Como estão os Type 42 argentinos?

    477
    37

    ara-santissima-trinidad.jpg

    A foto acima mostra o destróier Type 42 ARA Santissima Trinidad em Puerto Belgrano, em julho de 2007. Notem que o navio, desativado em 2005, encontra-se sem várias antenas, pois está sendo canibalizado para manter o ARA Hercules funcionando (foto abaixo). O sistema de mísseis Sea Dart deixou de funcionar há vários anos e o Hercules foi modificado para servir como navio de transporte rápido para operações de assalto.

    ara-hercules.jpg

    37
    Deixe um comentário

    avatar
    37 Comment threads
    0 Thread replies
    0 Followers
     
    Most reacted comment
    Hottest comment thread
    20 Comment authors
    O pouso de um Super LynxcesarmarujoModBarrosoGunter Recent comment authors
      Subscribe  
    newest oldest most voted
    Notify of
    Ozawa
    Visitante
    Ozawa

    Um navio como o Santíssima merecia fim mais honroso em razão da sua folha de serviços em batalha. Bem poderia ser convertido em navio-museu preservando a memória nacional de todos aqueles que pereceram em combate na 1ª guerra aeronaval da era do míssel… Mas se nem a Inglaterra, com mais recursos, fez algo semelhente que eu saiba, o que esperar da pobre Argentina, por quem nós choramos…

    Leo
    Visitante
    Leo

    Ozawa,

    Poderia citar quais foram os serviçõs prestados em batalha pelo Santíssima?

    Leo

    direto do fundo do mar
    Visitante
    direto do fundo do mar

    Quando estive em Puerto Belgrano, os argentinos me disseram que este navio seria o navio museus deles. Até pela história da revolução e coisa e tal.
    Mas, o argies estão na lona, então isso só vai rolar depois das prioridades da Armada.

    Ozawa
    Visitante
    Ozawa

    Caro Léo, tomei por licença poética, por extensão de raciocínio, a expressão “serviços em batalha” como missão de guerra em situação real, seja como nau capitânea da esquadra argentina para tomar as Malvinas em 1982 ou servindo de escolta em patrulha anti-submarina na citada guerra. Por certo, não estou me referindo a combates com outras belenaves inglesas, muito embora, potencialmente, estivesse lá para isso, caso fosse necessário. Estar presente num cenário real de guerra, “pronto para e em condições de”, combate, caso surja a oportunidade, ao meu juízo, honra a folha de serviços de qualquer belonave, mesmo que não se… Read more »

    Democracia
    Visitante
    Democracia

    Resumindo(Ozawa)?

    Viva a Republica!!!

    Leo
    Visitante
    Leo

    Desculpe-me Ozawa, mas eu discordo frontalmente deste ponto de vista. Eu penso que algumas coisa tem que deixadas “preto no branco”. Não existe glória nenhuma em ficar escondido num porto, enquanto a força área de seu país enfrenta o inimigo. Tem outro nome para isto.

    Leo

    Christian Villada
    Visitante

    El Hercules es probablemente el buque mas importante de la flota de la ARA. Es el unico capaz de embarcar dos Sea King. En los ultimos años se esta utilizando sobre todo como buque de instruccion para los cadetes de la Escuela Naval ya que permite embarcar mas de 100 efectivos adicionales a la tripulacion.

    Saludos a la gente de Blog Naval

    Ozawa
    Visitante
    Ozawa

    Respeito sua posição, conquanto divirja dela. É certo que, no decorrer da guerra, com a presença dos submarinos nucleares britânicos negando o uso do mar, por certo a melhor estratégia A partir da chegada dos SSN’s foi sim, recuar, e deixar para a força aeronaval agir. Qual o problema ? Foi menos honroso sacrificar-se estupidamente, sendo, à época, a despeito dos sabidos problemas dos type 42, o mais moderno navio da ARA ? Repito, sua participação na guerra como nau capitãnea lhe conferiria um fim mais honroso pela história que carrega. É como penso.

    Paulo Costa
    Visitante
    Paulo Costa

    Talvez existissem outras razões para a frota ficar nos portos,
    os comandantes dos 42,receberam ordem para não suspender,
    estavam em guerra,cumpriram ordens.

    AJS
    Visitante
    AJS

    A frota argentina, navegou mesmo com a presença dos SSN britânicos, porém, após o afundamento do Belgrano, recolheu-se aos portos e bases, evitando com isso, a perda inútil de preciosas vidas, bem como de material.

    Norberto Pontes
    Visitante
    Norberto Pontes

    Triste fim aos poucos de belos navios e origem inglesa.
    Falar nisso pessoal, ontem eu estava no google earth e visitando ALANG, na India(lugar de desmantelamento de navios), advinhem quem eu vi lá?
    Ele mesmo, o Minas Gerais ancorado perto da praia esperando seu fim, se é que já não aconteceu, pq não sei de quando foi tirada essa foto.

    Marcelo Ostra
    Visitante
    Marcelo Ostra

    Foto bem antiga Norberto

    Já nao existe mais faz tempo

    Olha lá no NGB, tem eel abicado e sendo desmontado

    MO

    Junior
    Visitante
    Junior

    Como se parecem com as nossas Type 22….

    Fábio Max
    Visitante

    A Argentina e o Brasil NÃO SÃO países pobres, muito pelo contrário. Se todos os países do mundo tivessem um parque industrial, as riquemas minerais e a agropecuária deles, a humanidade estaria num patamar melhor de vida para todos, e não haveria nem fome, muito menos miséria. O que eu quero dizer com isso? Quero dizer que as forças armadas destes países refletem em muito o populismo irresponsável dos governantes deles, que falam demais no povo e na situação social, mas roubam demais e trabalham de menos, negligenciando coisas importantes como a segurança de suas nações com fatos como esse… Read more »

    Marcelo Ostra
    Visitante
    Marcelo Ostra

    Alias Norberto, já que vc foi no google, cantos quntes para ship scrap

    Alang, India
    Chittagong, Bangladesh
    Gadani Beach, Paquistão
    Aliaga, Turquia

    MO

    Nunão
    Visitante
    Nunão

    Achei nos arquivos aqui em casa um artigo sobre o Sea Dart na Argentina que traz informações complementares sobre os T42 na ARA. Deixo a quem interessar, apesar dos trechos serem um tanto longos. Autor: Gorka L. Martinez Mezo Título: “El Misil de defensa aérea Sea Dart” – Magazine nº17 do aparentemente finado site Fuerzas Navales. “El Sea Dart es un arma de un significado especial para la ARA dado que no solo fue su primer misil de defensa aérea de área (antes sólo operaba el pequeño Sea Cat de defensa de punto a bordo del tristemente famoso crucero ligero… Read more »

    Igor
    Visitante
    Igor

    Malvinas: uma História Alternativa

    Leo
    Visitante
    Leo

    Olá Mauro, Eu penso de forma diferente. A Armada Argentina era a segunda melhor marinha das américas. Só perdia em poder de fogo para a US NAVY. O que se espera das FAs é que estejam prontas a lutar quando forem chamadas. A força aerea argentina deu uma lição a todos nós sul-americanos. Foram honrados, corajosos, pederam grande parte de sua frota e inúmeros pilotos. Fizeram o que se esperava de uma força armada para defender seu país. Perderam 58 aviões, mas não perderam a dignidade. A Royal Navy, apesar de todas as dificuldades, perdendo vários navios e dezenas de… Read more »

    Beto
    Visitante
    Beto

    Mauro
    Gostaria de fazer algumas perguntas:

    1.Esse navio Type 42 ARA teria condições de voltar à ativa ou não??.Pq ?

    2.Afinal quem vai subistituir o contra-torpedero Pará?

    3.A Barroso pode ser considerado um navio multi-função?? e o mais morderno da America do Sul??

    4.Quantos navios da MB estão na reseva hoje?. Não seria interessante MB utilizar essa verba da modernização da classe inhauma e reativasse esses navios ??

    6.Pq a MB não decide a contrução de novos navios p subistituir as atuais escoltas, sabendo q boa parte serão desativados em 2016?

    7.Afinal? Quando o A-12 (Opalão) estará operando c/ seus A-4 em plena atividade?

    José da Silva
    Visitante

    Gostaria de saudar o nosso colega “naval” Christian Villada pela participação no Blog.

    É bom contar com alguem que possa opinar sobre os assuntos da ARA, já que o nosso ponto de vista fica um pouco deturpado porque se prende demais aos fatos ocorridos durante conflito de 1982, deixando de lado os fatos ocorridos antes e depois´do mesmo.

    Marcelo Ostra
    Visitante
    Marcelo Ostra

    Aeee Mauro, arrumou um filho eim …. heheheheheheh

    parece abertura de crediário …

    hehehehe
    MO

    Beto
    Visitante
    Beto

    Ostra,

    Tudo bem? vc pode responder e tirar as minhas duvidas? OK?

    Marcelo Ostra
    Visitante
    Marcelo Ostra

    1 – Não há interesse argentina para isso, se assim o fosse teriam no minimo que adquirir um outro para canibalização, sendo que na real seria ao contrario, pois os que estão em serviço estão em melhores condições que o ST 2 – Não Definido 3 – Não é o navio mais moderno da america do sul, se vc se3 refere a tecnologia, Sim é o mais moderno se considerar sua suposta incorporação, depende do seu ponto de vista. Na MB, na falta de um meio especifico de defesa isso ou aquilo ela sera empregada conforme necessidade 4 – Creio… Read more »

    LM
    Visitante
    LM

    Prezado Beto, Peço licença ao Mauro e ao Ostra, mas se puder ajudá-lo?! Com relação aos Type 42 argentinos, como foi dito anteriormente pelo Mauro, um deles foi convertido em navio de transporte rápido, e existia planos para conversão da outra unidade, mas na última vez que estive com oficiais da marinha argentina eles me informaram que não seria modernizada; Com a incorporação à esquadra da corveta Barroso, o Pará deve ser descomissionado; A função principal da corveta Barroso é ASuW, ou seja, guerra de superfície, mas com alguma capacidade limitada de ASW e AAW. Os navios de escolta mais… Read more »

    LM
    Visitante
    LM

    Mauro (rsrsrs) Seria um sonho!!!!!!!!!! Todas as fragatas Niterói e Greenhalgh, assim como as corvetas da Classe Inhauma serão descomissionadas até 2025. Voce está bem informado sim, estudos recentes desenvolvidos pela MB, concluiram que para manter uma capacidade mínima de cumprir com suas funções estabelecidas na CRFB/88 e em Tratados Internacionais, seriam necessários 20 navios de escolta e 9 subs. Existem estudos para construção de mais 3 corvetas da Classe Barroso, além dos 8 navios de 6.000t, assim teríamos 12 navios. Para mantermos 20, serão necessárias as “aquisições de oportunidade”, mas ainda não há estudos nesse sentido. Quanto a aquisição… Read more »

    LM
    Visitante
    LM

    Mauro, A situação está melhor, longe do ideal, mas se compararmos com alguns anos as coisas melhoraram. Os dias de mar almentaram consideravelmente nos últimos 2 anos. Para que voce possa ter uma idéia, nas últimas décadas, somente a USN nos ofereceu os seguintes meios: CV 62 Independence, por cerca de US$ 100 milhões; AO 179 Marrimack, por arrendamento com opção de compra; LST 1183 Peoria por irrisórios US$ 3 milhões; 4 OHP; 4 Classe Spruance; entre outros. Contudo, a situação de penúria financeira vivida àquela época pela MB, impediu a concretização dos negócios. Com relação ao atual governo, não… Read more »

    LM
    Visitante
    LM

    digo: “aumentaram” è a pressa na hora de digitar! (rsrs)

    Gunter
    Visitante
    Gunter

    Sr. L.M., primeiramente agradeço suas intervenções, são muitas esclarecedoras, e nesta “troca de figurinhas” com Mauro, quem ganha somos nós, entusiastas da Marinha. Peço permissão para o Mauro, para fazer meus, os questionamentos dele no ultimo post.

    Gunter
    Visitante
    Gunter

    Ops! Ja fomos atendidos! Obrigado LM pela atenção!
    Seu entendimento sobre as questões levantadas pelo Mauro, faz-me acreditar que meu entedimento sobre a situação atual do nosso país não estava “turvo”.

    Junior
    Visitante
    Junior

    Caramba… então poderíamos ter tido alguns CTs Spruance na MB???

    Marcelo Ostra
    Visitante
    Marcelo Ostra

    Especificamente pelo menos o O´Basnnon foi vistoriado pela MB

    MO

    trackback

    […] pelo Comandante da Marinha, em entrevista ao Poder Naval Online em 2007. O leitor LM do BlogNaval comentou que “estudos recentes da EGN (Escola de Guerra Naval) concluíram que em um conflito futuro […]

    marujo
    Visitante
    marujo

    Sr. LM: se existe a intenção de construir três novas corvetas, por que não um projeto novo, ao invés do da Barroso, que é da década de 80 do século passado e, por isso mesmo, é pouco furtivo? Esse navio da Turquia que está no blog é um bom exemplo, ao lado das corvetas Afcom espanholas ou ainda das Goowind francesas.

    LM
    Visitante
    LM

    Prezado Marujo, Essas classes de navios que voce citou são ótimas e bastante desejáveis, contudo, de elevado valor para aquisição. Para se construir uma nova classe de navios são necessários elevados investimentos, uma vez que demandam adequação (modernização) nos estaleiros que irão construí-las, formação e treinamento de mão-de-obra,não só para a construção, como também para operação dos mesmos, entre outros. Assim, se construirmos mais unidades de uma classe já em uso, poderemos racionalizar os recursos e aplicá-los também em outros projetos. Gostaria de lembrá-lo, que hoje a MB está investindo em diversos projetos, dentre os quais: NaPaFlu, NaPaCos (500t), NaPaOc,… Read more »

    cesar
    Visitante
    cesar

    Caros amigos, Permitam-me sonhar um pouco até 2025… – 06 Niterói – 04 Greenhalg retrofitadas (sistemas ASW e substituição do bofors L70 por Trinity ou talvez 30mm / 35mm tiro rápido) – 04 Inhaúma mod. (mesma das Greenhalg e instalação de 01 lançador RAM sobre o hangar + substituição do Mk08 por 76mm ou 57mm na proa, se possível) – 01 Barroso (opção 01: sai o trinity da coberta do hangar, coloca-se 01 RAM + 02 Aae 30 OU 35mm, um em cada bordo ao lado do mesmo. opção 02: mantém-se o trinity + 01 RAM na popa, caso haja… Read more »

    trackback

    […] Malásia, Portugal e África do Sul. A Argentina chegou a comprar dois Lynx Mk.23 para uso nos contratorpedeiros Type 42 adquiridos na Grã-Bretanha, mas seu uso foi descontinuado após a Guerra das […]