sexta-feira, dezembro 3, 2021

Saab Naval

Grupo Aéreo Naval de Manutenção realiza reparo de 3° escalão de aeronave AF-1

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

No período de 15 de junho a 20 de agosto o Grupo Aéreo Naval de Manutenção (GAerNavMan) realizou, pela primeira vez, o reparo de 3° escalão no extradorso da Wing Nose em uma aeronave AF-1, devido a trincas na asa direita da aeronave N-1022 (biposto).

Quando iniciada a inspeção na aeronave, foram identificadas as trincas supracitadas e após criteriosa avaliação do setor de engenharia, foi constatado que esse reparo poderia ser realizado por militares do GAerNavMan. Durante o processo, foi necessário moldar algumas chapas e adaptá-las para alcançar o formato ideal, bem como desenvolver ferramentas.

O reparo foi realizado com a colocação de um Patch externo na asa direita e o reforço de stiffners na parte interna, conforme procedimento preconizado. Embora previsto em manual, foi a primeira vez que foi realizado um reparo estrutural nessa região da Wing Nose, em nível de 3° escalão, em aeronaves AF-1, incrementando, assim, a capacidade deste grupo de manutenção.

FONTE: Marinha do Brasil

- Advertisement -

26 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
26 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
leonidas

Grupo aéreo?
Tem tantos aviões quando um estoque de um museu … rs

Rinaldo Nery

O Grupo Aéreo de Manutenção é o mesmo que o Grupamento Logístico nas Alas da FAB. Nesse caso, são responsáveis pela manutenção de 3° escalão em TODA a Aviação Naval. É um departamento da Base Aérea Naval. Pergunta pra quem sabe antes de marretar.

Palpatine

Da pra ver que a MB esta fazendo um grande esforço pra manter sua enorme força de caças super modernos AF-1. Que bom que temos forças compatíveis com os grandes gastos anuais em defesa.

Wellington R. Soares

Qualquer grupamento que tente entrar em nossas águas seriam alvejados com centenas de poderosas bombas burras lançados pelos AF1….

Wellington R. Soares

Profissionais temos, porém faltam equipamentos.
Esses A4 precisam ser aposentados. Em um combate moderno não serviria pra nada, a não ser colocar em perigo a vida de um piloto altamente treinado.
Nossa Marinha precisa de Corvetas/Fragatas/Patrulhas e Submarinis. No máximo rechear com helicopteros e drones, agora querer operar “caças” já é uma grande viajem na maionese !

Cristiano de Aquino Campos

Nos precisamos dos caças para manter a doutrina de operação em porta-aviões.
Obs. Não temos mais porta-aviões e nem devemos ter tão cedo.

Mk48

Cristiano, complementando seu comentário, eu diria que é para manter a doutrina de aviação naval como um todo, seja a partir de um PA ou de uma base em terra. . Além do mais, o investimento na formação de cada piloto naval custou à época, se não me engano , US$ 5 milhões. . A formação destes pilotos passou pela Argentina, Uruguai e EUA. . Avião se compra/troca rapidamente quando necessário. Formar um piloto naval custa muito caro e demora muito tempo. . Se hoje temos o AF1 para manter a doutrina, vamos de AF1 mesmo. O que sai caro… Read more »

Jadson Cabral

Eu aposto com você e qualquer um que manter esses caças por todo esse tempo custa muito mais que 5 milhões com juros e correção monetária. Manter doutrina pra que se não há a menor possibilidade de voltarmos a operar porta-aviões nos próximos 10 ou 15 anos?
No momento em que se sabia que não operaríamos P.A mais, desmobilizava os esquadrões e acabou. Se um dia voltarmos a operar, forma-se tudo de novo. Seria muito mais econômico, eu te garanto.

Mk48

Eu entendo seu ponto de vista, mas o que eu disse foi : US$ 5 MI POR PILOTO como um número de referencia para o debate (fora todos os outros custos de montagem e operação do Esquadrão).
.
Disse também que uma aviação naval não é feita apenas de aviões embarcados.

Wellington R. Soares

Porque ter caças senão teremos porta aviões?
Deixa a questão de caças para FAB.

Cristiano de Aquino Campos

Pois é, era mais lógico usar os parcos recursos em aviões de patrulha.

Sergio Cintra

A tônica do tema é manutenção, então cabe ressaltar o trabalho de recuperação do N-1001 (com o fatídico acidente com o N-1011) e do N-1013 ( que ultrapassou o limite de pista). Isso tem que ser ressaltado e também o fato dos software das aeronaves modernizadas comportarem condições do emprego de armas mais atuais, só não as usamos, ‘ainda”!

Up The Irons

Como falei há alguns meses em outra postagem sobre os AF-1: esses mecânicos e pilotos possuem ótima formação, não merecem isso aí. Abram o caixa e comprem uns 10 F-18 do Kuwait. Acho que nem pra manter doutrina isso aí serve mais, quem dirá dissuadir algum inimigo…

FabioB

Respeitando sempre opiniões contrárias.

Inicialmente é necessário reconhecer o excelente trabalho feito pela equipe de manutenção.

Em relação ao A-4M, dá aquisição até a modernização e recebimento, foi necessário estabelecer uma estrutura logística e operacional. Está estrutura já existe e deve ser usada da melhor maneira possível.

Não faz sentido simplesmente “enterrar” tudo, pois juntos seriam enterrados todos recursos já investidos.

Em que pese não existir um míssil antinavio integrado aos A-4M, eles ainda são efetivo em uma área de operações de baixa intensidade (particularmente se não houver porta aviões).

Marcelo

A marinha tinha que ter aproveitado a baixa do sao paulo e ter dado baixa nesses avioes a-4 e cancelado os avioes turbo tracer e usar o dinheiro em outras áreas urgentes como navios,submarino nuclear,e no nosso programa nuclear !!!

Rafaelsrs

Ralo de dinheiro sem fim! Se a Marinha vender esses aviões aos pedaços no ferro-velho ganha mais dinheiro do que para mantê-los.

Flanker

São antigos? Sim. Sâo mal armados? Sim. São obsoletos? Pós-modernização e no “conjunto da obra”, não! Penso que não deveriam ter sido modernizados e substituídos por alguns F-18 ex-Kwait, se a manutenção da aviação de caça naval fosse algo imperativo. Mas, já que os AF-1 foram modernizados e estão aí, tem que operá-los. Simplesmente desativá-los agora é colocar dinheiro fora.

Last edited 2 meses atrás by Flanker
Robson

Concordo!

Robson

Também gostaria de saber sobre o assunto!!

Willber Rodrigues

Se Deus for brasileiro, essa idéia foi morta e enterrada definitivamente.

Marcelo

. A aeronave passou pelo processo de modernização e foi recebida pela em 23 de abril de 2018, pouco mais de três anos atrás.
Modernização meia boca feita pela Embraer !!!

Flanker

Você está confundindo um pouco as coisas. A Embraer fez a modernização dos sistemas obsoletos da aeronave. No trabalho de modernização não estava incluída a revitalização estrutural. No programa de modernização dos F-5, a FAB fazia uma revisão geral de 1200 horas em cada célula e em seguida a mesma era mandada para a Embraer para ser modernizada. Nos A-1, a Embraer faz todo o trabalho, incluindo estrutura e sistemas.

Jadson Cabral

Deve estar na mesma gaveta em que fica os planos do corpo de fuzileiros comprarem M1 Abrams… de vez em quando vem alguém e lembra disso

Carlos Crispim

Qualquer Hornet, ainda mas se for modernizado, é melhor do que qualquer coisa existente hoje na América do Sul e será assim nos próximos 10 anos, no mínimo.

Last edited 2 meses atrás by Carlos Crispim
Yuri Dogkove

Isso é uma PIADA! Esse caça da década de 60 nem o Dr. Ivo Pitanguy dá jeito! MB não cansa de passar vergonha…

Rinaldo Nery

Que idéia? Da MB não foi…

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

IACIT apresentará na Mostra BID Brasil tecnologias únicas existentes no país

Empresa com mais de 35 anos de história é referência em soluções de ponta que podem contribuir para...
- Advertisement -