ComemCh: Comando-em-Chefe-da-Esquadra

ComemCh: Comando-em-Chefe-da-Esquadra

2218
8
SHARE

esquadra2

organograma_esquadra

O ComemCh, sediado no Rio de Janeiro, planeja as operações navais e aeronavais da Esquadra brasileira, supervisiona o emprego das Forças de Superfície, de Submarinos e Aeronavais; e organiza a manutenção dessas forças e das organizações militares subordinadas. Seu atual comandante é o vice-almirante Fernando Eduardo Studart Wiemer.
O ComemCh tem como missão executar as tarefas básicas de controlar áreas marítimas; negar o uso do mar ao inimigo; projetar poder sobre terra; e dissuadir atitudes hostis contra áreas marítimas de interesse do Brasil.
Clique no gráfico para conhecer o organograma das unidades subordinadas ao ComemCh.

A Esquadra é o conjunto de Forças (navios, meios aéreos e de fuzileiros navais destinados ao serviço naval, pertencente ao Estado e incorporados à Marinha do Brasil) e navios soltos, posto sob comando único, para fins administrativos.
Administrativamente, a Esquadra é subdividida em Forças, as quais são organizadas de acordo com o meio ambiente em que suas unidades operam. Daí, temos, a ela subordinadas: a Força de Superfície (ComForSup), a Força de Submarinos (ComForS) e a Força Aeronaval (ComForAerNav). Para apoio ao Comando-Em-Chefe da Esquadra (ComemCh) na organização das diversas operações delegadas à Esquadra, existem ainda duas unidades a ele subordinadas: o Comando da Primeira Divisão da Esquadra (ComDiv-1) e o Comando da Segunda Divisão da Esquadra (ComDiv-2).

Além das Forças Navais, a Esquadra possui, sob sua subordinação, a Base Naval do Rio de Janeiro (BNRJ), situada na ilha de Mocanguê, na baía da Guanabara, onde fica sediada a maior parte de seus meios, o Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão (CAAML), cuja atividade principal é treinar o pessoal que guarnece os navios da Esquadra, com ênfase no desempenho de Operações Navais e Controle de Avarias, e o Centro de Apoio a Sistemas Operativos (CASOP), destinado a garantir o pleno funcionamento dos sistemas de combate instalados nos navios e o Centro de Manutenção de Embarcações Miúdas (CMEM).

“Os povos sãos e fortes, as nações másculas e livres amam nas suas Esquadras
a imagem de sua própria existência.”
Rui Barbosa

esquadra-quadro

SHARE
Previous articleReserva de urânio no Brasil pode ser uma das maiores do mundo
Next articleE por falar em Super Trunfo...
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

8 COMMENTS

  1. Nossa eu amo a MB estive pouco tempo la e so conhecia o basico do ComemCh agora ja sei um pouco mais e suas funções um abraço a todos

  2. Esse e um pedaço da marinha que temos de ter!Que belissimas imagens.Eu considero um Nae seja essencial para o Brasil, pois ele muda muita coisa em termos de capacidades.Que possamos ter uma marinha melhor ainda do que a da fotografia.
    Abraços

Deixe uma resposta