Home Noticiário Nacional NAe São Paulo: Nota curta

NAe São Paulo: Nota curta

80
0

O NAe São Paulo já deixou o dique Almirante Regis e encontra-se atracado no AMRJ. E deverá realizar testes de máquinas em breve. Os reparos na catapulta lateral prossegem.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
majunior
Visitante
majunior

AAaaeeeeeeeee! =] vamo q vamo!

Brasil!!!!!!

airacobra
Visitante
airacobra

la pra 2010 navega, isso se nao pegar nada

Dalton
Visitante
Dalton

Vamos torcer para que dê tempo do Opalao exercitar-se com o USS Carl Vinson que deve passar por aqui no fim do ano a caminho de sua nova base em San Diego. E olha que ele está em manutençao/reabastecimento desde novembro de 2005!!!

Já pensaram quanta foto de propaganda? Quem sabe até a ministra Dilma , nossa futura Presidente, nao comparece, afinal, o Sao Paulo será usado para uma festança para comemorar a primeira extraçao de petroleo do campo petrolifero Tupi, coisa já publicada aqui no blog.

Vou vomitar e já volto !

Abraços

Wolfpack
Visitante
Wolfpack

O que estão fazendo com a catapulta principal? Somente manutenção ou algum upgrade?
Deve-se discutir se devemos continuar investindo em NAe no futuro. O dinheiro não estaria melhor investido em uma força maior de submarinos e corvetas modernas? Bases no litoral não poderiam dar o poder de negação do mar para o nosso país?

fernando
Visitante
fernando

acho que eles estao aperfeicoando a catapulta para que sejam lancados os futuros rafale que vem ai!!!

RL
Visitante
RL

Dalton.

RSRSRSRS…

Tem espaço pra mais um ai poder vomitar?.rrsrsrrsrs

Dunga
Visitante
Dunga

O Opalão está com 48 anos de idade!!. Para uma estrutura (do ponto de vista da Engenharia naval) que foi desenhada para durar mais ou menos 35/40 anos, já está muito defasada, partindo do ponto de vista tecnico, então é pura “fleuma brasileira” manter um sucatão como este sem apoio tecnico=(um trabalho que realmente justifique o uso com eficiência), armamento=( todos os sistemas atualizados que possibilite uma pronta defesa com emprego de meios atuais), apoio logistico=(navios de suprimentos que garantam a sua permanencia no mar por um tempo suficiente para uma operação longa em aguas azuis) e por fim, escoltas… Read more »

Baschera
Visitante
Baschera

Vampiro brasileiro, putttzzzz….
Sds.

max
Visitante
max

será que agora vai?

Vassily Zaitsev
Visitante
Vassily Zaitsev

Ah, agora vai. Nosso velhinho e querido Opalão vai finalmente singrar os mares com velocidade total.

Ficará navegando (ou sendo rebocado???) por 25 dias e depois, volta ao pier, para mais uma reforma de 2 anos.

Brincadeira, espero que se começe à pensar em um substituto imediatamente, pois o Brasil precisa sim de um ou mais NAEL, para poder cantar de galo no ambito internacional.

abraços.

Obs: não postei antes pq o speedy está uma mer….cadoria.

Ai que saudade da NET.

Almeida
Visitante
Almeida

Acho que o unico uso operacional possivel para o A-12 seria o de alvo para os novos sistemas de armas dos Tupi modernizados. Mk 48 nele! Pelo menos valida um sistema de armas eficaz contra um totalmente inoperante e daria uns belos videos no youtube!

Democracia
Visitante
Democracia

Espero que o Huguito não ache que pode com a gente porque senão tacamos o Opalão nele ja que o chamam de sucata, por favor mais respeito né mesmo com todos os problemas ele ainda é o Opalão e é o que temos e por aqui só nos temos, só minha opinião é claro cada um com a sua.

Viva a República!!!

Cabral
Visitante
Cabral

Só o efeito pscologico de ter o São Paulo no mar com alguns A4 já vale o preço pago por dele.

Abrivio
Visitante
Abrivio

O que funciona? Ao invés de uma Niterói modernizada, a MB enviou uma Type 22 (moderna na Guerra das Malvinas e demonstrou deficiências). Não haveria nenhuma Niterói 100% operacional. Por falta de verba, algumas unidades não receberam todos os sistemas inicialmente previstos. As Inhaúma não tem defesa antiárea válida. Não existem Exocet´s suficientes, normalmente as escoltas operam com apenas dois misseis. Linx insuficientes e aguardando modernização, esquilos operam das escoltas ocasionalmente. Os tupi aguardam modernização. O estoque de torpedos é pequeno. Aparentemente, são o vetor com melhor operacionalidade da força. Frota de Seaking com baixa disponibilidade; A4, sem comentários. Navio… Read more »

Abrivio
Visitante
Abrivio

O efeito máximo produzido pelo São Paulo são risos. Fica muito bem em paradas ou como salão de festas, se pelo menos conseguir navegar. Ter um nae e nenhum é a mesma coisa em vistude dos ciclos de manutenção necessários em qq unidade naval. Por outro lado, um navio tão antigo necessita de ainda mais reparos, o que torna inviável sua operação. Por isso, a França praticamente “deu” o São Paulo para o Brasil, acreditando que a manutenção seria feita na França e para se livrar dos altos custos de desativação (descontaminação e arbesto). A MB, porém, conseguiu docá-lo no… Read more »

Democracia
Visitante
Democracia

O preço que ja pagamos por ele e suas modernizações não daria para pelo menos ter falsificado um “são paulo” como fase os chineses ?

Viva a República!!!

Naval/MadTurtle
Visitante
Naval/MadTurtle

– O São Paulo deve ficar na MB até 2015/2020. Isto aqui é o que se fala nos meios. Não existe nenhum porta-aviões “usado” para se adquirir nos próximos 20 anos. se a MB quiser ter uma força válida para 2020 deve começar a pensar no substituto no máximo em 3 anos e começá-lo a construir. Um porta-aviões novo leva entre 7 e 10 anos para ficar pronto. A meu ver a melhor opção seria construir o modelo BSAC220 espanhol adaptado para poder operar com Rafales (a melhor opção atualmente e para os anos 2020). A outra opção em aeronaves… Read more »

Cabral
Visitante
Cabral

Deveriamos ter adquirido os 2 porta avões francês, usando e deixa o outro na reserva ou na manutenção, também não deveriamos ter desativa o Minas Gerais. falta uma política seria.Já e hora de pagar de brincar de marinha, mas de ser uma força naval respeitada.

Cabral
Visitante
Cabral

Já e hora de parar de brincar de marinha, mas de se torna uma força naval respeitada.

Alexandre Assemany
Visitante
Alexandre Assemany

Sou a favor, de desistirmos de termos PA, não vamos levar o mesmo a lugar algum, no maximo de recife ao rio grande (RS), para que me pergunto, tanto investimento jogado fora, só por que a MB, não quer dar o braço a torçer? quer porque quer ter aviação de asas fixas? sinceramente, toda aviação de asas fixas deveria ser coma FAB, na MB e EXERCITO no maximo helis, já estaria de bom tamanho. Sou a favor de ESCOLTAS modernas, para guerra anti-submarina e anti-aerea, quem sabe umas 6 FREEMs e 6 KDX-II, mas as 6 Niterois e 3 T-22… Read more »

João-Curitiba
Visitante
João-Curitiba

Prezado Cabral Os dois porta-aviões franceses eram o Foch (hoje São Paulo) e o Clemenceau. O Foch era “pouco usado”. Servia mais como um porta-helicópteros ao passo que o Clemenceau tinha a função de um verdadeiro NAe. Pelo menos isto que nos foi contado na ocasião da compra do mesmo. Portanto, o Clemenceau não seria uma boa compra, pois já tinha dado tudo o que poderia dar. Quanto ao Minas, já estava anti-econômico. Agora nos resta esperar pelo desenvolvimento dos porta aviões de uso especial, que parece serão na verdade navios de assalto anfíbio. Até o momento, porém, nada de… Read more »

jacubao
Visitante

Completando as palavras do nosso amigo Joao-Curitiba, o CLEMENCEAU teve um incendio monstruoso que impossibilitou qualquer reparo, por isso ele foi desativado.
Galera, estou escrevendo sem acento porque esta p… de computador quase si f… ontem e ainda vou leválo ao técnico.

Abraços

Paulo
Visitante

Pessoal que defende desativação do NAE em prol de uma força de fragatas e submarinos é altamente limitado. Com uma costa do tamanho da nossa , não um , mas pelo mesnos 2 porta aviões são necessários. Apenas subs não fazem o serviço. E é melhor um na mão do que dois voando. Assim reformem o opalão , porque o $$ da reforma não daria nem pra iniciar os estudos de um novo Nae…..