Home Operações Navais Harpoon na RIMPAC 2008

Harpoon na RIMPAC 2008

252
10

uss-lake-erie-cg-70-fires-a-harpoon.jpg

O cruzador de mísseis guiados USS Lake Erie (CG 70), da classe “Ticonderoga”, dispara um míssil antinavio Harpoon durante a Operação Rim of the Pacific (RIMPAC) 2008.

Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
André
André
12 anos atrás

curioso que uma considerável parcela da tripulação do navio está assistindo bem de perto o lançamento do míssil.

Nimitz
Nimitz
12 anos atrás

Lá a mentalidade é diferente. Conheci um marinheiro da MB que foi proibido pelo imediato de uma fragata de assistir a um lançamento de míssil Ikara, na época, sabendo que o marinheiro era entusiasta do assunto. Espero que a coisa tenha mudado por aqui…

Pedro Rocha
Pedro Rocha
12 anos atrás

Olá senhores. Vejam que equação cruel: Orçamento limitado – Mísseis caríssimos = Despreparo somado a risco de uso (se um dia for utilizado). Portanto o dinheiro gasto com simuladores, de forma alguma pode ser considerado gasto, mas investimento com alto retorno em proficiência de emprego e redução de custos. Com a intenção de descontrair li há algum tempo atrás que a Artilharia de Campanha da FEB era considerada a mais precisa da Segunda Guerra, os Aliados curiosos com isso foram verificar o por que. Conversaram com um soldado artilheiro e o mesmo disse tinham um numero limitado de obus e… Read more »

Douglas
Douglas
12 anos atrás

Está sendo lançada a nova geração do Harpoon. será a última, após, entrará em operação um míssil stealth….

C.Queiroz
C.Queiroz
12 anos atrás

Ao amigo Pedro Rocha, esta história da Artilharia Divisionária da FEB é verdade em parte, pois os Generais que prá foram levaram consigos a mentalidade de escasses de recursos daqui do Brasil, coisa que não existia com a maquina de guerra Americana a qual faziamos parte e consequentemente sem estas restrições. Para complementar quando da captura de soldados/oficiais alemães e italianos estes no processo de confissão de informações diziam que eram capazes se saber pelas caracteristicas de tiro da artilharia quem os tava alvejando, sendo da seguinte forma, tiros espaçados por um grande perímetro era obra da artilharia britanica que… Read more »

C.Queiroz
C.Queiroz
12 anos atrás

amigos desconsiderem os erros na grafia, consequencia de digitação rápida.

Paulo Costa
Paulo Costa
12 anos atrás

No caso de lançamento de misseis,ou qualquer outro sistema,a regra é ficar no seu lugar determinado,o missil gira de acordo com a designação,e por precaução talvez mesmo a animação desta pessoa tenha sido contida.Existem locais de testes do armamentos , são feitos os testes de homologação,e depois fotos diversas, e no caso missil,será guardado no conteiner proprio,e em local controlado.Existem relatos que no inicio da 2 guerra,em Pearl harbor,os marinheiros tiveram que quebrar os cadeados dos paiois porque estavam trancados,porque?porque não existia ainda estado de guerra declarado.Ou seja tudo ficava trancado. Tem certas coisas que não se pode digamos ficar… Read more »

Wilson Johann
Wilson Johann
12 anos atrás

No mínimo é um lançamento para demonstração. Quando estão em “ordem de batalha”, simulando batalhas reais, ninguém fica assistindo, e sim, ficam todos guarnecendo seus postos de combate.

Abraços aos amigos!

McNamara
12 anos atrás

Certamente é uma demonstração. É importante que os homens e mulheres a bordo vejam e escutem os “sons e imagens da guerra”, pois psicologicamente passam a acreditar mais no valor da sua embarcação e a vibrar mais com a sua função a bordo. O disparo de um míssil como o Harpoon transmite a sensação de grande poder de fogo, e isso é muito positivo para a tripulação. No caso de um disparo em situação de combate, como disse o Wilson, só ficariam no convés ou nas obras vivas, os elementos indispensáveis, ou seja, quase ninguém.

Bosco
Bosco
12 anos atrás

Li hoje que a US Navy está testando um demonstrador de tecnologia de um míssil anti-navio supersônico de longo alcance. Com certeza será um míssil pequeno (menos de 1 tn) e com tecnologia stealth. Antes destes se tornarem operacionais, coisa que deve levar uns 15 anos eles terão o Harpoon III que ganhou uma disputa com uma versão anti-navio do Jassm. O novo Harpoon block III será um verdadeiro míssil stealth. Suas principais características são: Terá suas características furtivas incrementadas Terá 2 asas escamoteáveis e 3 aletas móveis traseiras. Como será um míssil stealth ele pode voar alto, necessitando de… Read more »