Home Indústria Naval ‘Chega de missões para a Marinha da Alemanha’, alerta comissário

‘Chega de missões para a Marinha da Alemanha’, alerta comissário

6663
21
Fragata Lübeck F124 da classe Bremen, em Salvador-BA, em 2009 – Foto: Alexandre Galante

O comissário parlamentar alemão para as forças armadas instou a Marinha a deixar de enviar fragatas às missões da OTAN, da UE e da ONU. Hans-Peter Bartels diz que os militares simplesmente não têm navios suficientes.

A Alemanha deve pensar duas vezes antes de aceitar novas missões marítimas com a OTAN, a União Européia ou as Nações Unidas, de acordo com o comissário parlamentar das forças armadas, Hans-Peter Bartels.

Em uma entrevista publicada no tabloide de domingo Bild am Sonntag, Bartels culpou a burocracia e a má administração por falta de fragatas disponíveis.

“A Marinha logo ficará sem navios operacionais”, afirmou o jornalista social-democrata (SPD).

Falta de peças

Bertels disse que a escassez de peças sobressalentes para navios da Marinha alemã provavelmente levarão a períodos de reparos mais longos nos estaleiros navais.

“Há muitas responsabilidades administrativas, falta de pessoal e, às vezes, as empresas de reparação de navios gostam de se apegar o maior tempo possível a uma determinada ordem”, advertiu.

EGV Berlin, navio de apoio logístico da Marinha da Alemanha, em visita à Salvador-BA, em 2009 – Foto: Alexandre Galante

O Bild am Sonntag relatou que um dos três maiores navios da Marinha Alemã, o navio de apoio ao combate “EGV Berlin”, juntamente com o navio de abastecimento “EGV Bonn”, é esperado para ficar fora de ação por muito mais tempo do que inicialmente previsto.

De acordo com um relatório interno da marinha, a revisão dos dois navios de 18 meses em um estaleiro em Hamburgo, que começou no ano passado, está sendo adiada devido à falta de peças sobressalentes.

Nova fragata alemã F125 apresentou problemas nas provas de mar

Novas fragatas atrasadas

Bartels disse que a “aposentadoria” das antigas fragatas da Marinha Alemã estava ocorrendo de acordo com o plano, mas estava sendo dificultada por atrasos na incorporação de suas substitutas.

“Seis das 15 antigas fragatas foram retiradas de serviço, mas nenhuma das novas fragatas F125 foi liberada para a Marinha”, disse ele.

Entre as muitas missões, a Marinha Alemã patrulha o cruzamento do Mediterrâneo do norte da África para a Europa desde maio de 2015, como parte de uma operação da UE chamada “Sophia”. A missão deve continuar até final de 2018.

Os navios também foram desdobrados para responsabilidades semelhantes com o Grupo Standing Maritime Group 2 da OTAN no Mar Egeu.

Com uma frota de cerca de 100 navios, a Marinha Alemã desempenha um papel fundamental no apoio às missões da OTAN e da ONU em todo o mundo.

Fragata Sachsen F219 no porto de Salvador-BA, em 2009 – Foto: Alexandre Galante

FONTE: Deutsche Welle German Radio

Subscribe
Notify of
guest
21 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Matheus
Matheus
2 anos atrás

Falta de dinheiro não é. Incompetencia do almirantado? Talvez.

Lucas Gontcharov
2 anos atrás

A situação é realmente complicada, também estão com todos os submarinos inoperantes. Hitler deve estar se revirando no túmulo…

Ozawa
Ozawa
2 anos atrás

Deve ser difícil viver num país assim. Tão desorganizado e displicente com sua Armada …

Agora, falando sério, os maus exemplos devem servir de enfática advertência, não consolo ou, pior, encorajamento …

Rennany Gomes
Rennany Gomes
2 anos atrás

Eles investiram os tubos em uma fragata que simplesmente não funcionou até agora.

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Bom… se serve de consolo, os ingleses não estão situação diferente.

FRITZ PILSEN
FRITZ PILSEN
2 anos atrás

Esse é mais um “mito” que não se sustenta. O mito da eficiência alemã… vejam que parte da culpa do ocorrido com o ARA SAN JUAN vem da aparente corrupção de oficiais da Armada Argentina por parte de empresas alemãs.

Cada povo tem o mito que merece.

Nilson
Nilson
2 anos atrás

Com tantos problemas acontecendo com os carros novos, tô achando melhor comprar só carro usado, testado, comprovado e barato…

Flamenguista
Flamenguista
2 anos atrás

As F125 estavam em vias de serem devolvidas ao fabricante por defeitos graves.
É o F35 das fragatas!
SRN

Ivan BC
Ivan BC
2 anos atrás

Pelo discurso parece ser algo intencional…não estão querendo ajudar no combate aos imigrantes ilegais que travessam o mediterrâneo. Pelo jeito querem mais imigrantes…

Burgos
Burgos
2 anos atrás

Notícias não muito boas !!!
Pois ao que me parece , eles estão concorrendo também nas CCT.
Aí eles mesmo estão se “queimando”.

Soldat
Soldat
2 anos atrás

isso mesmo ta na hora da Alemanha rompe com a ONU.OTAN e a maldita UE..e fchar suas fronteiras….

Julio
Julio
2 anos atrás

O F-35 e a fragata F-125 padecem do mesmo mal. Um projeto ambicioso demais que incorpora diversas tecnologias imaturas. E no final, o dois têm varias limitações operacionais.

Billy
Billy
2 anos atrás

A marinha alemã tá pedinão agrego! Enquanto isso mandamos nossos poucos navios em missão no Líbano onde não temos interesse algum ou tiramos algum proveito. Na fronteira com a bolivariana venezuela uma crise de refugiados da opressão dum governo comunista que ____________________ ajudaram a firmar. Ainda sim, presidente e ministros não querem saber que a conta vai bater no bolso do povo Brasileiro e mesmo assim querem sacrificar a aposentadoria dos nossos. Nada de contenção de gastos, só compromissor com as oligarquias globalistas que desejam ainda nos comprometer com fluxo migratório _________________. Quero ver a MB sustentar mais essa entubação… Read more »

Alex Nogueira
Alex Nogueira
2 anos atrás

Nessas horas vejo com bons olhos o projeto mais “simples” da Classe Tamandaré, e de modo geral acho que está na hora de voltarem a utilizar a filosofia KISS.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

A Merkel trabalha com a clássica planilha:

Coluna da esquerda entra, na da direita sai …. + saldo.

É isso ai, país sério.

O Mansueto poderia ser a Merkel de calças, mas tem se dobrado, devia pegar o boné e dar o fora.

Edson Parro
Edson Parro
2 anos atrás

FRITZ PILSEN 12 de Fevereiro de 2018 at 18:39

“Cada povo tem o mito que merece.”

Gostei do seu lema.

Edson Parro
Edson Parro
2 anos atrás

“Falta de peças”
“Há muitas responsabilidades administrativas, falta de pessoal e, às vezes, as empresas de reparação de navios gostam de se apegar o maior tempo possível a uma determinada ordem”, advertiu.”

Nada como uma sólida Base Industrial de Defesa – BID. E uma eficiente agência reguladora para coibir “gostos particulares das empresas”.

Anildo Silva
2 anos atrás

Aaaaaaaaaaa se fosse no Brasil………

“Pé de breque” e “Nó cego” tem em todos lugares…..

Mas , a diferenca começa na hora em que existe uma mobilizaçao para a resoluçao do problema.

Fabio Aguiar
Fabio Aguiar
2 anos atrás

Puxa, se está ruim pra eles, imagina “pra nozis” .

Rafael_PP
Rafael_PP
2 anos atrás

Desde a época que atendia por Kaiserliche Marine esta instituição tem graves problemas. Um incrível histórico de erros estratégicos e táticos; dificuldades de planejamento, tanto no momento de desenvolver os projetos quanto nas aquisições – sempre aquém do necessário; má sorte em várias ocasiões e, principalmente, uma péssima escolha de antagonistas.

Gabriel2
Gabriel2
2 anos atrás

A OTAN atualmente uma imensa de uma sacanagem dos europeus para jogar os custos com defesa nas costas do contribuinte americano…estado de bem estar para mim e divida pública para eles.