terça-feira, setembro 28, 2021

Saab Naval

Royal Navy atacou baleias na Guerra das Malvinas/Falklands

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

“A Royal Navy matou três baleias após confundi-las com submarinos inimigos durante a Guerra das Malvinas. Duas foram mortas por torpedos lançados da fragata antissubmarino HMS Brilliant e a terceira foi atacada por um helicóptero Sea King.

Os incidentes anteriormente não divulgados foram retirados dos diários da tripulação do navio, que foram publicados online em 2013 no site hmsbrilliant.com, que comemora o papel do navio na guerra de 1982.

O trabalho da HMS Brilliant era ajudar a defender o HMS Invincible, um dos dois porta-aviões britânicos desdobrados no Atlântico sul, contra o ataque de mísseis e submarinos argentinos.

A bordo, o clima era tenso. Registrando o primeiro incidente, um membro da tripulação escreveu sobre um “pequeno contato de sonar” que levou ao lançamento de dois torpedos, cada um deles atingindo uma baleia. Ele observa secamente: “Óleo de baleia avistado por Sea King [helicóptero]. . . Acho que vou me juntar ao Greenpeace”.

Mais tarde naquele dia, um helicóptero Sea King lançou cargas de profundidade contra um suspeito “submarino”, apenas para descobrir que ele também havia matado uma baleia.

O Ministério da Defesa disse que o equipamento de sonar da época podia ser facilmente confundido com os ruídos das baleias, mas que o equipamento moderno era muito mais criterioso.

Um porta-voz da Whale and Dolphin Conservation disse: “As marinhas têm o dever de cuidar e não esperamos que a nossa escolha seja deliberadamente explodir baleias.”

Helicóptero Sea King HAS.5 lançando um torpedo antissubmarino Mk.46

FONTE: The Times

O casco desativado da ex-Dodsworth, ex-Brilliant, em 2011, antes do envio para o desmanche realizado em 2012

NOTA DA REDAÇÃO: A HMS Brilliant – F90 foi transferida para a Marinha do Brasil em 30 de agosto de 1996, rebatizada como Fragata Dodsworth – F47. Ela deu baixa em 11 de março de 2004 e o casco do navio foi sucateado em 2012 em Aliaga na Turquia.

 

- Advertisement -

111 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
111 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tomcat

Essa daí deu baixa na MB depois daquela m.e.r.d.a feita dos nossos nada hermanos argentinos, não foi?

Leandro Costa

O então Almirante Kirk desaprova!

Klingon_BOP_pic2.jpg
Esteves

Típico de britânicos.

737-800RJ

E japoneses…

Camargoer

Olá 737. Uma vez tive a oportunidade de experimental sashimi de baleia. Uma delícia. Dá para entender porque os japoneses gostam tanto.

Esteves

Mestre Alquimista,

Esteves deseja saúde eterna. Em SP as feiras livres vendiam carne de baleia.

Camargoer

Oi Esteves. Frequentei muito a feira noturna do CEAGESP mas a gulodice eram os pasteis especiais e o caldo de cana.

Antonio Palhares

E a sopa de cebolas. Num baita frio da madrugada.
.

Camargoer

Passando a pandemia, temos que combinar um encontro em uma churrascaria…. reservar aquela mesa enorme…

Antonio Palhares

Professor. Com toda certeza. Será um prazer.

Luciano

Olá, Camargoer. Já foi bem mais consumida em diversos lugares e progressivamente o caiu por diversos motivos. Recentemente teve um congresso sobre a história da indústria baleeira, mas acabei n conseguindo acompanhar por causa do trabalho e das aulas do Dr. Abç

Camargoer

Ola meu amigo. Bom ter notícias suas. Está difícil né? Parece que tudo que a gente fazia em duas ou três horas agora toma o dia todo… mas tenho certeza que vai dar certo. Aliás, tenho um carinho enorme pela sua dissertação de mestrado. Sobre a carne de baleia, o que me surpreendeu foi a cor vinho. Linda.

Kemen

Carbe de baleia tem gosto de sardinha, era vendida antigamente no RJ.

Camargoer

Olá Kemen. Acho que vendiam pescada para você como se fosse carne de baleia. Será que faziam adicionavam sal ou algum processamento para conservar a carne? Ou misturavam tudo no porão do navio? ou coisa pior. Baleia é um mamífero com carne vermelha como carde de gado. Recomendo mudar de fornecedor.

sergio

Acho que ele ta confundindo com Atum

Kemen

Não mesmo, aliás gosto muito de atum, um sabor bem diferente da carne de baleia. Mas já que estamos nos menus maritimos, a trilha, cavalinha, polaca, merluza, robalo, entre outros já estiveram no meu cardápio. Nos menus fluviais, prefiro dourado frito ou surubim com queijo.

Last edited 4 meses atrás by Kemen
Camargoer

Olá Kemen. Coloca ai posta de bacalhau assada com muito azeite… ou então uma tilápia frita com cerveja gelada em um dia de 40 graus.

Kemen

Bacalhau à Camões, demais.

Luciano

Camargoer, é isso aí, bacalhau nada no azeite!

Luciano

Rapaz, robalo é maravilhoso! Mas surubim é outra iguaria fantástica!

Camargoer

Olá Luciando. Acho que todo mundo está com síndrome de abstinência de restaurante. Estou cansando de comer comida caseira… se eu encontrar na estrada um restaurante com “Comida Caseira” no cartaz, sigo em frente até encontrar um macdonalds

Kemen
  • Camargoer aproveite agora antes da “terceira onda” que já esta a caminho, 100 infectam 102 (semana passada), temos os restaurantes abertos por enquanto. Se fecharem, muitos fazem a entrega, pode pedir.
Camargoer

Olá Sergio. Atum é bom demais também. Aliás, prefiro sashimi de atum ao de salmão. A carne do atum tem aquelas camadinhas características. Pelo que lembro da carne de baleia que comi, se parecia mais com filé mignon. Estava crua porque era sashimi. Não sei como seria cozida ou grelhada. Imagino que deve ficar bom também.

Kemen

Impossivel Camargoer, a carne de baleia não é substituivel visualmente, em aparência pode se parecer um pouco com filés de atum isso se for vermelho escuro, o atum é um pouco mais claro, mas o sabor da baleia é único.

Camargoer

Olá Kemen. Atum é uma delicia, mas concordo com você que o sabor da carne da atum é muito diferente do sabor da baleia. O sashimi de atum também depende muito do tamanho do peixe e da região que se prepara… o que lembro da carne de baleia (crua porque era sashimi) era uma cor de malbec argentino de R$ 200..

Kemen

Salud!

Luciano

Rapaz, vc anda gastronômico esses dias!rs Quase li “Catena Zapata” nesse post! rsrs

camargoer

O melhor vinho que tomei até hoje foi um Navarro Correa Gran Reserva, que ganhei de aniversário da minha esposa. Nunca mais experimentei algo parecido. Nem o Navarro Correa Reserva se aproximou. No início da Rod. Washington Luis, perto de Limeira, havia um restaurante português especializado em bacalhau chamado Manjar do Marquês que servia de parada aos ônibus. Infelizmente, um grande grupo o comprou e mudou muita coisa…. estou esperando a pandemia passar para voltar lá. Antes eu recomendava… agora não posso dizer que recomendo.

Carlos Campos

deu até vontade de comer.

Thiago Cabral

Não foi por que eles quiserem, se confundiram com inimigos

horatio nelson

nada se comparado a batalha das toninhas! kkkk

sergio

Batalha das toninhas ????

Wilson Look

Foi um evento que ocorreu nos últimos dias da WWI, a Divisão Naval de Operações em Guerra, também chamada de DNOG, recebeu ordens de rumar para Gibraltar, nessa época todos os submarinos alemães no mediterrâneo receberam ordens de rumar para Kiel ou para a Espanha que era neutra, e nisso um desses submarinos afundou o encouraçado HMS Britannia, que segundo alguns historiadores estaria aguardando a chegada da DNOG, isso gerou muita tensão nos tripulantes brasileiros que ao avistarem uma mancha escura no mar de noite acreditaram ser o periscópio de um submarino e abriram fogo numa tentativa de se defenderem,… Read more »

horatio nelson

correto!

Tupinamba

Mais uma magnífica conquista da Royal Navy. Devem ter se sentido muito orgulhosos ao manterem a tradição dos Falklandeses de matar baleias.

Last edited 4 meses atrás by Tupinamba
Camargoer

Olá a todos. Há um incidente bem sério da Guerra da Malvinas que envolveu um avião da Varig vindo da África do Sul para o Rio de Janeiro. O avião foi identificado como uma potencial ameaça à força-tarefa e foi dada autorização ao piloto de um Harrier abate-lo. O piloto ficou intrigado com o fato do avião suspeito estar com as luzes de navegação acesas e com as luzes de identificação do estabilizador vertical acesas. Ele, por conta, resolveu se aproximar e confirmou que ela um avião comercial brasileiro.

Leandro Costa

Isso me lembra dos infelizes casos com os interceptadores Soviéticos e aeronaves civis Sul-Coreanas e o horrível caso do USS Vincennes.

Camargoer

Olá Leandro. Também teve o avião comercial sobre a fronteira da Russia e Ucrânia há alguns anos cheio de crianças. Isso sem falar do afundamento do Lusitania e do Germania durante a II Guerra.

Camargoer

Olá Colegas. Desculpe o erro. O navio alemão que foi afundado com civis era o Wilhelm Gustloff ao invés de Germania.

Leandro Costa

Pouca gente daqui conhece o caso do Wilhelm Gustloff. Há um filme feito para a TV alemã em duas partes, que um amigo que assistiu quando estava na Alemanha classificou como ‘muito bom’ e que infelizmente foi proibido de passar aqui.

Camargoer

Olá Leandro. Acho que assisti um documentário há muitos anos sobre a II Guerra que mencionava o W.G, mas faz muito tempo.

Camargoer

Olá Pangloss. A despeito das disputas políticas, creio que nada justifica desejar ou festejar a morte de alguém. “Não pergunte por quem os sinos dobram”.

Willber Rodrigues

Aham…e o resto dos passageiros e a tripulação do avião, que se lasquem, não é?

Marcelo Mendonça

Camargoer boa noite. Os ingleses acharam que o avião da Varig era um 707 argentino que espionava a frota a alguns dias e iriam abate-lo. Por precaução, o comandante da força tarefa inglesa, contra-almirante Sandy Woodward, enviou um Sea Harrier para verificar e este, ao ver as luzes acesa como vc mencionou, verificou ser o avião da Varig, evitando uma tragédia.

Rinaldo Nery

Esse 707, depois, invadiu nosso espaço aéreo várias vezes, na tentativa de gravar sinais dos radares do CINDACTA 2. Um veterano meu, na AFA, hoje Brigadeiro na reserva, quando piloto do PAMPA interceptou esse 707 próximo a Foz do Iguaçu. Foi interceptado, também, pelo 1° Grupo de Caça sobre o Atlântico, entre os estados do RJ e SP. Eram atrevidos, esses argentinos.

M65

Boa lembrança Camargo. Era um DC 10. Porém, complemento pelo que entendi dos textos de jornal da época, a interceptação foi feita ainda com a luz diurna, tanto é que parte dos passageiros notaram o caça. Dá uma olhada no Google.

Camargoer

Ola M65. Obrigado pelas correções. Li sobre este incidente há muito tempo, talvez em alguma revista… Talvez há uns 20 anos ou mais… Que bom que não aconteceu.

Rafael M. F.

Contam que nesse vôo estava o então candidato a governador do RJ que venceria naquele mesmo ano. Sim, falo do Leonel Brizola.

Camargoer

Olá Rafael. Sobre aquela eleição para governador, houve um caso de tentativa de fraude conhecido como Proconsult. E eram votos em papel.

Kemen

Voto em papel da margem a muita fraude, impressão do voto digital além de problemático devido à manutenção das impressoras, permite que alguém peça o comprovante do seu voto devido a varias prerrogativas. Adivinhe as arapucas que podem ser armadas nisso… entre elas.

  • Para garantir um emprego
  • Para ter almoço pago.
  • Para manter a vaga do seu filho na escola.
  • Para se garantir a bolsa de estudos.
  • Etc.
Last edited 4 meses atrás by Kemen
carcara_br

O que me incomoda na brincadeirinha é que se eles tivessem acertado seria óleo de gente.

Hoje seria possível mimetizar o retorno acústico de um submarino com iscas? Faz algum sentido essa estratégia?

Last edited 4 meses atrás by carcara_br
Alexandre

Existem conteamedidas que utilizam um princípio similar para enganar torpedos antisubmarinos

pangloss

Parece que os ambientalistas acreditam que militares em combate usem munição para caçar baleias, como se fosse hobby.
Esse pessoal precisava prestar serviço militar, antes de falar tanta bobagem.

Leandro Costa

O comentário dos caras me pareceu estranho. Acho que eles podem dizer que ‘não esperamos que tenham feito isso deliberadamente’ o que seria mais correto, porque acho que ninguém em sua sã consciência iria gastar armamento para matar baleias enquanto se dirigem para uma zona de conflito.

Peter nine nine

Eu também matei baleias num jogo simulador de submarino…. Nem é um simulador assim tão detalhado por isso imaginem a complexidade no mundo real ^-^.

Leandro Costa

Peter, depois me passa o nome desse simulador. Em relação à coisas navais eu ainda estou no Silent Hunter III, se bem que não sei se meu computador aguenta algo muito mais sofisticado do que isso hehehehe

Nonato

Essa seria a postura de alguém de bom senso. Talvez o próprio cara tenha reconhecido. Muito embora esses radicais nem sempre ajam com bom senso. A mesma coisa dos efeitos colaterais numa guerra. Acredito que a maioria dos militares não mata civis deliberadamente. Na maioria das vezes são efeitos colaterais mesmo. Tudo bem, deve se tentar evitar, mas no meio de uma guerra nem sempre isso é possível. Se você tem artilharia atirando contra você, você não vai pensar: ah, vou ficar aqui levando tiro e não vou tentar eliminar o inimigo pois pode haver civis próximo a ele… Até… Read more »

Camargoer

Olá Pangloss. No filme “Nascido para matar” um artilheiro na porta de um helicóptero dispara uma metralhadora contra a população civil. Quando perguntado pelo “Joker” se ele já alvejou crianças, o artilheiro responde que sim porque são mais fáceis de acertar por ficarem paradas.

GFC_RJ

Clássica cena.

pangloss

Prezado Camargoer, há uma diferença considerável entre um combate naval e a luta na selva do Vietnã. Você acredita que a Royal Navy dispararia torpedos contra baleias, apenas por diversão?

camargoer

Olá Pangloss. Sou um fã de Kubrick. O filme é ótimo, mas não me atrevo a comparar a realidade trágica de uma guerra com um filme.

Piassarollo

Loucuras da guerra…

carcara_br

Certamente não foram os militares e suas bombas e torpedos que levaram muitas espécies de baleia a beira da extinção, mas cobrar um cuidado maior é sempre importante. Baleias, elefantes, símios antropomorfos, são animais espertos demais, fico enojado apenas pela matança, imagine o consumo.
Claro que no contexto da guerra tais reivindicações soam extremamente hipócritas já que, se bem sucedido, o ataque mataria outros seres humanos. É uma situação trágica, mas o comentário vindo dos britânicos soa como escárnio.

Last edited 4 meses atrás by carcara_br
Zé Rato

Penso que o problema poderá não ter sido apenas do sinal de sonar, mas do jato de água que as baleias soltam ao vir respirar à superfície, cujo efeito visual pode ser confundido com o snorkel utilizado por alguns submarinos diesel-elétricos. Na segunda guerra mundial, a frota submarina alemã começou a sofrer perdas devastadoras a partir de meados de 1943. Nessa altura começaram a equipar os seus submarinos com um snorkel, para tentar reduzir os riscos de deteção e manter a mobilidade, navegando pouco abaixo da superfície do mar com os motores a diesel. Esse snorkel, com as ondas a… Read more »

Santiago

O que fez a MB dar baixa na Fragata Dodsworth (F-47) com apenas 28 anos de uso?

https://www.google.com/url?sa=i&url=https%3A%2F%2Fwww.naval.com.br%2Fngb%2FD%2FD025%2FD025.htm&psig=AOvVaw3VEHPtxXbZGSXeDPBwW8ft&ust=1622053596301000&source=images&cd=vfe&ved=2ahUKEwiI2crUuuXwAhWjpJUCHcrTAj8Qr4kDegUIARC0AQ

Como que a MB se dá ao luxo de desativar seus meios sem perspectivas de novas escoltas no horizonte? A China já está quase fincando um pé no Chifre da África no Atlântico Sul.

Paulo Neves

O Chifre da África fica no Atlântico Sul?
Acho que é do outro lado, na diagonal.

Piassarollo

Acredito que vc quis dizer 8 anos de serviço. Realmente é pouco tempo, mas a Dodsworth teve vida curta para que as outras continuassem na ativa, cedendo muitas de suas peças. Como se diz, foi canibalizada.

Burgos

É complicado!!!
Em conflitos e guerras, falo até em tempos atuais nem cito o passado, mas ocorre o chamado “fogo amigo”.
Esse ocorrido não foi intencional.
No furor da batalha pode haver momentos tensos que no qual pode vir a ocorrer tal equívoco e isso que os Ingleses tavam muito mais equipados e modernizados que os Argentinos.
Mas pode vir a ocorrer 🤷‍♂️

Piassarollo

Concordo, só quem já sentiu na pele sabe o nível de tensão e stress que um conflito armado causa.

Esteves

Lembro na época de terem dito que os dois leitos submarinos (Atlântico Norte e Sul) terem as mesmas características o que possibilitou aos militares de elite da Marinha Real atuarem da forma como foram lá treinados.

Ingles é trapalhado. Uma longa tradição dos Mr. Been’s.

Agnelo

Prezado
Não acho trapalhada.
Lembre q o Conqueror utilizou torpedos da II GM pra afundar o Belgrano.
Onde quero chegar?
A tecnologia da época não dava a certeza q todos acham q se tem ao empregar um armamento.
Se hj, não se tem, imagina naquela época.
Ou seja, essa incerteza, oriunda da relativamente pouca clareza resultante da análise de dados, gerava um “gatilho doce”.
Sds

Maurício.

Deveria tem colocado uma imagem de uma baleia como kill Mark na fuselagem do Sea King, igual fizeram com esses dromedários no A-7.

A-7-Corsair-696x696.jpg
Leandro Costa

Esses Dromedários não foram pintados por terem sido mortos pelo A-7, mas sim o número de missões de combate voadas.

Maurício.

Leandro, tá pintado na fuselagem é kill Mark! rsrsrs.

Leandro Costa

Eu também fiquei confuso na época, mas quando fui pesquisar era só o número he missões mesmo hehehehe

Maurício.

Leandro, tem um A-10 com uma vaca, sabe se é verdade ou zueira do pessoal?

images (17).jpeg
Leandro Costa

Acho que nesse caso ele deve ter explodido a vaca sem querer hehehehe. Vou pesquisar se eu encontrar eu te falo.

Leandro Costa
Rinaldo Nery

Eu acertei um boi ao interceptar um tráfego ilícito no interior do Paraná, em 96. Serei multado pelo IBAMA? Ou chamado de fascista pela Maju?

Leandro Costa

E essas marcas aqui. Não tem kills, mas são especiais hehehehe

F2H-2Banshee_VF-62_CoralSea_at_Wasp_1952.jpg
Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro

Ambientalistas malas, eco-chatos e comedores de soja estão em choque!
Kkkkk

Fulcrum

Por que a Dodsworth foi descomissionada tão cedo?

Piassarollo

Ela foi usada como fonte de peças de reposição para que as outras da classe continuassem na ativa. Muitas vezes nas compras de navios usados também se compram unidades da mesma classe para servirem como fonte de peças, ou como no caso da Dodsworth, se escolhe a que está em piores condições para canibalizar.

M65

Na época, um membro da Realeza salvo engano, o Príncipe Charles, já identificado com causas ambientais, tinha comentado, preocupado, esta possibilidade de morte acidental dos cetáceos, antes mesmo dos casos ocorrerem e chegar na mídia.

sub urbano

A força tarefa brasileira na Primeira Guerra Mundial trucidou um grupo de golfinhos na costa da Africa confundidos com submarinos alemães, episodio conhecido como ” Batalha das Toninhas”

Cadillac

A diferença é que os submarinos eram uma ameaça nova e não existiam equipamentos para caça-los adequadamente, diferente dos sonares e vários tipos de sensores dos ingleses nas Falklands.

Dalton

Um “off topic”, mas nem tanto. Como muitos aqui devem ter lido, dias atrás, o HMAS Sidney
a mais nova fragata australiana foi responsável pela morte de uma baleia e seu filhote,
respectivamente, 20 e 7,5 metros.
.
Ambas, ficaram de alguma forma presas no casco e nem se percebeu na ocasião o ocorrido, sendo desalojadas apenas quando o navio chegou a San Diego.
.
Muito lamentou-se pelo ocorrido que é relativamente comum e sempre se está a estudar novas medidas para reduzir tais incidentes que segundo um biólogo, acontece aprosximadamente 50 vezes por ano na costa da Califórnia.

Leandro Costa

Isso me lembrou o episódio “Galaxy’s Child” de Star Trek TNG. Espero que encontrem uma forma de reduzir esses incidentes. Não fazia ideia da quantidade de ocorrências disso por ano.

Dalton

Também não fazia ideia e isso que esse número é apenas na costa da Califórnia !

Piassarollo

Caro Sr Dalton, recentemente aconteceu fato semelhante com um destroier americano quando em exercícios.

Dalton

Piassa…se você por acaso souber o nome do “destroyer” poste aqui que verei mais tarde ou amanhã. Não encontrei nada recente embora tenha lido ao longo dos anos esse tipo de incidente envolvendo várias classes de navios da US Navy.

Kemen

Royal Navy, caça baleias da rainha. O receio devia ser grande para disparar torpedos imediatamente. Mas o perigo mesmo vinha do céu com os parcos 5 Exocet que a França já tinha entregado e os 5 SUE com apenas 45 horas de vôo e as bombas “burras” dos A-4, algumas explodiram outras não.

Leandro Costa

Eles só não tinham como saber que a força de submarinos Argentina estava em estado tão lastimável. Mesmo assim foram lá e operaram como podiam. Não se pode jamais negar a coragem dos operadores Argentinos no conflito, que sabiam exatamente onde estavam se metendo. Ao contrário de seus líderes em Buenos Aires.

Pedro

Na guerra Russo-Japonesa a mais de um século atrás, a frota russa na viagem da Europa ate suas poses no Pacifico, encontrou uma frota baleeira britânica em um evento a noite e com nevoeiro, e por nao haver confirmação de quem era, a mesma começou a disparar para esses navios irem para longe. A imprensa britânica e a própria marinha britânica usou isso para caçoar e fazer todo tipo de acusao e chacota a mal fadada frota Russa que logo seria destruída. Eis que depois, a tao badalada Royal Navy conseguiu um feito ainda pior atacando baleias (nem navios baleeiros… Read more »

Zé Rato

https://en.wikipedia.org/wiki/Dogger_Bank_incident

Nesse incidente foram atacadas simples traineiras de pesca britânicas, que estavam a pescar num baixio no Mar do Norte.

Os russos mataram alguns pescadores britânicos, mas tiveram de pagar uma grande indemnização às famílias enlutadas, sob intensa pressão diplomática e ameaça de intervenção da Royal Navy.

Hélio

E ainda ridicularizam o Brasil pela “guerra contra as toninhas”. Se submarinos são confundidos com baleias mesmo com os sistemas dessa época, imagina quando a maioria nem sabia o que era um submarino.

Rafael M. F.

Quanto à tão propalada Batalha das Toninhas, tenho dúvidas se realmente aconteceu.

Explico: o Alte. Prado Maia, que escreveu um livro sobre a DNOG (esgotado há mais de 60 anos) e tinha servido na mesma como cabo a bordo do cruzador Rio Grande do Sul, não relata nenhum evento desse tipo.

E estamos falando de uma testemunha ocular.

Wilson Look

Até aonde sei o cruzador Rio Grande do Sul não estava presente, o cruzador Bahia que estava presente.
Essa batalha possivelmente ocorreu no dia 10 ou 11 de novembro de 1918, dado que ela ocorreu após o afundamento do HMS Britannia que foi no dia 9 de novembro de 1918.

Rafael M. F.

Esse tipo de evento certamente estaria no livro do Prado Maia, no capítulo sobre eventos pitorescos.

E Prado Maia não relatava apenas eventos relacionados ao cruzador Rio Grande do Sul, mas também dos outros navios.

Wilson Look

Então é algo, que merece uma pesquisa mais aprofundada.

Pode me corrigir se eu estiver errado, mas o Prado Maia, não é um dos poucos que afirma que o encouraçado HMS Britannia não era o navio responsável por recepcionar a DNOG quando está chega-se a Gibraltar, e que o verdadeiro navio que faria isso era um contratorpedeiro americano?
Eu sei que o Saldanha da Gama afirma que era um contratorpedeiro americano que recepcionaria a DNOG e não o HMS Britannia.

Dalton

Wilson, não seria por acaso Paulo Maia ? O que ele escreveu e/ou entendi é que o “Britannia” foi afundado antes da chegada da “DNOG” a Gibraltar e a mesma participou das cerimônias em homenagem ao navio britânico, então, de fato, não poderia ter sido o navio “anfitrião” mas, não encontrei nada nem sabia sobre a possibilidade de um “ct” americano.
.
Se você e/ou o Rafael encontrarem algo mais, por favor postem aqui, pois, sou um dos interessados.

Wilson Look
Dalton

Muito bom Wilson, grato !

Rafael M. F.

Não, Dalton. É Alte. Prado Maia mesmo. Autor do livro “D.N.O.G.: uma página esquecida da historia da Marinha Brasileira”.

Dalton

Grato Rafael ! Li um artigo sobre o “DNOG” escrito por Paulo Maia, então, possivelmente, é algum outro.

Rafael M. F.

O Prado Maia cita o afundamento do Britannia no livro dele, e ele afirma que o Britannia estava aguardando no lugar da DNOG. Cita inclusive que nosso sistema telegráfico sem fio era de tipo antigo, de centelha, o qur permitiu o rastreamento das comunicações pelos alemães e o envio da posição do Britannia para um submarino fazer o serviço.

Rafael M. F.

CORREÇÃO:

O Prado Maia cita o afundamento do Britannia no livro dele, e ele afirma que o Britannia estava aguardando a DNOG.

Cita inclusive que nosso sistema telegráfico sem fio era de tipo antigo, de centelha, o qur permitiu a interceptação da mensagem pelos alemães e o envio da posição prevista da DNOG para um submarino fazer o serviço.

Para sorte nossa – e azar dos ingleses – o Britannia chegou antes.

Kemen

Acho que a MB deveria ter mais navios de patrulha litorâneos e oceânicos, mas notei que muitos esquecem que a FAB também patrulha nossos mares, faz a patrulha aérea maritima. Na minha opinião, a patrulha aérea maritima deveria ser de responsabilidade da MB, a coordenação entre as aeronaves e as embarcações de patrulha seria mais próxima, programada e coordenada pela mesma.

Leandro Costa

Kemen, esse causo de a aviação de patrulha ser da FAB quando deveria ser da MB é algo que é constantemente debatido por aqui. Por enquanto, o consenso à que a maioria chega é que a própria FAB também preferiria esse arranjo, mas a MB ainda não tem condições financeiras de absorver a aviação de patrulha. Mas oficiais da Marinha operam como parte da tripulação das aeronaves patrulha (pelo menos dos P-3. Não sei em relação aos P-95), o que faz com que a cooperação e especialização em relação à atividade fim, que não era ruim, fique ainda maior.

Max

Com todo respeito, sua desculpa não faz sentido. O Atlântico Sul é velho conhecido dos ingleses, tanto dos navios, quanto dos submarinos.

- Publicidade -

Últimas Notícias

Grécia assina MoU com o Naval Group e MBDA abrindo negociações para o fornecimento de fragatas FDI HN

Em 28 de setembro, Nikólaos Panayotópoulos, o Ministro da Defesa grego, Pierre Eric Pommellet, CEO do Naval Group, e...
- Advertisement -