Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Sem comentários para “Quando os encouraçados ‘falavam mais alto’”

  1. Roberto CR 3 de setembro de 2009 at 20:13 #

    Pois é… me parece que ele estava disparando com o navio parada (é assim que se fala?). Imagino o trabalho que dava, nos grandes confrontos que ocorreram entre encouraçados, manobrar, mirar, disparar, recarregar, manobrar, mirar… coisa de louco, fora o barulho.

    Abs

  2. Dell72 3 de setembro de 2009 at 21:19 #

    E aqueles malucos filmando?
    eu penssava que não podia ficar ninguem no conves na hora dos disparos

  3. r2ribas 3 de setembro de 2009 at 22:34 #

    não entendi, cada canhão atirava 3x seguidas?

  4. Lucas Calabrio 4 de setembro de 2009 at 0:46 #

    Prezado
    Atualmente, o encouraçado, está na mesma razão que o dogfigth.
    Não exite ou é muito raro
    sds

  5. Nunão 4 de setembro de 2009 at 9:21 #

    “r2ribas em 03 Set, 2009 às 22:34
    não entendi, cada canhão atirava 3x seguidas?”

    r2ribas, acompanhando o processo de carregamento do canhão (projétil, seguido de um conjunto cargas propelentes), percebe-se que não é possível disparar “3x seguidas”. A cadência de tiro é dada pelo tempo (relativamente longo, pois o pessoal está demonstrando, em outras situações pode ser mais rápido) de carregamento e desgaste etc.

    O que o vídeo mostra, a partir do convés) é os três canhões de cada torre disparando em sequência (apesar de, dentro da torre, só detalhar o carregamento de um).

  6. AL 4 de setembro de 2009 at 21:20 #

    Bons tempos, bons tempos…!!! Acho os encouraçados os navios mais lindos já criados!!!!!!! Uma pena que porta-aviões e submarinos varreram eles do mapa na 2ª GM, uma pena mesmo. Gosto de ler sobre as batalhas entre eles inúmeras vezes, por isso gosto tanto da Guerras do Pacífico, entre janones e russos e depois entre japoneses e americanos. No Atlântico, as únicas que deu graça de ler era a do Bismarck e Jutlândia, o resto foi muito chato… Abraços.

  7. Marcelo Ostra 4 de setembro de 2009 at 21:36 #

    Al,

    Apesar de te entender,em verdade o que aconteceu n Atlatico, por aqui quase nao foi divulgado, tipo pergunta pra alguem alguma ação cnhecida no Atlantico,vc va ver todo mundo travar,
    Houve caçadas celebres por aqui .. Gaff Spee, os Raiders, os DE´contra os ubs, o Massa com o Richileu ..entre utras

    Abs
    Mod MO

  8. Danilo José 6 de setembro de 2009 at 21:57 #

    Encouraçados eram os chamados navios de gueraa das esquadras de aguas azuis, posição hoje ocupada pelos grandiosos e valentes porta-aviões ou navio aerodromo como quiserem, época de ouro deles foi a segunda grande guerra onde batalhas imponentes eram travadas entre capitães e seus encouraçados.

    Abs.

Deixe um comentário

É necessário estar logado para postar um comentário. Para ter acesso aos comentários, você precisa adquirir nossa revista Forças de Defesa e solicitar aos editores um login e senha de cortesia.

Navio-veleiro Cisne Branco aberto à visitação em Santos neste final de semana

Cisne Branco (2)

A Capitania dos Portos de São Paulo informou em nota à imprensa que o navio-veleiro Cisne Branco da Marinha do […]

Marinha peruana estuda três opções para renovar sua força de superfície

DE_LA_PENNE__5____a

  Não é só a Esquadra brasileira que necessita equacionar a renovação de sua força de superfície em um cenário […]

Cerimônia de incorporação do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico ‘Vital de Oliveira’ à Marinha do Brasil

Vital de Oliveira - 1

  Em uma cerimônia de batismo, mostra de armamento e transferência para o setor operativo, o Navio de Pesquisa Hidroceanográfico […]

Ministério da Defesa menos otimista com as chances do Prosuper em 2015

FREMM 523b

Roberto Lopes Editor de Opinião da Revista Forças de Defesa e autor do livro “As Garras do Cisne” Passam os […]

Grã-Bretanha vai investir mais de R$ 1 bilhão na defesa das Ilhas Malvinas

Falkland_islands_250m

A Grã-Bretanha vai gastar £ 280 milhões (R$ 1,3 bilhão) nos próximos dez anos para reforçar a defesa das Ilhas […]