130703-FG395-083

A nova geração de submarinos nucleares estratégicos da Marinha americana será concebida com sistema de propulsão elétrica em vez se mecânica. O novo sistema, além de movimentar a hélice, deverá gerar eletricidade para alimentar os componentes eletrônicos, sensores e sistemas de armas dos navios, além de diminuir consideravelmente os ruídos emitidos.

Os chamados Ohio Replacement Submarines (ORS) começarão a ser fabricados em 2021, e deverão substituir completamente os modelos Ohio atuais até 2029. Cada navio tem custo estimado em 4 bilhões de dólares.

FONTE: Naval Today (tradução e adaptação do Poder Naval a partir de original em inglês)

Tags: , , , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

2 Comentários para “Novos SSBN da Marinha americana terão sistema de propulsão ‘electric drive’”

  1. daltonl 2 de outubro de 2013 at 18:42 #

    “…deverão substituir completamente os modelos Ohio atuais até 2029.”

    O correto é A PARTIR de 2029, pois planeja-se que o último Ohio será retirado em 2039/2040.

  2. Soyuz 4 de outubro de 2013 at 2:22 #

    Nada mais racional.

    O submarino em velocidade de patrulha de 3 ou 4 nós, gasta uma fração minima da energia que gastaria a 30 nós.

    Um IKL-209 precisa de 5000 Hp para navegar a 24 nós e não mais do que 300HP para navegar a 4 nós.

    Mesmo em submarinos diesel elétrico estratégias similares já foram implementadas.

    A classe Daphné possuíam motores elétricos de baixa potência e de alta potência, um era empregado em patrulha de baixa velocidade e o outro em alta velocidade. É bem verdade que neste caso não era ruído o foco e sim eficiência, porque era (e ainda é) muito difícil construir um motor que seja eficiente em toda rampa de carga.

Deixe um comentário

É necessário estar logado para postar um comentário. Para ter acesso aos comentários, você precisa adquirir nossa revista Forças de Defesa e solicitar aos editores um login e senha de cortesia.

Marinha peruana estuda três opções para renovar sua força de superfície

DE_LA_PENNE__5____a

  Não é só a Esquadra brasileira que necessita equacionar a renovação de sua força de superfície em um cenário […]

Cerimônia de incorporação do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico ‘Vital de Oliveira’ à Marinha do Brasil

Vital de Oliveira - 1

  Em uma cerimônia de batismo, mostra de armamento e transferência para o setor operativo, o Navio de Pesquisa Hidroceanográfico […]

Ministério da Defesa menos otimista com as chances do Prosuper em 2015

FREMM 523b

Roberto Lopes Editor de Opinião da Revista Forças de Defesa e autor do livro “As Garras do Cisne” Passam os […]

Grã-Bretanha vai investir mais de R$ 1 bilhão na defesa das Ilhas Malvinas

Falkland_islands_250m

A Grã-Bretanha vai gastar £ 280 milhões (R$ 1,3 bilhão) nos próximos dez anos para reforçar a defesa das Ilhas […]

Parceria BAE Systems/Ares fornecerá canhões Mk.4, de 40 mm, à Marinha

Bofors MK4

Dentro de mais três semanas o grupo BAE Systems Bofors AB assina com a Marinha do Brasil, no Rio de […]