quinta-feira, janeiro 27, 2022

Saab Naval

HMS Daring rastreia com sucesso Typhoon da RAF

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

type-45-typhoon.jpg

O primeiro destróier Type 45 da Royal Navy, HMS Daring, rastreou com sucesso um caça Typhoon da RAF (clicar nas fotos para ampliar), de Manchester até a costa oeste da Escócia, como parte do segundo estágio de testes de mar do navio.

Durante cinco semanas o destróier de 7.350t completou também todos os testes de máquinas e propulsão, bem como uma série de provas em mar aberto na costa da Escócia, incluindo testes extensivos do radar de longo alcance e sistemas de navegação, e tiros para alinhamento do canhão de médio calibre.

Nos testes de mar, o HMS Daring atingiu velocidades de 0 a 27 nós em dois minutos e freou em apenas cinco comprimentos e meio do navio. O consumo de combustível do Daring foi de apenas um quarto do consumo de um Type 42 ou Type 23, embora o Type 45 seja 50% maior que ambas as classes.

daring2.jpg

- Advertisement -

22 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
22 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
PAULO

Bela composição do jato com o Daring ao fundo.
Pergunta: Dá para pensar em marinha de mar azul sem um navio com essas capacidades atualmente?

AJS

Creio, que dependendo do oponente, sem diversos meios atualizados, não
é possível nem levantar ferros, que dirá fazer-se ao mar, porém, existe sempre o meio termo, e, é nessa condição que sempre ficou a MB.
No caso, é bom sabermos ao menos para onde caminha a tecnologia embarcada e o desenho das belonaves.

Jorge

Tudo bem.
Quero 12 dessas entregues até 2012 para nossa MB.
Fiquei sabendo através de um debate na TV Câmara, entre o Ronaldo Caiado e o pessoal do MST/PT, que já foram investidos 70 BILHÕES em assentamentos dos quais só 9% conseguem ter independência financeira.
Portanto temos dinheiro.
Viva o Lula!!! 😉

Nimitz

A Inglaterra, com limitados recursos naturais e pequena extensão territorial continua a desenvolver equipamentos militares de ponta. O Brasil, quinto maior país do mundo, onde só a Amazônia é maior que a Europa ocidental inteira, tem uma costa marítima gigantesca e cujo comércio exterior depende 98% do mar, continua com equipamentos de quinta categoria. Dá pra entender?

edilson

Impressionante a quetsão do combustível.
muito econômico e mais frear em 5 poco mais de 600m… boa engenharia .
parabéns ao blog pelas fotos. muito boas

Joao

Nao tem problema nao. O Brasil vai compprar o HMS Daring, quando a Royal Navy o classifique como obsoleto,em 2058. Tiro o meu chapeu para os Ingleses. Tenho pena da MB. Estou comecando a acreditar nas palavras de Charles De Gaulle,que disse que o Brasil,em materias militares,nao e um pais serio.

marcio macedo

Por navios como o Daring,a Royal Navy vai torrar Types 22B3 e Types 23, e o Brasil nem se move para adquirir navios semi-novos e ainda modernos, que muita utilidade teriam aqui. Por isso, acho muito difícil acreditar em escoltas novas em folha de 6 mil toneladas, construídas especialmente para a MB.

Ozawa

É profundamente desagradável observar o nível em que se encontram as escoltas navais das nações comprometidas com sua segurança no mar, conquanto não beligerantes, e nossa situação neste aspecto. Sinceramente, se os recursos são escassos, por que não otimizá-los em escoltas modernas, e não sangrá-los em um AERÓDROMO MÓVEL INÚTIL E AERONAVES OBSOLETAS ! DEUS MEU, E POR MERO CAPRICHO ! Isso é improbidade administrativa patente ! Sem mencionar a temeridade e fragilidade com que se discute e se executam os assuntos de segurança nacional. Perdoem-me a expressão que vou utilizar, mas lendo matérias como essas, e observando o emprego… Read more »

AJS

Observando ao longo dos anos, o que acontece por aqui, acredito que a tão propalada índole não beligerante do Brasil, é a base para tamanho desequilíbrio de forças e desatualização, em determinadas épocas, foram feitos planos de renovação da frota, os quais, após sua conclusão, que ocorria de forma rápida, foram seguidos de períodos de verdadeiro marasmo, quem não se atualiza sempre, ficará desatualizado, e de 20 anos para cá, as alterações são extremamente rápidas e profundas. Seria necessário, um planejamento inclusive com a data de retirada de serviço dos meios a serem construidos, como faz a Inglaterra, ou seja,… Read more »

AJS

Meus caros, meu último parágrafo, não corresponde a este tópico, desculpem.

Igor

Tudo que é notícia, até as nada haver, é culpa do Lula, é aquele pessimismo. O pessoal chato da porra!

Baschera

Cada vez me conveço mais que temos uma frota de museu.
Saímos, em dia de mar calmo naturalmente, à desfilar nosso opalão 6cc e nossas escoltas sinca chambord……
Sds.

marcio macedo

Baschera, escoltas Simca Chambord?

marcio macedo

Poggio, proponho que o Poder Naval dê ao Sr. Mangabeira Unger a oportunidade de explicar o perfil de Marinha que está em gestação no PAC da Defesa. Acho o blog e o fórum navais os canais mais apropriados para o Mangabeira debater o projeto em gestação para a Marinha.Essas meias palavras do ministro não podem ficar oscuras para sempre. Creio que, moderno como ele diz ser, não se furtará ao debate.

Baschera

Caro Marcio Macedo,
Não sei que idade tens, mas me lembro bem do carro, meu pai tinha um em meados de 1970. Me refiro a velharia…..
Para conhecer um sinca chambord, acesse :

Um abraço.

AJS

Lembro das seguintes aquisições de unidades novas durante o tempo em que acompanho a MB
Fragatas Niteroi///varredores Anhatomirim///NE Brasil///Submarinos Humaitá///Submarinos Tupi///Corvetas Inhaúma///Corveta Barroso.
Os demais, foram todos de 2ª mão.
Não incluo os patrulheiros e unidades menores.
Prefiro aguardar o que os comandantes vão apresentar em Setembro.

marcio macedo

Baschera, tenho 52 anos e, quando era menino,os Chambord já tinham o desenho ultrapassado. A razão da pergunta é:nossas Niteróis, mesmo como o Modfrag são comparáveis a esses carros?

The Captain

Vendo as fotos deste Type 45 e tomando ciência das suas principais características, claro que não, né? Estas belonaves são o sonho de qualquer amante de belonaves, pela sua beleza arquitetônica, capacidade de manobra, consumo e possibilidade de rastreio de ameaças aéreas.
Um sonho, que pena, só um sonho… snif…snif…snif…

Baschera

Caro Marcio Macedo,
A resposta é mais ou menos, mais para menos no meu entender. A defesa aérea é pífia e a anti-navio é boa, mas carecem de mais quantidades de mísseis. O sonar é muito ruim. A defesa anti-submarino é apenas passável. Por isto, mesmo de fossem sinca chambord novos, já seriam ultrapassadas….. afinal são type 22…
Sds.

Baschera

Marcio Macedo,
Na verdade cometi um equivoco, as Niteroi são fragatas Type 21, e não Type 22. São oriundas do projeto classe Amazon MK.10 inglês, dos anos 70.
Ou seja, conterrâneas dos “sinca chambord”…ehehehhe…
Na verdade, lhes falta capacidade de defesa aérea aproximada, como CIWS, em vez dos canhão bofors trinity. Também não dispõem de mísseis sofisticados de maior alcance para neutralizar mísseis anti-navio e não tem radar 3D.
Sds.

[…] (CNGF). O Reino Unido acabou abandonando o programa, para criar sua própria classe de navios, a Type 45. França e Itália prosseguiram, mas de 8 navios programados, só construíram dois cada, por causa […]

Alexandre F.

Parabéns Ozawa, execelente frase! “”Sinceramente, se os recursos são escassos, por que não otimizá-los em escoltas modernas, e não sangrá-los em um AERÓDROMO MÓVEL INÚTIL E AERONAVES OBSOLETAS ! DEUS MEU, E POR MERO CAPRICHO ! Isso é improbidade administrativa patente ! Sem mencionar a temeridade e fragilidade com que se discute e se executam os assuntos de segurança nacional.”” Concordo com vc, o Brasil deveria ter uma MB de ESCOLTAS MODERNAS, e nao de Porta-Avioes de DESFILES (para Politicos) e Submarinos Nucleares acalma EGOS (de Almirantes), o maior problema chego a conclusao é que nosso Almirantado sóa PESSIMOS ADMINISTRADORES,… Read more »

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Construção da primeira fragata classe ‘Tamandaré’ deve começar em setembro

Em 20 de janeiro, na parte da manhã, como parte da Operação “ASPIRANTEX/2022”, o Comandante de Operações Navais, Almirante...
- Advertisement -