Home Nota oficial DGMM confirma compra do ex-RFA Sir Bedivere

DGMM confirma compra do ex-RFA Sir Bedivere

381
0

rfa_sir_bedivere__dartmouth_23rd_august_2006.jpg

DIRETORIA-GERAL DO MATERIAL DA MARINHA
Navio de Desembarque de Carros de Combate Almirante Saboia – Esta Diretoria-Geral participa que na última sexta-feira, dia 14 de novembro, foi assinado o Acordo de Venda (“Sales Agreement”) entre a Marinha do Brasil e o Ministério da Defesa do Reino Unido, visando a obtenção do Ex-RFA Sir Bedivere, futuro NDCC Almirante Saboia (G25). O navio deverá ser incorporado em maio de 2009 e sua atracação ao pier da BNRJ prevista para julho daquele ano.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
André
Visitante
André

Ele é da mesma classe do Garcia D´Avila?

Beto
Visitante
Beto

Uma ótima notícia !!!

Alexandre F.
Visitante
Alexandre F.

Que seja bem vindo!

Acertada compra de ocasiao, e que nao deixem passar tambem algumas Tipes 22 (Block III – Lote todo), e lembrando de algumas Tipes 23.

Infelizmente, é o que dá do orçamento… compra de ocasiao, mas sendo bons meios, valem muito a nossa MB.

Leandro Furlan
Visitante
Leandro Furlan

Já estava na hora hein?!

Invincible
Visitante
Invincible

FORA DE TEMA!!!

A história do Chile comprar o HMS Invincible era fato ou boato?

PS: Alguém conhece um simuladore (jogo) sobre as Malvinas?

Beto
Visitante
Beto

Alexandre F.
vc esqueceu das Type 42 ?? rsrs..

Zorann
Visitante

Aqui vãoa lguns esclarecimentos sobre o Sir Bedivere,nosso futuro Almirante Saboia G-25. Trata-se do antigo navio auxiliar da marinha da Grã Bretanha, o Sir Bedevere, cuja incorporação à marinha brasileira foi anunciada em meados de 2008. Ele deverá desempenhar o mesmo tipo de função do navio de desembarque Garcia D’Avila, que por sua vez também é um derivado desta classe. O navio foi incorporado na frota britânica em 1966 e esteve presente no conflito das Malvinas em 1982. Ele foi atacado por aviões de combate argentinos que o danificaram ligeiramente, embora dois outros navios idênticos, o Sir Lancelot e o… Read more »

Henrique
Visitante
Henrique

Lá vem mais sucata para a MB…
Um navio com mais de 40 anos de faina… porque não construir estes meios aqui no Brasil, gerante know-how, empregos e desenvolvimento local?
Abraço.

Henrique
Visitante
Henrique

Desculpem o erro “gerante” queria dizer “gerando”.

Corsario-DF
Visitante
Corsario-DF

Por um lado teremos mais um navio. Por outro um com mais de 40 anos e como disse o nosso colega Zorann com estrutura “civil” pois não foi idealizado para entrar em combate. Nesse ponto tenho que concordar com o colega Henrique, por que não se constroi esse tipo de navio aqui mesmo no Brasil? Sinceramente acho que é somente por causa do preço mesmo, pois é muito, mas muito mais em conta comprar de “prateleira” do que fabricar o seu próprio. Construção local? Desenvolvimento tecnológico? Emprego no Brasil? Pra quê? O que importa é dinheiro no bolso da classe… Read more »

Zorann
Visitante

Gostaria muito de saber o preço que é pago por um navio desses

LeoPaiva
Visitante
LeoPaiva

Achei uma excelente compra de oportunidade, eu diria até que foi uma compra inteligente, o valor pago pelo Brasil gira em torno de R$ 31,5 milhões incluindo treinamento de operação e manutenção e até suprimentos e sobressalentes, sendo que a Inglaterra gastou 69 milhões de Euros só para reconstrução e melhorias em 98, ou seja, pagamos bem menos que a metade do que os ingleses pagaram no upgrade, que incluiu também uma nova sala de máquinas e nova superestrutura de aço em vez da fraca de alumínio, tudo bem que foi há 10 anos e a vida útil reduziu bastante,… Read more »

Zorann
Visitante

Mais informações sobre esse novo navio da Marinha
O navio passou por uma grande reforma e modernização. Uma nova sessão de 15 metros foi acrescentadaaonavio e o comprimento total do Bedivere passou de 126,02m para 139,02m. A modernização começou em novembro de 1994 e foi até o começo de 1998. O programa tem muitos pontos favoráveis. Os motores são novos (dez anos), o guindaste principal foi trocado, 27.000 metros de tubulação que vazava sobre a tripulação foram substituídos, etc. Os gastos foram altíssimos devido o alto grau de corrosão do casco, mas os resultados foram satisfatórios.

direto do fundo do mar
Visitante
direto do fundo do mar

Ou seja, um navio 88 e não 66 como dizem.

Henrique Sousa
Visitante
Henrique Sousa

Totalmente subjetivo, mas quando bati o olho neste navio não identifiquei um fruto da engenharia naval das décadas de 50-60, e sim algo uns 10-20 anos mais novo.

Como temos um pessoal aqui com muito conhecimento neste campo, gostaria de saber a opinião deles.

Marcelo Ostra
Visitante
Marcelo Ostra

temos uma classe de navio que seriam otimos para transportar tudo que a Ms mercantes construídos aqui em 1992-1993,quem poderiam levar em um unico carregamento todo equipamento necessário (pelo padrão) transportado pela Marinha em uma unica viagem

lem do que são mais rápidos, possuem guindastes mais potentes, rampa angulada na popa (capacitada ara 500 tons), em suma, seriam perfeitos para a função, muito melhores do que seria o Atlantico SulTrata-se da classe T2

http://www.naval.com.br/NMB/dossie-t2/dossie_classe_t2.htm

Isso sem contar com outras classes, que poderiam ter facilidades para helos, sendo que a titulo de exemplo esta missão de apoio humanitário noHaiti e Cuba, seria uma molezinha

MO

Marcelo Ostra
Visitante
Marcelo Ostra

Fundo do balde, ja discutimos isso, ele continua sendo um navio de 1966 de qualquer jeito

MO

marujo
Visitante
marujo

Até que enfim, um final feliz para um processo de negociação há muito iniciado. É um navio de 66, como diz o Ostra, mas nelhor ter um vaso desses como um componente de nossa capacidade de projeção de poder do que nenhum. Acho que é o que podemos ter mo momento, em vista da prioridades establecidas no PRM.Claro que um navio novo seria muito melhor, mas não podendo ter…

marujo
Visitante
marujo

Em se tratando de usados o que que pode vir por aí? Caça-minas? Navio-tanque? Escoltas?

Marcelo R
Visitante
Marcelo R

Para a noticia ficar mesmo muito boa, seria a Marinha do Brasil também negociar com os ingleses pelo menos duas fragatas type 22 bath 3 e três tipo 23, se derem mole lá para a Marinha também pegar dois type 42 bath 2 ou seria excelente mesmo se fosse type 42 bath 3.!!! . Continuariamos com barcos usados mas seria um avanço tecnológico sobre o que temos hoje no mar navegando.

Vassily Zaitsev
Visitante
Vassily Zaitsev

Boa, até que enfim saiu o contrato de compra. Pouco à pouco vamos postergando a total “paralisação” da MB. Bom mesmo seria um navio novo, 0 bala, mas como o orçamento não permite… Almirante Saboia, seja bem vindo!!!!!!!!!!!!!!! Uma nova Tipe 22 batch2 tb seria bem vinda, para substituir aquela que foi, literalmente, canibalizada, recompletando assim, as 4 originais. Quem sabe a aquisição de 4 Tipe 23, para ampliar a capacidade de escolta. Tipe 42??????????????? A MB não recusou a aquisição dois 2 que a Argentina operava??????????????????? Zorann, dia 18 12:27 hs Sir Lancelot????????????????????????? VC não quis dizer ” Sir… Read more »

Vassily Zaitsev
Visitante
Vassily Zaitsev

Galante,

Vc saberia informar se o Almirante Saboia virá com algum armamento de defesa???????????????

ou virá “pelado”????????????????

desde já agradeço.

ronaldo de souza gonçalves
Visitante
ronaldo de souza gonçalves

O Preço foi de oportunidade e claro que é bom .A MB terá um capacidade anfibia melhorada em muito,e como pleiteia uma cadeira no conselho de segurança isto pode pesar, claro que um sub nuclear pesa mais , junto com o opalão funcional, eu acho que a MB está no caminho certo. E revendo a historia os ingleses diferentes dos americanos nos repassam navios a bom preço.

jose carlos
Visitante

Alguma Novidade sobre a proposta dos Sul Coreanos

Zorann
Visitante

Aí Vassily Zaitsev a relação dos navios de desambarque de tropas constituintes da classe Sir Lancelot e a data de baixa da RAF Número do projeto/ Nome /Estaleiro /Anos no serviço ativo /Motivo situação atual L3029/ Sir Lancelot/ Fairfield/Govan (BAE Systems)/ 1963 1989 /Transferido para Singapura L3004/ Sir Bedivere/ Hawthorn-Leslie/ 1966 2006 /Transferido para o Brasil – Almirante Saboia – G25. L3005//Sir Galahad/ Stephens-Clyde (UCS)/ 1966 1982 /Perdido em combate L3505/ Sir Tristram/ Hawthorn-Leslie/ 1967 2004/ Transferido L3027/ Sir Geraint/ Stephens-Clyde (UCS) /1967 2005/ Abatido L3036/ Sir Percivale/ Hawthorn-Leslie /1967 2005/ Abatido Só para completar: Tanto o Sir Galahad como… Read more »

Vagner Oliveira
Visitante
Vagner Oliveira

Só uma correção, a Rademaker não chegou a ir para as Malvinas.
Foram a F46 e a F47.

Abs.

Vassily Zaitsev
Visitante
Vassily Zaitsev

Zorann,

Acho que a foi uma mal entendido. Qual das -22 deu baixa na MB, visto que foi canibalizada????????????

Experiência de combate os navios já tem, falta o pessoal.

abraço.

Vassily Zaitsev
Visitante
Vassily Zaitsev

Qual o nome das F-46 e F-47 na época da Guerra das Malvinas??????????

Uma delas tb foi atingida, não foi?????????????? ao que parece, a bomba não eplodiu, causando somente poucos danos superficiais.

Zorann
Visitante

Vagner, segundo inforações que colhi na internet em maio, em virtude das perdas que a RN sofria nos combates das Falklands, a HMS Battleaxe – F 89 (atual F-49 Rademaker) partiu para area de operações integrando uma FT composta também pelos CT Southampton, pela F Amazon entre outros navios.

Zorann
Visitante

Vagner, realmente me esqueci da nossa F-47. Peço desculpas, abaixo deixo seus nomes originais de quando serviam a Marinha Britânica
HMS Broadsword – F 88 se tornaria nossa F 46 – Greenhalgh
HMS Brilliant – F 90 se tornaria nossa F 47 – Dodsworth

Vagner Oliveira
Visitante
Vagner Oliveira

F46 Broadsword (bomba no convôo);
F47 Brilliant (tiros de mtr A4)-abateu 3 A4 c/SeaWolf.

F49 não chegou lá antes do fim das hostilidades.

Abs.

Zorann
Visitante

Ótimo obrigo pela correção

Marcelo Ostra
Visitante
Marcelo Ostra

Vassilyue

creio eoe possuir 2 Gam-bo, mas não tenho certeza, pois estou interndo no hospital levemente dopado estou meio “cafuso” estoupu xando de memoria aguardando instalação de um cateter, para necessidade de dialise, pois meu “ruim” (ambos BB and BE) tão fodidoss, alem de uma possivel transplante de cerebro com uma lagartixa, mas os problema é queo elas iriam ficam no prejuisos, pois as lagartixa não estão concordando, pois segundo elas não estão interessadas, devido a sairem perdendo

MO

Estou agu

Vagner Oliveira
Visitante
Vagner Oliveira

Grande MO

Melhoras aí!!!

Marcelo Ostra
Visitante
Marcelo Ostra

Obrigdo CO O problema que o cateter é apenas um paleativo, solução real é rea lmente transplante de rins e pancreas, pois é insuficiencia renal cronica, isso tudo descoberto em 5 de novembro agora Mas “relativamente’ estou bem, o problema (um dos) é que com a instalação do cateter não posso mais entrar no mar, nem piscina e nem banheira, vou virar uma Ostra de chuveiro apenas mas obrigado amigo pela força, se vc encontrar ai nas suuas bandas pelo pelo pantanal uma anta que queira doar os rins e os pancreas, tamos ai 🙂 …. (claro que manter o… Read more »

Joao
Visitante
Joao

Henrique,nao construimos no Brasil por que este e um pais de papo furado e conversa para boi dormir. Ai esta a galera,outra vez todos empolgados com mais sucata para o museu flutuante que virou a MB. Por que parar ai??? Devemos ir de compras na Africa tambem. Por la ainda existe muita sucata pra nos. Tambem acho engracado vendo muitos tapar o sol com peneira,quando ao invez de chamar compra de sucata chamam “compras de ocasiao”. E daqui a pouco estao chegando os A-4 “modernizados”,enquanto ate na AL brevemente chegarao esquadroes de SU-35. E ainda tem gente que acredita em… Read more »

Joao
Visitante
Joao

Um dito popular brasileiro muito usado… O BARATO SAI CARO. Vide a incrivel barganha do Opalao e do D-27 Para. Pelo menos os marinheiros que vao servir nesta porcaria vao dormir bem,seguros sabendo que terao o Parnaiba de escolta ASW.

Vagner
Visitante
Vagner

Marcelão,

deixa comigo que vou arrumar alguns sobressalentes aqui na fronteira com a Bolívia. Só não sei a procedência.
“La garantia soy yo…”.

Deixando as bricadeiras de lado, estarei torcendo por sua melhora.

Um grande abraço,

marujo
Visitante
marujo

Quais são os sensores e os armamentos do Sir Galahad e do Sir Bedi, respectivamente Garcia D’Ávila e Almirante Sabóia na MB? Quem foi o Almirante Sabóia?

Nunão
Visitante
Nunão

Marujo, posso falar do armamento do Sir Galahad: duas metraladoreas de 20mm GAM-BO3, uma bem na proa (BE) e outra à ré da superestrutura (BB). Há bases para instalar outras duas em posições a BB e a BE das duas já instaladas, respectivamente.

Para defesa passiva, há 4 lançadores de chaff e flares Plessey Shield, de seis tubos, no alto da superestrutura. Radares são de navegação.

Na minha opinião, armamento e defesas compatíveis com as possibilidades de emprego do meio.

Nunão
Visitante
Nunão

Sinto muito pelas “metraladoreas”, na real, metralhadoras (como a MB chama os canhões de 20mm), além de outros erros de digitação… É que tenho mania de digitar sem olhar o teclado ou o diabo que esteja aparecendo na tela…

André
Visitante
André

Marujo,
O Almirante Henrique Sabóia foi Ministro da Marinha durante o governo do Presidente Sarney, entre 1985 e 1989. Ele faleceu faz pouco tempo.
Sds.

marujo
Visitante
marujo

Amigos Nunão e André: obrigado pelas informações.

Ezequiel
Visitante
Ezequiel

Fiquei muito feliz em ver nesta teça feira o nosso Nae São Paulo docado no Arsenal de Marinha.

Ezequiel

Dunga, o estrategista naval
Visitante
Dunga, o estrategista naval

Para quem acha que o ultimo Parazão D27 era uma sucata,devemos lembrar que este durou aqui na nossa marinha cerca de vinte anos, e tinha um excelente sistema anti submarino, o melhor de toda a esquadra nacional, constituido de um sonar muito potente e um sistema ASROCK de misseis com recarga automática a partir de vante da superestrutura, abaixo da ponte de comando, o que “pegava” era o unico eixo de propulsão…

Baschera
Visitante
Baschera

Falando nisso,
Os radares, sonar e ASROCK do D-27 também serão aposentados ou poder servir para equipar outra embarcação da MB ???
Responde aí Nunão !!

Ostra,
Não sabia que ostras tinham rim….hehehehe…
Na verdade, o que poço fazer é rezar e desejar melhoras.
Sds.

Marcelo Ostra
Visitante
Marcelo Ostra

Ihhh Baschera tu nao sabia, sou um ostra batch II, levemente modernizado em relação ás colegas ostras convencionais, pois consegui até virar editor/co-poprietáriodo poder naval (vc viu que avansso tequinologiko)

hehehehehhe
MO

trackback

[…] a confirmação da aquisição do LST Sir Bedivere (futuro Almirante Saboia) pela DGMM, é interessante rever algumas informações sobre a […]

Nunão
Visitante
Nunão

Baschera, creio que não. É verdade que alguns radares nos últimos tempos foram “reciclados”. Por exemplo, radar de busca de uma das Niterói aproveitados em NDD, o radar de busca do Mingão – mesmo das Inhaúma – também foi pra NDD, peças de radar de direção de tiro das Niterói pras Inhaúma e por aí vai. Mas creio que esses equipamentos do Pará (apesar do sonar ser bom), por serem muito velhos e descontinuados há muito, só estavam sendo mantidos com as peças oriundas dos desativados. Mas vai saber, se o Pará não virar museu (isso é uma proposta nossa,… Read more »

Baschera
Visitante
Baschera

Nunão,
Grato pela resposta coerente.

Ostra,
Desculpe a piadinha. Mas, sério, Papai do Céu não precisa de “ostras” no momento por lá não…. então vais ter que ficar mais um “tempo” no mar de Santos mesmo !!!
Desejo-lhe melhoras rápidas.
Sds.