Home Reportagem Fragata ‘União’ docada em Taranto, na Itália

Fragata ‘União’ docada em Taranto, na Itália

788
12

F45 em Taranto

Fotos da fragata União em dique flutuante na província de Taranto, na Itália. O navio que capitaneava a Força Tarefa da ONU no Líbano, sofreu grave avaria em seus hélices, que serão reparados pelo Consorzio Navalmeccanico Taranto (C.N.T.).

F45 em Taranto - 2

12
Deixe um comentário

avatar
12 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors
FarragutGuilherme PoggioIväny Juniordaltonl_RJ_ Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Ricardo De Roterdam
Visitante
Member
Ricardo De Roterdam

Parabéns ao PODER NAVAL nem na esquadra tinha-mos visto foto da União docada!
Alto Padrão!!!

Wagner
Visitante
Member
Wagner

Impressão minha ou hoje, por razões economicas, as Fragatas assumem papéis que antes eram de Destróieres ???

Eu percebo uma importancia de fragatas hoje bem maior do que nos tempos da Guerra Fria.

Com a Palavra, Almirante Dalton.

kkkk !

😉

_RJ_
Visitante
_RJ_

Sei que para o meu filho e para os seus amiguinhos, a União e a Liberal simbolizam muito, pois para eles são os navios dos “super-heróis” das brincadeiras deles (dá gosto de ver), onde os Capacetes-Azuis combatem os piratas!

Iväny Junior
Visitante
Member

Wagner

Estavamos falando disso em outro tópico, o da Tamandaré. Juntamente com Daltonl, Ivan e Nunão.

Iväny Junior
Visitante
Member

Se você pegar o destroier Orizzontte franco-italiano, é menor que a fragata F-125 alemã.

Além de funções, esbarra na nomenclatura do navio e na função dedicada de cada um… uma questão complicada de se debater porque cada um tem um ponto de vista diferente e cada marinha também. A própria frança chama a classe Orizzontte de fragata e não de destróier como na itália…

daltonl
Membro
Member
daltonl

Wagner… os argentinos classificaram as fragatas Meko 360 que deslocam até menos que uma Niterói como”destructors”! As “Garcias” classificadas como fragatas na US Navy e que são ligeiramente menores que uma Niterói foram aqui classificadas como contra-torpedeiros , um termo para lá de arcaico ! Então o que é um “destroyer” ,outro termo arcaico mantido por tradição nas marinhas de língua inglesa e o que é uma fragata nos dias de hoje ? Cada marinha classifica os seus navios como bem entende…os próprios alemães que não tem tanta tradição assim em “destroyers” passaram a classificar seus grandes navios como fragatas… Read more »

Iväny Junior
Visitante
Member

Daltonl

Eu acredito que a F215 faz parte do eufemismo pós-guerra, bem como o porta-helis japonês que foi declarado como “destroier”.

Eu acredito que o termo “contratorpedeiro” em si seja realmente arcaico (até porque não existe mais barco exclusivamente torpedeiro, apesar de ainda existirem operações dedicadas).

Lembro ao colega que além da USN e RN, o termo “destroyer” ainda é usado na Itália, Rússia, Austrália e Japão.

Saudações.

daltonl
Membro
Member
daltonl

Ivany… como pode ser um “eufemismo pós-guerra” se os alemães usaram o termo “destroyer” para a classe Lutjens nos anos 60 ?? Inclusive você bem sabe quem foi Lutjens ! Não há nem houve nenhum tipo de “perseguição” ou “culpa” que tenha feito os alemães a renunciar o termo zerstorer, apenas bom senso. O termo “destroyer” nos países de língua espanhola é obviamente “destructor” , ainda melhor que caza-torpedero ou algo assim. Na Rússia por exemplo, os Udaloys que são a espinha dorsal dos grandes combatentes da marinha russa eles são por exemplo considerados como “destroyers” pelo ocidente, mas, os… Read more »

Iväny Junior
Visitante
Member

Daltonl

Realmente, havia me esquecido das traduções dos nomes em russo e italiano. E pensando bem, os submarinos são barcos primordialmente torpedeiros, não?

Mas enfim, é um termo que gosto das classes “primordiais” de navios. Me ajuda a enxergar as diferenças de porte x capacidade. Como Corvetas, Fragatas, Cruzadores, NAes, Anfíbios/docadores e os próprios Destróieres. Também influência da leitura sobre a RN que já foi a marinha mais poderosa do mundo e praticamente inventou estas nomenclaturas que se usam até hoje.

Saudações.

Guilherme Poggio
Editor
Noble Member

Imagine quanto não vai custar essa brincadeira. Ainda bem que aconteceu próximo de locais onde há boa infraestrutura naval. E se fosse no Haiti?

Wagner
Visitante
Member
Wagner

Obrigado pessoal.

😉

ps : enquanto isso o Irã produz uma corveta de 1200 toneladas e a classifica como ” Destróier de Batalha ”

kkkkkkkk !!

😉

Farragut
Visitante

O que teria ocorrido para que os dois hélices ficassem grave e simultaneamente avariados?