Home Noticiário Internacional Almirante Gary Roughead, Chefe de Operações Navais da US Navy, recebe a...

Almirante Gary Roughead, Chefe de Operações Navais da US Navy, recebe a Ordem do Mérito Naval do Brasil

839
13

Por Alexandre Galante

O Chefe de Operações Navais da Marinha dos EUA, almirante Gary Roughead, foi agraciado ontem com a Ordem do Mérito Naval da Marinha do Brasil. A cerimônia de recebimento ocorreu na sede do 1º Distrito Naval no Rio de Janeiro.

Logo após o evento, houve entrevista coletiva à Imprensa, na qual o almirante Roughead, juntamente com o Comandante da Marinha do Brasil, Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto, respondeu a diversas perguntas dos jornalistas.

Falando aos jornalistas, o almirante Gary Roughead destacou a extraordinária cooperação existente entre ambas as Marinhas e disse que poderá haver ajuda da US Navy para a segurança da Copa e das Olímpiadas se o Brasil necessitar, mas não há nada efetivo no momento. O almirante Moura Neto lembrou que o Presidente Obama em sua visita ao Brasil ofereceu todo o apoio para a realização das eventos.

O almirante Moura Neto disse que as Forças Armadas já estão se preparando para a segurança da Copa das Confederações em 2013, Copa do Mundo em 2014 e Olimpíadas em 2016. O Comandante da Marinha citou a realização dos Jogos Militares Mundiais, que demonstrou a capacidade dos militares de darem segurança a esse tipo de evento.

Perguntado sobre a política dos EUA na África e a visão sobre o papel do Brasil nessa área, Roughead reconheceu a importância do Brasil nas relações especiais com vários países naquele Continente e destacou o trabalho da US Navy nas operações de segurança marítima com países da costa oeste e leste da África, mais notadamente na iniciativa “Africa Partnership Station”. Moura Neto reiterou que o Brasil participa com observadores a bordo de navios americanos nessas operações e salientou que nosso País tem, além dos laço naturais do Atlântico, laços culturais e linguísticos com vários países africanos, inclusive Moçambique, no Índico.

Questionado sobre a 4ª Frota, Roughead afirmou que é uma organização administrativa que não tem meios próprios e que solicita navios para realizar suas tarefas, principalmente na área de combate ao narcotráfico.

O site Poder Naval perguntou aos almirantes se eles sabiam que o porta-aviões chinês tinha ido ao mar pela primeira vez naquela manhã e se a Marinha do Brasil pretendia cooperar com os chineses com o “know-how” para operações embarcadas. O almirante Moura Neto respondeu que o conhecimento que se tem sobre o porta-aviões chinês é aquele divulgado pela Imprensa e que houve negociações iniciais entre a Marinha do Brasil e a Marinha Chinesa para cooperação há 2 anos, mas essas negociações preliminares não avançaram. Disse também que a China procura ter um Poder Naval completo, por isso está buscando ter seu porta-aviões, o que foi reiterado pelo almirante Roughead.

Sobre a cooperação entre as Marinhas dos EUA e do Brasil, Roughead disse que as duas compartilham a mesma visão de futuro sobre a importância cada vez maior dos mares e que existe um grande respeito da US Navy pela Marinha do Brasil, além de ser uma grande honra para ele trabalhar em conjunto com os brasileiros.

Moura Neto, por sua vez, lembrou que a cooperação entre as duas Marinhas é antiga, remontando às Primeira e Segunda Guerras Mundiais e que esse relacionamento é respaldado por muitos anos de trabalho conjunto.

O Comandante da Marinha do Brasil destacou que o mar é tão importante para o Brasil como é para os EUA e que os dois países dependem do mar para sobreviver.

Perguntado sobre as novas tecnologias da US Navy e se elas poderiam ser compartilhadas com a Marinha do Brasil, Roughead disse que isso depende de entendimentos futuros.

O Almirante Moura Neto lembrou que a Marinha do Brasil já está utilizando tecnologia avançada americana, no caso dos torpedos Mk.48 e dos sistemas de direção de tiro da Lockheed Martin. Disse também que já foram disparados dois destes torpedos com sucesso por submarinos brasileiros.

Na última pergunta feita aos almirantes, se a Marinha dos EUA poderia auxiliar a Marinha do Brasil no treinamento de oficiais a bordo de seus submarinos nucleares, preparando-os para tripular o futuro submarino nuclear brasileiro, Roughead respondeu que nesta visita estão sendo discutidas as oportunidades para que isso se realize e que poderá colocar o diretor do Programa do Submarino Nuclear brasileiro em contato com o comandante da força de submarinos americana. O almirante Moura Neto, encerrando a entrevista coletiva, disse que os passos estão sendo dados nesta área sensível.

FOTO 1: MB / FOTO 2: Poder Naval

13 COMMENTS

  1. Marine!

    Off-topic; mas preciso de sua ajuda:

    Qual é a melhor tradução para a expressão: “cuddly body type”??
    Procurei, mas não achei nada…dever ser alguma gíria..

    Grato!

  2. Países democráticos que adotaram economia de mercado precisam do comércio para desenvolver e proporcionar bem estar aos seus povos.

    O comércio nacional e internacional é vital para economias abertas, e o segundo se dá principalmente por via marítima, notadamente no que se refere às commodities.

    Brasil e Estados Unidos da América se encaixam no perfil acima, com agravante que são enormes players do comércio internacional. Manter as os mares livres de ameaças de qualquer tipo à navegação civil é um objetivo compartilhado por suas forças armadas.

    O objetivo maior é, portanto, a livre e segura navegação.

    Nesta visão as marinhas destes dois gigantes americanos têm muito em comum, sendo interessante o trabalho conjunto e até mesmo interoperacionalidade.

    Os americanos, que se arvoraram em ‘polícia do mundo’ por toda a segunda metade do século XX, estão às voltas com um enorme déficit fiscal, que certamente limitará sua capacidade de estar em toda parte o tempo todo.

    Nós brasileiros, que apesar dos problemas estruturais já somos a 8ª economia do mundo, desejamos e devemos ocupar um maior espaço de influência, expandindo os interesses para além-mar, como é da tradição lusa que não podemos fugir.

    Com respeito e união de esforços o Oceano Atlântico pode ser um grande e pacífico lago americano… mas não apenas americano do norte como no passado, mas dos países americanos que tenham interesse e capacidade de assumir a responsabilidade.

    A porção do Atlântico que fica entre o Brasil e a África é nossa área de responsabilidade e nossa área de atuação básica. Precisamos portanto desenvolver meios que permitam as nossas forças armadas cumprir sua missão, o que seria muito conveniente para nossos vizinhos do norte.

    Sempre lembrando que são duas democracias, portanto defendem o Estado de Direito e o respeito às leis, Brasil e EUA podem agir em conjunto para assegurar o livre trânsito naval e aéreo entre os Trópicos de Câncer e de Capricórnio.

    Claro que diferenças podem surgir.

    Para isso uma ForSub consistente e independente é importante, como fator de dissuasão. Seria o poder de negar o mar àqueles mais fortes, mesmo que em áreas específicas de nosso interesse.
    É uma apólice de seguro, submersa e mortal, que como todo seguro não desejamos nunca ter que usar… mas sempre mantemos em dia.

    Sds,
    Ivan, o Antigo.

  3. Coral Sea,

    Cuddly body type….. Hmmmm voce poderia me dizer o contexto de como a expressao esta sendo usada para que lhe de a resposta mais correta.

    Semper Fidelis!

  4. Bela entrevista. Parabéns ao PN. Bem, quanto à pergunta específica do propalado intercâmbio Brasil/China na formação de pilotos navais, cai por terra, ou “por mar” essa história de que vamos ensinar aos chineses como se pousa e se lança aeronaves de porta-aviões… Aliás, se o São Paulo continuar parado daqui a pouco nós é que vamos ter que aprender com os chineses…

  5. Só como curiosidade; o Almirante Gary Roughead se aposenta em setembro, sendo substituído pelo Almirante Jon Greenert.

    Marine

    Escutei no rádio; um rapaz no telefone pergunta a uma garota que ele não conhece, como ela é fisicamente: slim, large, average entre outras; aí ela responde: “cuddly”…..fiquei sem entender….:-)

    Preferindo, escreva em pvt: [email protected]
    Obrigado pela ajuda….

  6. Coral Sea,

    Ah ok hehehehe. “Cuddly” nesse contexto e a garota dizendo que ela e meio gordinha, “big boned”, tipo nem magra, nem gorda.

    Cuddly quer dizer algo ou alguem que voce teria prazer em fazer xamego ou cafune entendeu?

  7. Marine

    Muito obrigado; no início eu pensei em ter escutado “cute”….mas realmente escutei certo, “cuddly”…..preciso melhorar o meu inglês!!
    Valeu pela ajuda…..

  8. Parabéns ao PN. Bem, quanto à pergunta específica do propalado intercâmbio Brasil/China na formação de pilotos navais, cai por terra, ou “por mar” essa história de que vamos ensinar aos chineses
    ____________
    ____________

    COMENTÁRIO EDITADO. NÃO USE O ESPAÇO PARA PROPAGANDA.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here