marinha02_internet

Em cerimônia realizada no Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília, o almirante Carlos Augusto de Sousa assumiu o cargo de chefe do Estado-Maior da Armada (EMA). Carlos Augusto substitui o almirante Eduardo Monteiro Lopes, indicado para representante permanente do Brasil junto à Organização Marítima Internacional, com sede em Londres, no Reino Unido.

No discurso, o novo chefe do EMA colocou-se à disposição dos chefes dos Estados-Maiores do Exército e da Aeronáutica para que possam dar continuidade ao modelo de interoperabilidade das Forças Armadas. O almirante destacou também o propósito de termos uma Força Naval moderna e equilibrada e que esteja em sintonia com os anseios da sociedade brasileira.

A solenidade transcorreu com a participação do ministro da Defesa, Celso Amorim, de quem Carlos Augusto era subordinado até então. O almirante era titular da Chefia de Assuntos Estratégicos (CAE) do ministério. Em novembro do ano passado, por designação da presidenta Dilma Rousseff, ele foi nomeado para o EMA.

Transmissão de cargo

A transmissão de cargo ocorreu no pátio principal do Grupamento dos Fuzileiros Navais. O evento teve início com a chegada do ministro Amorim que, após ser recepcionado pelo comandante da Marinha, almirante Julio Soares de Moura Neto, passou em revista à tropa. Postado num dispositivo no centro do pátio, juntamente com os oficiais graduados da Marinha, Amorim assistiu o ato de passagem de comando.

Após a execução do Hino Nacional brasileiro, se procedeu a leitura do ato da presidenta Dilma que nomeou o almirante Carlos Augusto. Em seguida foi feito relato da gestão do almirante Monteiro Lopes que concluiu com discurso em agradecimento. O locutor do evento deu destaque para os 46 anos que Monteiro Lopes vem se dedicando à Força Naval.

marinha01A cerimônia foi encerrada com o desfile das tropas dos Fuzileiros em homenagem ao chefe do EMA. A transmissão de cargo contou com a participação do ministro do Gabinete da Segurança Institucional (GSI), general José Elito de Siqueira; do comandante do Exército, general Enzo Martins Peri; além de oficiais-generais e adidos militares e representantes de governos estrangeiros.

Atribuições do EMA

O EMA é o setor de direção geral da Marinha, tendo como missão o assessoramento ao comandante da Marinha na direção da Força Naval e no desempenho de suas atribuições no Conselho Militar de Defesa e no Conselho de Defesa Nacional.

O Estado-Maior possui diversas tarefas cabendo ressaltar as seguintes: elaborar a doutrina, a política e o planejamento estratégico da Marinha; controlar e coordenar a Política Marítima Nacional (PMN); planejar a logística naval e supervisionar sua execução; planejar a mobilização marítima; coordenar e controlar a participação da Marinha em grupos de trabalhos no âmbito do Ministério da Defesa e interministeriais ou de interesse governamental; e assessorar o Comandante da Marinha no tocante às atribuições da Autoridade Marítima.

FONTE: Ministério da Defesa

Tags: , , , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

3 Comentários para “Almirante Carlos Augusto assume o Estado-Maior da Armada (EMA)”

  1. Ozawa 10 de janeiro de 2014 at 17:31 #

    “O almirante destacou também o propósito de termos uma Força Naval moderna e equilibrada e que esteja em sintonia com os anseios da sociedade brasileira”

    Ora, com a devida vênia, os “anseios” dessa assertiva são tão intangíveis quanto a própria armada…, talvez essa seja a sintonia…

    Qual é a armada que a sociedade quer ? Alguém já lhe perguntou ? Se utilizarmos como referência socio-estatística os posts dos participantes desse fórum, a atual armada, incluindo a armada virtual do PAEMB, está em total desintonia com as pretensões dessa sociedade, por seus planos irrealizáveis e metas utópicas e indícios de caminhos tomados totalmente equivocados.

    Não há compromissos reais entre o que se diz com o que se faz. Banda de Música, Hino Nacional, Salve, Salve, Brasil, Ordem do Dia…, e o principal, um trampolim para algum dia alçar uma “representação permanente do Brasil junto à Organização Marítima Internacional, com sede em Londres, no Reino Unido…”

  2. Blind Man's Bluff 11 de janeiro de 2014 at 15:33 #

    É o mínimo que podemos esperar de um almirante ex-NAe Minas Gerais e escolhido a dedo pelo chefe da quadrilha do ParTido.

  3. juarezmartinez 12 de janeiro de 2014 at 21:30 #

    Assumiu o estado maior da maior marinha stealth do planeta.
    Agora é só aguardar os dois novos NAAAEs de 59.000 tons:

    BNS “Sonhus” e BNS” Delirius”

    Grande abraço

Deixe um comentário

É necessário estar logado para postar um comentário. Para ter acesso aos comentários, você precisa adquirir nossa revista Forças de Defesa e solicitar aos editores um login e senha de cortesia.

Consultor defende a criação de uma nova marinha mercante brasileira

Marinha Mercante - 1

Sergio Barreto Motta Pós-doutor em regulação pela universidade americana de Harvard, o brasileiro Osvaldo Agripino propôs, no III Fórum de […]

Ingresso da mulher nas fileiras da Marinha completa 35 anos

Corpo Feminino da Marinha

A Marinha do Brasil (MB) comemora, hoje, os 35 anos do ingresso das mulheres como militares em seus quadros. A […]

Suécia assina com Saab a encomenda de dois novos submarinos tipo A26

Kockums A26 - imagem 2 Saab

Empresa também modernizará dois exemplares da classe ‘Gotland’ em serviço na Marinha Sueca – Na última terça-feira, 30 de junho, […]

Fabricação do primeiro submarino S-BR avança na ICN

Reforços Externos #2

Rio de Janeiro, 29 de junho de 2015 – A Itaguaí Construções Navais (ICN) avança na construção do primeiro submarino […]

Prosuper receberá propostas da China e dos EUA

Type 052B Guangzhou class Wuhan (170) guided missile destroyer

  O PROSUPER, programa da Marinha do Brasil (MB) que visa obter 5 navios escoltas, cinco navios-patrulha oceânicos (NPaOc) e […]