sexta-feira, abril 16, 2021

Saab Naval

MB cumpre missão na “UNITAS LI”

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

UNITAS LI_01Há 51 anos, a Marinha do Brasil participa da Operação “UNITAS”. Este ano, o evento reuniu navios do Brasil, Argentina, Estados Unidos da América e México.

No período de 13 a 26 maio, foram realizados exercícios de guerra antissubmarino, antissuperfície e antiaérea. Ao final da Comissão, foi simulada uma guerra entre países fictícios (laranja, amarelo e roxo), na qual o Brasil, representando o país laranja, conseguiu cumprir a missão e vencer a simulação.

Na manhã do dia 18 de maio, foi realizada uma Parada Naval, na qual todos os navios participantes se posicionaram no dispositivo cerrado por cerca de 20 minutos.

Após a Parada, o primeiro exercício foi o  Crossdeck, no qual os navios receberam, a bordo, helicópteros de outras unidades.

Nesse exercício, o helicóptero AH-11A Super Lynx, da Fragata “Constituição” (F42), pousou nos convoos dos navios mexicano, ARM ”Baja Califórnia”; argentinos, “ARA Sarandi” e ”ARA Robinson”; e o norte-americano “Spencer” (WMEC 905).

UNITAS LI_2

O exercício também foi executado pelas aeronaves AS565 “Panther” (México), SH-60B “Warrior” (Estados Unidos da América), AS550 “Fennec” e SA-316B “Alouette III”, ambos da Argentina.

No contexto das ações de guerra antissuperfície, foi realizado o exercício de tiro, “Gunnex 603”.

Nesse exercício, a F42 disparou tiros de canhão contra o alvo Killer Tomato, afundando o alvo.

Após o exercício de tiro, a F42 executou o “Leap-Frog” com o navio mexicano ARM “Baja Califórnia” e com os argentinos ARA “Robinson” e ARA “Sarandi”. Nesse exercício, os navios se adestram para a transferência de carga leve executando a aproximação e manutenção da posição, sem efetivar a passagem de material.

UNITAS LI_3

Para o Comandante da Segunda Divisão da Esquadra, Contra-Almirante Edlander Santos, exercícios como esses são importantes para a integração e interoperabilidade entre os países participantes. “Atuando com Forças amigas, nós podemos trocar conhecimento. Aprendemos com eles, e eles conosco”, disse.

Missão Cumprida

Na madrugada do dia 23, ocorreu a simulação de um conflito internacional, no qual o Brasil, Argentina, Estados Unidos da América e México  representaram três países simulados (laranja, amarelo e roxo).

A missão do Grupo Tarefa (GT) Brasileiro (país laranja) era escoltar o Navio-Tanque argentino, ARA “Patagônia”, do país amarelo, até a fictícia Ilha Manuel. Os GT Norte Americano e Mexicano eram os supostos inimigos e tentaram impedir a chegada do Navio-Tanque até a Ilha.

Durante o conflito, a equipe de Combat Camera do Brasil enviou  notícias para influenciar a ação dos inimigos. Por meio das notícias simuladas, foi possível criar um contexto histórico da simulação de guerra.

Ao final, o GT brasileiro cumpriu, com sucesso, sua missão na “UNITAS LI”, escoltando o navio “Patagônia” até seu destino.

O encerramento da comissão aconteceu no dia 26 de maio, na Escola de Guerra Naval de Buenos Aires. Representantes dos países falaram sobre lições aprendidas e desafios enfrentados. A partir do dia 27, a Fragata “Constituição” seguiu para Operação “Fraterno XVIII”.

UNITAS LI_4

FONTE: MB

- Advertisement -

6 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bronco

Bravo Zulu!!!

“AO ELO QUE NOS UNE, AO URSO!”

Dizem por aí que é a melhor tripulação e a Niterói em melhor estado operacional. Não deve se à toa que tem representado a MB em diversos exercícios recentes.

MO

Broncofogo

Se a “Pioneira foi” até ai pode ser (não creio ultimamente, quem navegava mais era o Urso, a Leo Pirata e a Lili, mas se assim o fosse, era, pós treta de arraial do cabo

Reparou que não sae nada sobre ela …

Abs
MO

Bronco

MO, que eu saiba a Niterói não foi à Unitas.

Aliás, este ano, segundo post do próprio poder naval, foram a Constituição e o submarino Tikuna.

Achei estranho, pois normalmente vai mais de uma fragata e/ou uma das Inhaúma também.

O eu quis dizer que já ouvi de mais de um militar que a Constituição (ou “Urso”) é, entre as fragatas Classe Niterói, o navio com melhor adestramento da tripulação e em melhores condições operativas.

Aliás, foi bom o MO tocar no assunto. Alguém tem mais notícias da Niterói depois do encalhe? Houve algum dano mais sério?

MO

Bronco

Eu “si” confundi com isso:

“Dizem por aí que é a melhor tripulação e a Niterói em melhor estado operacional. ”

Desculpe
MO

Luiz Padilha

Tava docada no AMRJ e creio ainda está lá.

Alexandre

Uma coisa é certa. Que a Constituição teve uma vida agitada nos ultimos ano e maio isso teve. Sempre operacional quando foi preciso. Desde o acidente com o Air France quando já voltavam de manobra no exterior, ao resgate quase imediato do navio escola canadense, só da ela. Não tenho dúvidas que o moral da tripulação deve estar bem elevado.

- Publicidade -

Guerra Antissubmarino

Quando o P-3AM Orion da FAB enfrentou um submarino nuclear

Imagine buscar um inimigo invisível em uma área de 2 mil quilômetros quadrados, equivalente a mais de 242 mil...
- Publicidade -
- Advertisement -