Lançada a ‘Normandie’, segunda FREMM francesa e terceira da DCNS

Lançada a ‘Normandie’, segunda FREMM francesa e terceira da DCNS

83
1
SHARE

A fragata multimissão foi lançada pela DCNS na presença do ministro da Defesa e do ministro da Economia e Finanças da França 

Em nota à imprensa veiculada nesta sexta-feira, 19 de outubro, a DCNS informou o lançamento da fragata multimissão FREMM Normandie, evento que foi celebrado na quinta-feira, dia 18. O lançamento ocorreu com a flutuação do casco na doca de construção do grupo em Lorient e contou com a presença de dois ministros franceses, o da Defesa da França Jean-Yves Le Drian, e o da Economia e Finanças Pierre Moscovici.

O lançamento foi assistido por mais de 500 funcionários da DCNS e convidados. Atualmente, há seis fragatas multimissão em construção, segundo a empresa, e a Normandie é a terceira de doze FREMM na carta de encomendas da DCNS (onze delas para a Marinha Francesa).

A primeira da classe, a Aquitaine, deverá ser entregue à Marinha Francesa no final de 2012. A segunda FREMM lançada foi a Mohammed VI, em setembro de 2011, destinada à Marinha Marroquina. Com o lançamento deste dia 18 da Normandie, cuja construção foi iniciada em outubro de 2009, a futura Provence passa a ocupar totalmente a vaga no edifício de construção deixada pela Normandie. As seções das fragatas Languedoc e Auvergne entraram em construção em setembro de 2011 e agosto de 2012.

A operação de retirada da Normandie da doca alagada durou 15 minutos, com rebocadores levando-a ao cais onde os trabalhos de construção e montagens continuarão pelos próximos meses, com equipes da DCNS e subcontratados. Essa próxima fase inclui a instalação da infraestrutura do mastro principal, que abrigará a suíte de sensores do navio (radares, antenas, câmeras, interferidores, etc).

Patrick Boissier, chefe-executivo e “chairman”  da DCNS disse que o desempenho desse programa industrial, atendendo às expectativas técnicas e econômicas dos clientes, ganha mais destaque porque está dentro de uma iniciativa de manter a produção de forma competitiva na própria França, “ao invés de terceirizar para estaleiros em países de custo menor”.

FONTE / FOTOS / VÍDEO: DCNS

VEJA TAMBÉM:

1 COMMENT

Deixe uma resposta