Home Noticiário Nacional Marinha finalmente adquire FLIR para os seus helicópteros AH-11A Super Lynx

Marinha finalmente adquire FLIR para os seus helicópteros AH-11A Super Lynx

495
0

apresentacao-do-contrato-flir-para-os-super-lynx-mb.jpg

flir-safire-iii.jpgNo dia 26 de agosto de 2008, nas dependências do Esquadrão HA-1, o ComForAerNav assinou o contrato com a empresa FLIR Systems INC. para a aquisição do sistema estabilizado multi-sensor de vigilância “FLIR” (Equipamento de Observação Infravermelho) SEA STAR SAFIRE III, a ser instalado nos helicópteros AH-11A Lynx, como parte do programa de modernização da frota dos AH-11A da MB.
Nessa data compareceu o Sr. James Meyer, representando a empresa FLIR Systems e o Sr. Carlos Roberto Hall Barbosa, representante daquela empresa no Brasil.
O sistema FLIR dotará as aeronaves AH-11A de um sensor passivo que permite a identificação noturna de contatos, ampliando assim a capacidade e versatilidade desse importante meio da Esquadra.
A decisão de modernizar as aeronaves AH-11A consta do Programa de Reaparelhamento da Marinha, fato esse que corrobora a importância que os meios aeronavais possuem no emprego operativo de nossa Marinha no cumprimento das tarefas do Poder Naval.
Clique no link para ler a brochura técnica do FLIR adquirido pela Marinha.

1 COMMENT

  1. Ficarão mais feios, com certeza. Mas enfim, quem disse que helicóptero é pra ser bonito, né?

    Realmente, já não era sem tempo – ótima notícia.
    E em relação à matéria anterior, sobre os Panther – Dauphin etc, sou mais os Super Lynx. Mas logo vai precisar pensar num sucessor bimotor e navalizado pra ele, pra operar em navios do porte da Barroso e dos futuros NaPaOc. Para as futuras escoltas de maior porte, serão helis maiores.

    E esse novo modelo do porte do Super Lynx deveria também, numa versão talvez menos guerreira mas com sensores adequados, ser empregado ao lado de um outro heli menor e utilitário (como o Esquilo) em distritos navais como o 5ºDN, cujo resgate recente de um tripulante de um pesqueiro, a 118 km do Rio Grande, foi assunto de matéria aqui no Blog.

  2. Pena que não possuem sonar de mergulho como algumas versões. São excelentes apoiadores de atividades ASuW mas são limitados nas ASW, se limintando ao lançamento de torpedos em pontos definidos por outros meios.
    Mas que bom que foram incorporados os FLIRs. Demorou! rss…
    Parabéns!

  3. Não seria necessário um Super Lynx menos guerreiro p/ atender as necessidades dos distritos navais, mas tão somente um helo adequado as necessidades do perfil das missões.
    Assim ao invés de um Esquilo que não tem radar e nem flir e dependendo ainda da distância do incidente ou leva o médico ou o mergulhador, mto mais interessante seria um helo tal qual o AW-139.

  4. Acho que o heli ideal para substituir os Sea LInx e mesmo o AW 139. Ele tambem poderia ser comprado para os distritos navais e para o exercito, em substituicao aos Esquilos. E o interessante e que ele tera um irmao maior ja em projeto, que tanto podera atuar como escarecedor naval ou como helicoptero de manobra do Exercito, em substituicao aos Panteras.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here