Home Data Comemorativa 27 anos do afundamento do ‘Belgrano’

27 anos do afundamento do ‘Belgrano’

452
27

ara-belgrano

Hoje, 2 de maio, fez 27 anos que o cruzador argentino ARA Gal. Belgrano foi afundado pelo submarino HMS Conqueror durante a Guerra das Falklands/Malvinas. Esta foto publicada pelo blog do Poder Naval é uma homenagem aos 323 marinheiros argentinos que perderam a vida no trágico evento.

FOTO: Armada Argentina

NOTA DO BLOG: leia também a matéria sobre o falecimento do comandante Bonzo.

27 COMMENTS

  1. Se não me falha a memória, este foi o primeiro ato de Guerra após a invasão pelos Argentinos das Ilhas Malvinas. O General Belgrano teve uma chance dias antes flanquear a esquadra Real a leste das malvinas, mas o ataque foi interrompido pelo aviso de Harrier em CAP. O Fator surpresa tinha ido embora. Os Argentinos tiveram inumeras chances de colocar os Britânicos em retirada, mas pelo clima, tempo, oportunidade, adestramento e sorte não conseguiram. As tropas na ilha e os tripulantes do Belgrano não eram a elite dos FA Argentinas, mas mesmo assim lutaram com louvor. Tinha um agravante, os Argentinos tiveram que deixar ao Sul uma força para se evitar um ataque chileno na região de contenda entre os dois países. Os Ingleses se utilizaram do SAS no CHile para alerta sobre decolagem de aeronaves e dos satélites Americanos e a base de Ascenção em sua logística e estratégia. O embargo de venda de armas aos Argentinos foi realizado, sem Exocets e com parte de seu segredo sendo dado pelos Franceses aos Ingleses a sorte de los hermanos estava lançada. Mesmo assim, com tudo contra, eles tiveram suas chances e vitórias de remonta. Eu acredito que as Ilhas pertencem aos Argentinos e uma coisa ficou clara, antes os Argetinos que os Chilenos e sua ligação carnal com Inglaterra e Estados Unidos.

  2. Wolfpack, só prá lembra-lo, que quem disse ter relações carnais com os Yankes, foi o governo argentino, e ainda tentou, ser um “sociozinho” da OTAN, lembra, e o governo era Peronista, como o atual, embora de outra corrente interna do Partido Justicialista. Hoje se intitulam anti-USA, ou seja, pensam sempre nos seus interesses imediatos, por isso hoje encontram-se nessa situação econômica deplorável, e sem perspectivas de curto ou médio prazo, a sorte é que o pais é rico e seu povo tem bom nível educacional, se não…ah! e tem um vizinho que sempre lhes estende a mão nos piores momentos.
    Sds

  3. Caro Noel

    Foi o Menen quem disse isso. Na primeira guerra do golfo ele chegou a enviar um navio à região para fazer presença.
    Quanto ao Chile, é aquela história: o inimigo do meu inimigo é meu amigo. Felizmente isto já foi superado e parece que as duas comadres hoje se dão bem.

    Abraços

  4. E o que fizeram os dois escoltas que estavam com o Belgrano?
    Fugiram ou tentaram caçar o sub inglês?
    Não sei se eram o Alte. Brown ou os Hércules (Tipo 42) que o estavam escoltando.
    Sds

  5. João, eu sei que foi esse ridículo que disse isso, agora essa das comadres foi boa, vão ficar bem, até a hora falar que a outra tá gorda, ai… rsrsrs
    Sds

  6. Segundo consta as escoltas tentaram alguma reação, mas sem sucesso. O Conqueror navegou sem dificuldades para longe. Os Argentinos conseguiram do Brasil alguns Bandeirulhas para vigiar sua costa. Eu acredito que os dois únicos países da América Latina que apresentam algum acordo de livre comércio com os Estados Unidos são o México e o Chile, a Argentina tentou, mas não conseguiu, além do que feria algumas clausulas do Mercosul e o Brasil não gosta nada de acordo bilaterais. Para quem já foi a Patagônia, sabe direitinho que o tempo passa mas o temor por uma guerra entre Chile e Argentina permanece naquelas bandas. Não gosto do Chile desde daquela encenação do Rojas nas eliminatórias da copa de 94. Esses sim são traíras… Os SAS operaram livremente a partir de seu território durante a Guerra das Malvinas. Carregamentos de equipamentos chegavam da Inglaterra a Santiago com freqüência na época. Hoje eles consomem claro F16MLU, Humvee, etc.

  7. Wolfpack…

    nao esqueça aquele gol que o Dieguito fez com a mao na copa !rs

    na verdade o presidente Reagan ficou numa situaçao delicada…ele nao queria problemas com a Argentina e tentou de tudo para uma negociaçao pacifica entre os contendores, mas nao houve jeito, os ingleses estavam e com razao na minha opiniao ,indignados, era territorio britanico, eram cidadaos britanicos vivendo na ilha, nao havia outra soluçao a nao ser recuperar o territorio e o prestigio.

    Fala-se muito que os argentinos quase venceram…que eles foram “heroicos” e tal…mas…raramente comenta-se a bravura e determinaçao dos militares ingleses.

    mesmo que os britanicos tivessem sido repelidos, acredito que voltariam,afinal há uma longa e orgulhosa tradiçao militar e exemplos historicos de derrotas que tornaram-se vitorias.

    O governo argentino apostou alto, e acho que a ideia foi até brilhante , mas no fundo creio que ele precisava de uma liçao e recebeu.

    abraços

  8. Dalton
    E depois dessa guerra as FFAA da Argentina nunca mais foram as mesmas e pelo geito vai continuar por muito tempo.

  9. ate quando os brasileiros vao deixar o futebol tomar conta de suas mentes?futebol e um esporte como outro qualquer,o tema aqui deveria ser outro,ou nao?

  10. Paulo s

    o futebol nao domina minha mente, nem tao pouco o do wolfpack…
    a referencia futebolistica foi apenas uma brincadeira meu caro, alias muito comum neste blog, e é justamente o que o torna atraente, já que é uma “conversa” informal entre entusiastas do assunto.

    Robson Br

    Concordo em genero nr e grau e os argentinos continuam investindo pouco em defesa ,menos de 1% do PIB.

    abraços a ambos

  11. Caro paulo s

    Sua observação sobre o futebol seria por causa do comentário do Dalton sobre a “mão de Deus”? Foi apenas uma citação humorada, para não deixar o assunto “defesa” tão estéril.
    Mas já que você tocou no assunto, a FIFA tem mais filiados do que a ONU. Então o tema não é só brasileiro. Aliás, nós temos grandes artistas, mas os grandes palcos ficam fora daqui. No ano passado, quando o Ronaldinho Gaúcho chegou ao Milan, 40 mil pessoas foram ao estádio, num dia de semana, só para recepcionar o jogador.
    Hoje o futebol é o negócio mais lucrativo do mundo do entretenimento. E um fator de aproximação dos povos. O que contribui para a paz mundial. Havendo paz, fica mais fácil tratar da defesa.

    Abraços

  12. Prezado Dalton

    Enquanto eu redigia minha nota, você já tinha postado a sua resposta. Pelo visto pensamos igual quanto a dar uma pitada de humor aos debates.

    Abraços

  13. Amigos, estes dias passou um documentário sobre como os Argentinos poderiam ter vencido os Britânicos. A junta militar que governava a Argentina a mão de ferro, precisava de um escape para o cada vez mais presente descontentamento da população, principalmente daquele que perderam seus parentes para a ditadura. Eles apostaram que a Inglaterra nunca iria confrontar a Argentina em um teatro de operações tão distante. Erraram. A Real Marinha Britânica estava em exercício e protamente conseguiu reunir uma força tarefa e rumou para o sul. O adestramento da tropa era feito nos navios. Foi tudo arrumado as pressas e de alguma forma de improviso. A Ilha de Ascenção era o ponto de partida ou parada para os Nimrod e Vulcans que bombardearam as Ilhas Malvinas. Em algumas situações o comandante da missão, Sandy Woodward, pensou em dar a Guerra como perdida para os Britânicos, uma delas depois do afundamento do HMS Sheffield e MV Atlantic Conveyor (cheio de equipamentos). A Marinha Argentina não dispunha de número suficiente de minas merítmas para bloquear a entrada da força britânica no centro das ilhas. Mesmo em terra as tropas Argentinas tiveram sua chance, mas as tropas já estavam em estado precário na época, muitas destas vindas de regiões onde o frio não é tão intenso como no sul. Sofreram por isso. Mais ou menos isso. Ah existiram casos de soldados argentinos rendidos que foram mortos pelo fuzileiros britânicos. Isso foi relatado por um dos fuzileiros a Revista Veja na década de 80.
    Só existe glória do lado vencedor. Os nomes dos que perderam a vida pelo lado britânico estão grafados em placa na igreja de San Paul em Londres, junto ao túmulo de Wellington. Os que perderam a vida nas Malvinas estão na praça no final da rua Florida em Buenos Aires.
    Eu acredito que a Argentina têm o direito de reinvindicar a posse destas ilhas que estão ao largo de sua costa. Acredito até que mais próxima que Fernando de Noronha de Pernambuco.
    Abraço

  14. No meu ponto de vista estas ilhas seriam mais Argentinas que Inglesas mas vale lembrar que desde 1600 os ingleses vem marcando presença neste territorio com alguns desacertos (com espanhois e franceses). não me recordo da data exata mas teve um período em que a ilha foi abandonada e nem a Argentina se prestou para ocupa-la, perderam a chance mais clara de ter esse territorio então que a guerra de 82 (tirando o lado tragico) pelo menos serviu para que ambos lados tirassem lições para o futuro.

  15. Wolfpack,

    E de acordo com o vídeo, o HMS Sheffield e MV Atlantic Conveyor carregavam artefatos nucleares!!! Havia também um outro submarino nuclear armado com armas nucleares aguardando ordens navegando na região caso os ingleses perdessem a batalha nas Malvinas, acredita-se que eles usariam estas armas neste caso.

    Acho que os Argentinos “tinham” razão na época em reinvidicar as Malvinas, mas perderam tudo numa ação imbecil e despreparada. Talvez se houvessem continuado a pressão diplomática na ONU e com outros países como os EUA hj já estariam com as Malvinas em suas mãos.

    Depois de tudo que aconteceu, penso que os Argentinos não tem mais razão de reinvindicá-las, pois agrediram a Inglaterra sem necessidade.

    É por essas e outras que devemos agradecer por termos nascido no Brasil, acho que nunca teríamos cometido o mesmo erro…

  16. senhores nao gosto de sair dos objetivos do blog,mas quero dizer que nao tenho nada contra quem gosta de futebol,eu gosto de assistir copa do mundo e eurocopa sem a chamada torcida,sou neutro inclusive em jogos do brasil,so nao entendo alguem que nao gosta de povo “a” ou “b” por causa de jogo de futebol,que e ,continuo afirmando um esporte como outro qualquer,que tem mais exposiçao na midia apenas isso.
    boa tarde/noite a todos.

  17. Não acredito no uso de um artefato nuclear pelos Britânicos, mesmo estes estando em má situação tendo que entregar as Malvinas aos Argentinos. Ele respeitaram a zona continental e nunca ameaçaram bombardear a Argentina. Seria muita estupidez e acredito que a comunidade internacional, incluindo os aliados americanos, não permitiriam isso. Nem Israel recebendo Scuds com a possibilidade de arma quimica do Iraque na primeira Guerra do Golfo, cogitou em utilizar armamento nuclear. Nas Malvinas seria quase impossível.
    Os Estados Unidos passaram maus bocados no Sudeste Asiático e não foi utilizado nenhum artefato nuclear.

  18. Na semana passada a Argentina pediu na ONU a abertura de discussão sobre o a expansão de seu mar territórial até as Malvinas, o que abre caminho para um questionamento sobre a soberania sobre as Malvinas. Queiram ou não a Argentina é nosso vizinho e será assim pra sempre. Quero que eles voltem a ter o domínio sobre as ilhas Malvinas. Imaginem se daqui a alguns anos a Shell e a British Petroleum reinvindicar exploração no nosso mar de 200 milhas, (pré sal). Sabe que já se cogitou isso. Como fica?

  19. Wolfpack em 03 Mai, 2009 às 17:40
    Perfeito, amigo. Defendo sempre uma aliança econômica e estratégica real e duradoura com a Argentina (exceto com seus brutais ditadores, entre eles os peronistas).O único problema são seus narizes empinados. Mas, isto tiramos de letra. É só conviver com eles fora dos estádios e ginásios. Vsitem-nos e verão como nos recebem bem. Inclusive topam brincadeiras sobre Pelé x Maradona (no que, é óbvio, perdem feio).
    Aliás, pra quem gosta de futebol, visitem o Museu do Futebol, sob a arquibancada frontal do Estádio do Pacaembú, onde o meu Curingão acabou de se sagrar campeão paulista. Aliás, hoje estou em estado de graça: e não é que o Mengão também é TRI?…
    Abraços Corintianos e Flamenguistas a todos.

  20. Galera

    quando do falecimento eu já havia colocado isso, mas como voltou ao tema, aqui esta o docdo national geographic sobre o afundamento.

    http://www.bestdocs.com.br/search?q=belgrano

    deem mais visibilidade ao link. Deem uma olhada no site todo que tem muita coisa legal sobre assuntos militares conspiração e politica, inclusive o The Fog of War do Mcnamara.

    Abraços

  21. Israel não usaria armas nucleares??? e os mísseis Jérico que eles fizeram questão de mostrarem pros s´telites americanos e que algum tempo depois mandaram batériasde Patriot?
    Quanto ao fato de os ingleses não terem levado armas nucleares no Sheffield,causa-me espanto de alguns missivistas desse BLOG duvidarem,se fosse a Marinha do Paraguai td bem ,mas se tratando da RN no tempo da guerra fria ,pq o espanto.

  22. Acredito que quem lembra desta época, havia uma histeria argentina pela ocupaçào das ilhas Malvinas. Quando os ingleses começaram a chegar e os combates tornaram-se sérios com afundamento de navios, Belgrano fora da linha de exclusão imposta pelos ingleses, o afundamento do Shefield, o clima era realmente de guerra. Portanto acredito se houvesse necessidade para salvar a frota, eles teriam usado a bomba atômica. Quem não usaria se tivesse em extrema necessidade, ou seja, para salvar a própria pele?

  23. O Belgrano era um dos últimos sobreviventes da carnificina de Pearl Harbor. Guerreou até o final da II Guerra. Como tradição de um guerreiro, morreu em combate, melhor que acabar num desmanche na ïndia.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here