169273072

Os trabalhos de reforma e modernização do cruzador de batalha nuclear Admiral Nakhimov foram iniciados na Rússia este ano, com término previsto para 2018. O custo geral da reforma pode chegar dezenas de trilhões de rublos. O navio deve receber um conjunto de armamentos completamente novo e espera-se que possa servir à frota russa por mais dez anos.

Os cruzadores de batalha nucleares do projeto 11442 Orlan têm como objetivo dar apoio às forças da Marinha que atuam em regiões distantes. Além disso, eles podem atacar grupos de porta-aviões e destruir submarinos nucleares e navios de superfície.

Com estrutura sólida, boa proteção e poderoso armamento de ataque e defesa, esse tipo de navio ficou conhecido pelos americanos como “cruzeiro nuclear de mísseis guiados” (BCGN – Battlecruiser Guided-Missiles Nuclear) e “couraçado lançador de mísseis”.

O canhão principal

O conjunto de armamentos do navio é o grande objetivo da modernização. O cruzador receberá um novo canhão principal – o lançador de mísseis P-700, com mísseis supersônicos antinavios de longo alcance de destinação operativa 3M45 Granit. Esses mísseis são capazes de romper praticamente qualquer defesa antiaérea, com perdas mínimas em distâncias de até 550 km. O 3M45 leva aos alvos uma ogiva semiblindada, com peso de 750kg, envolvida em um invólucro robusto, resistente até mesmo a projéteis perfuradores de blindagem de 30mm, o que torna a interceptação ainda mais difícil.

O míssil é capaz de distinguir os diferentes tipos e classes de navios e de atacá-los em seus pontos fracos. Entretanto, eles serão trocados tanto nos cruzadores desse tipo, quanto nos submarinos portadores de mísseis balísticos com ogivas nucleares do projeto 949A. A razão disso, provavelmente, está no fato de que o Granit é muito especializado, e não é vantajoso usar um foguete tão pesado e caro em algo menor que um contratorpedeiro ou cruzador, é melhor usá-lo contra um porta-aviões.

A capacidade do novo complexo principal será de 80 canhões. Os mísseis antinavios serão do tipo P-900 3M55 Oniks e 3M54 Biriuza, com sistemas de armamento Kalibr.

O Oniks possui todo o potencial do Granit no que se refere à tática de grupo e, tendo elementos mais modernos, é mais livre de interferência. O menor alcance e a menor massa da ogiva são compensados com o aumento da quantidade de foguetes.

Prós e contras

A modernização do Admiral Nakhimov tem oponentes e defensores. Os oponentes acreditam que essa classe de navios é “inútil como as pirâmides”, e sua modernização é um gasto de dinheiro desnecessário.

Para eles, em vez de reformar o cruzador a Marinha russa poderia construir certa quantidade de corvetas e fragatas. Entretanto, a frota não pode ser constituída somente desses navios, são necessários navios centrais que possuam potencial máximo tanto de defesa antiaérea, quanto de ataque. O preço da modernização claramente não será maior que o custo de um bom contratorpedeiro, enquanto o potencial bélico é maior ao que parece.

Por outro lado, além dos Orlan, a frota precisa também de submarinos nucleares lançadores de míssil de cruzeiro do projeto 885M, de contratorpedeiros, de fragatas dos modelos 22350 e 11356R e de dezenas de corvetas. É necessário muito dinheiro para tudo isso. E vale lembrar que a Rússia é principalmente uma potencia continental. Oque significa que a frota marítima nunca foi e nunca será a prioridade das Forças Armadas do país.

Quem é o próximo?

O processo de atualização exigirá a troca da maioria dos radares e equipamentos radiotécnicos do navio, bem como do complexo de computadores e recursos hidroacústicos, resultando em um navio totalmente diferente.

A próxima embarcação que sofrerá uma reforma semelhante será o TARKR Pyotr Velikiy, que atualmente está em operação. Provavelmente ele será modernizado de forma mais rápida, pois se encontra em condição bem melhor. A modernização está prevista para terminar em 2021. À essa altura, uma quantidade suficiente de navios de novos projetos já estará pronta, compondo uma frota digna de exportação.

Publicado originalmente pelo Vzgliad 

FONTE: Gazeta Russa (adaptação do Poder Naval a partir de original em inglês)

Tags: , , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

7 Responses to “Começa reforma do ‘Admiral Nakhimov’” Subscribe

  1. CorsarioDF 10 de fevereiro de 2014 at 20:39 #

    Pelo menos a Marinha Russa tem uma visão estratégica e de longo prazo dentro da sua realidade.

    Enquanto num país dos trópicos…

    ST

  2. daltonl 10 de fevereiro de 2014 at 21:08 #

    Depende Corsário…há muita gente inclusive russos que acham que o dinheiro gasto na modernização seria melhor aproveitado em outros projetos.

    Basicamente os russos possuem poucos grandes combatentes de superficie e modernizar esse cruzador ainda sairá mais barato e mais rapidamente que iniciar um novo projeto de um grande destroyer por exemplo e os russos contam também que um grande navio como esse cruzador fará bonito mostrando a bandeira.

  3. Corsario137 10 de fevereiro de 2014 at 23:59 #

    Os russos e seus “complexos”.

    Moreover, essa “classe Kirov” é a coisa mar linda que existe. Ainda hei de ir a Rússia só pra ver uma belezura dessas, mesmo que de longe.

  4. Guizmo 11 de fevereiro de 2014 at 9:28 #

    Corsário,
    Essa classe sempre foi minha favorita, desde seu lançamento. Não existe nenhum navio de superfície no mundo que chegue perto desse Cruzador em poder de fogo.
    Abs

  5. Corsario137 11 de fevereiro de 2014 at 10:13 #

    Caro Guizmo,

    Isso já foi tema de longa conversa aqui no Naval. Fui muito bem apresentado a classe pelos colegas daqui e por um livro de navios russos a que tive acesso.

  6. MO 11 de fevereiro de 2014 at 18:18 #

    ha um poster de um da classe que foi postado no face que se vc ver vc morre então, muito bonito, to procurando o link e ver se te passo

  7. Corsario137 11 de fevereiro de 2014 at 22:40 #

    Achae MO!
    TO querendo uma coisa bem bonita assim pra fazer um poster e colocar no meu escritório.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Fornecedores nacionais do Prosub

Scorpène - Tunku Abdul Rahman

Respondendo à questão do leitor Oganza, segue anexa a lista de itens que a Marinha do Brasil pretende nacionalizar no […]

Mensagem do Comandante da Marinha insiste no Prosuper mas é discreta sobre meios navais

Esquadra A12

Roberto Lopes Autor do livro “As Garras do Cisne” Exclusivo para o Poder Naval Os 38 minutos da Mensagem de […]

Lançamento do livro ‘Monitor Parnaíba – 75 anos’, no dia 19 de dezembro, em São Paulo

Livro Monitor Parnaíba - 75 anos -  Capas - WEB

A editora Aeronaval Comunicação, que produz a revista Forças de Defesa, está lançando a primeira edição do livro “Monitor Parnaíba […]

Amazul assina contrato com a Mectron para projeto do IPMS do submarino de propulsão nuclear

Submarino com propulsão nuclear Álvaro Alberto

No mês de dezembro, a Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. (Amazul) assinou um contrato com a Mectron para o […]

Compre sua revista Forças de Defesa 12ª edição

Forças de Defesa 12 - capa e miolo 2 - destaque

Saiu a Revista Forças de Defesa 12ª edição, com 120 páginas! a versão impressa está disponível para compra pela Internet e […]