Mais de 80 navios da Marinha russa em desdobramentos pelo mundo

Mais de 80 navios da Marinha russa em desdobramentos pelo mundo

246
5
SHARE

180115295

De acordo com o chefe de Operações Navais da Marinha russa, almirante Viktor Chirkov mais de 80 navios da Marinha russa estão atualmente de prontidão em diversos ares do mundo. A declaração foi feita à RIA Novosti ontem (01). A duração dos desdobramentos e as atribuições dos meios navais aumentaram consideravelmente nos últimos anos. As áreas de abrangência das missões também cresceram.

O almirante Chirkov citou como exemplo a força-tarefa liderada pelo cruzador Moskva e comporta pelo navio anti-submarino Admiral Kulakov, o rebocador Yevgeny Khorov e o navio de abastecimento Ivan Bubnov está atualmente no Atlântico e realizou visitas não oficiais a Cuba e à Venezuela. Também há outra força-tarefa, formada pelo cruzador Varyag, o navio de abastecimento Boris Butoma e o rebocador SB-522, está a caminho da região sudeste do Pacífico.

De acordo com o comandante, esses desdobramentos de longo alcance funcionam para estabelecer relações de confiança e expandir a colaboração com forças navais estrangeiras.

FONTE: RIA Novosti (tradução e adaptação do Poder Naval a partir de original em inglês)

5 COMMENTS

  1. Qual a função dos rebocadores em forças-tarefas como as acima citadas. Raramente ouço FT como na MB e USN entre outras citar a presença de rebocadores. Seria pura e simplesmente falta de meios? Ou não é nada disso.

  2. MO…

    é o mesmo, apenas “esqueceram” de incluir a palavra “vice” .

    pco-andrade…

    a compreensão que tenho quanto aos rebocadores oceânicos acompanhando os navios de guerra russos é que ao contrário da US Navy os russos não possuem a mesma infraestrutura/bases no exterior para dar apoio a seus navios quando estes estão em comissões longas, então se algo dá errado os russos podem resolver por si o problema rebocando o navio até um porto estrangeiro próximo.

  3. Tem mais uma força, ao norte, liderada pelo Peter the Great, que está láá no pólo norte.

    Tem vários no mediterrâneo também.

Deixe uma resposta