Home Análise SNBR: cronograma da Marinha em linha com o cronograma do Poder Naval

SNBR: cronograma da Marinha em linha com o cronograma do Poder Naval

3428
16

Dez anos depois, cronograma da Marinha se aproxima de estimativas feitas pelo Poder Naval em 2008

Em setembro de 2008 o então comandante de Marinha, almirante Júlio Soares de Moura Neto, declarou para a imprensa que o primeiro submarino nuclear brasileiro deveria ficar pronto até 2021. Esta declaração foi feita durante a posse do almirante José Alberto Accioly Fragelli como coordenador-geral do Programa de Desenvolvimento de Submarino com Propulsão Nuclear.

No dia seguinte à declaração do almirante Moura Neto publicamos um post afirmando que a data fornecida era muito otimista. Sendo assim, uma data mais factível para a conclusão do primeiro submarino nuclear brasileiro seria por volta de 2029.

Na verdade em 2005, muito antes do Poder Naval criar o blog, o site já havia realizado algumas análises sobre o desenvolvimento de submarinos nucleares e a conclusão era de que o desenvolvimento do mesmo, a partir do ponto em que o programa se encontrava na época, levaria pelo menos mais 20 anos. Deve-se destacar que este período de 20 anos refere-se a um período com fluxo de investimentos contínuos.

Desde a declaração do almirante Moura Neto já se passaram dez anos e o programa sofreu avanços consideráveis. Muitos desses avanços estão relacionados com um fluxo de recursos relativamente constante nesse período e à parceria com a França, onde profissionais brasileiros foram buscar conhecimento para o projeto de submarinos nucleares.

Mais recentemente o atual comandante da Marinha, almirante de esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, disse que o primeiro submarino nuclear brasileiro deverá estar pronto em 2029. Mais de dez anos depois os cronogramas da Marinha e do Poder Naval ficaram alinhados!

PS: é interessante comparar as maquetes do SNBR de 2008 (imagem abaixo) com a atual maquete do SNBR (imagem acima) e observar os avanços que ocorreram nesse meio tempo.

16 COMMENTS

  1. Quando finalmente estivermos em condições de lançar nosso tão sonhado e esperado SSN, essa arma provavelmente estará total e completamente obsoleta…

      • Kkkkkkk boa mk48,cara tem noção nenhuma do q diz.
        Agora q ja tem o know how mais sub nucleares poderam ser produzidos aqui pena q n sou presidente se fosse nossas forças armadas seriam top

    • A China está construindo seus primeiros modelos de Porta Aviões agora depois de quase 100 anos desde que a primeira unidade desse tipo foi idealizada e essa plataforma está aí firme, forte e senhora absoluta dos mares.

  2. Estamos aprendendo muito, os céticos dirão que estamos jogando donheiro fora. Não acho, o que estamos conquistando em termos de conhecimento é imensurável, as gerações futuras saberão aproveitar. Digo sempre tudo começou com Angra I, a partir daí foi uma escada, Angra II,Aramar, sub, será que veremos um aeródromo Nuclear.
    Faz que possamos sentir um pouco de orgulho de sermos Brasileiros

  3. Divertido é ler vários dos comentários de 2009, criticando e debochando da análise do Poder Naval, somente porque a nossa opinião contrariava as certezas cegas de pessoas que defendiam o governo da época com unhas e dentes, e só conseguiam ver a crítica construtiva do Poder Naval como uma intriga da oposição…

    Fanatismo faz mal à saúde, mas espero sinceramente que os comentaristas daquela época, que tantas pragas rogaram na gente, estejam bem e saudáveis. Eu, pelo menos, estou muito bem, obrigado.

    • Seria interessante ler ou ouvir a opinião daqueles mesmos comentaristas nos dias atuais. Infelizmente eles sumiram.

      Nós continuamos aqui com o mesmo objetivo de 10 ou 20 anos atrás. Tornar os assuntos de defesa parte da agenda nacional, a ponto de influenciar positivamente as políticas governamentais no futuro.

  4. Nunão não tenha medo, estas pragas não pegam e melhor ainda elas voltam para quem enviou, e infelizmente além de muitos floristas que dão muita informação boa, existe os que torcem muito apesar das evidências contrárias.

  5. Além de todos os detalhes técnicos o que desperta curiosidade é como realmente será o desenho do Àlvaro Alberto, essa primeira maquete parece romper com aqueles outros desenhos que mostravam mais semelhanças com o scorpene.

    • As maquetes que mostram semelhança com o Scorpene são mais realistas. O modelo amarelo que a Marinha está testando na água é muito parecido com o S-BR convencional. As maquetes do post são apenas conceituais, não representam o SN-BR real.

  6. Um dia, se sobrevivermos ao que esta por vir, os brasileiros que restarem terão noção do montante de riquezas do qual são legitimos possuidores e quem sao aqueles que as desejam a qualquer custo. Entao, esses felizes brasileiros, entenderão o porque de potências estrangeiras, tão mais pobres de recursos naturais, investirem tanto em suas Forças Armadas. Simplesmente para negarem aos outros povos o acesso deles ao seu futuro e de suas geraçoes. É uma especie de corrida olimpica, onde, quem se entregar, nao poderá ter a esperança de ver seus filhos crescerem.

  7. Todo o projeto é muito impressionante, as instalações de Iperó/SP., também são gigantescas basta ver pelo google maps. Pelo menos pelo que foi mostrado, fica claro que o dinheiro foi utilizado de forma concreta, pois a parte visível das obras civis são impressionantes, creio que existe uma parte não visível de equivalente porte com relação ao desenvolvimento técnico cientifico.

    No entanto continuo um tanto pessimista, pois o programa ainda tem muito pela frente e se prolonga por mais de uma década, o que me faz pensar que podem ocorrer “n” atrasos decorrentes de contenções de verbas etc. E que tudo isto pode ser muito prejudicial.

    Porém pelo que observo, creio que atingimos o ponto sem retorno do projeto, ou se vai em frente e se conclui o objetivo ou o prejuízo será muito maior de se perder tudo o que já foi feito.

    Foi uma escolha estratégica, o valor do sub nuclear é inquestionável. Mas o investimento esta sendo equivalente ao de um programa nuclear ou parecido.

    Faço outra ressalva, creio que a MB deve se preocupar com a defesa destas instalações de alto valor militar, não só em termos de segurança de terra, que deve ser ótima. Mas também com a defesa contra ataques aéreos de mísseis de cruzeiro, pelo menos Itaguaí é de uma vulnerabilidade enorme.

    Hoje a possibilidade de uma potência estrangeira realizar um ataque deste tipo parece inimaginável, mas será que no futuro esta hipótese não pode chegar mais próxima da realidade.

  8. Gostaria de tirar uma dúvida. Um submarino quanto menor mais furtivo ele é? E se o seu tamanho implica na capacidade de ir mas profundo? Pelo teor da pergunta percebece que sou um leigo no assunto rs. Desde já parabenizo a equipe de Poder Naval, não deixo de ler as matérias um dia sequer. Um forte abraço a todos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here