Centro de Armas Submarinas da Marinha recebe ‘mock-up’ dos torpedos F21

Centro de Armas Submarinas da Marinha recebe ‘mock-up’ dos torpedos F21

4207
14

O Centro de Mísseis e Armas Submarinas da Marinha (CMASM) recebeu, em 2 de maio, dois mock-ups (modelo em escala) dos torpedos F21 (torpedo de manejo), que possuem a  finalidade de serem utilizados em adestramentos de carregamento em tubo e de familiarizarem a tripulação.

Como parte do Programa de Desenvolvimento de Submarinos, o CMASM prepara-se para armazenar, testar, executar a manutenção e distribuir os torpedos F21 que equiparão os quatro submarinos convencionais brasileiros, modelo SB-R.

FONTE: MB

14 COMMENTS

  1. Prezado Rodrigo,

    O torpedo de manejo serve para que as tripulações dos novos submarinos, bem como o pessoal de manutenção, se familiarizem com a nova arma e possam simular algumas condições que irão encontrar durante a operação dos torpedos reais.

    A MB comprou um lote de torpedos F21, que serão entregues a medida que os submarinos da classe Riachuelo forem entrando em operação.

    Abraços

  2. Só gostaria de saber: a MB não fabrica torpedos ou solicita à alguma empresa nacional a fabricação????????

  3. Sérgio,
    O torpedo deve ser integrado ao sistema de armas que é francês. Se compraram duas dúzias, é muito. Não sou totalmente contra nacionalização de eletrônica e armas. Mas é fato que um torpedo fabricado no Brasil terá o preço de um míssil balístico.

  4. sergio ribamar ferreira,
    Torpedos e seus sistemas não são fáceis de produzir. Porém, concordo contigo: adquirir meios e não ter domínio da produção das armas é temerário.
    Mas se a doutrina é comprar tudo, nem adianta reclamar: vai ter que levar o kit e ainda pagar pela manutenção.

  5. “Mas é fato que um torpedo fabricado no Brasil terá o preço de um míssil balístico.” Morri de rir, Zeabelardo!!!

    Acho que neste caso devemos comprar de fora mesmo. A quantidade não justifica o desenvolvimento, não terá escala.

  6. Um torpedo leve teria maior escala. Poderia ser aplicado a todos os Escoltas e Helicópteros ASW. Poderia ser uma melhor escola neste ramo.
    .
    Mas o objetivo do Torpedo Pesado Nacional é negação do uso do mar. Se for para ter um SNA como o que se pretendente para o futuro, um dia teremos que colocar os dentes nele… E um Torpedo moderno é tão ou mais complicado de se fabricar quanto um míssil balístico.

  7. Isto sim, a MB deveria ter gastando seus trocados e seus miolos, um torpedo leve que fosse de custo mais acessível e que gerasse escala de produção, permitindo disparos reais de aferição mais seguidos.

    G abraço

  8. Isso me lembra uma época em que o Brasil se estranhou com o Canadá por causa de umas vacas…

    A piada era: aqui o submarino afundava no cais e lá o submarino não tinha torpedos. Seria a Guerra do Século!

    Lógico que era piada mas… se pararmos pra pensar, um país que não possui linha de produção de torpedos e deseja ter um submarino nuclear… está fazendo algo errado. Tubarão banguela não sobrevive em mar aberto.

    E, para não perder o hábito, acompanho o Bardini.

  9. Gostei muito dos comentarios dos veteranos que demonstraram conhecimento do assunto sobre torpedos e submarinos. Agora tenho a ideia que quando terminar a construção dos tubarões dos mares teremos que correr atras das dentaduras, ou seja, de ter o dominio de construção dos torpedos que será outra guerra a ser vencida.
    Sei que tudo necessita de muito orçamento e dominio da tecnologia e mão de obra especializada. Pelo menos os testes de varios torpedos nacionais lançados ao mar até se aprimorar a contento os EUA não conseguirão enchergar e não irão empombar como no caso de misseis balísticos.
    Kkkk

  10. Bom dia,

    Eu entendo umas coisinhas de equipamento militar – grande parte aprendida aqui – mas me dei conta que de torpedos nada sei.
    Se alguém puder explicar o porque da comparação de torpedos a mísseis no quesito tecnologia eu agradeceria. Não julguei que um bicho desses fosse tão difícil de se produzir em termos tecnológicos.

LEAVE A REPLY