NDD ‘Ceará’ (G 30) – Aspirantex 2015, Santos/SP (Imagens)

NDD ‘Ceará’ (G 30) – Aspirantex 2015, Santos/SP (Imagens)

425
64

ceara-G30-PWFZ-aspirantes-2015-ml-01-02-15-4 copy

Imagens do NDD ‘Ceará’ (G 30), durante escala em Santos/sP, na parte final da Operação Aspirantex 2015, entre 1 e 3 de fevereiro de 2015.

É possivel ver os novos equipamentos instalado no navio após sua modernização e PMG.

ceara-G30-PWFZ-aspirantes-2015-ml-01-02-15-9 copy

Para mais informações, fotos detalhadas (38 fotos) e vídeo:

  • http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2015/02/ndd-ceara-g-30-pwfz-aspirantex-2015.html

ceara-G30-PWFZ-aspirantes-2015-ml-01-02-15-15 copy ceara-G30-PWFZ-aspirantes-2015-ml-01-02-15-25 copy ceara-G30-PWFZ-aspirantes-2015-ml-03-02-15-8 copy ceara-G30-PWFZ-aspirantes-2015-ml-03-02-15-13 copy ceara-G30-PWFZ-aspirantes-2015-ml-03-02-15-20 copy

Fotos: Marcelo ‘MO’ Lopes – 1 e 3/02/2015

 

64 COMMENTS

  1. Desperdicio de recursos e dinheiro da nação, com a atual restrição orçamentaria vamos ver quantos dias de mar esse Paquiderme anfibio irá fazer em 2015….

    Não mais que 15 a 20 DM/ano ….

  2. John Paul Jones, qual deveria ser o consumo de um navio novo “equivalente”?

    Compensaria comprar o Sirocco e aposentá-lo (sei que em tese ele substituiria o irmão RJ e a MB iria querer manter os dois)?

  3. JPJ…

    não gosto de questionar o pessoal da ativa ou que já foi da ativa, mas, 70 toneladas não seria o consumo de uma fragata, também ? E não é o Ceará útil para reabastecer as fragatas também além da óbvia missão anfíbia?

    De fato o Ceará e os demais navios da marinha, e de muitas outras marinhas também , não passam muito tempo no mar por ano então ter um navio novo na atual situação não iria melhorar nada o quadro geral.

    abs

  4. Prezado John Paul Jones,

    Como você sabe muito bem, não é possível estabelecer um consumo fixo para qualquer meio naval.

    O consumo dependerá sempre das condições (calibragem, desgaste…) das máquinas do navio, da velocidade de deslocamento, da carga do navio, das condições do mar, das condições meteorológicas, entre outros fatores.

    Por isso, não se pode estabelecer com precisão o consumo de determinado meio naval.

    Abraços

  5. Marcos…

    o Ceará acabou de passar por um PMG que deverá capacita-lo para servir por pelo menos uns 6 anos a
    mais…em 2021 ele completará 65 anos !

    Substitui-lo agora seria jogar fora o dinheiro gasto.

    O mais racional é que o Siroco se for de fato adquirido irá ser o substituto do Rio de Janeiro que foi retirado em
    2012.

  6. Entendo. Obrigado pelo esclarecimento Mestre Dalton.

    O Almirante LM disse, em outro post, que o PRONanf contempla dois navios de 12500 toneladas. Se o Siroco for adquirido de onde vai sair o segundo? Não seria disperdício ter dois navios da mesma tonelagem e funçao de classes diferentes?

  7. Nao seria dificil uma FCG conumir isso ai por dia… dependeria da demanda das TG…
    Existe um consumo de planejamento, o qual norteia o pessoal da logistica quando estamos preparando uma comissao… claro que, com o tempo, os motores ou TG bebem mais do que previsto e o tal consumo de planejamento tem de ser corrigido

  8. Esclarecendo, os NDD podem passar aguada, mas nao lembro de reabastecimento de OC… nunca fiz ou vi… o que nao quer dizer que nao tenham essa capacidade…
    No mais, bom ver o mesmo Navio em que fiz meus primeiros duas de mar na Esquadra nos meus 1o e 3 ano da EN…

  9. Conforme dito pelo X.O., o consumo é previsto para cada comissão, não dá para dizer que ele será sempre o mesmo, fixo.

    Mesmo planejado, vai depender de uma série de variáveis como disse o CA.

  10. Apenas esclarecendo, sim, o Ceará tem a capacidade de tranferir óleo combustível, usando o método “span wire”, onde o dispositivo de transferência é sustentado por um cabo de aço preso ao guindaste principal do navio.

    Não sei dizer se a Esquadra tem se adestrado nesta modalidade, pelo fato da baixa disponibilidade desta classe de navio, nos últimos anos.

    Abs

  11. na ausência do Sao Paulo, o Ceará é o único substituto, com a vinda do Sirocco, vamos ter uma boa atualização.

    A MB faz o que pode, sem o Ceará estaríamos pior, quanto ao Bofors 40mm, com certeza indica que a MB nao cre que o Ceará fique por ai muito tempo.

  12. Levando em consideração o tipo de OC que o NDD bebe, ele só poderia transferir combustível para MCP e MCA, TG, nem pensar… ou seja, o combustível recebido deveria ser segregado para uso apenas em motores do Navio recebedor… daí meu comentário sobre não ter conhecimento sobre a realização dessa faina… o que pode acontecer é a faina para adestarmento apenas, sem bombeio…

  13. X.O. 10 de fevereiro de 2015 at 11:09 #

    MO 10 de fevereiro de 2015 at 0:32 #

    Pô MO e X.O. MCP – motor de Combustão Principal e MCA – Motor de Combustão Auxiliar foi fácil!

    Mas NSFO/HFO, TG (talvez Turbina a Gás), OC, FCG aí ficou “hermética” a parada.

    E o tal do CA quem é?

    Agradecerei aos amigos a “tradução” das siglas.

    Saudações cabriocáricas.

  14. Desculpe..

    TG = turbina a gás…
    OC = óleo combustível…
    FCG = Fragata classe Greenhalgh…

    Pessoal de Marinha gosta de uma sigla, hehehe…

    Abraços a todos…

  15. Pôxa, mas acabaram de fazer o PMG e não deram sequer uma mão de tinta na viatura! Tá todo enferrujado!

    Em tempo: quais são os tais equipamentos novos instalados que estão visíveis nas fotos?

    Grato.

  16. então irmao, ja que vc viu tanta ferrugem assim (ferrugem ??? ah tah … ) pq não identificou o que esta de diferente nele ?? .. cada um viu …kkkkkkkkkk

  17. NSFO = Navy Specia l Fuel Oil = Navy Special = Oleo Combustivel de tipo Navy Special … HFO = Heavy Fuel Oil = Oleo pesado

    Ferrugem = ??? ai pergunta pro artista o que é isso que ele viu e aonde …

  18. Caramba, eu faço um comentàrio sobre o estado do navio e o cara leva como se fosse uma crítica pessoal, eu hein?

    Então “irmão”, se essas marcas marrons no costado do navio não forem ferrugem então deve ser um sistema de mimetismo novo incorporado durante o PMG, né “irmão”?

    E outra, “irmão” lanço aqui um desafio: se metade dos que postaram aqui souberem o que são os equipamento (sic) novos que vc mencionou só de olhar as fotos eu peço desculpas em público pela minha ignorância!

    E mais, “irmão” este blog é voltado para aficionados em geral e não só para os ratos de Porto que tem o privilégio de verem os navios passando a poucos mestres do seu focinho! Vc deveria pensar nisso, quando for fazer um post com lacunas de informação!

  19. Que isso, tanto stress por causa de ferrugem… vamos lá.óbvio que o Navio não saiu do PMG neste estado…

    Outra coisa, qual foi o estado do mar que o GT enfrentou ?

    Repararam que os outros Navios também estão castigados ???

  20. o post é ‘Imagens” … ou vc acha que um navio sai pra mar e volta tinindo, não coloquei infos nenhuma, apenas postei imagens irmão

    agora gosti do rato de porto, foi legal esta,gosti mesmo !

  21. Belas fotos e sobretudo um belo e venerável navio.

    Uma pergunta para os entendidos:
    “Tripulação: 405 homens, sendo 21 oficiais e 384 praças (na USN).
    Tropa Transportada: 341 homens, sendo 29 oficiais e 312 praças (na USN).”

    Não está meio exagerado o número da tripulação!? É necessário tanto homem para operar o navio!? Bem sei que é um navio veterano e com pouca automatização, mas parece-me exagerado.

    Saudações a todos.
    PS- Agradeço ao editores os comentários “abertos”, é um prazer poder aprender e participar com os melhores.

  22. É aquilo, foi definida a Tripulação com base na tabela de lotação da USN, não tem como inventar… de qualquer forma, realmente a falta de automação influencia na quantida de pessoal a bordo, sobretudo no Departamento de Máquinas… por exemplo, só a Divisão de Máquinas dos CT classe Pará (propulsão com caldeira a vapor) era quase a mesma quantidade de militares do que a Guarnição das Corvetas classe Inhaúma…

  23. Não vou retirar o que postei e apenas comentar alguns post acima.

    – 70 Ton de OD por dia sim ….e as FCN somente gastariam isto se estivessem turbinando, como nenhuma delas está com a propulsão em dia gastam menos, o ceará não tem jeito, andando a 05 ou 12 nós (se chegar a isso) vai gastar 70 T OD / dia.

    – Sirocco !!!, pelo amor de DEUS, SOCORRO !!!!, se a MB comprar este navio quem assinar a compra tem que ir depois depor na Lava Jato !!!;

    – A MB tá quebrada !!! sobrevivendo com 1/18 avos por mês de seu orçamento (ou seja um corte de 33% que poderá ser aumentado) e quer comprar um Navio dos Corsários Franceses ???;

    – O Sirocco foi ofertado por 80 M (de euros ou USD) mas terá que fazer um overhaul / retrofit de mais 40 M !!!, SOCORRO !!! tão me roubando !!!!;

    – Será que não temos melhor aplicação imediata na MB nos navios parados ??, é preferível comprar OD para esta lata velha acima andar com a sua tripulação e treina-la até dar baixa …

    – Navio anfibio deste porte para que ??, precisamos de Fragatas para substituir as incansáveis FCN (Niterói) …

    Deixem o Sirocco pros corsários franceses.

    Em tempo, com relação a ferrugem dos navios, não tem jeito amigos, navio velho é assim mesmo, pode pintar ele todinho mas foi pro mar mais que 03 dias vai ter lagrima de ferrugem …

    aí nós da MB somos especialistas nisso, o navio atraca, dá uma baldeada com agua doce (em santos deve ter sido sacanagem …) e depois vem a equipe martelinho de ouro do Mestre batendo ferrugem e passando a tinta por cima ha ha ha ha.

    Fiz muito isso ….. ha ha ha ha

  24. Eu gosto muito desse navio… na verdade acho ele lindo… rsrsrs

    Parabéns MO pelas fotos…

    Quanto ao resto…. é a velha história da tormenta que a MB se encontra, como uma logística extremamente complicada, agravada por uma infinidade de sistemas e equipamentos diferentes e obsoletos, com pouquíssimas opções dentro (praticamente inexistentes) e fora do país para atualiza-los ou mesmo substituí-los.

    E como desgraça pouca é bobagem, soma-se a diversas decisões de planejamento, execução de projetos e eleição de prioridades no mínimo duvidosas aos mandos e desmandos de um GF (não que o dos anos 90 tenha sido diferente) que não compreende nada de Defesa e como qualquer Político no Brasil, vai sempre escolher fazer Uma Ponte ao Invés de fazer a Rede de Esgoto.

    – A ponte todo mundo pode ver… No fim, é velha história do Projeto Carro Alegórico e que só serve para uma único noite de desfile… A MB tem culpa sim, pelo simples fato dela ter Acreditado.

    Mais que navio bonito… é um dakeles que deveriam virar museu…

    … MO, como sempre, mandou muito bem. 🙂

    Grande Abraço

  25. Desculpe, mas está incorreta a informação de que as Fragatas não estão com a propulsão em dia…

    Sobre a bendita ferrugem (sou armamentista), tem um tal de limpa alumínio que é um espetáculo… caro, mas que evita a pintura… só tem de diluir prá não manchar…

    Prá finalizar, sem querer ser chato, sem essa de lata velha, rapaz…

  26. Olha em termos de Bunitesa éle é bunitao, em temos de bunitesa + eficiencia, prefiriria um Whidbey Is., mas o bixo impressiona sim … Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh mas tamos na época do pessoal da wikipedia ne, os dos que adoram os quadrados retangulos … ih ele nao eh quadrado retangulo, então É FEIO … KKKKKKKKKKKKKKKK

  27. MO, sim, mas eu disse que era Tenente abusado, hehehehehe…

    Dansken, obrigado pelo link… em 2005, eu estava “manobrando” uma mesa na Escola Naval, daí meu desconhecimento sobre o evento…

  28. X.O. eu que lhe agradeço pelos esclarecimentos anteriores.
    Infelizmente não tem sido mais divulgadas operações como aquela com tanta frequência, você teria como esclarecer se é falta de divulgação ou o cobertor está curto e o número de operações anuais caíram mesmo?

  29. Bem, estou fora do setor que planeja as comissões, mas uma premissa básica é a necessidade de manutenção dos meios… nós trabalhamos com o IDA (índice de disponibilidade anual), o qual especifica quantos dias de mar determinado Navio pode fazer, levando-se em consideraçào as necessidades de manutenção planejada… muito legal, bem pensado, só que outros fatores influenciam nessa “conta”, como reduão de verbas, avarias inopinadas etc… enfim, “quebra-cabeas chinês”, como dizia um chefe das antigas…

  30. X.O.,

    Até hoje eu reclamo com o meu irmão mais velho por ele chamar o Ary Parreiras-G21 de “batateiro”. Embarquei nesse navio (uma Comissão) e o meu irmão serviu no último Mariz e Barros-D26.
    Eu achava desagradável o termo “batateiro” e mostrei para ele que os CTs (que eram escoltas) também transportavam batatas no convés.

    Abs

  31. Guppy, nada como o tempo trazendo sabedoria… deixei de falar aquela bobagem quando fiz uma Dragao embarcado no Soares Dutra… aprendi a respeitar o Navio e, acima de tudo
    os que o tripulavam… eram militares como eu, apenas navegavam em um Navio mais velho…

  32. Batateiros, saudades …..

    Quem viajou no bom e velho Custódio de Mello não pode chutar esses navios ….

    Uma vez cruzei com o Ary Parreiras descendo o Amazonas na vazante braba dando incriveis 18 nós !!!! (12 do navio + 6 da corrente do rio).

  33. Alguém sabe que fim levou o Ary Parreiras, após o descomissionamento? Desmanche?
    E os outros três japoneses, Soares Dutra, Barroso Pereira e Custódio de Melo?

LEAVE A REPLY