segunda-feira, dezembro 6, 2021

Saab Naval

Nigéria recebe seu primeiro patrulheiro P-18N chinês

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

NNS Centenary

A Marinha da Nigéria confirmou a chegada ao país, na última sexta-feira (06.02), do “F-91 NNS Centenary”, seu primeiro navio-patrulha oceânico da classe chinesa P-18N.

A embarcação, de 95 m de comprimento e 1.800 toneladas de deslocamento, tem capacidade de se manter em missão por 20 dias de forma ininterrupta. Navegando a 14 nós de velocidade, sua autonomia é de 5.556 km.

A “Centenary” foi construída pela empresa China Shipbuilding and Offshore International Company, no estaleiro Wuchang da cidade de Wuhan.

A “F-92 NNS Unity”, segunda unidade nigeriana desse tipo, deve alcançar a África no fim do ano.

Em 2012 a Marinha nigeriana anunciou que a “Unity” seria construída em parceria com os chineses. Por esse planejamento, a fase de acabamento do barco deveria acontecer no estaleiro nigeriano de Port Harcourt, que foi totalmente modernizado. Mas os chineses não aceitaram bem a ideia.

Mesmo assim, nesta segunda-feira (09.02), a imprensa nigeriana informa que, de acordo com o comandante da Marinha nigeriana, vice-almirante Usman Jibrin, uma “parte substancial” dos trabalhos de finalização do navio terá lugar em Por Harcourt, possibilitando a qualificação do estaleiro nigeriano e uma oportunidade de trabalho para dezenas de jovens nigerianos desempregados.

Uma comitiva da Marinha uruguaia seguirá para a China no meio deste ano para discutir com a indústria naval chinesa a possibilidade de também encomendar o patrulheiro P-18N.

- Advertisement -

13 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos F.

Com o baixo custo dos navios construídos na China é , realmente, uma ótima opção para os países africanos e outras nações com pouco orçamento na área de defesa.

Delfim

E assim o Atlântico Sul, de fininho, vai virando um lago chinês.

Wellington Góes

Um conhecido nosso da MB lá no FBM sempre propôs a retirada de diversos equipamentos das Inhaumas, incluise retirando as turbinas e deixando somente os motores diesel, transformando-as em NaPaOc. Elas continuariam operando por um bom tempo na MB, ou mesmo ofertadas à países da África como Angola, Namíbia e Moçambique. Acho a ideia interessante e deveria ser considerada.

Até mais!!! 😉

Nunes-Neto

Triste a nossa industria naval, a priori os Uruguaios queriam comprar navio de patrulha de 500T do Brasil, mas pelos visto pensaram melhor….20 dias de missão para um navio desse porte não é pouco? Ou essa é a média?

Roberto Lopes

Ao forista Nunes-Neto:

Bom dia.
Segundo o Comando da Marinha Uruguaia, a frota oriental adotará dois tipos de navio-patrulha, um oceânico e outro costeiro.
O modelo P-18N estaria sendo cogitado para substituir as fragatas ligeiras adquiridas pelos uruguaios em Portugal.
Dessa forma, as nossa Macaé estão sim, no páreo, disputando a preferência da Armada vizinha numa outra faixa de patrulheiros, com deslocamento em torno das 500 toneladas.
Espero ter ajudado.

José da Silva

Wellington.

O Nunão e eu tambem ja discutimos muito essa opção, de aproveitar as Inhaumas como NPaOc.

Esse ideia era defendida com bastante racionalidade pelo Nunão e convenhamos os navios poderiam dar um caldo por uns bons anos a frente.

FN

O Governo do Estado do Rio de Janeiro comprou 10 (se não estou enganado) catamaras com capacidade para 2.000 passageiros para fazer a travessia Rio – Niteroi e Mangaratiba – Ilha Grande.

O primeiro já foi entregue.

Além disso, o Governo do Estado comprou dezenas de trens de origem chinesa.

Parece que os chineses já estão vendendo embarcações no Brasil.

FN

Alguém já viu o novo helicóptero Z-20 da PLA Navy? Imitação descarada do SeaHawk.

Eduardo

Os chineses teem a manha da cópia viu!!!

Aurélio

Ou da Engenharia Reversa.

carlos

A China mostra-se competente no seu projeto de poder global, cada vez mais se apoderando da África, na qual já tivemos boa influência, hoje ganham a África, nossos vizinhos, e principalmente nosso próprio mercado interno de cuecas a trens de passageiros; como foi bem lembrado; por aqui; isto graças mais as nossas elites econômicas e intelectuais, que perpetuam: um capitalismo de jeca tatu, ou preterindo-o por um socialismo de buteco; ao invés de se buscar um real desenvolvimento técnico industrial do país.

Nunes-Neto

Será que o Uruguai vai ter $ para manter esses dois tipos de navios?Obrigado Roberto!

Delfim

Com um canhão de 76mm e dois de 30mm, mais características stealth, impressão minha ou a classe Amazonas ficou pra trás ?

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Construtor naval CSSC da China atinge a meta de entrega de 2021 e mantém a liderança mundial

A China State Shipbuilding Corporation (CSSC) informou que, com a entrega de dois novos navios em 1º de dezembro,...
- Advertisement -