Home Indústria Naval Reportagem a bordo do submarino classe Scorpene O’Higgins da Armada do Chile

Reportagem a bordo do submarino classe Scorpene O’Higgins da Armada do Chile

6168
62

Vídeo de reportagem a bordo do submarino O’Higgins da classe Scorpene, mostra o interior do submarino e dá para ter uma ideia dos compartimentos e de como serão os futuros submarinos S-BR, que são uma evolução do Scorpene original. Infelizmente a reportagem não mostrou os displays do sistema Subtics, que aparecem apenas em uma tomada ao fundo rapidamente, antes da entrevista com o comandante do submarino.

A classe Scorpene é de submarinos de ataque diesel-elétricos desenvolvidos conjuntamente pela Direction des Constructions Navales (DCN) e pela companhia espanhola Navantia, e agora pelo Naval Group. Possui  também uma propulsão adicional independente do ar (AIP) opcional.

A Armada do Chile encomendou dois submarinos Scorpene, que substituíram dois submarinos da classe Oberon. Os submarinos O’Higgins e Carrera foram incorporados em 2005 e 2006, respectivamente.

Em 2002 a Malásia encomendou dois Scorpene, os submarinos Tunku Abdul Rahman e Tun Abdul Razak, que foram incorporados em 2009.

Em 2005, a Marinha Indiana encomendou seis Scorpene; todos os submarinos indianos serão construídos na Índia, no Mazagon Dock e em outras indústrias locais. O Kalvari, primeiro submarino indiano da classe, foi incorporado no final de 2017.

Em 2008, a Marinha do Brasil contratou quatro Scorpenes modificados (S-BR) e assessoria técnica para o projeto e construção do primeiro submarino brasileiro de propulsão nuclear.

62
Deixe um comentário

avatar
59 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
27 Comment authors
DIPLOMATA92Marcelo AndradeGonçalo Jr.ZorannNonato Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Noble Member

Ótimas imagens da praça de máquinas.

Destaque para as portas estanques. Nas cenas mostradas, deu pra contar duas na praça de máquinas, uma separando o compartimento onde está instalado o motor elétrico (e outros equipamentos do sistema elétrico) do compartimento dos motores diesel / geradores, e outra separando este dos alojamentos.

E finalmente pude descobrir alguns dos segredos das empanadas chilenas.

Aldo Ghisolfi
Visitante

Os nossos convencionais são baseados no Scorpene.
Serão assim, como o da reportagem?

Rennany Gomes
Visitante
Rennany Gomes

Belo submarino e, chama atenção o espaço interno como referiu o Galante.

Nando r18
Visitante
Nando r18

O brasileiro é maior e bem mais pesado. Será q terá a mesma agilidade q o original ?

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Impressionante a qualidade para os submarinistas no quesito espaço,
mais …. os do Brazil serão mais espaçosoa ainda.

Burgos
Visitante
Burgos

Que venha o Riachuelo !!!

Ozawa
Visitante
Ozawa

Breve farão operações conjuntas com os nossos … E por que não quando aportarem por aqui na Base do Complexo de Itaguaí para alguns reparos …

Ozawa
Visitante
Ozawa

O Chile é o “Canadá da América do Sul” … Até nas FFAA …

Gil
Visitante
Gil

Tenho curiosidade pra saber que diferenças existem entre os U-209 do Brasil e do Chile (depois dessa modernização pelo Brasil) e o mesmo no referente a classe Scorpene. Os sistemas nos Scorpenes devem de ser bastante distintos dado a passagem do tempo entre uns e outros

Rodrigo Tavares
Visitante
Rodrigo Tavares

Com certeza Ozawa

Os chilenos sem devaneios e megalomania, tem forças armadas moderna, operacionais e enxuta para país do seu tamanho e com sua população pequena.

Raul
Visitante
Raul

Rodrigo Tavares

Na minha concepção os chilenos pararam no tempo.

O Brasil por mais demorado que seja vai tocando os seus projetos, com ToT e construção nacional.

Eu não acho interessante você comprar uma porrada de equipamentos e dizer que está “armado até os dentes”. O Chile comprou os F16 que já operam no país há mais de 15 anos, alguns são recauchutados da Força Aérea da Holanda

Nos próximos 10 anos nós teremos vários projetos, dentre eles:

4 Scorpenes
Vários Gripens
Corveta/Fragata do projeto Tamandaré
Patrulhas
KC 390
VBTP Guarani
Astros 2020
MAN-SUP
AVTM Matador
Submarino Nuclear
Fuzil IA2

Será que o Chile tem alguma coisa em construção?

João Igor
Visitante
João Igor

Alguém sabe alguma coisa sobre esse projeto chamado CABURE 300 da Turbomachine.

Glasquis7
Visitante

Ozawa 10 de Fevereiro de 2018 at 20:47
“Breve farão operações conjuntas com os nossos … E por que não quando aportarem por aqui na Base do Complexo de Itaguaí para alguns reparos …”

Os submarinos da ARCh realizam as suas manutenções e modernizações nos estaleiros da Estatal Chilena ASMAR. Não é diferente com os Scorpenes que já tem passado por intervenções nos estaleiros locais.

Kornet
Visitante
Kornet

Realmente é um submarino que irà agregar e muito à MB.

Glasquis7
Visitante

Gil 10 de Fevereiro de 2018 at 21:09 “Tenho curiosidade pra saber que diferenças existem entre os U-209 do Brasil e do Chile” Os U 209 1400 da ARCh foram modernizados exaustivamente e estão indo pra aquela que deverá ser a sua última modernização neste momento. A principal diferença está nos sistemas, sub sistemas e na capacidade de lançamento de Misseis que no caso atual, é exclusividade do Chile na América Latina. Os Submarinos Equatorianos Siri e Huancavilca (U 209 1200), passaram por modernizações també, em ASMAR CHILE e foram preparados pra abrigar esta capacidade (Lançamento de mísseis Exocet) mas,… Read more »

Nilson
Visitante
Nilson

Foram 5 ótimas compras do Chile, ficaram num patamar acima dos vizinhos: F16, Scorpene, Foudre, Type 23, Leopard 2. Aos poucos o Brasil vai tirar a diferença: Grippen, Scorpene BR, Bahia e Ocean, Tamandarés e/ou Type 23, Guarani, M109 e em alguns anos Leo 2 mais modernos. O problema foi o grande atraso nos nossos projetos, muito caros e envolvendo a sempre difícil transferência de tecnologia.

Glasquis7
Visitante

Raul “Na minha concepção os chilenos pararam no tempo…. ” Curiosa a sua colocação. O Chile está tão parado no tempo que opera desde 2005, submarinos que o Brasil irá operar em 2020. Estes já foram modernizados e são, desde o dia da sua incorporação, os mais modernos e capazes submarinos de toda América Latina. Além deles, tem 2 U 209 com capacidade de lançar misseis, algo que nenhum outro país da região tem e que entraram em Janeiro passado em sua última modernização pra garantir a sua operacionalidade até 2028, dando um excedente de 3 anos a contar da… Read more »

Paulo
Visitante

Vejo o Chile como pragmático, seguindo a linha de Adam Smith em A riqueza das nações, aproveita ao máximo os setores onde tem vantagem competitiva (gerando receitas). Mantém o Estado pequeno e eficiente, aproveitando ao máximo a receita obtida em prol do desenvolvimento de seu povo.

Paulo Itamonte
Visitante
Paulo Itamonte

Interessante também é que a tripulação inteira usa a jaqueta de voo americana G!. E parece que ela é uniforme oficial da Marinha Chilena.

Jr
Visitante
Jr

“A principal diferença está nos sistemas, sub sistemas ” alguém saberia dizer qual a diferença, pelo que sei os sistemas dos nossos 5 submarinos alemães foram e estão sendo alterados para o sistema da lockheed martin e lançamento de torpedos americanos

CVN76
Membro
Noble Member

Muito legal o vídeo….estranho é o sotaque chileno…..mais difícil de compreender do que o de outros países de lingua espanhola…..foi a impressão que eu tive…

Glasquis7
Visitante

Jr
” pelo que sei os sistemas dos nossos 5 submarinos alemães foram e estão sendo alterados para o sistema da lockheed martin e lançamento de torpedos americanos”

Justamente aí está uma das diferenças. Os torpedos pesados usados pelo Chile são os WASS Black Shark Italianos. O Chile usa torpedos americanos apenas nos Navios e nas aeronaves.

Rennany Gomes
Visitante
Rennany Gomes

CVN76 11 de Fevereiro de 2018 at 10:07
Muito legal o vídeo….estranho é o sotaque chileno…..mais difícil de compreender do que o de outros países de lingua espanhola…..foi a impressão que eu tive…

Eu também não entendi quase nada.

Paulo B
Visitante
Paulo B

Belas imagens de imagens de uma belíssima belonave. Sobre a discussão quem é a melhor, a maior, a mais moderna, etc. Para mim toda essa discussão não tem sentido algum. A cordilheira dos Andes nos separam deles, fora isso, para haver qualquer problema ainda há territórios de outros países nos separando. Como já foi falado anteriormente, bolivianos e peruanos estão sempre de olho no Chile, então a mobilização e logística é maior. Quanto a nós, saindo esse ranço maldito contra os militares, esse pessoalzinho que queria implementar uma ditadura vermelha. Entendo que entrará mais dinheiro para aumentar o grau de… Read more »

Jonemir Kramer
Visitante
Jonemir Kramer

a finalidade da iluminação (vermelha) usada nos COCs das belonaves é a de não criar reflexos nas telas dos sistemas de combate e facilitar sua leitura? existe outro motivo? e aquelas “toucas ninja” (kkk) são proteção contra incêndio? falei besteira ?

Glasquis7
Visitante

“Sobre a discussão quem é a melhor, a maior, a mais moderna, etc. Para mim toda essa discussão não tem sentido algum.”

??? E tem essa discussão no tópico ???

Nilson
Visitante
Nilson

Paulo B 11 de Fevereiro de 2018 at 12:24
.
Realmente, Paulo, o Chile não é, nem de longe, um possível adversário do Brasil. Mas a discussão é interessante a título de benchmarking, de uma forma ou de outra eles têm conseguido ficar à frente em vários itens utilizando menos recursos, provavelmente temos algo a aprender. Aprender, não simplesmente copiar ou usar como exemplo, pois lá e cá são situações bem diferentes.

Henrique de Freitas
Visitante
Henrique de Freitas

O Chile e’ organizado e bem arrumadinho. Se a coisa apertar não tem para onde correr. Para vocês terem uma ideia não existe uma indústria automotiva … não se forma mão de obra em volume e muito menos suporte de base industrial com empresas que prestam serviços e soluções, em caso de necessidade, com duplicidade ou triplicidade e assim por diante.
O dinheiro das minas de cobre em forma de impostos são direcionados para as compras militares. Não tem como se comparar.

Glasquis7
Visitante

Henrique de Freitas As ameaças ao chile estão previstas no HV3 que forma parte do plano estratégico de defesa do país. A indústria automobilística não ganha guerras nem defende territórios. O que que faz de um país forte, militarmente falando, é o seu treinamento, capacidade de operação e armamentos. O Chile tem os 3. Forças bem treinadas, com um bom índice de operacionalidade dos seus equipamentos e um alto grau de modernidade dos mesmos. “Se a coisa apertar”, não aperta assim tão facilmente pois o Chile conhece e muito de perto os seus adversários e está sempre se preparando pra… Read more »

Nonato
Visitante
Nonato

Quanto ao espaço interno, não achei grande. Tipo a cama que o torpedeiro usa não consegue se virar. Não tem como dormir direito. Na hora da refeição, só dá para passar o garçom no corredor. Mas, aparentemente, é menos claustrofóbico do que outros submarinos que vemos em filmes. Algumas perguntas: Cozinham com fogão a gás? Forno de microondas? Isso não facilita serem localizados (o calor). Como são essas missões? Como conseguem saber onde estão quando submersos já que não possuem GPS (não usam embaixo d’água). O que ficam fazendo? A maior parte do tempo só observando barcos pesqueiros com o… Read more »

Zorann
Visitante
Zorann

Tem só que lembrar de uma coisa: O orçamento militar do Chile é 1/5 do nosso. Olhem oque eles tem hoje e compare conosco hoje. Oque a gente pretende ter no futuro, a grande maioria dos projetos não está garantida. Estão contando com os ovos antes das galinhas botarem.
.
Quanto ao submarino, excelente reportagem. O navio parece novinho e ja está em serviço a quase 13 anos. Não tem uma mancha de graxa na sala de maquinas!

Glasquis7
Visitante

Zorann
“O orçamento militar do Chile é 1/5 do nosso. ”

Acho que é bem menos do que isso.

Orçamento militar do Chile pra 2018:

Ejercito : 871 milhões de Dólares:
http://www.infodefensa.com/latam/2017/10/06/ejercito-chile-contara-2018-presupuesto-871-millones-dolares.html

Armada: 652 Milhões de Dólares:
http://www.infodefensa.com/latam/2017/10/09/noticia-armada-chile-dispondra-millones-dolares-gastos-generales.html

Força Aérea: 418 Milhões de Dólares:
http://www.infodefensa.com/latam/2017/10/17/noticia-fuerza-aerea-chile-contara-presupuesto-millones-dolares.html

Dá um orçamento total de 1Bilhão, 991 Milhões como orçamento total.

Só com o PROSUB as FFAA do Chile trabalham durante 4 anos e meio considerando 6,7 bilhões de euros: http://www.naval.com.br/blog/2009/09/08/assinatura-dos-contrato-do-prosub/

Glasquis7
Visitante

Zorann

Meu comentário ficou retido, acho que devido aos links postados então vou escrever sem eles.

“O orçamento militar do Chile é 1/5 do nosso. ”
Acho que é bem menos do que isso.
Orçamento militar do Chile pra 2018:
Ejercito : 871 milhões de Dólares:
Armada: 652 Milhões de Dólares:
Força Aérea: 418 Milhões de Dólares:

Dá um orçamento total de 1Bilhão, 991 Milhões como orçamento total.
Só com o PROSUB as FFAA do Chile trabalham durante 4 anos e meio considerando 6,7 bilhões de euros

Gonçalo Jr.
Visitante
Gonçalo Jr.

As FFAAs chilenas possuem verbas definidas na CF deles com a lei dos 10% dos royalties do cobre. Há anos o congresso nacional chileno tem debatido a respeito pois a estatal chilena CODELCO passa por dificuldades financeiras e mesmo assim tem que cumprir o repasse de 10% das suas vendas para as Forças Armadas. Hoje, mesmo com lucro de US$ 6 bilhões em 2017, a estatal fechou com uma dívida de US$$ 13,6 bi em 2017. Essa lei existe desde 1976. Caso ela acabe as FFAAs do Chile vão ficar de pires na mão como o é o restante as… Read more »

Glasquis7
Visitante

Gonçalo Jr. 12 de Fevereiro de 2018 at 13:31 Hoje, mesmo com lucro de US$ 6 bilhões em 2017, a estatal fechou com uma dívida de US$$ 13,6 bi em 2017. O Problema não é a deuda. O Chile yrabalha com uma deuda altíssima o que não representa ameaça nenhuma a sua economia. CODELCO faz parte dee essa dívida. “Essa lei existe desde 1976” Não, a ley derivada dol Cobre (como se conhece no Chile) é da década de 50, sob o governos de Carlos Ibañez del Campo: https://es.wikipedia.org/wiki/Ley_Reservada_del_Cobre “Caso ela acabe” E por que acabaria? “Portanto é muito fácil… Read more »

Glasquis7
Visitante

“Portanto é muito fácil ter planejamento econômico e financeiro tendo um dispositivo constitucional como este.”

Não, o fácil é ficar encontrando desculpas pra criticar sistemas de defesa que tem dado certo, mesmo sem ter o conhecimento su8ficiente pra tal.

Nilson
Visitante
Nilson

Realmente, Glasquis, infelizmente nosso pessoal tem dificuldades em entender o que é organização, prioridades e planejamento a longo prazo, no qual os contingenciamentos e crises financeiras já têm que ser previstos. Aqui se pensam em coisas mirabolantes, que por isso mesmo mudam todo o tempo, já o Chile faz o “feijão com arroz” com muita maestria. (“feijão com arroz” é o básico, o normal, mas suficiente e eficiente).

Glasquis7
Visitante

Nilson 12 de Fevereiro de 2018 at 14:18

Tal vez, a grande vantagem do Chile é que não corre atrás de ser uma potencia a nível sul-americano, apenas se preocupa em manter seus “inimigos” bem dissuadidos de que uma aventura sobre território chileno trará muitos mais prejuízos do que lucros.
Já o Brasil, tem uma obrigação, pelo tamanho e pela riqueza do seu país e isto tal vez jogue contra.

Gonçalo Jr.
Visitante
Gonçalo Jr.

Glasquis7 12 de Fevereiro de 2018 at 14:02 Glasquis7 12 de Fevereiro de 2018 at 14:04 Ok. Aguardemos os próximos anos e veremos qual vai ser essa organização quando e se essa lei acabar. E foi sim Algusto Pinochet quem fixou dispostivos de lei em 1976. As origens da Lei de Reserva do Cobre são anteriores a ditadura do general Augusto Pinochet e se remontam aos anos 1930. A Lei do Cobre original, de 1958, destinava 15% dos lucros das mineradoras a um fundo para equipar as Forças Armadas. Mas ela foi reformulada na ditadura para estabelecer o percentual sobre… Read more »

Glasquis7
Visitante

Gonçalo Jr. Já esteve no Chile, fez algum curso lá ou formou com as FFAA do Chile? A ley Derivada del Cobre tem sido discutida desde 1990, isto é, há 28 anos e nunca, NUNCA tem sido modificada na sua natureza. O que o senhor não sabe (mas mesmo assim opina) é que o orçamento militar nada tem a ver com a Ley do Cobre. A reserva de dinheiro está depositada e as FFAA do Chile não são obrigadas a comprar nada. O que ocorre é que esse dinheiro SÓ PODE SER UTILIZADO PRA REAPARELHAMENTO DA FORÇA e mais nada.… Read more »

Nilson
Visitante
Nilson

Gonçalo, importante alertar nesse debate que o EB, em diversos comentários no Poder Naval, tem sido considerado a força mais coerente no seu planejamento, a mais pé no chão. A FAB pecou por nos deixar vários anos sem um caça no lugar dos Mirage, apostando tudo no FX-2. E a Marinha foi extremamente enganada pela história dos recursos do pré-sal, e ficou a esperar os grandes projetos que dependiam de tais recursos e deu no que deu, agora por vários anos terá que ficar ouvindo que a Armada do Chile está á sua frente.

Zorann
Visitante
Zorann

Olá Glasquis7! . Eu tentei puxar os valores de cabeça. Tinha lido 2, 3 anos atras o relatorio do SIPRI sobre gastos militares. E na época o orçamento chileno representava cerca de 1/5 do nosso. Pode baixar o relatorio do SIPRI (uma planilha do Excel) e dar uma conferida nos gastos de todos os países do continente. Se este valor for ainda menor, como você citou, fica mais gritante ainda a diferença. Nas últimas duas décadas eles estão sempre um passo a nossa frente. – resolvemos modernizar os F5, os deles ja tinham sido modernizados; – resolvemos comprar Leo 1,… Read more »

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Fala sério, comparar nossas FFAA com o Chile somente pelas compras que eles fizeram? Nosso parque industrial engole o Chile três vezes já que nem automóvel eles fabricam. Nós temos a terceira indústria aeronáutica do mundo e se atrasamos em relação a eles porque nós podemos fabricar e construir submarinos, eles não. Tá, a Marinha deles até pode estar à frente mas nosso TO é muito mais complexo!! Compraram 10 F-16 modernos o resto é F-16A MLU, logo teremos um dos melhores caças do mundo e construído aqui. Pode ser que lá a classe política da mais atenção à Defesa… Read more »

Glasquis7
Visitante

Marcelo Andrade “Fala sério, comparar nossas FFAA com o Chile somente pelas compras que eles fizeram?” Ninguém compara ambos por compras. O que se compara são as suas FFAA e a capacidade de cumprir a sua missão e o equipamento é muito importante nisto. “Nosso parque industrial engole o Chile três vezes já que nem automóvel eles fabricam” E o Brasil fabrica automóveis? Achei que eram montadoras só. Posso estar enganado mas tenho entendido que depois da Gurgel não foram mais fabricados carros no Brasil. Quais navios militares o Brasil constrói na atualidade? Já ouvi disser que não constrói NaPOc… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Noble Member

“E o Brasil fabrica automóveis? Achei que eram montadoras só. Posso estar enganado mas tenho entendido que depois da Gurgel não foram mais fabricados carros no Brasil.” Glasquis, Sei que o tema é fora do tópico, mas a grande maioria das marcas com produção aqui são fábricas. Montadora é um nome genérico que vem do tempo em que só se montavam carros semi-desmontados, entre os anos 1920 e 1950. Se tem fundição para blocos de motores, indústria de autopeças como fornecedoras, e prensas para a estamparia, o termo é fábrica, e isso tem aqui (e continuará tendo) desde o fim… Read more »

Rennany Gomes
Visitante
Rennany Gomes

Seguindo esta ótica nenhum país tem fabrica de nada, porque o que se tem hoje em dia são grande multinacionais dominando o mercado no mundo todo, com o controle acionário trocando de mão constantemente.

Glasquis7
Visitante

Fernando “Nunão” De Martini Não se trata de desfazer das capacidades do Brasil nem muito menos. Apenas de deixar claro que a indústria Brasileira, não me parece um fator preponderante num conflito na região já que a estrutura econômica destes países não suportaria uma guerra de media ou longa duração então, a indústria seria pouco relevante em detrimento da economia. Seguindo esta ótica, numa guerra na região, não importa o que se pode construir, o que importa é o que se tem e como se opera. “O gap entre os trabalhos de conclusão do último IKL 209 no Brasil e… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Noble Member

“Acho que o Brasil perdeu esse gap e hoje precisa da França pra construir seus submarinos. Isso quer disser que o risco de num futuro de perder esta capacidade é real.” Glasquis, Acho que você entendeu errado meu comentário. Eu escrevi sobre haver um pequeno gap (lacuna/intervalo) na atividade de construção de submarinos no Brasil, ou seja, entre o final da construção do Tikuna (2005) e o início da construção do futuro Riachuelo (2010 para as partes construídas na França e 2012 para as construídas no Brasil) comparado à lacuna maior na atividade de construção de navios de guerra de… Read more »

Glasquis7
Visitante

Rennany Gomes

Não, as industrias que participam dos processos bélicos no Chile são de propriedade do estado ou estão sob o controle dele. E não me refiro ao controle acionário, me refiro ao controle da empresa, mantendo militares na ativa, em postos de diretoria, executivos e reservando os desenvolvimentos tecnológicos, garantindo assim que as mesmas atenderão, principalmente, aos interesses geoestratégicos da Nação. O Exemplo está em que as maiores empresas bélicas do Chile são ASMAR, ENAER e FAMAE, todas de propriedade do estado.