marinha02_internet

Em cerimônia realizada no Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília, o almirante Carlos Augusto de Sousa assumiu o cargo de chefe do Estado-Maior da Armada (EMA). Carlos Augusto substitui o almirante Eduardo Monteiro Lopes, indicado para representante permanente do Brasil junto à Organização Marítima Internacional, com sede em Londres, no Reino Unido.

No discurso, o novo chefe do EMA colocou-se à disposição dos chefes dos Estados-Maiores do Exército e da Aeronáutica para que possam dar continuidade ao modelo de interoperabilidade das Forças Armadas. O almirante destacou também o propósito de termos uma Força Naval moderna e equilibrada e que esteja em sintonia com os anseios da sociedade brasileira.

A solenidade transcorreu com a participação do ministro da Defesa, Celso Amorim, de quem Carlos Augusto era subordinado até então. O almirante era titular da Chefia de Assuntos Estratégicos (CAE) do ministério. Em novembro do ano passado, por designação da presidenta Dilma Rousseff, ele foi nomeado para o EMA.

Transmissão de cargo

A transmissão de cargo ocorreu no pátio principal do Grupamento dos Fuzileiros Navais. O evento teve início com a chegada do ministro Amorim que, após ser recepcionado pelo comandante da Marinha, almirante Julio Soares de Moura Neto, passou em revista à tropa. Postado num dispositivo no centro do pátio, juntamente com os oficiais graduados da Marinha, Amorim assistiu o ato de passagem de comando.

Após a execução do Hino Nacional brasileiro, se procedeu a leitura do ato da presidenta Dilma que nomeou o almirante Carlos Augusto. Em seguida foi feito relato da gestão do almirante Monteiro Lopes que concluiu com discurso em agradecimento. O locutor do evento deu destaque para os 46 anos que Monteiro Lopes vem se dedicando à Força Naval.

marinha01A cerimônia foi encerrada com o desfile das tropas dos Fuzileiros em homenagem ao chefe do EMA. A transmissão de cargo contou com a participação do ministro do Gabinete da Segurança Institucional (GSI), general José Elito de Siqueira; do comandante do Exército, general Enzo Martins Peri; além de oficiais-generais e adidos militares e representantes de governos estrangeiros.

Atribuições do EMA

O EMA é o setor de direção geral da Marinha, tendo como missão o assessoramento ao comandante da Marinha na direção da Força Naval e no desempenho de suas atribuições no Conselho Militar de Defesa e no Conselho de Defesa Nacional.

O Estado-Maior possui diversas tarefas cabendo ressaltar as seguintes: elaborar a doutrina, a política e o planejamento estratégico da Marinha; controlar e coordenar a Política Marítima Nacional (PMN); planejar a logística naval e supervisionar sua execução; planejar a mobilização marítima; coordenar e controlar a participação da Marinha em grupos de trabalhos no âmbito do Ministério da Defesa e interministeriais ou de interesse governamental; e assessorar o Comandante da Marinha no tocante às atribuições da Autoridade Marítima.

FONTE: Ministério da Defesa

Tags: , , , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

3 Responses to “Almirante Carlos Augusto assume o Estado-Maior da Armada (EMA)” Subscribe

  1. Ozawa 10 de janeiro de 2014 at 17:31 #

    “O almirante destacou também o propósito de termos uma Força Naval moderna e equilibrada e que esteja em sintonia com os anseios da sociedade brasileira”

    Ora, com a devida vênia, os “anseios” dessa assertiva são tão intangíveis quanto a própria armada…, talvez essa seja a sintonia…

    Qual é a armada que a sociedade quer ? Alguém já lhe perguntou ? Se utilizarmos como referência socio-estatística os posts dos participantes desse fórum, a atual armada, incluindo a armada virtual do PAEMB, está em total desintonia com as pretensões dessa sociedade, por seus planos irrealizáveis e metas utópicas e indícios de caminhos tomados totalmente equivocados.

    Não há compromissos reais entre o que se diz com o que se faz. Banda de Música, Hino Nacional, Salve, Salve, Brasil, Ordem do Dia…, e o principal, um trampolim para algum dia alçar uma “representação permanente do Brasil junto à Organização Marítima Internacional, com sede em Londres, no Reino Unido…”

  2. Blind Man's Bluff 11 de janeiro de 2014 at 15:33 #

    É o mínimo que podemos esperar de um almirante ex-NAe Minas Gerais e escolhido a dedo pelo chefe da quadrilha do ParTido.

  3. juarezmartinez 12 de janeiro de 2014 at 21:30 #

    Assumiu o estado maior da maior marinha stealth do planeta.
    Agora é só aguardar os dois novos NAAAEs de 59.000 tons:

    BNS “Sonhus” e BNS” Delirius”

    Grande abraço

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Em fórum na Fiesp, Estado-Maior da Armada destaca a importância da indústria em projetos da Marinha

Por Dulce Moraes e Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp Representantes do órgão apresentam projetos em desenvolvimento e formas de financiamento. […]

Navios-patrulha do Brasil e da França em operação contra pesca ilegal

Segundo nota divulgada pelo Ministério da Defesa da França nesta segunda-feira, 20 de outubro, o navio-patrulha La Capricieuse da Marinha Francesa […]

Rússia diz que submarino ‘misterioso’ na Suécia é da Holanda, mas holandeses negam

A Rússia foi acusada de ter enviado o submarino ao local, mas negou. Porém, segundo jornal sueco, a Holanda também […]

Compre agora sua revista Forças de Defesa número 11

Outra revista igual a essa, só daqui a 100 anos! A Revista Forças de Defesa 11ª edição de 140 páginas na versão impressa […]

Suecos investigam presença de submarino estrangeiro perto de sua capital

Submarino estrangeiro estaria operando no Arquipélago de Estocolmo, do qual faz parte a capital da Suécia, o que levou ao […]

Mora em Brasília ou está na cidade? Então experimente um simulador da Marinha

Simulador de Aviso de Instrução, utilizado pelos aspirantes da Escola Naval no Rio de Janeiro (RJ), além de maquete da […]