Home Aviação Naval Porta-aviões Queen Elizabeth é incorporado à Marinha Real Britânica

Porta-aviões Queen Elizabeth é incorporado à Marinha Real Britânica

17844
44
Vista aérea do comissionamento do HMS Queen Elizabeth em Portsmouth

Sua Majestade a Rainha comissionou o novo porta-aviões do Reino Unido, HMS Queen Elizabeth, para a Royal Navy.

A rainha falou em uma cerimônia na base naval de Portsmouth na manhã de 7 de dezembro, atendida por Sua Alteza Real, a Princesa Anne, o Secretário de Defesa Gavin Williamson, o Chanceler Philip Hammond e os chefes militares.

Em seu papel como patrocinadora do navio, Sua Majestade dirigiu-se aos convidados antes do Comandante do navio, o Capitão Jerry Kyd, ler o mandado de comissão. O icônico White Ensign foi então levantado, simbolizando o comissionamento do futuro capitânia da nação na frota da Marinha Real.

O secretário de Defesa, Gavin Williamson, disse: “Hoje marca o início de um capítulo extremamente significativo para a Royal Navy e, de fato, a nação, enquanto o futuro navio-capitânia é incorporado à frota de Sua Majestade. É uma honra testemunhar o momento de coroação de um ano extraordinariamente movimentado para a Royal Navy que nos viu nomear o segundo porta-aviões, HMS Prince of Wales, cortar aço das primeiras fragatas Type 26 e lançar a Estratégia Nacional de Construção Naval.

“Nosso novo porta-aviões é o epítome do design e da destreza britânicos, no centro de nossos esforços para construir uma Força Armada adequada para o futuro. Durante o próximo meio século, ambas os porta-aviões promoverão nossos interesses em todo o mundo, fornecendo o símbolo mais visível da nossa intenção e compromisso de proteger o Reino Unido da intensificação das ameaças, de onde elas vierem”.

Tendo completado com sucesso sua segunda fase de testes marítimos na costa sul da Inglaterra, o porta-aviões está de volta ao lado de seu porto de Portsmouth. Mais de 10.000 pessoas em todo o Reino Unido contribuíram para a entrega do navio sob a Aircraft Carrier Alliance.

Completando a atividade de construção final e preparando testes para helicópteros no Ano Novo, o HMS Queen Elizabeth se dirigirá aos Estados Unidos para ensaios de voo iniciais ao largo da costa no outono de 2018. Atualmente, existem 150 pessoas em treinamento da Royal Navy e RAF nos EUA nos nossos 13 jatos F-35.

A Rainha Elizabeth esteve presente à cerimônia de incorporação do porta-aviões homônimo

O Reino Unido trabalhou de perto tanto no F-35 como nos programas de porta-aviões com os EUA, nosso parceiro preeminente dentro da OTAN, nos permitindo voar aeronaves nos navios uns dos outros. Ambos os novos porta-aviões do Reino Unido poderão operar junto com a OTAN e aliados da coalizão.

O almirante Sir Philip Jones, First Sea Lord e Chief of Naval Staff, disse: “Ao levantar a White Ensign do HMS Rainha Elizabeth hoje, a Grã-Bretanha confirmou seu lugar entre os grandes poderes marítimos do mundo nos termos mais majestosos e musculares.

“Os porta-aviões da classe Queen Elizabeth se sentarão no coração de uma Marinha Real modernizada e encorajada, capaz de projetar poder e influência no mar, no ar, na terra e no ciberespaço, e oferecendo à nossa nação a escolha militar e política em um mundo incerto.

“Mas a nossa maior força de todas são os jovens marinheiros e fuzileiros sobre cujos ombros descansa a nossa segurança e prosperidade contínuas. Eles estão começando suas carreiras como um novo capítulo que se abre para a Royal Navy – e, como todos aqueles que foram antes deles, eles estão prontos para servir a sua Rainha e País”.

Ambos os novos porta-aviões serão capazes de realizar uma ampla gama de tarefas, desde ajuda humanitária e desastre até a luta contra o terrorismo e a guerra de alto nível. No que foi denominado “o Ano da Marinha Real”, o segundo porta-aviões, HMS Prince of Wales, foi nomeado em Rosyth e está estruturalmente completo.

Este ano, a Royal Navy também teve corte de aço na primeira das fragatas de Type 26 e submarinos “Dreadnought”, o lançamento da Estratégia Nacional de Construção Naval, provisionando uma nova classe de fragata, a Type 31e, lançamento do quarto submarino “Astute”, HMS Audacious, o batismo de dois navios de patrulha offshore e a chegada dos nossos dois primeiros navios-tanque MARS no Reino Unido.

No mês passado, o Secretário da Defesa visitou o HMS Queen Elizabeth pela primeira vez no mar, reunindo-se com a tripulação e agradecendo por seu trabalho para a defesa do Reino Unido.

O Chefe do Estado Maior da Força Aërea, Air Chief Marshal Sir Stephen Hillier, Sir Stephen Hillier, disse:

“Parabéns da Royal Air Force para a Royal Navy em conseguir outro marco importante na capacidade britânica de Carrier Strike. Eu sei que as equipes da RAF e da RN de F-35 estão ansiosas para começar a voar do HMS Queen Elizabeth no próximo ano”.

FONTE: Ministério da Defesa do Reino Unido, em 7 de dezembro de 2017

44 COMMENTS

  1. Reino Unido gastou 6.2 biliões de libras, o correspondente a 6,8 biliões de euros para finalizar este super Porta Aviões.
    Mas para nós infelizmente só temos condições de adquirir o HMS Ocean por 350 milhões de “REAIS”
    Que discrepância…

  2. Bem, os britanicos devem colocar esse a venda em 20 anos, já da para começar a fazer a vaquinha desde agora, kkk, fora as piadinhas, ficou muito lindo esse NAE, o Brasil deveria pensar em instalar um sky jump no sampa, dai era só trocar os antigos motores por novos produzidos nos eua ou alemanha…

  3. Já pararam pra pensar que temos uma economia parecida com a da Rússia?
    Daria ou não pra termos isso? Assim como saúde….segurança…educação…cultura….etc e etc.
    Infelizmente somos o que somos…e não vejo melhoria nenhuma em muitos anos…pelo contrário!

  4. Willhorv 8 de dezembro de 2017 at 19:00
    O que mata o Brasil é o excesso de imposto e a folha de pagamento da administração pública (gasto com pessoal). Não há investimentos no país…não gera emprego, não se desenvolve, não atrai novos empreendedores, uma coisa mata a outra.

  5. Futuro Porta Aviões da Marinha do Brasil … em 2040 é nóis de Queen Elizabeth, o que foi ?, não custa sonhar … kkkk

  6. Olha, se continuarem com este rombo bilhonário nas forças armadas britânicas, o irmão do QE, o Prince of Wales chega na próxima década pra MB…

  7. __________________

    Amigo, só temos um único problema: o poder politico corrompido e tomado pelos mesmos personagens de sempre….. e já se vão mais de 50 anos……
    O resto é propaganda e contrapropaganda…. há sempre um “marajá” da vez para ser atacado pela opinião popular……

    Humberto 8 de dezembro de 2017 at 20:57, você ficaria surpreso com a quantidade de gente que lucra, e muito, com isso, aqui e “lá fora”….. Derrubar os juros é comprar briga com gente grande, muito grande….

    COMENTÁRIO EDITADO POR FAZER ATAQUE PESSOAL. RESPEITE AS REGRAS DO BLOG.

  8. O F-35B decola em 450 pés de convôo com ski jump; sem ski ramp, em um pouco mais. O convôo do USS America não tem Ski jump (ramp). Pra quê o Ski ramp no QE (limitando a carga na aeronave) com tanto convôo mas sem JBD (que poderia garantir duas aeronaves em linha pra decolagem)?

  9. Ivan BC 8 de dezembro de 2017 at 19:05

    Mas fale em cortar 70/80 mil homens nas FFAA para economizar em salários e pensões e aplicar isso em equipamento q todo mundo pula.

  10. Se congelarem novos concursos para as forças armadas por 10 anos, e eliminarem a necessidade de alistamento militar pelo mesmo período seria possível investir em modernização nas forças armadas.

  11. Ahhh …sim, mas como nunca é simples, o que faremos com os milhares de velhinhos que se formarão nas forças armadas? Se não ingressa mais jovem…
    .
    quem vai carregar o Fuzil? deve ser uma profissão que exija fisicamente mais ou menos como futebol certo? …e afinal de futebol brasileiro entende…
    .
    vamos jogar com a Alemanha para revanche daquele 7X0 com zagueiros, atacantes e centro avantes com 40, 50 anos de idade?

  12. Alex II 8 de dezembro de 2017 at 22:55
    Até voa
    .
    Algo muito interessante seria revisar como é dada a instrução em alguns TGs, ao invés obrigador um bando de gente a ir no TG 2 hrs por dia, pra ver vídeo aula em data show, poderiam concentrar o treinamento nos batalhões, ao menos o exército seria mais enxuto porém mais qualificado, e desocuparia e reduziria a demanda de Sargentos e Tenentes responsáveis por instrução no TG

  13. O Brasil bate metas de arrecadação de impostos a cada ano, mas sempre o governo alega falta de recursos para tudo, não é possível gastar 90% do orçamento das Forças Armadas em custeio de salários, aposentadorias e pensões. São militares se aposentando com 40 anos, não tem como investir em nada de forma séria, ficamos sempre em compras de “ocasião”. A quantidade de oficiais nas Forças Armadas brasileiras é incompatível com a realidade de país, nossas forças armadas viraram lugar de emprego público, basta olhar os velhinhos roliços que comandam a nossa estrutura militar e comparar com os exércitos profissionais que tem nos visitado.

  14. Li vários comentários, não todos é claro, mas deu para perceber a angústia por um país decente, falando de brasil. Dentre vários problemas percebido pelos apelos descritos nenhum se revelou como o mais importante, o povo.
    O brasileiro não consegue enxergar que ele mesmo é o principal entrave para que o país se torne uma nação decente, em grande medida somos dado ao ilícito, fazemos erradamente vários atos ilegais sem se quer termos um mínimo grau de arrependimento, pelo contrário, nos justificamos com desculpas ridículas dizendo que isso ou aquilo foi feito porque os governantes fazem pior. Não precisa pensar muito para entender por que os nossos dirigentes são corruptos!!!
    Outro assunto é falar de forças armadas, não precisamos de porta aviões, precisamos de navios menires e eficientes…

  15. Duas ponderações: a primeira é relacionada com geo-política. Lançamentos/despesas como está provam que ainda estamos longe da barbárie. O mundo continua sendo o território dos mais fortes e oportunistas. O segundo comentário: respiro aliviado quando não vejo o Brasil investindo em armas. Pena que o que se economiza nelas vai para a corrupção…

  16. Luciano Andrade Amorim 9 de dezembro de 2017 at 8:03 – perfeito comentário! Tanto sobre o povo brasileiro quanto sobre o navio. Governantes são pessoas iguais as outras, e sobre o navio: se nem temos aviões decentes (em quantidade e qualidade), por qual motivo precisamos de navio aeródromo?

  17. Dois sentimentos me ocorrem com uma notícia assim
    Primeiro: tais “investimentos” são o atestado de que ainda não deixamos a era da barbárie. Manda quem tem maior poder de fogo. Segundo: fico feliz ao perceber que o Brasil não tem dinheiro pra ter “poder de fogo”. Pena que o pouco que temos vai para a corrupção.

  18. Congelar concurso por 10 anos….
    Então vai ter Ten e 3 Sgt com 35 anos andando 40 Km por dia com 40 Kg de equipamento junto com cabos e soldados de 20 anos?
    Olha… é cada solução q “ovo” aqui…

  19. Eu sou servidor público, então tenho propriedade para falar: O que mata o Brasil é a folha de pagamento da administração pública das 3 esferas de governo dos 3 poderes.
    É inadimissivel um sujeito se aposentar com um salário integral de servidor público…isso é uma vergonha!
    No meu Estado, um oficial da PM e do Corpo de Bombeiros tem o salário inicial de 16 mil reais…somente no último concurso houve 120 vagas para ambos! Trabalha 6 horas por dia! Imaginem qual será o salário desse sujeito depois de 30 anos e qual será a aposentadoria INTEGRAL?
    A própria realidade das FA do Brasil mostra isso: mais de 80% é folha de pagamento…bilhões de reais, enquanto os militares usam obuseiros dos anos 50.
    Não estou atacando os militares e servidores, afinal eu sou um servidor. Estou dizendo que o modelo está errado… e isso acaba com o país.
    O foco deveria ser prizatizar setores inteiros do país, cortar salários, reduzir mais de 60% dos tributos, cortar funções do Estado, incentivar o desenvolvimento interno e o consumo interno de forma saudável, tentar gerar empregos de qualquer forma.
    Emprego + consumo + competitividade internacional = prosperidade.
    A China fez isso e está incomodando muita gente, só a classe média chinesa é a maior que a população inteira dos EUA e a tendência é a falência de inúmeras indústrias pelo mundo todo…é uma questão de escala, ninguém vai conseguir segurar a competitividade de escala da China.
    Tão verdade que a Europa quebrou! Nós utilizamos o modelo de Estado europeu, estado de bem-estar social, esse modelo é terrível, trava a economia e a livre iniciativa das pessoas.
    Justamente por isso a China está comprando o mundo! Eles estão fazendo o que nós deveríamos ter feito.
    Vão dizer que eu estou errado, vão ficar bravos, mas no fim o Estado brasileiro vai ter arrecadado apenas esse ano algo próximo de 2,5 trilhões de reais, enquanto o brasileiro comum (aquele que ganha 1200 por mês) tem o sentimento de ter sido roubado pelo Estado.

  20. Prezados,
    Uma pergunta que de repente ja foi feita mas não li, me desculpem se ja foi feita
    O F-35B pode utilizar as facilidades de um porta aviões como catapulta e cabos? Ou são excludentes assim como o F-35C não pode aterrisar no QE.

  21. O Brasil não tem investimentos e quando tem 1/3 vai para o Bolso de políticos….não ter investimentos significa sucateamente de setores: não ter ferrovias, não ter duplicação, não ter saneamento, não ter modernização daquilo que já existe etc…
    A falta de investimento acarreta escassez de empregos…pessoas deixam de consumir, o que desestimula o setor privado a investir, não gera competitividade, os preços não caem etc…
    Justamente por isso a enorme quantidade de jovens querendo fazer concursos públicos.
    Não tem empregos no setor privado…sobra o setor público que paga bem, tem privilégios e normalmente trabalha pouco.
    Estou mentindo???
    Eu não estou falando aquilo que eu gosto, estou falando aquilo que é fato…
    O modelo de Estado que nós utilizamos acaba com o país, justamente por isso eu não vejo nenhuma pespectiva de melhora para o país, o Brasil não vai melhorar, não vai se desenvolver…não esperem isso!

  22. Infelizmente fomos colonizados por ladrões,dadas as proporções de nosso economia deveríamos ter no mínimo dois porta-avioes,caças de quarta geração,além de armamento nuclear,lamentável !!!

  23. IvanBC, boa tarde
    Nas FFAA, o salário inicial dos oficiais é menos da metade disso.
    Trabalhamos no mínimo 8hrs por dia e temos os serviços de 24 horas e exercícios sem remuneração ou descanso por isso.
    É bem diferente a situação das FFAA e OSP.
    Sds

  24. Mestre Agnelo,
    .
    Entendo e sou solidário com
    Relação às diferenças da carreira militar.
    .
    No entanto, existe um problema atuarial e matemático
    .
    Logo logo senão já hoje, um militar aposentado aos 50 viverá até os 80, incorrendo desta forma uma matemática na qual teria um dia de aposentadoria remunerado a 100% para cada dia trabalhado
    .
    Então, existe a situação em que homens de altíssimo treinamento bagagem administrativa e maturidade acabam se aposentando quando ainda tem muita lenha a queimar
    .
    Suponha quê hipoteticamente a idade mínima seja balizada Pará todavia civis privados, públicos e militares
    .
    Óbvio não poderia ser aplicável ao homem exercer isto na vida militar,mas e se houvesse um mecanismo pelo qual este excelente capital humano fosse transferido para o funcionalismo público até o complemento dos 65 anos??? Algo do tipo aplicar um deflator de aposentadoria se antes dos 65? Assim, aqueles que atinjam 50 anos e sem condições de exercício, ficariam disponibilizado para o serviço público c sua remuneração garantida

    .
    O serviço público por sua vez, contaria com uma linha de fluxo continua de profissionais altamente treinados e qualificados

  25. “Willhorv 8 de dezembro de 2017 at 19:00
    Já pararam pra pensar que temos uma economia parecida com a da Rússia?
    Daria ou não pra termos isso? Assim como saúde….segurança…educação…cultura….etc e etc.
    Infelizmente somos o que somos…e não vejo melhoria nenhuma em muitos anos…pelo contrário!”

    Perfeito, concordo plenamente contigo 👏👏👏

  26. Carvalho2008
    Por favor, mestre não.
    O EB tem buscado aumentar o número de Prestadores de Tarefa por Tempo Certo, para diminuir a quantidade de ativa, aproveitar conhecimento e pagar pouco por um oficial ou praça experiente por um preço bem menor q alguém da ativa, mesmo q temporário.
    Em relação a ir pra outros serviços públicos, eu sempre fui a favor, mas há muita resistência quando os militares chegam.
    Sei da ABIN, por exemplo, q profissionais daquela instituição viam o conhecimento, a cultura organizacional, dentre outros como ameaça as suas carreiras.
    Mas eu acho q seria uma economia muito grande.
    São uns 3000 militares q vai pra reserva remunerada anualmente. Se ela fossem até os 60, dariam uns 30.000 pra todo serviço público do Brasil.
    Lembrando q muitos tem formação acadêmica grande em diversas áreas.
    Sds

  27. Pois então Agnelo, é o que acho.
    .
    Desta forma, os militares de forma justa e reconhecida ainda teriam um beneficio previdenciario maior, mas bem justificado. seriam enternamente a reservistas mesmo em idade senior ( para comando) ao contrario dos civis.
    .
    Os civis publicos ou não se aposentariam aos 65 tambem, obedecendo os tetos que ja existem os os aposentados privados.
    .
    Se o militar optar se aposentar antes dos 65, incorreria na mesma regra dos demais, mas se optar os 65 anos, a partir dos 50 ficaria disponivel para o serviço publico com altissima classificação.
    .
    Isto resolve matematica das coisas, cada um faz sua parte e seu papel na reforma que é um problema de todos.
    .
    De quebra o serviços publico se fortalece e o militar garante sua integralidade inclusive diferenciada como tem de ser.
    .
    Sobre serviços publico, serviço militar e política, tendo posições muito definidas:
    .
    a) Serviço Militar obrigatorio seria substituido por “Serviço de Cidadania Obrigatório”, para todo jovem, homens e mulheres completando 18 anos.
    .
    a.1- O Serviço de Cidadania Obrigatorio representara o marco de ingresso dos jovens brasileiros na maioridade e nos compromissos e deveres sociais;
    .
    a.2 – O Jovem que já esteja empregado formalmente no mercado de trabalho e assim absorvido no aprendizado dos direiros e compromissos sociais, terá o Serviço de Cidadania Obrigatorio como optativo, uma vez que já esta em ppleno exercicio de integração a sociedade;
    .
    a.3 – O serviço de Cidadania Obrigatorio observará a opção entre Serviço Publico Civil ou serviço Publico Militar, pelo período de 12 meses, correspondendo a remuneração equivalente ao Soldo.
    :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
    .
    então repare mestre Agnelo, que pelos principios falados acima e na sequencia, previdencia militar e Serviço Obrigatorio de Cidadania, o maior percentual de cargos quer seja de inicio, auxiliares e aprendizes, seriam formados pelos jovens ingressantes na sociedade e de outro, a alta Administração, teriam profissionais das armas de alta qualificação, seniores. Os concursos seriam ocupados para outros cargos tecnicos de carreira eespecialização.
    .
    Isto faz com que se extinga uma categoria SOCIAL E APARTADA chamada de SERVIDOR PUBLICO. Quem seriam os servidores publicos….??? Seriam todos nos….não haveria distinção de classes…todos poderiamos passar pelos mesmos caminhos sem distinção ou exclusividade… e a matematica fecha….são 2 milhões de aniversariantes de maioridade ao ano…..

  28. E tem ainda o Serviço Político…os verdadeiros males é que provocamos uma luta de classes que não tem nada a ver com trabalhadores, empresarios ou intelectuais.
    .
    TEMOS A CLASSE POLITICA no verdadeiro sentido de ser….
    .
    Isto não deveria existir e da mesma forma como colocado no item anterior, devemos promover instrumentos para que todos tenham um exercicio político de forma que não se formem castas e seja abandonada a figura da POLITICA COMO PROFISSÃO. Sabemos que as castas políticas profissionais atuam e legislam em casa propria, isolando-se dos interesses sociais, federativos e republicanos.
    .
    b) Todo cidadão poderia exercer cargos legislativos ou do executivo pelo prazo maximo de 16 anos ininterruptos.
    .
    b.1) Estão inseridos os cargos diretivos de Presidentes, Governadores, Prefeitos, Minitros, secretarios das esferas Federal, Estadual e municipal, Diretorias e Presidencias de Associação Sindicais,Patronais, Partidarias ou Agremiações
    .
    b.2) Toda e qualquer cargo majoritario eletivo fica limitado a mandatos de 4 anos e vedado a reeleição consecutiva.
    .
    :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
    Este itens, provocariam o efeito para que o exercício politico fosse puramente um exercício de cidadania, e não uma profissão, uma etapa na vida de qualquer um, e mira principalmente o celeiro de cabeças ….hoje todo o sistema é montado para não ofertar o cidadão verdadeiro como candidato, e sim o afiliado que já esta viciado e compromissado com os interesses escusos partidarios e sindicais de todas as origens, quer sejam patronais ou sindicatos

  29. Carvalho
    São boas ideias.
    Um aproveitamento q seri a muito bom, é dos formandos em faculdades, q poderiam prestar seus serviços em municipios com falta de profissionais, como defensores públicos, assistentes sociais, professores, veterinários (inspeção sanitaria) etc

    Sds

  30. Agnelo,
    .
    Pode ser que sim…pode ser que não….este negocio de prestar serviço apos conclusão do ensino superior publico tem algum sentido, mas colidiria com o que coloquei pois o cidadão iria prestar quase 2 anos de serviço?…1 aos 18/19 anos e outro aos 24/25…apoõs a conclusão…? fica salgado….ao menos eu acho…
    .
    O que deveria ocorrer é tudo ser pago, inclusive o publico.
    .
    A chave porém estaria na forma do pagamento.
    .
    Os alunos vindos das altas camadas de fato são os que mais usufruem do sistema, mas isto é facil de corrigir de forma isonomica….
    .
    O que seria isonomia? seria voce pagar um percentual fixo de sua remuneração após 2 anos de conclusão de curso, por um prazo de 7 anos.
    .
    O que isto significaria? imagine você pagando 15% de sua remuneração, independente de qual ela seja, tal como uma tabela de IR.
    .
    Aqueles que sabemos tornam-se Supervisores, gerentes e Diretores após miseros 2 anos de trabalho inicial, pagariam boa soma, pois a tabela é sobre sua faixa de remuneração.
    .
    Aquele que concluído o curso, ingressou nas primeira faixas salarias pagara o percentual correspondendo e fazendo jus a sua propria taxa de retorno .
    .
    Aquele que nem emprego teve, não pagaria….pois nem teve taxa de retorno do curso realizado.
    .
    Ou seja, as pessoas devolvem proporcionalmente aquilo a que elas valem ou o que o curso lhes resultou de retorno, de forma equivalente.
    .
    Isto mudaria muita coisa, financiaria todo mundo e ninguem poderia dizer que era injusto, pois pagariam o mesmo percentual que seria aplicado no exato valor de retorno que o curso propiciou a cada um.

  31. Humberto 9 de dezembro de 2017 at 12:08
    ‘O F-35B pode utilizar as facilidades de um porta aviões como catapulta e cabos?’
    O F-35B não precisa de catapulta nem cabos de arresto já que é STOVL: ele pode decolar na vertical ou em 450 ou 550 pés de rolagem, com ou sem ski ramp, e pode pousar na vertical ou com num híbrido vertical/rolagem.
    ‘Ou são excludentes assim como o F-35C não pode aterrisar no QE.’
    O F-35B pode operar a partir de CVNs, lembrando que o angled deck tem, depois do último CDP até o bolter sink ~500 pés, mas não tem vantagem já que ele tem um alcance e payload menores que o do F-35C, este, sim, limitado à sua plataforma nuclear.

  32. O Brasil não precisa de porta aviões,com o dinheiro de um deles dá para construir umas dez fragatas,e mais hoje em dia ter um destes significa gastar o preço de outros em escoltas.Brasil teve dois que não somaram muito,apenas gastaram recursos enormes .com o o oceam estamos bem na fita vamos com os sub que estamos construindo e mais os sub da ativa dobras a nossa capacidade, se compramos as fragatas australianas e algumas type britânicas dobramos nossa capacidade de meios de superfície.E quando a economia melhorar de fato fabricaremos as corvetas tamandare.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here