Home Aviação Naval Radar AEW do Sea King é empregado em operações contra-insurgência

Radar AEW do Sea King é empregado em operações contra-insurgência

1007
2

 

Uma nota da Thales do início deste mês informa que seu radar de alerta aéreo antecipado (AEW) Searchwater 2000, que faz parte do sistema de missão dos helicópteros Sea King Mk7 da Marinha Real Britânica (Royal Navy), está cumprindo uma missão crítica no Afeganistão, ajudando suas tripulações a combater operações dos Talibans.

Os radares estão fazendo o papel essencial de “olhos” para os comandantes das operações em terra. O uso do Searchwater sobre terra demonstra, segundo o informe da empresa, a flexibilidade inerente do sistema, originariamente projetado para prover cobertura AEW para grupos-tarefa no mar.

Os Sea Kings, que no Teatro de Operações Afegão cumprem suas missões a partir de Camp Bastion, são empregados em vigilância terrester, apoiando tropas no solo e coletando dados para futura análise, de modo a compor uma visão geral da situação na Província de Helmand. As aeronaves são disponibilizadas por dois esquadrões, em sistema rotativo: os esquadrões aeronavais  854 e 857, normalmente baseados na Royal Naval Air Station Culdrose, em Cornwall. Os helicópteros vêm sendo empregados no TO Afegão há dois anos, tornando-se parte central na luta contra os insurgentes.

Sobre as capacidades AEW dos helicópteros da Marinha Real, a Thales acrescentou que está envolvida nesta área desde o início dos anos 1980, quando uma lacuna na proteção da frota foi identificada durante a Guerra das Malvinas, de 1982. Vários navios britânicos foram afundados no conflito devido a ataques aéreos, o que levou ao rápido desenvolvimento do Sea King AEW Mk2, equipados com radares Searchwater modificados, transferidos da Força Aérea Real Britânica (RAF), onde equipavam aviões Nimrod MR. 

A versão atual Searchwater 2000 foi entregue após a empresa vencer um contrato para modernização de meia-vida do sistema, em 1997. As aeronaves modernizadas com essa versão AEW aprimorada, parte do sistema de missão Cerberus, foram denomiadas Sea King Mk7.

O Cerberus tem totalmente integrado o padrão Link 16 de enlace de dados, sistema de identificação automática, comunicações seguras e navegação inercial / GPS, compondo sua capacidade de vigiância aérea e controle (airborne surveillance and control – ASaC). Segundo a  Thales, o primeiro helicóptero do programa  Sea King Mk7 foi entregue em 2002, dentro do prazo e do orçamento. Desde então, o sistema de missão Cerberus recebeu aprimoramentos para poder ser utilizado sobre terra, em funções de vigilância, inteligência, aquisição de alvos e reconhecimento, mantendo as capacidades ASaC.

FONTE:  Thales  FOTOS: Royal Navy (Marinha Real Britânica)

2
Deixe um comentário

avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Mauricio R.Vader Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Vader
Membro
Member

Nossa, pode até funcionar, mas entra com louvor na série “coisinha bonitinha do pai”… 🙂

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Só não serve p/ a megalomania da MB, a Armada espanhola tb usa, que insiste em restaurar Tracker/Trader.
Reparem no tamanho do radomo, á esquerda da fuselagem dos helicópteros, isso aí a MB necessita fazer caber dentro da fuselagem do S-2.