No Credit Check Payday Loans
Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

27 Responses to “Caça naval chinês J-15 na capa da Modern Ships” Subscribe

  1. Invincible 30 de agosto de 2010 at 15:00 #

    Ctrl C + Ctrl V….

    Ctrl C + Ctrl V….

    Ctrl C + Ctrl V…

  2. Sabre 30 de agosto de 2010 at 15:10 #

    Binito, manda 3 dúzias desses pra nós!

  3. A7X 30 de agosto de 2010 at 15:28 #

    Invincible disse:
    30 de agosto de 2010 às 15:00

    KKKKKKKKKKKKKKKKK

  4. cesar 30 de agosto de 2010 at 16:01 #

    Acho que o Invencible quis dizer:

    J-15 Ctrl C e Ctrl V do SU-35.

  5. leonardo angelozi 30 de agosto de 2010 at 16:16 #

    O milagre da multiplicação kkk

  6. felipe alberto 30 de agosto de 2010 at 16:21 #

    A regra é clara 5 diferenças e o produto não é plagio.

    Viva ao hiphone!

  7. Galileu 30 de agosto de 2010 at 16:34 #

    ahahah milagre da multiplicação

    Oia até probe retrátil ele tem, se for uma cópia mesmo e não o Su33, então capricharam no xerox..ahha

  8. Cdr 30 de agosto de 2010 at 16:36 #

    Pak Fa + Su 35 + zoinho puxado = J-15

  9. Marco Antonio Lins 30 de agosto de 2010 at 16:49 #

    Srs
    Alguem pode me dizer,qual a dificuldade que o Brasil tem de construir o seu proprio vetor?

  10. Thomas 30 de agosto de 2010 at 17:14 #

    Os Russos duvidam que, o que os Chineses fizeram funcione, a estrutura do funcional do Su-33 nao foi copiada, mas de uma versao velha que eles compraram da Ucrania.

  11. Colt 30 de agosto de 2010 at 17:17 #

    Olha outro desenvolvimento aí… mesmo caso do KAI Surion, que alías.. tb foi desenvolvido. rs

  12. Marcelo 30 de agosto de 2010 at 17:25 #

    o pessoal do forum da Key Publishing (Air International, Air Forces Monthly) está dizendo que essa foto de capa dessa revista é photoshop, porém muito bem feito.

  13. Marcelo M 30 de agosto de 2010 at 18:35 #

    Marco, a resposta é mercado…
    Os custos de desenvolvimento tem que ser pagos. Acredito, pelo que vi como vc também acredita, que temos capacidade tecnológica para tentar desenvolver nossos próprios aviões. O problema é, se conseguirmos vencer as barreiras tecnológicas que nos permita fazer algo útil, agregar isso a viabilidade financeira.
    A EMBRAER é uma emrpesa privada, não fará avião somente por patriotismo…
    vide exemplo do KC-390, quem esta bancando é a FAB, quem vai aproveitar é a EMBRAER.
    Então o que define as vezes se um país vai ou não desenvolver seu próprio avião, se tiver parque tecnológico para isso, é sempre o vil metal…
    pelo menos é como penso
    abçs
    MM

  14. TIM Barbom 30 de agosto de 2010 at 19:07 #

    Veio, fotoshop nada, é o bichão mesmo…

  15. Seal 30 de agosto de 2010 at 19:57 #

    Caramba! Os chinas tem até caça naval??

    Os ching ling não estão prá brincadeira!

    O ministro da Defesa chinês Liang Guanglie é o responsável do Exército de Libertação Popular (ELP), o mais numeroso no mundo,e iniciou uma viagem hoje pelo Continente Americano.Pretende visitar o México,Colômbia e Brasil.

    O ELP conta com 2 milhões de soldados em suas fileiras e a força aérea possui mais de 400 mil soldados e 2.024 equipamentos aéreos, o que a situa como a maior potência da Ásia e a terceira do mundo, atrás dos EUA e da Rússia.

    Abre o olho Brasil!!!

  16. Fabio 30 de agosto de 2010 at 20:12 #

    Marcelo, concordo com vc, msa tbem existem vários casos em que uma espresa privada apresentou um projeto ao governo de um país que se interessou e bancou uma parte importante do desenvolvimento. Este governo entrou com esta parcela $ pois junto à empresa acreditou nas possibilidades de vendas futuras.

    Posso estar errado,, mas poderíamos colocar alguns projetos neste sentido: F15 Silent Eagle, Gripen E/F ???, e mais um míssel europeu que não lembro o nome agora. Sei que tem mais, mas to com preguiça de pesquisar rsrsrsrs

  17. Aldo Ghisolfi 30 de agosto de 2010 at 21:14 #

    Mas, por que estão debochando dos chineses? Quem me dera que tivéssemos a metade desse vetor disponível.
    Acho que a nossa pesquisa está atrasada por uma questão de filosofia de investimento e de vontade política, diferentemente de deixá-la atrelada às possibilidades de mercado. Mercado interno, até pode ser, mas um bom produto vende sempre.

  18. germa 30 de agosto de 2010 at 23:48 #

    Marco Antonio Lins disse:
    30 de agosto de 2010 às 16:49

    Srs
    Alguem pode me dizer,qual a dificuldade que o Brasil tem de construir o seu proprio vetor?
    ——————————————————————————————————————

    a venda, compra e desenvolvimento material bélico de ponta sempre é complexo.

    vou elencar alguns poucos fatores:

    1. lobby + vontade política: pq é assim que funciona a democracia, as companhias investem nos políticos e eles compram o que estiver acordado.

    2. pressão externa: vamos super que compremos 200 PAk-fa, nossos vetores seriam similares aos americanos. Eles, tentariam diminuir nosso poder,como militarmente não é possivel tornariam o comércio mais complicado.Aí entra o poder do lobby.Quem manda mais, a industria bélica ou os ruralistas?

    3. Investimento em tech. não é barato e toma muito tempo.

    4. Como já dizia kant, é muito caro manter um exéricto permanente e qualificado, isso desvia recursos do que “é mais importante” que no caso seria, saneamento, infra estrutura…

    5. os Estados só tem 3 interesses: Aumentar o poder, manter o poder e diminuir o poder alheio.

    espero ter ajudado.

    abs ;)

  19. Giordani RS 31 de agosto de 2010 at 8:11 #

    Xing-Ling está no caminho certo…Xing-Ling compra de prateleira e faz cópia em casa…daqui à pouco, Xing-Ling aprende a fazer cópia melhor que o original…Xing-Ling está no caminho certo…

  20. Rodrigo 31 de agosto de 2010 at 8:48 #

    Giordani RS disse:
    31 de agosto de 2010 às 8:11

    Perfeito!

  21. cap.neroferrera 31 de agosto de 2010 at 9:16 #

    e o marólinha e sua turma da competencia partindo para o f x 3… hahahaha

  22. Marco Antonio Lins 31 de agosto de 2010 at 14:59 #

    Obrigado Marcelo

    Agora eu comprendo,

    Abs

  23. Mario Blaya 2 de setembro de 2010 at 10:16 #

    olha, pode ser photoshop, e pode ser um caça baseado em terra com um gancho inserido nele apenas para fotos. Os alemães tiravam fotos de aviões que nunca produziram em serie e diziam que tinham esquadrões do tal aparelho, a coisa era tão bem feita, que muitos pilotos aliados diziam terem sido atacados por tais aviões.

    tem outro lado da moeda, a Russia e grande exportador para a India, e esta participando do processo de escolha do novo caça deles, e mais agradavel para os russos acusarem os chineses de copiarem seu aparelho que dizer que vendeu para o futuro (bem proximo) arqui-rival da India na Asia.

  24. rodrigo ds 2 de setembro de 2010 at 19:02 #

    Não sei se é bom, mas que é bonito esse caça ninguem pode negar.

  25. Leandro 2 de setembro de 2010 at 19:14 #

    Rapaz…isso que é xerox!!!!

  26. Aldo Ghisolfi 2 de setembro de 2010 at 21:07 #

    Leandro, xerox do quê?

  27. barbosa 26 de setembro de 2010 at 11:36 #

    karaka rsrs, capiaram até a cor das rodas kkkkkkkkkkk ( o verde tosco )

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Livro ‘As Garras do Cisne’ desvenda segredo da Marinha brasileira

Com base em documentos produzidos pela corporação, Roberto Lopes revela o objetivo da Marinha brasileira de se tornar a nona […]

Navios da Marinha do Brasil visitam o porto de Santos-SP neste final de semana

Está prevista a chegada e atracação no período da manhã de sexta-feira (29.08 – 7h) de um GT (Grupo-Tarefa) composto pelos […]

Futuros tripulantes indianos de Scorpene treinam em equipamentos fabricados na Índia

Sessões de treinamento da DCNS, referentes ao console dos sistemas de gerenciamento da plataforma e de manobras do submarino, foram […]

Marinha do Brasil e Armada da República Argentina concluem a Operação ‘Fraterno-XXXII’

De 15 a 25 de agosto, a Fragata “Greenhalgh” participou da Operação bilateral “Fraterno-XXXII”, que se realiza há 32 anos, […]

Visita da comitiva do Ministério da Defesa da Suécia ao NAe ‘São Paulo’

  Na primeira quinzena de agosto de 2014, uma delegação do Ministério da Defesa da Suécia esteve no Brasil, em […]

98 anos da Aviação Naval

Todo dia 23 de agosto, comemora-se o Aniversário da Aviação Naval, em referência à data de assinatura, pelo Presidente Wenceslau […]