Home Opinião O debate sobre os novos helicópteros da MB e o futuro da...

O debate sobre os novos helicópteros da MB e o futuro da Aviação Naval

1122
46

sea-king-exocet.jpg

A informação recente da compra pela Marinha do Brasil de 4 helicópteros SH-70B Sea Hawk para substituir os SH-3 Sea King (na foto, armado com míssil Exocet AM-39) do Esquadrão HS-1 da Força Aeronaval, tem provocado debate entre entusiastas e especialistas brasileiros, que acompanham a difícil situação da Marinha e das outras Forças Armadas brasileiras.

Em primeiro lugar, o valor da compra de cerca de US$ 194 milhões via FMS – Foreign Military Sales, por apenas quatro aeronaves (quase o preço de um caça de 4ª geração por unidade), pareceu bastante salgado, mesmo incluindo sobressalentes, treinamento e apoio.

Como comparação, a modernização de 12 caças bombardeiros A-4KU (AF-1) Skyhawk pela Embraer custaria cerca de US$ 70 milhões e ainda não foi aprovada por falta de recursos.

Outra questão é que os helicópteros Sea Hawk não são compatíveis com os mísseis AM-39 Exocet vetorados pelos SH-3 Sea King. Se a Marinha tivesse optado por novos helicópteros Cougar navais, por exemplo, poderia continuar usando os Exocet.
Sem um míssil antinavio aerotransportado, a capacidade de combate do NAe São Paulo fica seriamente prejudicada, tendo em vista que os jatos Skyhawk têm limitada capacidade de ataque à superfície, já que ainda não foram modernizados.

Por essas e outras razões, contribuintes e especialistas gostariam de saber como a Marinha do Brasil chegou à conclusão de que o Sea Hawk é a melhor opção para substituir os Sea King

Por Alexandre Galante

46
Deixe um comentário

avatar
46 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
28 Comment authors
APCOs Principais Meios e Programas da Marinha do BrasilSeahawks da MB são usados, mas terão míssil PenguinDemocraciaTailhooker Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
G-LOC
Visitante
G-LOC

Os Cougar ainda estão em operação e continuarão disparando os Exocet. O SH-60 podem ajudar.

Nimitz
Visitante
Nimitz

Os Super Puma/Cougar da MB não possuem capacidade para lançarem mísseis Exocet. Para isso seria necessário a instalação de um outro radar (OMERA ORB 32), como nos Cougar chilenos.

Nunão
Visitante
Nunão

Ia escrever a mesma coisa, só que trocando Cougar por SH-3. A lógica, suponho, é os SH-70 substituirem os SH-3 de ASW inicialmente, mantendo-se em linha os de ASuW que disparam os AM-39. Depois outros lotes de SH-70 substituiriam todos os SH-3 restantes e, espero, os Seahawk teriam capacidade multifunção, ASW e ASuW. Resta saber com que míssil. Espero que não seja com Hellfire… De qualquer forma, esse processo todo vai levar uns bons anos, não? Até lá, creio que já terá se iniciado a modernização dos A-4, capacitando-s para lançar SSM. E, repetindo o raciocínio do parágrafo anterior, resta… Read more »

Wladimir
Visitante
Wladimir

Bem, não sou especialista, mas li ontem esta matéria no site Defesanet e procurei, no próprio site, outras informações a respeito da substituição do SH-3. Encontrei que a preferência da MB é o SeaHawk pelo fato de ser produzido pela Sikorsky, ter participado de conflitos armados e de ter sido oferecido com a possibilidade de ser armado com o AM-39. Para maiores informações: http://www.defesanet.com.br/zz/mb_av_nav_1.htm

konner
Visitante
konner

Sobre a possibilidade de se integrar o míssil AM-39 Exocet ao Sea hawk

Revista Força Aérea

Matéria “Se esta no Mar, é Alvo…”

Edição numero 33, de dez/jan/fev 2003/2004, pág. 60.

paulo
Visitante
paulo

“Ao questionarmos sobre estes candidatos ao provável substituto para o Sea King aos integrantes do HS-1, existe uma unanimidade quanto a preferência pelo Seahawk, pois além da experiência e confiabilidade em operar helicópteros da Sikorsky (operam desde a criação do Esquadrão), apreciam pelo fato de ser um projeto que nasceu como helicóptero para fins especificamente militares, ao contrario do Cougar e do Mi-171. Além do mais, o que favorece o Seahawk é o fato do mesmo já ter sido utilizado em combate, de ter sido oferecido a possibilidade do AM-39 Exocet ser integrado ao Seahawk e a facilidade de financiamento… Read more »

marcelo
Visitante
marcelo

háháhá… não adianta elocubrar, a esta altura tem CUMPANHEIRO SE RASGANNNNNDO DE RAIVA…há há há…preocupado com o míssel? os S 70 atuarão na ASW em substituição ao Sea king que de tão velhos colocavam suas tripulações em risco. Os SH 3 utilizados na ASuW não continuarão com seus exocet? Segundo informações a MB adquiriu os Heli comverba própria, confere? Bem mostra o quanto o Cmdo diverge deste (des)governo petralha.

paulo
Visitante
paulo

“The total value, if all options are exercised, could be as high as $300 million. The Government of Brazil has requested a possible sale of six (6) S-70B helicopters, 13 T-700-401C engines, spare and repair parts, communications and support equipment, publications and technical data, personnel training and training equipment, contractor engineering and technical support services and other related elements of logistics support.”
Pelo relatório ta faltando 2 helis e os treze motores, e o valor total seria de US$ 300 milhas….

G-LOC
Visitante
G-LOC

Os Cougar da MB podem lançar os Exocet e conversando com os mecânicos da aeronave eles me mostraram node ficam os ganchos para instalar o míssil. O radar pode adquirir alvos navais como qualquer radar meteorológico e o alvo pode ser passado por outro meio como o próprio Lynx.

Nimitz
Visitante
Nimitz

A MB nunca lançou um míssil por Cougar. A coisa não é tão simples como pendurar um míssil no helicóptero. Existe a questão de interface de lançamento.

Nimitz
Visitante
Nimitz

Outro detalhe interessante: com o dinheiro que a MB usará para comprar 4 helicópteros Seahawk, ela poderia construir mais uma corveta “Barroso”.

Baschera
Visitante
Baschera

Os S-70B (ASW) serão usados concomitantemente com os SH-3 Sea King/Exocet, que estão recebendo reparos. Parte do custo de explica pelo conteúdo dos aviônicos, além de radar, sonar(que serão modernizados), mage e flir, mais 13 motores, ass. técnica, etc.
Os Sea King serão substituidos quando houver os A-4 Sky Hawk modernizados com um míssil anti-navio.
Sds.

Nimitz
Visitante
Nimitz

O Cougar naval custa em torno de US$ 27 milhões, a unidade. O Sea Hawk em torno de US$ 38 milhões, fora sobressalentes e apoio.
A questão é se a longo prazo o negócio será bom, tendo em vista que já temos o Cougar na MB.

Flávio
Visitante
Flávio

Só para botar mais pimenta neste assunto. Acabei de ler entre as notícias no site da revista Asas o seguinte informe: “A Marinha do Brasil assinou um contrato com a Sikorsky para a aquisição de quatro exemplares do modelo S-70B, que deverão equipar o 1º Esquadrão de Helicópteros Anti-Submarino “HS-1”. O acordo prevê além dos exemplares, treinamento de mecânicos e tripulações, 13 motores T-700-401C, peças de reposição, equipamentos de suporte pós-venda, publicações e boletins técnicos pelo valor de US$ 300 milhões. Essas aeronaves deverão substituir a já obsoleta frota de Sikorsky SH-3D Sea King, em operação desde abril de 1970,… Read more »

omar fernandes
Visitante

Qunto custou cada S-70B? E quanto foi que custou cada Type-23 Chilena? Tem alguma coisa errada, ou… …enquanto isso, o sapo barbudo continua seu delírio, achando que é um líder e que sabe fazer política internacional. Pensem bem!

Leo
Visitante
Leo

Os problemas com os Cougar foram bastante debatidos em outros fóruns de discussão. Não quero entrar em detalhes porque não entendo do assunto, mas pelo pouco que me lembro além de problemas de corrosão, sustentação havia problemas de manutenção.

Esta me pareceu a decisão mais correta tomada pela MB. Eu teria ficado muito desapontado se escolha da MB fosse o Cougar. Seria mais um prova de que o governo quer empurrar helicópteros franceses com desempenho ruim para as nossas FAs, favorecendo a “produção” local em detrimento das necessidades operacionais das nossas FAs.

Leo

Leo

RODRIGO
Visitante
RODRIGO

O Cougar chileno não passa de uma versão adaptada para uso naval,muito inferior ao Seahawk.

moyses silva
Visitante
moyses silva

fiquei assustado com essa diferença de preços. entendo que: a marinha precisa desenvolver uma capacidade própria de luta a/s, ainda que com meios limitados. mas o cougar é utilizado em tantas marinhas do mundo. será que esses problemas que foram citados não são devidos à restrições orçamentárias? o preço das novas versões do lynx, é muito diferente do seahawk(que sei sim, é o que existe de melhor)? e a padronização de meios, como fica? com a perspectiva real de construção de helicópteros da eurocopter no brasil, essa iniciativa da marinha não pode ser um demérito para esse acordo? mais uma… Read more »

André
Visitante
André

Caro Moyses,
O Congresso no momento está muito “ocupado” tentando, a mando do Planalto, revigorar a CPMF, para que o governo possa tungar mais um pouco o nosso bolso.
Quanto ao seahawk, acredito que, a despeito da pequiníssima quantidade de aeronaves, foi uma boa aquisição.

Eduardo Infante
Visitante
Eduardo Infante

Realmente não tenho uma posição formada a respeito, mas sei que o EB utiliza SH70, na versão “terrestre”. Então o quesito manutenção estaria parcialmente resolvido, e o EB tem conseguido excelentes resultados com estas aeronaves, inclusive com operações utilizando NVG na região amazônica. Quanto ao Exocet, parece que os SH3 apenas vetoram os mesmos, correto? Apesar da foto mostrar um no cabide de um SH3… Bom, por enquanto é isso. Valeu.

Joao
Visitante
Joao

Acho que ao inves de comprar uma quantidade minuscula de 4 SH-70B Sea Hawk para substituir os SH-3 Sea King, o que deveriamos fazer e modernizar os 23 A-4 Skyhawks que temos,armados com Exocets e radar OMERA ORB 32. Esse esquadrao VF-1 revitalizado,seria embarcado no São Paulo,apos um upgrade nos sistemas de defesa aerea. Isso daria ao Brasil um poder dissuatorio imenso. Mas claro,para isso falta o que,segundo o nosso mini-Castro, no Brasil não existe…grana. Um abraço.

RODRIGO
Visitante
RODRIGO

O SH3 lança o EXOCET sim, inclusive a MB já fez uma demonstração disso que passou até na tv.Quanto a transferência de tecnologia,isso não tem cabimento,pois são apenas quatro aparelhos.

Schettini
Visitante
Schettini

Em que pese os sea-hawks terem um bom desempenho naval, a compra destes aparelhos foi uma péssima escolha, pq inviabiliza a padronização dos helicópteros da MB com a dupla Lynx-Cougar. O que reduziria custos de manutenção e facilitaria a mesma além de facilitar o treinamento das tripulações destas aeronaves. Esta escolha transforma a aviação de asas rotativas da MB numa colcha de retalhos, assim como está a do exército, operando cinco helicópteros diferentes (sem contar os sea-king).

Nunão
Visitante
Nunão

Moyses (e outros) Acho que padronização numa menor variedade de meios só a longo prazo, quando os Super Lynx (excelentes aeronaves, por sinal, principalmente para ASuW, mas que não têm as mesmas capacidades ASuW que um SH-70, dada a menor autonomia etc) saírem de operação junto com as escoltas que os operam (e que só conseguem operar helis do porte do Super Lynx). Nesse longo prazo, imagino que heli de ASW e ASuW, esclarecimento, para HA-1 e HS-1 será um modelo só, operando em escoltas de maior porte além de Nae e NDDs (nesse último caso, provavelmente também unidades novas,… Read more »

Nunão
Visitante
Nunão

Faltou citar a Barroso, escolta nova e prestes a entrar em operação para os próximos 30 anos pelo menos. Essa eu creio que sobreviverá aos Super Lynx, mas é uma exceção.

Nunão
Visitante
Nunão

Ops, onde se lê sobre os Super Lynx não terem a capacidade ASuW dos SH-70, leia-se ASW.

konner
Visitante
konner

Me perdoem mas, achei pertinente esta informação NOTIMP N°: 157 Data: 05/06/2008 Correio Brazilense Notas Congresso I Petróleo com defesa nuclear O ministro da Defesa, Nelson Jobim, anunciou ontem, em audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, que o Brasil usará submarinos nucleares e ’50 navios-patrulha’ para proteger os campos marítimos de petróleo. O primeiro submarino nuclear brasileiro, contudo, só estará pronto em 10 anos, segundo ele, ao custo de R$ 1 bilhão. Jobim informou que o governo já tem parecer favorável da Organização das Nações Unidas (ONU) para estender as águas… Read more »

direto do fundo do mar
Visitante
direto do fundo do mar

Nunão, quando uma marinha desativa um meio, não necessariamente ele perdeu seu valor. No caso dos Penguin e a introdução dos Hellfires, existe uma mudança apenas de politica de engajamento. Coisa interna da US Navy. Nada que desqualifique um missil.

Nunão
Visitante
Nunão

Ok, DFM (direto do fundo do mar abreviado…).

Sabe se as outras marinhas que utilizam o SH-70 estão firmes no uso do Penguin no médio-longo prazo?

Douglas
Visitante
Douglas

Sobre a notícia do Crreio Braziliense; porque as autoridades aqui insistem que o sub nuclear brasileiro não “tem capacidade de ataque”. Estão falando isso pra quem? pra idiotas? qualquer FA no mundo sabe que um sub nuclear é a arma naval ofensiva por excelencia. Me sinto um idiota quando as autoridades desse governo abrem a boca, querem convencer os hermanos que nosso sub é apenas uma plataforma de observação? ridículo. Sobre os helicopteros; o Seahawk foi testado em batalha e provou sua eficiencia. Como já perceberam, ha a intenção de empurrarem para nossas FA o lixo frances. O cougar é… Read more »

moyses silva
Visitante
moyses silva

nunão, o seu post foi muito esclarecedor.
obrigado.

Douglas
Visitante
Douglas

Segue comentário do site “Sistema de armas” sobre o seahawk: “As novas versões do SH-60 podem ser consideradas o padrão ouro para helicópteros navais multifuncionais. Como uma aeronave não pode cumprir todas as missões de um helicóptero naval a US Navy usa o conceito de especialização em conjunto. Assim, o helicóptero de apoio de combate MH-60S Knighthawk (ex CH-60S) será usado para SAR, apoio logístico e VERTREP, busca e salvamento de combate (CSAR), guerra de minas orgânico e operações especiais. Ele irá substituir os CH-46D, UH-1, UH-3 e HH-60H da US Navy. Já os MH-60R Strikehawk (foto acima) será a… Read more »

Joao
Visitante
Joao

Non-US operators of Sea Hawk Australia S-70B-2 to the Royal Australian Navy No. 816 Squadron RAN Spain S-70B-1 to the Spanish Navy Greece 3 S-70B & 8 S-70B-6 Aegean Hawk Japan S-70B-2/3 Republic of China (Taiwan) 19 S-70C(M)-1 to the Republic of China Navy Thailand S-70B-7 Turkey 25 S-70B-28 Sea Hawk [edit] Specifications (SH-60B) Data from Brassey’s World Aircraft & Systems Directory,[2] Navy fact file[3] General characteristics Crew: 3 Capacity: 8 passengers or slung load of 6,000 lb or internal load of 4,100 lb for -B, -F and -H models and 11 passengers or slung load of 9,000 lb for… Read more »

Rubens
Visitante
Rubens

Não acredito que gastaram tudo isso com 4 helicopteros. Dava 4 caças de 4º geração. Deu a louca no pessoal da marinha. Abortaram o FX 700 milhões. Os caças da Marinha são umas marecas velhas e não tem 70 milhoes para um upgrade. Alguém, me explique por favor………

marcelo
Visitante
marcelo

Os A-4 foram adquiridos para reativar a aviação (asa fixa) embarcada e treiná-la, não como vetores de combate (em princípio). P´ra que Exocet? vamos afundar algum “destrroyer inimigo”? Melhor um missil lançado dos Heli para incapacitar pequenas embarcações e outro lançado de navios ou Sub, com dupla finalidade, ataque a navios inimigos (menos provável) e principalmente instalações costeiras (acampamentos terroristas por exemplo). Algum CAVALHEIRO se dignifica comentar?

PRick
Visitante
PRick

Galante, Mais uma vez você foi preciso, os SH são um helo naval ruim, uma adaptação de um modelo terrestre, caro, com pouca autonomia e carga bélica, e não pode ser padronizado, dado que só transporta 11 soldados. A MB perdeu a chance de padronizar a sua frota com Cougar e EC-725, ou mesmo comprar um helo naval capaz como o Merlin, estamos gastando uma fortuna, e ainda dizem que os SH são usados. A propósito, a grana está saindo do orçamento da MB, é decisão interna da força, mas uma compra questionável, depois dos P-3A BR´s pela FAB. [… Read more »

Baschera
Visitante
Baschera

Nota da Marinha do Brasil Marinha do Brasil Adquire Novas Aeronaves A Alta Administração Naval vem se empenhando na busca por soluções para o reaparelhamento da Marinha do Brasil, de modo a recuperar e modernizar os diversos meios que compõem a base material do Poder Naval. Com relação aos meios aéreos, especificamente as aeronaves SH-3A/B “SEAKING”, os estudos e análises desenvolvidas pelos setores responsáveis indicaram a necessidade de sua substituição, devido ao seu longo tempo de emprego. A aeronave selecionada para tal, foi um Helicóptero de Multi-Emprego, com capacidade de realizar missões anti-submarino(ASW) e contra navios de superfície(ASuW). Para concretizar… Read more »

Taer
Visitante
Taer

Senhores, nossos Sea King estão, literalmente, caindo aos pedaços!
Os S-70B Sea Hawk,em principio 4(quatro) unidades, vão agregar a força de heli’s muito mais poder de fogo! E digo mais, o Cougar é muito inferior, militarmente, ao Sea Hawk ou Blak Hawk!
Sds.

Smedley D. Butler
Visitante
Smedley D. Butler

Sobre os SH-3 lançarem ou não AM-39, segue abaixo. 1993 Em outubro, durante a Operação FERROADA, foi afundado por um míssil AM-39 Exocet, disparado de um He SH-3A Sea King, operando a partir do NDD Rio de Janeiro – G 30. (fonte: http://www.naval.com.br/NGB/M/M051/M051.htm ) Pelo menos esse lançamento foi realizado. Os UH-60/SH-60 sao fortes pra caramba, a capacidade de transporte menor do primeiro em relação ao Super Puma (mudernamente chamados de Cougar – segundo a geração ecologica e politicamente correta) e suplantada pela maior probabilidade de chegaram vivos aos destino, depois de tomarem tiro a doidado. Mas o importante mesmo… Read more »

Sd. NAVAL /75
Visitante
Sd. NAVAL /75

Acredito q após o recebimento do Sea Hawks, a MB poderia fazer adaptações nos SH-3 Sea King. Enviando os para a Amazônia, para apoio aos (poucos) Fuzileiros na região.
** Essa questão foi abordada na Revista “Tecnologia e Defesa” há aproximadamente uns 2 anos. **

Marcelo Ostra
Visitante
Marcelo Ostra

Realmente, os Chinelicos que o digam, pois atestando o Mauro, até eles usao ele

E é verdade, Brequi Halka Cinelico

Tailhooker
Visitante
Tailhooker

Pessoal, em poucas vezes na história militar desse País viu-se as Forças Armadas adquirirem material de defesa to tipo “top de linha” Só a MB fez isso até hoje, com os Lynx/SuperLynx. Vendo a MB adquirir um Helicóptero da qualidade e reputaçao do SH-70 SeaHawk, mostra que na MB, opta-se pelo tecnico/operacional e pelo que a força precisa, ouve-se o operador e não questões politicas, que semprem frustram os planos dos militares, empurrando-lhes pela güela equipamentos de qualidade inferior ou usados. SeaHawk é top de linha e devemos nos orgulhar de ver a MB mais uma vez realizando compras técnicas… Read more »

Democracia
Visitante
Democracia

To com você,Tailhooker !!!

Viva a Republica!!!

trackback

[…] Padilha, saiu na revista Air Forces Monthly desse mês, que os quatro helicópteros Seahawk SH-60B comprados pela Marinha do Brasil via FMS, por US$ 194 milhões, são na verdade aeronaves usadas. Mas o valor do contrato inclui a […]

trackback

[…] 2008 foram adquiridas 4 unidades, com opção para mais 2 helicópteros Seahawk, de um total que deverá chegar a 12 unidades. Na […]

APC
Visitante
APC

É uma vergonha esse lenga lenga de quando as Forças Armadas querem adquirir novas armas de guerra, ficar essa choradeira toda. Em um país continetal como o Brasil de tao grandes recursos naturais e outros, será que o CONGRESSO NOCIONAL ESQUECEU DO QUE ACONTECEU COM O IRAQUE??? QUEM GARANTE QUE OS EUA NAO PODERÃO ALEGAR CONSTRUÇÃO DE ARMAS DE DESTRUIÇÃO EM MASSSA COMO DESCULPA PARA UMA EVENTUAL INVASÃO Á NOSSA PATRIA??? E QUE PAÍS É ESSE QUE O DINHEIRO SERVE PRA CONPRAR PANETONE PRA POLÍTICOS MAIS DO QUE PRA REFORÇAR A SEGURANÇA NACIONAL??? “BRASIL” É LÓGICO!!!