Home Tecnologia Braunschweig, corveta K-130

Braunschweig, corveta K-130

333
38

k130-260a.jpg

O navio das fotos é a Braunschweig (F260), primeiro de uma classe de cinco novas corvetas da Marinha da Alemanha, que substituirão a classe “Gepard”.
São navios com reduzida assinatura radar e infravermelho (os gases dos motores são lançados na linha dágua), e estão preparados para o futuro uso de UAVs.
O principal armamento antinavio é composto de mísseis suecos RBS 15, de 200km de alcance.

Planeja-se construir um segundo lote de cinco navios a partir de 2008.

k130-260b.jpg

Subscribe
Notify of
guest
38 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
daniel
daniel
11 anos atrás

QUE CORVETA!, QUASE IGUAL AS NOSSAS NAO?

marujo
marujo
11 anos atrás

Opinião de leigo num blog de especialistas: no lugar de construir cinco patrulheiros oceânicos, a MB deveria construir seis corvetas mais pesadas que as alemãs, mas com a mesma capacidade de sistemas e armamentos.

marujo
marujo
11 anos atrás

Alguém tem o perfil dessas corvetas? Barcos do gênero para a MB tem ter algum alguma capacidade oceânica, porque, ao contrário das alemãs, não vão atuar em águas restritas, mas em aberto. Daí, a necessidade de maior tonelagem e maior capacidade marinheira.

Pedro Rocha
Pedro Rocha
11 anos atrás

Informações da wikipedia: Class overview Operators: German Navy Built: 2004–2007 In commission: 2008– Planned: 10 Completed: 5 Active: 5 General characteristics Type: Corvette Displacement: 1,840 tonnes (1,810 LT) Length: 89.12 m (292 ft 5 in) Beam: 13.28 m (43 ft 7 in) Draft: 3.4 m (11 ft 2 in) Speed: 26 knots (48 km/h/30 mph) Range: 4,000 nmi (7,400 km) at 15 kn (28 km/h/17 mph)[1] Endurance: 7 days; 21 days with tender Complement: 65 : 1 commander, 10 officers, 16 chief petty officers, 38 enlisted Sensors and processing systems: • TRS-3D multifunction radar • 2 navigation radars • MSSR… Read more »

konner
konner
11 anos atrás

Estas corvetas não tem uma velocidade de ponta muito elevada. Não possuem turbinas a gaz e só com motores a diesel conseguem levar o navio até 26 nós. São navios com deslocamento reduzido, adequados para funções em águas costeiras. Foram pensados para as condições do Báltico. Deslocamento standard: 1580 T Deslocamento máx. 1840 T São bem automatizados, utilizando uma tripulação entorno de 50 pessoas. Destinan-se a substituir os patrulhas da classe Albatros. ——————————————————————- Os RBS-15 dividem-se em várias versões consoante a sua utilização. As principais versões são: RBS-15M: Versão lançada desde navios. Entrou ao serviço na marinha da Suécia. RBS-15K:… Read more »

Marcelo Ostra
Marcelo Ostra
11 anos atrás

Oia e ela tem bulbo de proa

daniel
daniel
11 anos atrás

EU ACHO QUE NAO ENTEDERAM FOI UM COMENTARIO SARCASTICO
UMA COMPARACÁO COM A BARROSO

André
André
11 anos atrás

esse míssel é melhor que o exocet?

LM
LM
11 anos atrás

Caro Marujo, segue os dados requeridos:

Deslocamento (Full Load) 1.840t
Comprimento: 89,12m
Boca: 13,28m
Calado: 3,4m
Tripulação: 50 (oficiais e praças)

Velocidade: >26kt
Patrulha: 21 dias
Autonomia: 2.500 mn
Propulsão: 2 MTU 20V 1163 TB 93 (diesel)

Paulo
Paulo
11 anos atrás

Mas não vai construir nada não…no máximo vem ai a canhoneira-patrulha P400. Afinal, de que adiantarão patrulhas do século passado para reprimir ameaças presentes e futuras? Parece àquela velha politica da “presença”. Põe um caboclo no meio da floresta com um canivete cego e diz: “A presença brasileira está garantida!” Uma patrulha de mar aberto deveria, e digo no condicional, ser apta de lidar com qualquer cenário: superficie, antisub e aereo. Afinal os caras vão estar no meio do nada e se depararão com o desconhecido… UMA CALIBRE .50 VAI RESOLVER?? O ideal é que fosse sthealth também, para passar… Read more »

marujo
marujo
11 anos atrás

Obrigado, LM, pela presteza com que você postou as informações sobre as corvetas. Mas, abusando mais um pouqinho, gostaria que fizesse um comentário sobre a utilidade de navios como esses em uma Marinha como a nossa, que opera nas águas abertas do Atlântico Sul.

Douglas
Douglas
11 anos atrás

Pela tonelagem elas tem o peso das Inhauma. Se nao têm falhas de proa como as nossas, creio que não há problema mesmo em mar aberto e carpado.

Douglas
Douglas
11 anos atrás

Sempre vem a pergunta.quanto custam essas covertinhas?

Douglas
Douglas
11 anos atrás

misseis anti navio com 200 km de alcance, fora os RAM para defesa AA…….. e com a tonelagem das Inhauma. não sei porque não equipam a Barroso nesse nível.

konner
konner
11 anos atrás

O RBS-15 anti-navio tem características idênticas ao Harpoon norte-americano e ao Exocet francês.
No entanto, os dados conhecidos atribuem-lhe um alcance muito superior.

Embora o míssil tenha capacidade para atingir grandes distâncias [Alcance: 200 Km] a capacidade de atingir alvos, está condicionada pela situação tática, dado a essa distância não ser possível efetuar uma designação absolutamente segura do alvo.

André
André
11 anos atrás

Valeu pela informação, Konner.

LM
LM
11 anos atrás

Prezado Marujo, São navios muito bem armados, mas se você olhar bem para a proa, vai verificar o mesmo problema das Inhaúma, ela é baixa, por esta razão adotou-se o “bulbo” ao qual o Marcelo Ostra se referiu, este bulbo serve justamente para minimizar os “mergulhos” da proa quando navegando em condições adversas. Se fossem usadas pela MB, teriam as mesmas restrições que encontramos em nossas corvetas, ou seja, as usariamos na função de patrulha ocêanica. Assim, na minha opinião, seria melhor construirmos navios-patrulha ocêanicos e armá-los com um armamento bem semelhante ao usado nas K-130. Antes que os colegas… Read more »

LM
LM
11 anos atrás

Ah, esqueci de informar que a autonomia das BR70 é de 2.000mn

Baschera
Baschera
11 anos atrás

Mauro,
Porque os alemães vão substituir as “Gepard” pelas K-130 ???
Simples : Não são míopes e porque levam a sério suas FFAAs, até porque pertencem a OTAN e levaram umas porradas na II War.
Povo esclarecido é outra coisa.
Sds.

Douglas
Douglas
11 anos atrás

Prezados, sobre planejamento, realmente não temos, vejam o sistema de armas da Barroso….(uma repetição da 1ª Inhaúma de 15 anos antes). Sobre se será canhoneira, bom se vier só com um tubo de 40 ou 76 mm obvio que será, não é o caso ai de cima; se vão servir só pra guarda costeira, depende, se vierem com apenas um tubo de 40mm, obvio que só servirão pra isso, não é o caso ai de cima; Se são francesas, óbvio que não, são alemãs………….rsrsrsrs

Flávio
Flávio
11 anos atrás

Costuma-se atacar o pouco que nos resta em nossa Marinha. As Inhauma são pouco mais pesadas que as K130, tem problemas com mar agitado é verdade (o que pode ser ser problema também das K130, segundo comentários acima). O armamento das Inhauma, tirando o RAM é bem similar às K130. As Inhauma tem capacidade de embarcar 1 helicóptero e possui lançadores de torpedos. A K130 não possui nenhum dos 2 , segundo descrição acima, mas posso estar enganado. O maior problema das Inhauma é quanto a sua assinatura de radar e infravermelho, e sensores ultrapassados tecnologicamente. Considerando que elas tem… Read more »

Douglas
Douglas
11 anos atrás

Flávio , eu apóio a reforma. Até hoje não entendo a deficiencia AA na MB. Alias, já discutimos muito isso, e por falta de reparos AA, medianos ao menos, não vejo outra solução melhor para as Inhauma que a patrulha de longo curso (apenas um lembrete, o Baltico gera ondas enormes, nem sempre o mais raso é o mais seguro em uma tempestade). Alguem aqui respondendo o Mauro tempos atras disse que um reparo AA, não teria lugar nas Inhauma por falta de espaço ou excesso de peso. Agora não dá pra entender mesmo é a repetição do sistema de… Read more »

LM
LM
11 anos atrás

Senhores, vejo aqui diversas ofensas a MB e a seus integrantes. Falam como se todos fossem despreparados e não conhecessem a realidade e as deficiências que hoje se apresentam. Só para informação de alguns, para ingressar na MB, o garoto, isso mesmo garoto sai de casa aos 14 anos, vai morar em Angra dos Reis, pois ingressou em um dos mais concorridos vestibulares desse país, o Colégio Naval em regime de internato. Vou te dizer que é duro para se formar! Depois, vem para o Rio de Janeiro e passa mais 4 anos na Escola Naval, em tempo integral, estudando… Read more »

konner
konner
11 anos atrás

Os mais jovens sabem operar todo tipo de maquinário, com máximo conhecimento do “como fazer” mas não estão mais desenvolvendo a capacidade que sempre foi utilizada como argumento para distinguir os seres humanos das demais espécies animais: raciocínio lógico e criativo.

Os mais velhos ainda sofrem um pouco para acompanhar a tecnologia, mas permanecem imbatíveis em capacidade analítica, raciocínio sofisticado. Enfim, pensam e pensam bem.

Parabéns LM.

Flávio
Flávio
11 anos atrás

LM, faço das suas palavras as minhas. Podemos até criticar de forma construtiva a qualidade dos nossos equipamentos, mas sempre fazendo uma analise crítica dos porquês. No entanto jamais devemos tecer críticas aos profissionais que escolhem as FA´s para seguir carreira desde muito jovens quanto a sua competência e conhecimento das armas. Se o que temos ainda pode ser chamado de FA´s, isso se deve a grande qualidade e criatividade de nossos homens e mulheres das que fazem parte.

Farragut
Farragut
11 anos atrás

Sou contra qualquer tipo de ofensa numa discussão, mas daí a achar que o planejamento da Marinha é bom porque os oficiais fazem este ou aquele curso é exagero. Na Marinha, quem critica com critério, mas possui idéia diferente da “autoridade”, tem a “foto virada para a antepara” e as ferramentas de todos esses cursos são subutilizadas em detrimento daquilo que o “chefe” quer. Isto sem mencionar que, nestes cursos, a preocupação em definir melhores colocados com critérios duvidosos é maior que a de reprovar os que não querem nada com a Instituição e que, depois, irão prestar a decantada… Read more »

Farragut
Farragut
11 anos atrás

Sou contra qualquer tipo de ofensa numa discussão, mas daí a achar que o planejamento da Marinha é bom porque os oficiais fazem este ou aquele curso é exagero. Na Marinha, quem critica com critério, mas possui idéia diferente da “autoridade”, tem a “foto virada para a antepara” e as ferramentas de todos esses cursos são subutilizadas em detrimento daquilo que o “chefe” quer. Isto sem mencionar que, nestes cursos, a preocupação em definir melhores colocados com critérios duvidosos é maior que a de reprovar os que não querem nada com a Instituição e que, depois, irão prestar a decantada… Read more »

KURITA
KURITA
11 anos atrás

Amigo LM só nessa nossa marinha mesmo que é cheio de requisitos pra se tornar um oficial , pois fique sabendo que na US .navy é muito mais fácil vc entrar e seguir carreira lá dentro do , pois pega-se até contrato tempora´rio lá e se qser vc sai e pode entrar de novo , aqui é que é essa frescura toda , para marinha que é , saiba tb qu na USAF vc consegue ser piloto de caça com 4 GRAUS DE MIOPIA aqui rsss vc tem que ser um extra terrestre rsss

KURITA
KURITA
11 anos atrás

E tb tem mais , acho que os componentes da marinha não estão nem ai para o equipamento que tem em mãos eles qurerm é o deles no fim do mes a nós aqui nos preocupando com isso rsss

Douglas
Douglas
11 anos atrás

Interessante o post do LM. apenas um parenteses antes de reponder. Hoje, eu só não sou oficial porque tenho glaucoma progressivo nos olhos, doença que me afeta, por enquanto, sem gravidade, pois faço acompanhamento intensivo, mas é restritiva no acesso aos cursos que o senhor citou. Sobre críticas, “permissa venia”, varias são bem adequadas. Não dá pra entender por exemplo a aquisição da sucata São Paulo. Esse navio passou mais tempo em reparos do que no mar. diga-se de passagem que o grupamento aéreo adquirido está em um hangar. O navio veio sem sistemas de armas. não temos escoltas para… Read more »

Joao
Joao
11 anos atrás

Em dezembro de 2001, a Alemanha colocou um fim de cinco corvetas K130 baseado no Meko Um desenho a partir da Arge K130 consórcio. A Arge K130 consórcio constituído por ThyssenKrupp Marine Systems Blohm + Voss, em Hamburgo (chumbo estaleiro) e Nordseewerke em Emden, com Friedrich Lurssen Werft baseada em Bremen. As corvetas substituir o alemão da Marinha Tiger Classe e Classe Albatross míssil rápido barcos patrulha que deixaram de responder às necessidades operacionais. O K130 corvetas basear-se-á em Warnemunde. Keel-de que o primeiro dos cinco novos K130 corvetas para a Marinha alemã começou em dezembro de 2003. O primeiro… Read more »

Joao
Joao
11 anos atrás

Parabéns a amigo LM. Eu tiro o meu ahapeu para o pessoal da MB. Professionais e muito dedicados. E nao vou criticar porque querem ver “o seu” no fim do mes. Todos,marinheiros ou nao,temos que comer,nao? Ainda mais com a miseria que se paga ao militar Brasileiro. O problema da MB,assim como das demais FAAS,e obvio,e ja o conhecemos. E a falta de verba. O exemplo do LM foi muito bom. A MB e esse senhor, que tem uma família enorme para sustentar. E o pouquissimo que recebe,nao da pra nada. E para o amigo que compara a MB com… Read more »

Joao
Joao
11 anos atrás

Marinha Alemã Fragatas 3 fragatas classe Sachsen anti-aéreas 4 fragatas classe Brandenburg multi finalidade 8 fragatas classe Bremen multi finalidade Corvetas 5 corvetas Braunschweig Ataque rápido 10 Gepard classe ataque rápido Mine contra-medida navios 5 minas Ensdorf classe, orientação drone 5 Kulmbach classe (Tipo 333) mina caçador 10 Frankenthal classe (Tipo 332) mina caçador 1 apuramento mergulhador apoio navio M 1061 Rottweil 18 Seehund ROV (remotas controladas zangões, 2 homens da tripulação apenas para o trânsito) parte da tróica PLUS sistema, juntamente com o Ensdorf classe minesweepers Submarinos 4 U212A classe (multi-purpose submarino), mais 2 em construção, substituir alguns classe… Read more »

Farragut
Farragut
11 anos atrás

Que PLANEJAMENTO é este em que um dos “objetivos” é a disputa com outra FA?
Não estaria faltando um nível de decisão superior que definisse QUAIS os interesses nacionais e QUE forças melhor traduziriam sua defesa?
Não adianta ficar discutindo meios, equipamentos ou sistemas em um país onde uma palhaçada como a dos SG gays tem mais apelo do que as reais necessidades de segurança e defesa.

Farragut
Farragut
11 anos atrás

Engraçado…
O pessoal que critica o faz pela desqualificação dos fatos e da razão(?).
Mas não seria desqualificação também o uso de termos como “miopia”, “má fé” e “vomitados” ou estes são fatos racionais, contra os quais não se pode argumentar?

É daninha esta polarização entre defensores e críticos ferrenhos. Há quem debata com critério e relativo conhecimento dos bastidores e que não se considera dono da verdade.

Nelson Lima
Nelson Lima
11 anos atrás

É claro que o RBS15 é melhor do que o Exocet, de geração mais recente, alcance maior, proteção ECM. Mas, custa muito mais CARO!

Douglas
Douglas
11 anos atrás

Prezados, vcs acham que quem critica, desqualifica. É o velho ranço autoritário latino americano, os vira latas, entre os quais não me incluo, logo latem se alguem critica a falta de rumo da MB. Não rebatem, partem logo pra ofensa. No passado bem recente compraram o SP e A4, depois tudo pro estaleiro, a um custo que poderia armar muito bem a Barroso e melhorar muito o Mod Frag, mas como o Mauro disse, é pelo sonho de “levar” o poder marítimo. É FÁCIL SONHAR COM O DINHEIRO DO CONTRIBUINTE…. ninguem sabe onde está o SP e os A4. O… Read more »

trackback
11 anos atrás

[…] projeto das modernas fragatas Typ 125. Além disso, estariam dispostos a oferecerem as corvetas da Classe “Braunschweig” ( K130) para o projeto dos futuros […]