Home Ciberguerra Hackers chineses roubam dados confidenciais de míssil antinavio supersônico da Marinha dos...

Hackers chineses roubam dados confidenciais de míssil antinavio supersônico da Marinha dos EUA

12906
75
Maquete do míssil LRASM-B. O novo míssil supersônico lançado de submarino pode ser baseado nele
Maquete do míssil LRASM-B. O novo míssil supersônico lançado de submarino pode ser baseado nele

WASHINGTON – Os ataques cibernéticos patrocinados pelo governo chinês se infiltraram nos computadores de um contratado da Marinha dos EUA, permitindo que os ladrões digitais acessassem dados confidenciais relacionados a projetos secretos da Marinha dos EUA de um míssil antinavio lançado de submarino.

As informações roubadas foram armazenadas na rede não secreta do contratado, apesar de serem “de natureza altamente sensível”, de acordo com informações obtidas pelo jornal Washington Post.

De acordo com a reportagem, 614 gigabytes de material de um projeto conhecido como Sea Dragon foram roubados. Contratado pela organização militar Naval Undersea Warfare Center, o Sea Dragon visa desenvolver um míssil antinavio supersônico para uso em submarinos dos EUA.

O comandante Bill Speaks, porta-voz da Marinha dos EUA, confirmou que existem medidas que “exigem que as empresas notifiquem o governo quando ocorre um ‘incidente cibernético’”, como ocorreu neste caso.

Especialistas testemunharam um recente “ressurgimento” de grupos de hackers baseados na China que pareciam “ter ficado inativos por um tempo”, disse Cristiana Brafman Kittner, analista principal da empresa de segurança cibernética FireEye.

A China tem crescido cada vez mais não apenas como uma ameaça cibernética econômica, mas também como uma ameaça on-line à segurança nacional.

75 COMMENTS

  1. Um missil supersonico não faria sentido a Us navy, já que eles tem o LRSAM, baseado no JASSM, que tem mais capacidade de penetração, sobrevivência e por consequência cumprimento da missão.
    Misseis supersônicos, só fazem sentido há quem não, consegue ter capacidade stealth madura.
    Uma característica, boa do missil supersônico sobre o subsonico é o tempo do lançamento e ataque, ou seja, mesmo que uma frota inimiga não saiba da presença inimiga de um missil subsonico stealth, o mesmo pode demorar a atacar e se depender, até perde o alvo, por ele estar se movimentando, ou mesmo, por não conseguir alcança-lo. Então o missil supersônico o complementaria.

    http://www.thedrive.com/the-war-zone/21414/what-supersonic-anti-ship-missile-did-china-hack-from-the-u-s-navy.

    Tudo indica que seja um SM-6 modificado para ataque naval, parte da estratégia americana, de dotar, armas já operacionais, a outros possíveis empregos.
    O que indica, que seja, um missil de longo alcance.
    Em quem, sabe um missil de triplo emprego, sem precisar, de mudança de software/código, ou, novas versões.
    Um Virgínia carregando, esses misseis, poderia, atacar alvos em terra, navios e até interceptar misseis. É claro, sempre sendo, preenchido por dados de outras plataformas.

    Sobre o Hacker, em si, o melhor meio, é revidar.
    Os EUA, se quiserem, podem implementar hackes nos cumputadores chineses, com objetivo de sabotagem, como fez com o Irã em 2007, essa sabotagem faria a China perder em meios econômicos, o que, ela fez os EUA, perder em propriedade intelectual. Bastar, ter culhões.

    • Pelo q os EUA estudam e produzem, mesmo teoricamente não precisando de um MEM, acredito q estudos são válidos.
      É possível q eles tenham verificado a possibilidade de emprego e mandaram desenvolver.
      O ataque ciber para aquisição de informação faz parte da “guerra”.
      Agora, será q foi informação “de ponta”? ou implantada como contra-info? ou já desatualizada?
      Não saberemos.

    • Afinal, você é contra o míssil ou à favor? Não entendi… Acredito que cada um deva desenvolver o meio que bem entende e quando bem entender. Na briga de cachorro grande que se faz, ter mais de uma opção de ataque faz todo sentido.

    • Augusto,
      A necessidade de um míssil supersônico ou hipersônico para as forças americanas tem objetivo diverso do mesmo nas mãos dos russos e chineses.
      Os russos e chineses querem mísseis hipersônicos para usar como ferramenta para penetrar as defesas americanas, já os americanos querem mísseis de alta velocidade para se contrapor a “alvos de tempo crítico”.
      Por exemplo, se falava há alguns anos que a USN estaria desenvolvendo um míssil hipersônico (não me lembro o nome mas vou pesquisar mais tarde) que lançado de navios e submarinos teria um alcance de uns 2500 km e que poderia varrer as bases dos ASBM DF-21D antes deles serem lançados.
      Nunca mais se falou deles!

      • Depois de colocar a cabeçola pra funcionar eu finalmente lembrei do tal programa de míssil hipersônico da USN… era denominado de ArcLight.

      • Bosco, na hora que eu estava fazendo o comentario, pensei nesse ArcLight, claro não sabia que este era o nome, mais lembrei que era um missil hipersonicos não super.
        Sobre o conceito, “alvos de tempo critico”, foi justamente isso que pensei.
        E na hora tbm me veio na cabeça o artigo do thedrive, que falava, que supostamente era um SM-6, que estava sendo transformado nesse míssil de forma secreta, hora pra que bolas a Us navy, esta fazendo um mero missil anti navio supersônico de forma secreta, meu único pensamento foi ser um conceito totalmente novo, por exemplo, esse que falei, um missil 3 funções num só.

    • Pelo que li ontem em TheDrive os dados foram basicamente sobre a existência do mesmo já que o dados eram basicamente sobre contratos e não sobre o míssil em si. A velocidade tem mais haver com a plataforma de lançamento especulam que seja, por submarinos (pois quando tinha um programa parecido chegou a ser realizado teste bem sucedidos com os meios,cancelou o programa mais ele pode/deve sido reiniciado com classificado) deixando que o mesmo lançar o míssil de longe mas com um tempo pequeno de reação (em vez do submarino ter que se aproximar mais do alvo e deixá-lo com o mesmo tempo de reação)

    • Lembre-se que a China é um país sério.
      Há um abismo enorme entre a Bananaland e um País sério governado por pessoas sérias.

      Os EUA já estão bem cientes que são casos totalmente diferentes, no Brasil basta/bastou um sopro da CIA que a casa caiu, na China precisariam de um furacão.

      • A China está longe de ser um país sério, possuem bem mais corrupção que o Brasil, só prendem corruptos para inglês ver, prisão de opositores por falarem a verdade, controle dos cidadãos, da internet, e uma população escrava que basicamente vive uma semi-ditadura.

        A diferença é que eles levam suas AMBIÇÕES a sério. Mas daí para uma país sério são outros quinhentos. Exemplos de países sérios:

        Suiça, Alemanha, França, Coréia do Sul e Japão.

        • Pra essa turma qualquer porcaria que em tese se oponha ao Ocidente é “sério”. O relativismo moral deles é beeemmmmmmmm elásssticccoooooooooooooo!
          Eu sou viciado em assistir a TV Senado/Câmera e aprendi a entender como essa turma pensa e age.
          Por pio que seja a “democracia” americana, a “pax” americana, o imperialismo americano… é melhor que qualquer coisa que essa esquerda tupiniquim defenda.
          Se eles defendem é porque não presta. Simples assim!

          AVISO A TODOS: MAIS UMA VEZ ALERTAMOS QUE O DEBATE ESTÁ DESVIANDO COMPLETAMENTE DO TEMA DA MATÉRIA. NÃO RECLAMEM DEPOIS DE COMENTÁRIOS EDITADOS OU APAGADOS. LEIAM AS REGRAS DO BLOG:

          http://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

        • EUA espionam o tudo e todos pela cia e nsa para dar golpe só pensando nos interseres das corporações dos EUA como um mafia disfarçada de democracia do bom moço e a china espionando e roubando os segredos militares secretos dos EUA De lhe china mostre para b de babão dos brics como e que se faz !

        • “A China está longe de ser um país sério, possuem bem mais corrupção que o Brasil,””kkkkkkk ta bom e porque não tem os americanos la para fiscalizar,né
          ou a não ser que tu considere que tudo que seja publico e imposto seja um roubo aos ricos
          “Suíça, Alemanha, França, Coréia do Sul e Japão.”
          tudo capacho….não confunde bem estar social do cidadão despreocupado consumista e pouco culto de culturas consolidada com desenvolvimento de pais

  2. Isso é por que os EUA tiveram a capacidade de descobrir.

    Agora, imagine o que os chineses, russos, americanos e outros já não fizeram nas urnas eletrônicas do TSE, no banco de dados do PROSUB, do projeto SIRIUS, da Petrobrás e órgãos públicos e de governo (até mesmo a presidência) sem que o governo sequer sonhasse em descobrir.

    • As urnas eletrônicas não tem conexão com o mundo exterior que não de maneira física, hackea-las é teoricamente impossível sem colocar as mãos nelas.

    • Bom demais .
      O Brasil tem que ser manipulado mesmo.
      Imagine se o povo ditasse as regras do povo, iria dar _______ . Mesmo com uma opção de mudança como foi a greve dos caminhoneiros eles se destruíram por se mesmo. Somos uma piada do governo .

      COMENTÁRIO EDITADO. MANTENHA O BLOG LIMPO.

  3. País sério rouba informações e tecnologias de seus inimigos e as adaptada e utiliza em sua própria causa.
    País sério usa os mesmos truques de seus inimigos para espionar aqueles que os espionam, ou seja dar $$$ para vendidos, sem muita vontade defender a Fredomland.
    País sério caça espiões de seus inimigos extraí informação deles e os mata para criar uma boa reputação contra quem deseje botar o nariz por lá.

    País sério é país sério.

    Ganha quem tem mais ratoeiras e quem compra mais pessoas importantes para se tornarem ratos.

    https://mobile.nytimes.com/2018/06/08/us/politics/cia-officer-kevin-mallory-convicted-spying.html

    https://www.google.com.br/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://m.folha.uol.com.br/amp/mundo/2017/05/1885930-china-mutilou-equipe-de-espionagem-da-cia-ao-matar-fontes-diz-nyt.shtml&ved=2ahUKEwiJ4cCE0s7bAhWGi5AKHQ6UCPAQFjABegQICBAB&usg=AOvVaw1j-OaVMok5zh5-n6NKHSbk&ampcf=1

    • Não é de hoje que a China se utiliza deste expediente para obter tecnologia Ocidental.

      Basta dar uma olhada na internet e conhecer um pouco de história que percebe-se que eles já se valem do roubo de tecnologia militar há bastante tempo.

      Os Russos certamente possuem muita história para contar a respeito deste assunto.

      O roubo é prática de país sério, muito sério, segundo afirmou o colega no seu comentário acima.

      Ainda bem que fui educado com um conceito bem diferente sobre roubo.

      Por este tipo de coisa é que não fico admirado nem espantado com o “progresso e avanço tecnológico” chinês, nem na área militar ou em qualquer outra área.

      Hoje na China existem Land Rovers, Mercedes e até Ferraris , iphones, softwares, e tantas outras coisas ocidentais a venda abertamente, tudo made in China. A similaridade de design e funcionalidade destes produtos com os seus sósias ocidentais é mera coincidência.

      É realmente incrível como os engenheiros chineses conseguem em tão pouco tempo fazer e produzir coisas que os Ocidentais demoraram tanto tempo para criar e desenvolver, especialmente na área tecnológica.

        • E quem se importa com isso? Não estamos mais na época da honra dos cavaleiros, isso já morreu. O importante é vencer o seu adversário e impor suas vontades sobre ele. O pessoal tem que parar de achar que o campo militar é um campo limpo, onde todos devem ser éticos. Isso vai por terra quando existe a expressão “numa guerra, a primeira vítima é a verdade”.
          Voltando ao tema: sendo você que desenvolveu aquela arma ou não, o que importa é se você souber e ter como usar melhor. Quem criou a guerra em trincheiras? Os alemães na guerra de unificação. Usaram melhor? Usaram, mas não tinham como sustentar uma guerra contra 3. Com o tempo foram caindo. Quem criou a Blitzkrieg? Os alemães. Quem teve o melhor aproveitamento? Os soviéticos pós-stalingrado, pois tinham melhor capacidade logística para repor perdas e um exército gigantesco para cercar seus inimigos. Quem criou os tanques? Os ingleses. Mas quem ficou conhecido na WWII por criar os melhores tanques e atualmente fabricam o tanque de 3ª geração de maior sucesso de exportação? Os alemães.
          Viu o raciocínio?

    • Argumento tolo esse seu, a China inventou muitas outras coisas importantes que foram levadas para o ocidente, muitas até como espólio de guerra. Engraçado que quando a Apple roubou a interface gráfica da Xerox ninguém disse nada, o povo achou foi bom. Espionagem faz parte da guerra, trouxa de quem fica confiando somente em palavras como um certo lugar na AL, onde bananeira dá em margem de rodovia até perder de vista.

      • Por um acaso este certo lugar na AL, o qual você também mora, que nasce bananeira na beira da estrada, é o Brasil , país que me orgulho muito. Não cuspa no prato que você come.

        Vai morar na China, que segundo você é um país sério e começa a escrever as tolices que você escreve c9m toda a liberdade aqui. Rapidinho voce vai conhecer o sistema carcerário chinês. Depois escreve pra gente e conta como foi a experiência.

  4. “Especialistas testemunharam um recente “ressurgimento” de grupos de hackers baseados na China que pareciam “ter ficado inativos por um tempo”.” Acredito que não tenham ficado inativos em nada e sim aperfeiçoado as técnicas de espionagem, como mostra este caso! Esse pegaram, agora imagina o monte que não pegam…

  5. Míssil anti-navio subsônico agora é melhor que supersônico…
    Augusto, poderia explicar melhor isso ai.

    Só pode ser brincadeira.

    Eu tenho uma teoria mais interessante:

    Como os EUA possuem a maior frota de navios aeródromos do mundo e centenas de caças embarcados, eles retardaram o desenvolvimento de mísseis anti-navio supersônicos com o objetivo de não ajudar na proliferação deste tipo de armamento pelo mundo.
    Para que seus navios possam navegar de forma mais segura. Com menos ameaças.
    E ao mesmo tempo, garantem o cumprimento da missão e da superioridade de sua marinha, utilizando mísseis anti-navio operados em caças.

    Agora, como não é o mundo inteiro que depende dos armamentos americanos, e os russos e outros países avançaram muito nesta área, os americanos estão investindo agora também.

    O míssil pode possuir design furtivo e materiais RAM e mesmo assim ser supersônico, o F-22 e F-35 são caças supersônicos, oras.
    Mas o poder de destruição de um míssil hipersônico é bem maior, geralmente.
    E o tempo de reação dos sistemas defensivos é bem menor.

    Portanto, não entendo seu argumento de que um míssil anti-navio subsônico possui uma capacidade de penetração e de sobrevivência maior.
    ???

    • “Míssil anti-navio subsônico agora é melhor que supersônico…
      Augusto, poderia explicar melhor isso ai.”

      O Míssil antinavio supersônico, em troca de maior velocidade e portanto menor tempo de reação das defesas, entrega um menor alcance expondo a plataforma lançadora aos sistemas defensivos de um Carrier Strike Group, especialmente os caças. Assim pouco adianta você colocar um míssil do tamanho de um ônibus e que voa a Mach 4 em um Tu-22M ou um Tu-95, se o avião lançador precisa se expor aos caças embarcados o conceito já se encontra comprometido.

      Por seu turno um míssil antinavio subsônico tem a vantagem de entregar um maior alcance e caso seja furtivo tal como o LRASM ele consegue o mesmo efeito prático de um míssil supersônico, que é reduzir o tempo de resposta do inimigo. E sendo um míssil menor muitos podem ser transportados caso se opte por um avião lançador maior. Nesse sentido, aparelhos B-1B baseados em Guam e equipados com o LRASM, cujo alcance chega perto de 1.000km, representam uma ameaça significativa às marinhas de Rússia e China caso se aventurem no Pacífico.

    • Luís,
      O míssil supersônico e hipersônico é mais adequado se uma força tem que enfrentar uma força tarefa nucleada por um porta-aviões.
      No caso de ataques navais clássicos o míssil subsônico sea-skimming se mostra mais efetivo por poder ficar mais colado à superfície do mar e geralmente ter menor assinatura visual, radar e térmica.
      Claro, isso analisando o fator “velocidade”.
      Se outros fatores se somarem a “conta” fica mais complicada, mas de modo geral não há superioridade nem de um conceito nem de outro tendo em vista exclusivamente o fator “velocidade” já que são para cenários distintos.
      Tanto é assim que os russos também adotam mísseis subsônicos antinavios, como o Kh-35. O contrário não existe não pelos fatores que você citou mas por conta de que China e URSS/Rússia não têm porta-aviões em qualidade e quantidade para fazer frente às alas embarcadas dos EUA/OTAN.

  6. Legítima Defesa e nada além disso.

    A presença constante de americanos em águas territoriais chinesas é ameaça suficiente para justificar uma postura agressiva de espionagem industrial em relação aos USA.

    Se os Yanks não querem ser bolinados que saiam da região e reconheçam todo o oceano pacífico como zona de influência chinesa. Além de um pedido formal de desculpas pelas décadas de intromissão nos assuntos asiáticos.

  7. O uso de espião virou profissão extinta, agora um hacker pode fazer o mesmo serviço sem muita exposição e riscos. Bom para China

  8. Então tem gente aqui no site que defende roubo de informações (espionagem industrial e militar)?
    Deixem roubar informações do nosso Gripen, do nosso submarino nuclear, dos scorpenes, de algum míssil que o Brasil venha a desenvolver, das nossas centrífugas nucleares, das poucas empresas de tecnologia instaladas aqui no Brasil que gastam milhões com funcionários para criar algo novo e ser competitivos, algo muito difícil nesse país. Deixem roubar algo que a Embraer venha a criar com engenheiros brasileiros.
    Não devemos apoiar e muito menos aprovar ROUBOS. Vamos acordar!

    • Ivan, se na notícia fossem trocados os nomes dos países, onde está China fosse EUA, e onde está EUA fosse Chuina, esses mesmos que apoiam o roubo de informações estariam se não escabelando e despejando impropérios…..
      Mas, isso serve para demonstrar, mais uma vez, que os chineses não são superdotados intelectualmente e não existe milagre em tecnologia. Todo o boom tecnológico deles nos últimos anos é decorrente, em sua maioria, ao roubo de dados e espionagem industrial e militar.

      • “Mas, isso serve para demonstrar, mais uma vez, que os chineses não são superdotados intelectualmente e não existe milagre em tecnologia. Todo o boom tecnológico deles nos últimos anos é decorrente, em sua maioria, ao roubo de dados e espionagem industrial e militar.”

        Já tinha escrito a mesma coisa, com outras palavras, logo abaixo do comentário do rapaz que está defendendo o roubo de tecnologia industrial e militar, e ainda dizendo que isso é prática de País sério !.

      • Se… fosse o contrário e a China fosse a vitima, esses mesmos que estão horrorizados com o roubo estariam dizendo: “Ain… espionagem acontece a um seculo, vários paises também roubam segredos de outros, isso normal.”
        Roubo de segredos militares e industriais é tão normal quanto cagar sentado e os próprios americanos tem suas redes de espionagem ou vocês acham que o Pentagono e a CIA não se interessa pelo que os outros fazem?

        Que mania chata que ___________
        ______________

        COMENTÁRIO EDITADO. NÃO ROTULE OS OUTROS PARA NÃO SER ROTULADO. MANTENHA O RESPEITO.

        • Da mesma forma que outros _____
          __________________________

          Que coisa não!?

          COMENTÁRIO EDITADO: VOCÊ JÁ FOI AVISADO DIVERSAS VEZES PARA NÃO ATIÇAR AINDA MAIS PROVOCAÇÕES E AGUARDAR A AÇÃO DOS EDITORES DO SITE ANTES DE GERAR BOLAS DE NEVE DE ATAQUES PESSOAIS. CONTINUANDO ASSIM SERÁ SUSPENSO NOVAMENTE. ESSE ESPAÇO NÃO É PARA BRIGAS INFANTIS.LEIA AS REGRAS DO BLOG. ÚLTIMO AVISO.

          https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

        • O rotulo não foi direcionado a pessoa que fez o comentário, mas à todos que tem o costume de defender e vitimizar americanos quando eles provam do próprio veneno.
          Agora achei curioso censurar meu comentário sobre pretexto de não rotular para ser rotulado. Tem uma prática comum aqui que é perseguir e atacar comentaristas de esquerda ou russófilos mas não vejo os moderadores se preocuparem com esses ”rótulos ofensivos”.

          NOTA DOS EDITORES: ENGANO SEU, OUTRO COMENTARISTA “ADVERSÁRIO” A VOCÊ ACABA DE SER ADVERTIDO PELO MESMO MOTIVO E ESSA DISCUSSÃO INFANTIL DE VOCÊS SÓ FAZ O DEBATE DESANDAR PARA BRIGAS PESSOAIS SEM FIM, COMO BOLAS DE NEVE. AS REGRAS DO BLOG SÃO PARA TODOS, IGUALMENTE, LEIA E CUMPRA:

          https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

          SEGUNDO AVISO.

    • normal, se chama espionagem e existe a milênios, e os scorpenes já vazaram faz tempo, daqui a pouco sai uma versão para imprimir em 3d em casa rsrsrsrs

  9. Faz parte, no passado o que a DIA já conseguiu de informação militar chinesa é uma enormidade, na época em que segredos eram fotografados e movidos através de engenhocas de espiões, agora é a vez dos chineses fazerem o mesmo.
    Seria interessante saber qual o contratado, que parte do projeto que vazou, acho que das partes mais sensíveis o motor é o mais importante, mas pelo tamanho dos arquivos parecem ser resultados de teste de laboratório, talvez testes aerodinâmicos em túnel de vento.

  10. Olha sem querer ficar falando em teoria da conspiração, a quem interessaria vazar tecnologia para a China? Os dados roubados do F-35 já foram pra lá de estranhos, é muita negligencia, e agora me vem com essa historia de novo ? Repetiram o erro ? Essas coisas ficam assim tão fáceis para serem acessadas?. Que conversa para boi dormir.

  11. Nessa disputa não tem inocentes. O EUA tem até uma agência governamental especializada em cometer esse tipo de crime, a NSA. E conforme revelações do Snowden, comprovadas pelo wikileaks, empresas brasileiras como Embraer e Petrobrás eram alvo de espionagem cibernética. Então, não sejam ingênuos, esse filme não tem “mocinhos”

  12. O Brasil também tem ótimos hackers! poderiam estar trabalhando para o governo! Poderiam ter roubado terabates de informações do projeto do Barracuda, Classe Virginia, Classe Los Angeles, Borei e usar-los no subnuclear Álvaro Alberto! levaríamos o “jeitinho brasileiro” a níveis continentais! mais claro que nenhum Brasileiro no poder teve C*@#$es para autorizar isso.. Então vamos pagar BILHOES aos franceses pela assistência técnica deles…

  13. a segurança de dados é tudo…ainda bem que temos nossas urnas eletronicas…talvez o tse deve vender nossa tecnologia para os americanos.

  14. Acho muito engraçado uma ala de comentaristas aqui do blog criticarem a China pela espionagem, mas esquecem que os EUA foram pegos no pulo espionando milhares de pessoas, autoridades e empresas mundo afora, sob a desculpa esfarrapada de “caçar terroristas”. “Ah mas é os EUA, o bastião da moral, da ética e da liberdade, eles podem!”… mas quando é a China: “esses comunistas ditadores não respeitam nada, querem destruir o ocidente”…

    • Você precisa se definir sobre quem é o que você chama de “bastião da moral, da ética e da liberdade”. Já está cansando isso.

      Quando lhe convém , pode ser os EUA, quando não , é Israel.

      Muda o seu discurso retrógrado e falido de esquerda que é o melhor que você faz, vai por mim.

      • Não percebes que esse lance de “bastião da ética e da moral” é ironia da minha parte para zoar os neoconservadores? E por que diabos acha que eu sou de esquerda por não concordar com tudo que venha do ocidente? Sua cabeça precisa sair da guerra fria…

  15. “Por seu turno um míssil antinavio subsônico tem a vantagem de entregar um maior alcance e caso seja furtivo tal como o LRASM ele consegue o mesmo efeito prático de um míssil supersônico, que é reduzir o tempo de resposta do inimigo.”

    HMS Tireless, Essa sua afirmação acima não é correta.

    Até mesmo a US Navy com todo o dinheiro que possui, não consegue manter cobertura de aeronaves AEW 24h por dia, 7 dias por semana, cobrindo todos os seus navios ao redor do mundo.
    Imagine as outras marinhas…

    Ou seja, para 99% das marinhas do mundo ou 99% dos cenários, o principal meio de defesa contra mísseis anti-navios será o binômio Radar Embarcado + Míssil Antiaéreo.

    Sabemos que os radares embarcados em navios possuem uma limitação devido a curvatura da terra. Portanto por mais que sejam capazes, contra alvos sea skimming o alcance de detecção dos radares embarcados ficam bastante limitados, para cerca de 30 km de distância.

    Imagine os seguintes vetores e armamentos Defensores:

    Fragata F-100 espanhola com o radar Spy 1D, sistema AEGIS e mísseis ESSM.
    Fragata Type 23 britânica modernizada com radar Artisan 3D e mísseis Sea Ceptor.

    E como agressors os seguintes armamentos:

    O famoso Harpoon e o supersônico Brahmos.

    Tanto o Spy-1D como o Artisan possuem capacidade para detectar alvos a longas distâncias, acima de 200 km e acima de 400 km. E também possuem capacidade para rastrear centenas e centenas de alvos simultaneamente. E também possuem capacidade para detectar alvos Muito pequenos e furtivos.

    Imagine que o Harpoon receba um tratamento especial de redução de RCS e o Brahmos não.

    O que vai ocorrer?

    O mais provável é que tanto o Harpoon mais furtivo no nosso exemplo, como o Brahmos menos furtivo sejam Detectados praticamente ao mesmo tempo, a cerca de 30 km de distância, pois ambos os mísseis estão voando muito baixo (sea skimming), portanto mesmo tendo uma RCS maior, a detecção vai ocorrer nos mesmos 30 km.
    A capacidade dos radares supera Centenas de quilometros, portanto a apenas 30 km de distância eles conseguem detectar alvos grandes, médios, pequenos e furtivos…

    Ai, como o tempo de reação é o mesmo, se o Harpoon está a 864 km/h e o Brahmos está a 3.700 km/h???

    Pelas minhas contas, contra o Harpoon, após a primeira aparição na tela de radar, o navio e seus tripulantes teriam 2 Minutos e 5 segundos até o impacto.
    Contra o Brahmos teriam somente 29 segundos.

    Um tempo de reação 4x menor.

    Além disso, um cálculo aproximado de energia cinética (EC = 0,5 x MV²).
    Indica que a energia cinética no impacto no caso do Brahmos é aproximadamente 79 x maior em relação ao harpoon.

    • Luís Henrique infelizmente você misturou tudo e cometeu um equívoco……

      Antes de mais nada o Harpoon não é um míssil furtivo ao contrário do LRASM. O único míssil dessa família com algumas características furtivas é o AGM-84E/H/K SLAM/SLAM-ER mas que se destina a ataque terrestre. Portanto, a comparação Harpoon/Brahmos de cara se mostra imprópria até porque são mísseis de categorias diferentes. Para uma comparação com o míssil da Boeing teria de ser utilizado o Kh-35.

      Reestabelecendo a comparação correta o Brahmos, assim como o Kh-22, precisam ser comparados sim com o novo LRASM. E esse míssil de características furtivas consegue reduzir o tempo de resposta das defesas adversárias até a patamares menores que a alta velocidade dos artefatos russos, que também possuem assinatura IR altíssima inclusive pelo atrito com o ar o que não escapa de sensores como o novos DAS do F-35, que se mostraram em testes capazes de detectar um ICBM a distâncias maiores que 500NM.

      Outro aspecto interessante é o peso. Um Kh-22 pesa 5.800 kg de forma que apenas pode ser levado por grandes aviões como o Tu-22M e também o Tu-95 ao passo que o Brahmos pesa em sua variante aerolançada 2.500 kg. Por seu turno o LRASM pesa 1.100 kg sendo que as ogivas do Brahmos (convencional) e do LRASM possuem carga bélica semelhante com ligeira vantagem para a arma norte-americana (450kg x 400kg). Ou seja, embora pese menos da metade que um Brahmos um LRASM leva uma ogiva superior a uma alcance maior (400km x 560km-930km) o que permite inclusive que mais mísseis sejam lançados por plataforma.

      Outrossim, um LRASM possui custo estimado em US$ 700.000-1.000.000 ao passo que um Brahmos custa US$ 2.73 milhões a unidade.

      Por fim, Marinhas como a US Navy e a RN quando em zona de guerra mantém cobertura AWACS 24 horas por dia. No caso da primeira ao menos dois E-2 Hwakeye estão em vôo o tempo todo.

    • Luís,
      O Brahmos tem Mach 3 como velocidade máxima que é conseguida a grande altitude (15 km).
      A 3 metros do nível do mar (se é que é possível um míssil supersônico descer tanto) o Brahmos chegaria no máximo a Mach 2 (680 m/s).
      Supondo um navio com um radar a 25 metros o Brahmos surgiria no horizonte a 27 km e percorreria essa distância em 40 segundos.
      Um Harpoon percorria essa mesma distância em 112 segundos.

      Agora, sem viajar na maionese, os números do Brahmos mais realistas são:
      Mach 1.5 a 15 metros de altura. Vai aparecer no horizonte a 36 km e dará um tempo de reação à defesa de 70 segundos.

      Ou seja, realisticamente falando, tanto faz um tempo de reação de 112 segundos (Harpoon) ou de 70 segundos (Brahmos). Lembrando que um míssil como o Harpoon pesa 6 x menos que um Brahmos.

      E claro, o míssil não é detectado instantaneamente logo que sai detrás do horizonte. Leva-se alguns segundos para que isso ocorra e essa dificuldade é tanto maior quanto mais baixo o míssil está. O que favorece o Harpoon.

      Se a comparação for do Brahmos em relação ao LRASM ou ao NSM ou ao SLAM-ER, a vantagem fica evidente para os furtivos.

    • Quanto ao incremento da letalidade tendo em vista a energia cinética, fazendo uma analogia, tanto faz se o finado morreu atropelado por um fusca ou por uma carreta.

  16. “No caso de ataques navais clássicos o míssil subsônico sea-skimming se mostra mais efetivo por poder ficar mais colado à superfície do mar e geralmente ter menor assinatura visual, radar e térmica.”

    Bosco, vamos esquecer a assinatura visual. Ok? rss.
    Ninguém vai ver um míssil supersônico ou hipersônico. kkk

    Sobre assinatura térmica, ok.
    Sobre assinatura radar, depende do caso. Os mísseis mais modernos são mais rápidos e também mais furtivos.

    Agora, o ponto central é a questão do Sea Skimming.

    A maioria dos mísseis supersônicos possuem o perfil de vôo Sea Skimming também.
    Como Brahmos, Yakhont/Onix, Kh-31A, etc.

    • Luís,
      Sea skimming para um míssil subsônico pode ser de 3 metros. Para um míssil Mach 1.5 em geral é 50 metros. Sendo aceito uns 15 metros para o Brahmos.
      Qualquer referência a um Brahmos a Mach 2 e a 3 metros de altura é duvidosa.

    • Luís,
      O tempo de reação das defesas de um navio se reduz quando está sendo atacado por um míssil supersônico, mas do mesmo modo, se reduz para o míssil atacante.
      É impossível para um hipotético míssil Mach 3 a 3 metros de altitude, com um tempo de reação de apenas 29 segundos rastrear o horizonte, achar o alvo, distinguir o alvo das iscas, trabalhar o sistema de ECCM, se colocar na direção do alvo, etc.
      Um míssil supersônico ou hipersônico tem que voar mais alto e tem que ter um radar mais potente para poder fazer tudo isso e eles são muito mais vulneráveis à ECM. E tendo radar mais potente e ligando o radar mais prematuramente ele será detectado mais cedo pleos sistemas de apoio eletrônico do navio.
      E também eles são muito menos afeitos à manobras radicais. Não dá para um míssil Mach 3 se desviar muito de sua trajetória original por conta de que uma manobra de 1 segundo pode desviá-lo mais de 1 km da trajetória original -e nem vamos falar das forças g envolvidas – e ele teria novamente que gastar mais 1 segundo para se por novamente em curso. Isso simplesmente não acontece.
      Já um subsônico pode ligar o radar a distância bem mais curta, bem depois de ter emergido no horizonte. E pode manobrar na fase final com certa facilidade tendo em vista suas “grandes” asas e superfícies de controle.
      É impossível a um míssil supersônico voar tão baixo quanto um subsônico tanto do ponto de vista aerodinâmico quanto do ponto de vista prático.

    • Luís,
      De qualquer forma há uma certa dose de fé envolvida nisso tudo. Você tem fé que os russos e chineses têm a melhor fórmula.
      Eu tenho fé que os americanos, noruegueses, franceses, suecos, israelenses, etc. tem uma solução mais acertada.
      Na verdade os dois lados estão certos em suas soluções tendo em vista que as ameaças são diferentes.
      O míssil supersônico leva em conta uma força tarefa e os mísseis subsônicos não.
      Vale salientar que Taiwan desenvolveu um míssil supersônico e o Japão está em vias de colocar o seu em operação.
      Ou seja, vale tudo e o melhor é saturar o alvo com tipos diversos de ameaças.
      A própria USN utilizaria seus mísseis supersônicos HARM/AARGM num ataque conjunto com mísseis Harpoon e SLAM-ER, de modo a complicar a defesa.
      Um abraço.

  17. Os EUA haviam estabelecido que o novo míssil “LRASM” teria duas versões, uma subsônica
    lançada por aeronaves e navios, talvez até mesmo submarinos , versão “A” e uma verão “B” lançada apenas por navios e supersônica, mas, foi cancelada em 2012.

  18. Vejam, a espionagem é uma coisa normal, até mesmo para se precaver, o país que não espiona é sempre pego de surpresa, mas o país que precisa roubar para poder ter não é normal, um país assim que depende dos outros para poder copiar não é uma país que vai se desenvolver como os outros, será sempre uma sub-cultura sem criatividade, subdesenvolvido, escravo, são seres humanos de segunda classe, e não adianta possuir ogivas nucleares, se eles vivem para copiar dos outros, então não merecem ser grandes. E olhem que a China no passado longínquo inventou os maiores inventos da Humanidade, mas parece que esse tempo de glória acabou faz tempo…

  19. Espionagem, e contra-espionagemn, faz parte do desenvolvimento natural dos povos, e principalmente, Grandes Impérios e Potẽncias.

    Países poderosos como USA, Rússia e China sabem disso e por isso possuem agẽncias muito eficientes.

    Mas dessa vez os USA levaram, a pior, e levaram mesmo. Parabéns aos Chineses pelo excelente trabalho de espionagem.

    E os USA se lascaram !! E assim é a vida !!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here