia ter emergido algum destroço ?
    Segundo o relato oficial desta anomalia hidroacústica, foi um barulho
    equivalente a explosão nuclear (conforme texto acima), dai concluímos
    que foi uma tremenda tragédia ocorrida com o Submarino, junto com toda sua tripulação.
    Só resta orar pelas famílias dessa tripulação de 44 pessoas, pela perda de seus maridos, filhos e parentes.
    SJ

  15. Pergunto aos especialistas… Em caso de desintegração do San Juan, as balsas estariam livres podendo vir à superfície?

  16. Gente, uma pergunta de leigo:
    As aeronaves civís que fazem a rota coincidente com o raio de buscas do ARA SJ, podem eventualmente, ajudar visualmente nas buscas?
    Pergunto pq há voos regulares de Buenos Aires para Ushuaia e vice-versa…

    ps: nesse momento há um C130 no FR24 ao sul de Comodoro Rivadavia.

  17. Essa é a informação mais concreta que há. A informação da Áustria bate com a informação dos americanos. Acabou de sair uma matéria na Globo com entrevistas feita com o Cmte do Maximiniano. A matéria é do Ary Peixoto que diga-se de passagem foi oficial da marinha mercante por muitos anos antes de se tornar repórter. Como disse em outro post, provavelmente as coisas acontecerem numa sequência muito rápida. Infelizmente. Sds.

  18. Creio eu que, na verdade já se sabe o que ocorreu desde quarta feira dia 15, estão apenas tentando encontrar uma forma de ir a publico sem gerar um conflito interno e talvez ate entre algumas nações, não justifica terem detectado anomalias, contato de radio-satélite e etc etc e não se saber nada.

  19. Aproveitando o gancho

    Será que os norte coreanos vieram testar um explosivo nuclear aqui pela área? E o submarino argentino foi alvejado propositalmente?

  20. Senhores, vamos maneirar nas teorias da conspiração. Coreia do Norte, armamento nuclear no submarino (que pra todos os efeitos não existe e o relatório fala de explosão NÃO NUCLEAR), isso chega a doer os olhos na hora de ler.
    Um pouco mais de realismo, por favor.

  21. É por aí, Luiz Guilherme. E porque a organização que reportou o som da explosão visa monitorar testes nucleares, já tem gente botando arma nuclear no submarino, teste da Coreia do Norte… tristeza. Gente, LEIAM e reflitam antes de soltar abobrinha nos comentários, por favor.

  22. Interpretação de texto mandou um abraço. Se a pessoa não consegue nem mesmo ler corretamente poderia se abster de comentar.

  23. @Guizmo
    A ultima informação dele no MT é do dia 21/11, estava próximo a costa de Florianópolis

    —————–

    Tenho acompanhado no flight radar 24 um movimento de saída de aeronaves militares estrangeiras, dos aeroportos e bases próximos aos locais de busca, rumo aos seus países de origem, alguem com maior conhecimento poderia verificar isso.
    Seria um sinal ?

  24. Apenas colaborar um pouco mais para compreensão dos colegas e evitarmos as “viagens” de teorias de conspiração, bombas nucleares coreanas, torpedos britânicos ou similares. A interpretação dos registros dos sensores que detectam explosões nucleares é muito rápida, pois obedecem a um padrão específico, porém, quem os interpreta deve, obrigatoriamente (para não incorrer em conclusões erradas e de graves consequências) filtrar todos os registros e classifica-los (vale lembrar que terremotos ocorrem todos os dias e às centenas pelo planeta), segundo as prováveis origens o ou mesmo a eliminação de registros falsos causados interferências por varios fatores (climáticos, físicos, químicos). Tudo isso para concluir que os resultados finais, quando descartados os terremotos, as explosões nucleares e fatores já conhecidos, não são de um dia para outro, razão pela qual essa informação chegou apenas hoje de um evento que ocorreu ha 8 dias, o que convenhamos não é nenhum assombro, dada as circunstâncias.
    Não é como nos filmes de Hollywood que o cara levanta da cama de madrugada, olha no seu notebook e conclui de imediato que foi um explosão.

  25. luiz antonio 23 de novembro de 2017 at 13:41
    Exato. Até porque num caso como este, há que se tratar com a devida precaução pois há vidas envolvidas e entes queridos em casa aguardando notícias dos seus. Caso se confirme a explosão do ARA San Juan isso não é justificativa para ter a certeza absoluta de que ele foi atacado.

    Ademais o ARA San Juan estava em um exercício de vigilância na zona econômica exclusiva marítima argentina, a cerca de 400 km de Puerto Madryn, na Patagônia. Se foi atacado, obviamente haveria invasão da soberania marítima argentina.

  26. As ilhas Malvinas fica à apenas 464Km do litoral argentino, à 500Km da Patagônia Argentina. Pq esse submarino chegou tão perto á 60Nm da ilha, se o destino final era a base naval de Mar del Plata??…Não creio que o submarino caiu no abismo, pelo último contato de sua posição, deve estar entre 200 ~ 300m de profundidade. A profundidade aumenta à partir do nível do mar, para 1000m de profundidade á partir dos 500Km longe da costa. Agora, se houve explosão, a coisa ficou feia.

    https://d37iydjzbdkvr9.cloudfront.net/arquivos/2017/11/22/submarino-completo-desk.png

  27. Olha, se a explosão ocorreu dentro do submarino, não é necessário nada excepcionalmente forte para causar seu afundamento. O Kursk, que era um sub muito mais resistente do que o San Juan, com casco duplo e tal, afundou por conta da explosão de um único torpedo, e segundo dizem, o mesmo ocorreu com o USS Scorpion. O MK37 que o USS Scorpion levava tinha 330 libras de explosivo, o que fazendo um conta bem pouco dá uns 150 kilos de explosivo.

    Igualmente, uma explosão não precisa ser particularmente forte para ser detectada por sismógrafos modernos. Existe uma tabela de equivalência energética entre explosão de TNT / Escala Richter

    Por exemplo, 63 libras de TNT (30 kg) = 2.5 Richter, que qualquer sismógrafo é capaz de captar.

  28. luiz antonio 23 de novembro de 2017 at 13:48
    A unica aeronave militar que consegui ver no FL24 é um C-130 que decolou de Comodoro para o norte.
    ——-
    Sim, to de olho nele vendo se é um dos nossos, e antes dele, um KC2 da RAF decolou de Comodoro rumo a Montevidéu.

  29. Editores, tomem alguma medida contra os comentários desses conspiracionistas e analfabetos funcionais porque se deixar eles ganham força que nem os terraplanistas…

  30. No Flightradar não há nenhuma aeronave “retornando ao seu país”. Um KC inglês saiu de Comodoro Rivadavia pela manhã e se foi, não estava relacionado às buscas.

    Outra coisa: determinadas teorias conspiratórias podem até ser engraçadas para os brincalhões que as postam mas, ao menos para este que escreve, são um imenso desrespeito aos argentinos e a situação, afinal 44 vidas estão em jogo.

    Indo mais além, há de ser um tanto ingênuo e infantil (ou passar recibo) imaginar que o rastreamento de uma explosão como essa vá pular do app instalado no celular quântico de um super cientista europeu em segundos. O Poder Naval está repleto de excelentes textos, longas discussões e conclusões esclarecedoras sobre estes tristes fatos e eles são fonte de leitura obrigatória.

    Portanto, mais estudo, menos chutes.

    Abraços!

  31. SmokingSnake 🐍 23 de novembro de 2017 at 13:57
    Concordo. O pessoal precisa ter mais senso de realidade e se ater aos fatos. Mas tenha paciência, pois ainda não apareceram os que iriam sugerir a possibilidade de vingança de E.T.’s.

  32. Acho que o mapa ficou incompleto:

    Distância de Puerto Madryn até a área de busca: 301Km
    última posição conhecida: 432Km da Costa
    área total de busca: 482.507Km²
    Distância da costa: de 0~700Km à partir do nível do mar ( último ponto escuro), a profundidade chega á 5000m Escala: 0_______100Km

  33. “seal 23 de novembro de 2017 at 13:50
    As ilhas Malvinas fica à apenas 464Km do litoral argentino, à 500Km da Patagônia Argentina. Pq esse submarino chegou tão perto á 60Nm da ilha, se o destino final era a base naval de Mar del Plata??”
    .
    O submarino partiu de Ushuaia, segundo informes da ARA. E as missões de navios de guerra impõem rotas que não são diretas, como as de navios mercantes e de cruzeiro. Nada de muito anormal que um meio da ARA estivesse navegando no limite da Zona Econômica Exclusiva de seu país, por qualquer motivo que seja.

  34. Um breve resumo do que foi perguntando:
    O que vão procurar agora ? Vão continuar a procurar o submarino.
    Em que estado estará o que sobrou ? Só Deus sabe, mas tem que encontrar ele primeiro (se isto for possível)
    Haveria alguma possibilidade de alguém ter sobrevivido ? Em tese sim, improvável MAS uma coisa é reserva para 38-44, outra bem diferente é para 10 ou 12 sobreviventes.
    Pelo tempo decorrido (da explosão) já poderia ter emergido algum destroço ? Sim
    Segundo o relato oficial desta anomalia hidroacústica, foi um barulho equivalente a explosão nuclear.. Não, não foi nuclear, isto está no texto.
    Bateria explode ? Sim
    Foram os torpedos que explodiram? Pode ser que sim, mas a teoria corrente é que entrou água no sistema pelo snorkel, a priori a teoria da bateria está mais condizente
    Foram torpedeados? Se a Argentina não está acusando a Inglaterra é porque isto não está sendo analisado. Se estamos falando em teorias malucas, porque não sabotagem?
    Explosão por acidente do torpedo? Possível mas improvável, pois quando é que isto aconteceu na história, torpedos explodindo por acidente? Um torpedo precisa que o detornador esteja armado para estar “vivo”.
    Acidente por acidente acredito mais em explosão dos combustíveis.
    Uma anomalia sentida na Austrália!?!!? Não, não foi na Austrália e sim foi calculado em um centro na Austria. Devem (pois não conheço) existir sensores esplhados no mundo inteiro para checar testes nucleares, com 3 sensores vc consegue tranquilamentente descobrir a região.
    Vasos de guerra tem controle de avarias superdimensionadas se comparada a navios civis (por isto estes ultimos são mais baratos).
    Arco voltaico explodir? Tem alguém que consegue responder, o meu chute é que não. Imagino que possa dar ignição ao combustivel.
    Em caso de desintegração do San Juan, as balsas estariam livres podendo vir à superfície? Não sei, mas a priori sim, agora dependendo da profundidade a coisa pode complicar. Até o momento não existe comprovação que o submarino explodiu, a teoria corrente é que houve uma explosão que pode ter ficando confinado dentro do submarino, de repente um posterior incendio pode ter selado o destino do submarino.
    As aeronaves civís que fazem a rota coincidente com o raio de buscas do ARA SJ, podem eventualmente, ajudar visualmente nas buscas? Claro, mas existe gente treinada fazendo isto e não acharam nada ate agora.
    Será que os norte coreanos vieram testar um explosivo nuclear aqui pela área? E o submarino argentino foi alvejado propositalmente? Não e não. Não tem sentido eles navegarem meio mundo, mais fácil explodir em terra, já que eles tem experdisse nisto. E para que os Norte Coreanos iriam afundar um navio Argentino?
    Felinto Perry? Neste momento deve continuar onde está, assim como os aviões da FAB. Se a Argentina dispensar a ajuda, todos voltam.
    Normalmente as coisas são mais simples que imaginamos. Chutando não foi um evento único que afundou o submarino e sim um conjunto de vários eventos.
    Não acredito que o submarino esteja parcialmente submerso ou em cota de periscópio mas não está conseguindo se comunicar. Seria uma otina noticia mas já teria sido encontrado.

  35. Marcos 23 de novembro de 2017 at 13:12
    “Será que os norte coreanos vieram testar um explosivo nuclear aqui pela área? E o submarino argentino foi alvejado propositalmente?”

    Eu já li coisas engraçadas e delírios extremos neste portal, muitos por sinal, mas acho que esse bate todos os recordes . Aos editores, retirem isso na TL, pega mal pra caramba pro site.

  36. Alex, a opinião é livre, não apagamos comentários por motivos de opinião, mas sim nos casos de conduta não apropriada (xingamentos, uso do espaço como palanque, entre outros motivos).

    Por exemplo, poderíamos ter apagado um comentário de alguns dias atrás em que você dizia que a notícia das balsas encontradas era uma barrigada do site, acusando a gente de fazer fake news, só porque não tinha visto ainda em nenhum outro lugar. Mas não apagamos.

    Então deixa a gente decidir o que “pega mal” ou não pro site, ok?

  37. To assistindo ao canal de tv argentino agora ao vivo e ainda não colocaram o mini submarino no navio ainda …ao não ser que tem mais de 1.

  38. Mas que essa dos NC vai entrar para a história isso vai! Só esta faltando alguém dizer que o sub pode ter sido abduzido!

    No mais que Deus ilumine esta 44 almas!

  39. A trilogia vai partir para censura de comentários em nome de veracidade de discussão ? Creio que não… mas que o assunto está ficando estranho, isto está…

  40. Para o equilibrio geral de todos, minha sugestão é que sejam postados comentarios baseados em fatos daqui por diante. Entendo que todas as opiniões ja foram manifestadas, tornando-o o espaço repetitivo a cansativo. Vamos aguardar noticias que mereçam analises e deixar os “achismos” na gaveta.

  41. Fernando “Nunão” De Martini 23 de novembro de 2017 at 14:59
    “poderíamos ter apagado um comentário de alguns dias atrás em que você dizia que a notícia das balsas encontradas era uma barrigada do site, acusando a gente de fazer fake news, só porque não tinha visto ainda em nenhum outro lugar. Mas não apagamos.”

    Nunão, se vai repetir o que eu escrevi, pelo menos repita direito. Eu não disse que era uma barrigada, eu disse exatamente o que está abaixo entre aspas:

    “Parece que infelizmente a fonte do Poder Naval era furada, até agora absolutamente nada sobre isso em qualquer lugar. Uma noticia assim seria manchete por toda mídia mundial. Uma barriga. A unica possibilidade disso ainda não ser fake news é que a marinha ainda ia investigar as tais balsas e só soltasse a noticia para a imprensa depois dessa verificação, que ainda não tenha sendo feita. Mas está com jeito de ser uma grande barriga.

    E depois completei, reconhecendo, mesmo que a nota não fosse exata:
    “A noticia do Naval está confirmada, a fonte era boa, mas as balsas não são do San Juan infelizmente.”

    Ok?

  42. Nunão, no proprio comentário, eu cantei a bola:

    “A unica possibilidade disso ainda não ser fake news é que a marinha ainda ia investigar as tais balsas e só soltasse a noticia para a imprensa depois dessa verificação, que ainda não tenha sendo feita.”

    Exatamente o que aconteceu e eu reconheci.

    Ok?

    Norte-coreanos afundando o San Juan com um explosivo nuclear ultrapassa tudo rs

  43. Moçada, alguem bombardeou o Kursk? Não….mas o torpedo explodiu….mesmo assim. Franceses e Americanos tambem já perderam submarinos e sem teoria da conspiração…
    .
    Já teve até colega que que de forma excelente, demonstrou a conversão de carga TNT para escala Richter….
    .
    Nada surpreendente até o momento, e devem se ater a sequencia que ate agora não mudou.
    a) relatorio do Capitão do SSK dando conta do problema de entrada de agua;
    b) Problemas no sistema de comunicação ( falhas e tentativas)
    c) Parada total de comunicação
    d) “explodiu”
    Onde entra uma agressão de alguem ao SSK ai?
    .
    Tal como na aviação, deve ter ocorrido uma sequencia catastrofica de eventos.

  44. Ok Alex, vou fazer de conta que um comentário falando de fake news, furada, barriga (só barriga você escreveu duas vezes), só pelo fato de trazer algumas condicionantes colocadas aqui e ali (“parece que”, “com jeito de” etc) não tenha motivação justamente de insinuar que o site estaria fazendo fake news, furada e barriga.

    E você pode fazer de conta que não entendeu o recado também, sem problemas.

  45. Fernando “Nunão” De Martini

    De Martini, você está com uma calma de Jó véio,

    eu não tenho essa sua paciência, PARABÉNS !

    RIP San Juan.

  46. Eu concordo com o “luiz antonio 23 de novembro de 2017 at 15:23”

    Sou 100% leiga.. praticamente leio e observo este cenário, digo o próprio PN, em que percebo várias pessoas com expressivo domínio de conhecimento acerca do q postam e comentam. Portanto, a moderação nas teorias mirabolantes, sem nenhuma propriedade ou com expressiva robustez do nada, poderia sim imperar por aqui.

    O site até então mostrou ter boas fontes, e não vi nenhuma publicação que não tenha relação com o que em momento posterior, foi confirmado em outras mídias e pelas próprias autoridades responsáveis pela busca do SJ.

    Foco no que interessa pessoal!

  47. Quero me ater a alguns pequenos detalhes.

    – a esposa e irmã de tripulantes, quando em entrevistada (ver vídeo supra), fala que disseram que o sub estaria a 3.000m. Fora a natural reação passional dos familiares uma coisa é equânime entre os mesmos: todos apontam queixas da tripulação sobre o (mau) estado do sub.

    – è possível notar – e isto pode parecer detalhe ridículo mas não é – alguns desleixos na aparência da base naval argentina. O que vi parece impensável em um quartel brasileiro. Não que isto anele – obrigatoriamente – o manutenir correto de equipamentos e meios, Porém, em casa bagunçada…

    – Destarte poucas FFAA da AL estejam em boas condições, melhor fazer o mínimo que tentar arriscar material humano, precioso, e de elevado custo e tempo de formação, alem de meios que sabe-se não se poderá repor tão cedo.

    – Toda FFAA treina com hipóteses, algumas impensáveis mas não impossíveis de ocorrer na prática. Por improváveis, podem ser sensíveis ao público e a outras nações, quer estas sejam amigas ou não.

    – De qualquer modo, debalde o infeliz mas já anunciado desfecho, surpreendeu-me, e isto ocorre novamente com a resposta da FAA argentina no conflito Falklands, com o emprego rápido de inúmeros meios em tão pouco tempo. Isto parece um contrasenso com o dito acima. Porém, fica até mais em realce, posto não se saber como estão esses meios mesmo fazendo algumas ilações.
    Aliás, empregar meios com rapidez e quantidade, como faz os EUA, e em qualquer parte do globo, parece fácil para aquela rica potência. Mas não é. Depende de muita organização, treinamento e mais treinamento, excelente manutenção e prontidão e, last but not least, muito, mas muito mesmo… dinheiro.
    De qualquer feito, fazer o que os nossos hermanos fizeram, e estão fazendo, chega a emocionar pela bravura e espírito de se lançar aos camaradas com tamanha ousadia e desapego. Isto, levando-se em consideração a penúria em que estão vivendo suas FFAA, serve a todos de exemplo.
    Por isto, até entendo a frustração de muitos ao assistir nosso velho guerreiro, NSS Felinto Perry, navegar quase à vela em direção à missão. Contudo, mais frustrados devem estar aqueles bravos da tripulação que – com absoluta certeza – queriam estar lá na faina da ajuda com todos os outros. É encorador ver a guerreira solidariedade e apego ao dever da missão desses marinheiros do Perry. Bravo Zulu a eles.

    No mais, serve mesmo este triste episódio para reflexão (e como sempre fazem os militares servirá até para educação de pessoal), além de pesar às mãos na prudência de emprego dos seus parcos meios e valioso material humano de um lado. Bem como, empedernir-se mais nas exigências ao stablishment político civil para – ao menos – manter um status operável, com segurança, de duas décadas atrás (e aqui falo do nosso país). Pois ainda levará um bom tempo para entrada de Gripens, classe Riachuelo etc em plenamente operando.

  48. Não, Marcelo Andrade. Não diga isso nem por brincadeira. Comentários do G1 são o fundo do poço. Menos, bem menos.

  49. A se confirmar o naufrágio nessa profundidade (3.000m), qual a viabilidade técnica em içar o navio?

    O Kursk, muito mais pesado, estava a cerca de 118m. Mas, fazer vir à tona mais de 2.000t a 3.000m será uma tarefa hercúlea, senão impossível, fora os custos tremendos.
    Navios especializados, em serviço para a Petrobrás, são capazes de “plantar” elevados pesos em grandes profundidades, mas içá-los é outra coisa.

  50. Pois é Humberto, e obrigado pelo conteste, por isto argui sobre a viabilidade técnica, porque sendo dinheiro mais cedo ou mais tarde supera-se o óbice da primeira.

  51. Baterias explodem sim e as explosões podem ser violentas. Faça o teste o coloque uma pilha alcalina na lareira. Agora, imaginem duas salas inteiras cheias de baterias e uma cheia de torpedos e minas. Não posso afirmar com certeza, porem acredito que lí em algum lugar que as vezes ocorrem reações quimicas na sala das baterias, talvez pela presença de agua salgada, onde há um acumulo de hidrogenio puro. Basta uma pequena faisca…

  52. No gráfico, apresentado pelo pelo instituto americano, mostra duas explosões e talvez um “espasmo” de uma terceira. Sendo a primeira de maior pico, seguida da segunda em valor no gráfico.
    Tal qual os EUA, penso que os russos também tem espalhados sensores em todos os mares. Sem dizer dos anelos a vigilância sísmica e de sons de detonações nucleares (o laboratório da Áustria seria de uma agência internacional para isto).
    Daí, talvez, os russos tenham oferecido ajuda. Podem ter cruzado informações e concluído o fatal óbvio.

  53. Um pergunta de um leigo: essa anomalia detectada poderia ser resultado do impacto do ARA San Juan com o leito do oceano?

  54. Não pretendo polemizar mais ainda, mas acusarem os ingleses de terem afundado o ARA San Juan é uma atitude abjeta e repugnante, pois tão logo puderam, os ingleses enviaram alguns meios para auxiliar na busca, a despeito da rivalidade com os argentinos devido à disputa das Falklands.

    No mais, ainda que o submarino tenha de fato explodido, acho importante que o Perry siga rumo à área de operações para prestar a assistência que puder, se for necessário. O trabalho da MB e da FAB tem sido impecável e extremamente profissional, e por isso não consigo deixar de sentir orgulho, apesar de eu ter não contribuído em absolutamente nada no assunto.

    Por fim, tenho acompanhado todo o desenrolar deste infeliz incidente pelo PN, e queria parabenizá-los por uma cobertura precisa e respeitosa.

    Daglian

  55. Perfeito Daglian, concordo integralmente com você.
    Me Incluo também aos elogios ao Poder Naval.
    Aqui me nutri de informações durante esses dias. Eu, como “analfabeto funcional”, nesse específico tema naval e noutros adidos às outras FFAA, senti-me em casa. A forma equilibrada, humilde e educada ao compartilharem conhecimento, daqueles que detém conhecimento e expertise, somada à solidária paciência quanto aos novos – e néscios – foristas como eu me deixaram a vontade.
    Basta ver, passei todos esses dias apenas lendo sem arriscar-me postar algo.

    Porém, ao fazer fiz com confiança de estar em meio civilizado. É um forum aberto a todos – não só a especialistas e profissionais do ramo. Mas pior seria esbarrar com prima donas. Graças a D’us só li informação dos que sabem e sadia curiosidade em aprender dos demais.

    O Poder Naval, e seus foruns por reverbero, são escolas que ajudam a instruir e prover conhecimento a quem não os possui. Tudo provido pelos pacientes docentes que aqui transitam. Vocês deram um banho de interação de informação.

  56. Jubelum,
    Na verdade, estes dois gráficos referem-se a uma única explosão. Quando ocorre uma explosão submarina, forma-se uma bolha de gás em alta temperatura e pressão, e que se expande rapidamente. No entanto a velocidade de expansão do gás vai diminuindo, assim como a temperatura e a pressão, e a bolha perde o momento. E aí começa um movimento inverso, de contração da bolha de gás, que ao ser comprimida reganha temperatura e pressão e, ao chegar ao máximo da compressão “explode” de novo. O video abaixo mostra como isso ocorre

  57. Jacinto Fernandes. obrigado pelas explicações e pelo vídeo (muito instrutivo).

    Os efeitos seguidos a primeira explosão lembram os movimentos cardíacos da sístole e da diástole, ora explodindo (expandindo/soprando/empurrando), ora contraindo e sugando à volta. Tudo até findar por ser suplantado pela maior oposição do meio externo.

    Faço aqui uma aventura ao pensar: creio ter sido esses estudos, e obervações das explosões em relação a física dos fluidos, que robusteceram pesquisa e desenvolvimento dos torpedos ADCAP norte-americanos.

    De todo, mostra que o submarino sempre terá dois lados, antagônicos, um Dr. Jekyll and Mr. Hyde na mesma belonave convivem. Enfim, a mais letal arma marítima. Porém, aquela menos infensa aos fenômenos do meio e perigosa a si mesmo por sua própria concepção.

  58. Bom dia, a todos . Precisam continuar com as buscas. Enquanto à fé à esperança. Estou aqui em minha casa acompanhando todos os dias os noticiários, desde o ocorrido . Estou muita triste com essa situação. Mas, precisamos saber se eles estão vivos ou o que realmente aconteceu. Eu confio em milagres e Deus há de ajudar.Só peço que não parem por aí.A vida do ser humano é muito importante para todos nós.Temos que saber a finalidade desda história tão triste que abalou não só o meu coração, mas de todo o mundo.Estarei aguardando ansiosamente o desfecho desta triste catástrofe. Ir

  59. Sem querer, jamais, adentrar na discussão política-ideológica mas, essas horas o governo Macri deve estar em uma enrascada sem tamanho.

    Uma busca, com ajuda internacional, deve perdurar mais alguns dias. Porém, logo os holofotes que trouxeram várias potências ao “palco”, afim de reafirmarem seu poder político e militar se dissipará, posto não existe almoço grátis.

    Então, se dará a questão do “quanto”. “Quanto é pra fazer isto?”.
    Como a maioria dos governos latinoamericanos estão na pindaíba ou o governo Macri dá seu jeito ou irá enfrentar um colossal desgaste político.
    Foi culpa dele? Não, diretamente não.

    Contudo, não importa see direita ou esquerda, fatores mesmo de pressão externa confluíram para desaguar no miserê em que se encontram as FFAA de vários países do cone sul. Este acidente é prova disto.

    Continuar as buscas tem um tremendo custo financeiro. Encerrá-las, sem um convincente aporte que à fundamente, terá amazônico prejuízo político a Macri.

    Nós tivemos um exemplo lacerante e sangrento na IIGG. E falo com a máxima isenção, sem macular jamais a coragem dos pracinhas da FEB (mesmo porque meu pai foi integrante do 1º Escalão), mas falta de dinheiro, preparo, além de viver sob cordões dos grandes que nos cercam, produzem efeitos as vezes devastadores. Esse paralelo que faço é alicerçado pelas estórias que meu “velho” contava (o despreparo, a falta de tudo) com essa tragédia. Sobra o heroico elemento humano. Mas, um sacrifício as vezes em vão.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here