Home Estratégia França tenta vender submarino de propulsão nuclear ao Brasil

França tenta vender submarino de propulsão nuclear ao Brasil

461
0

barracuda-suffren.jpg

Às vésperas da visita do presidente Nicolas Sarkozy ao Brasil, na próxima semana, o governo francês tenta incluir a venda de um submarino de propulsão nuclear no pacote de equipamentos militares que será assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, informa nesta quinta-feira reportagem de Samy Adghirni e Claudio Dantas Sequeira, publicada pela Folha.

Segundo a reportagem, até agora, Lula tem mantido a opção de construir o veículo em parceria, rejeitando a compra por causa do alto custo.

A Folha informa que o modelo oferecido é um submarino classe “Suffren”, antes conhecido como “Barracuda”. A versão mais básica custa 1,1 bilhão (R$ 3,6 bilhões) e a completa chega a valer 2 bilhões (R$ 6,5 bilhões).

O Ministério da Defesa nega que o negócio tenha sido discutido. O governo francês silencia, mas o lobby segue nos bastidores. A última investida de Paris ocorreu na semana retrasada. O ministro francês da Defesa, Hervé Morin, foi a Brasília, numa visita relâmpago.

FONTE: Folha Online

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Wolfpack
Visitante
Wolfpack

Acreditem, o Brasil gastará mais que estes 6 bilhões de reais na “tentativa” de construção de seu primeiro submarino nuclear, com todas as incertezas sobre a eficiência final deste projeto, o piloto. Não seria melhor e mais barato para a MB adquirir de uma vez este sub francês? Tenho sérias dúvidas sobre o real objetivo deste projeto megalomaniaco. O VLS deu provas que pode-se gastar muito e o resultado todos vimos, assim como os acordos nucleares e de construção de subamrinos alemães no Brasil. Alguém ganhou dinheiro com isso, e o resultado, todos sabemos o resultado…

Alte Doenitz
Visitante
Alte Doenitz

E agora! Ninguém vai falar nada sobre o lobby francês não? Ou vão ficar todos calados aí?

Tóna
Visitante
Tóna

Não há o que ser dito.
O lobby existe entre todos os que querem obter uma parcela do nosso orçamento, não vem somente da França.
Acho (na minha opinião de leigo) que o investimento em pesquisa em desenvolvimento de um produto nacional, muito bem gerenciado, diga-se de passagem, uma opção muitíssimo melhor do que uma simples compra.O retorno do investimento, em termos de qualificação é o melhor produto que poderíamos adquirir; aos que acham o contrário analisem a história do CTA, Embraer, etc.

Leo
Visitante
Leo

O caso do VLS é emblemático. O Brasil fez o mais fácil, o foguete, que por sinal tem sérios problemas, e não fez o mais difícil. Não desenvolveu as plataformas inerciais para controle do foguete. Sem ela o VLS não passa de um buscapé. Em primeiro lugar não se pode comparar os projetos da FAB, com os projetos da MB. A FAB não é uma força que prima pela operacionalidade. A MB é a mais operacional da três forças, e via de regra, seus projetos são concluídos a contento. O maior desafio do sub nuclear era o desenvolvimento do ciclo… Read more »

Julio
Visitante
Julio

Sinto calafrios com esse tipo de notícia. Mas, alguem pode me explicar quais seriam as diferenças entre o modelo básico e o completo. Será que o basico vem apenas com o local preparado para futura colocação de tubos para torpedos?

Também gostaria de saber qual seria a vantagem em ter um submarino básico? ou gastar 6 bilhoes em um submarino. Quem tem um não tem nenhum..estou errado?

Julio
Visitante
Julio

Caro Leo, concordo com vc, seria um atestado de incompetencia, corrupção COMO NUNCA SE VIU NESSE PAÍS, mas, dos politicos podemos esperar de tudo…até mesmo jogar fora tudo que desenvolvemos nestes ultimos anos em troca de um sub pronto e lógico…muito dinheiro no bolso. Sds

Leo
Visitante
Leo

Alte. Doenitz. Deixando de lado a questão do lobby francês, que ao meu ver é o mais corrupto na história da compra de armas pelo Brasil, creio que a notícia possa ser vista de dois prismas: O primeiro: a França realmente está disposta a vender o que ela tem de mais precioso em seu arsenal. Isto é um ponto que eu não esperava. Especialmente se ela estiver falando sobre o Barracuda. A França está numa verdadeira “sinuca de bico”. Ela sempre tentou ser independente do ponto de vista de tecnologia. Mas agora, na era pós-Rafale, ela se deu conta que… Read more »

Dunga
Visitante
Dunga

Para uma Marinha que está toda equipada, com um Porta avioes funcionando 100%, com uma dotação de çacas completa, com uma frota de superfície toda funcionando sem restrições, todos os navios estão com dotação de misseis completa, os 90 helicopteros estão OK, a força de apoio completa e principalmente com muito dinheiro sobrando para fazer os JOGOS MILITARES COM 1,3 BILHASS, o submarino atomico deve ser comprado da França para familiarização da MB com este brinquedo novo, porque os trouxas somos nós que vamos pagar tudo isto aí…

Alte Doenitz
Visitante
Alte Doenitz

Dunga, essa marinha que você está se referindo (com tudo funcionando) deve ser a dá Coréia do Sul, certo?

Wolfpack
Visitante
Wolfpack

Esta questão levantada pela reportagem sobre um preço para a SSN completo ou sem os opcionais é estranha. Na reportagem entende-se que o submarino básico viria sem o reator nuclear, mas preparado para instalação de um gerador/reator nuclear local. Acredito que o completo incluiria tudo e mais os sistemas de armas. Desculpe mas o único caso de sucesso de empresas encubadas no Regime Militar e suas tecnologias foi a Embraer, mas isso se deve em grande parte a coragem de privatiza-la a tempo, pois corria sérios riscos de falência. Mudou-se o objetivo da empresa e ela pode hoje ser considerada… Read more »

Carlos
Visitante
Carlos

Duvido que esse Barracuda vai custar menos que um Virginia. E eu também duvido que os franceses vão fazer um descontinho para nós. Vai sair muito mais caro porque será um projeto de um submarino só.

Getulio - São Paulo
Visitante

é de se estranhar os comentários, se restringem o acesso ao sub nuclear, protótipo, todos esperneiam. Se entregam um sub nuclear topo de linha de batalha, é maracutaia, corrupção. pelo amor de Deus, Lula compre já este sub porque ocasião como esta não vai aparecer tão cedo, os astros convergem neste momento e ponto final. chega de delongas, compre também o rafaele, etc.

rodrigo rauta
Visitante
rodrigo rauta

Olha o NOSSO SubNuc fazndo agua ai…..

Getulio - São Paulo
Visitante

Em tempo:

Ao invés de gastar com os quatro escorpenes, compre direto o sub nuclear acompanhando sua construção e se puder construa-se outros e vamos aos finalmentes, uma frota nuclear.

Leo
Visitante
Leo

Wolfpack,

Sugiro, que você procure se informar. O program de desenvolvimento do ciclo do combustível e do reator nuclear brasileiro é sem dúvida alguma o mais baixo da história.

Leo

Leo
Visitante
Leo

Getúlio,

A turma do contra aqui é difícil. O pessoal realmente prefere que tudo fique como estava. Sem plano, sem submarinos convencionais e sem submarino nuclear.

Nimitz
Visitante
Nimitz

Pessoal, se for mesmo verdadeira a notícia, na minha opinião seria muito mais vantagem a MB entrar no projeto do Barracuda, comprando um casco dele para colocar o nosso reator, do que comprar 3 Scorpène, que não vão acrescentar nada à Marinha em termos de tecnologia submarina.
Se é para entrar no nuclear, que seja o Barracuda e construir mais um “Tikuna”, de quebra, só pro AMRJ não ficar parado em matéria de sub.

Getulio - São Paulo
Visitante

é verdade Leo, muita gente do contra. O Lula outro dia deixou escapar algo no ar, disse mais ou menos assim no dia do Marinheiro a respeito sub nuclear, “podemos ter surpresa”. Será que é deste sub nuclear que o mesmo se referia como surpresa. Pois bem, vale a pena gastar o preço que for, 5 bilhões, 10 bilhoes para o projeto deste sub nuclear frances, pois nenhuma outra potência pensou nesta parceria. Tomara que Sarcozi venha com esta proposta e assine no Natal. Se não for desta forma, com a construção de um projeto já feito, ficaremos nadando mais… Read more »

LeoPaiva
Visitante
LeoPaiva

Leo Concordo contigo quanto ao sucesso no desenvolvimento do ciclo do combustívesl e da confecção do reator nuclear, seria tolice e retrocesso ignorar isso e comprar algo pronto, sem falar que ele terá uma logística de manutenção e peças bem diferente do subnuc nacional. Entretanto discordo quanto ao domínio de toda a planta de propulsão nuclear porque isso é muito mais do que só desenvolver o reator, para minha instrução gostaria de saber onde tem a informação de que o Brasil já dispõe do domínio da referida planta, só li a respeito do reator e nada mais. A princípio pode… Read more »

Leo
Visitante
Leo

Nimitz,

A END é muito clara quando diz que vamos ter uma frotilha de subs convencionais e outra de subs nucleares. Mais claro que isto, impossível.

Além disso, antes de partir para um sub nuclear deste porte, é preciso fazer o estaleiro. Até lá precismos manter e aumentar a frota de subs convencionais.

É preciso lembrar que o Barracuda ainda não está pronto da França.

Nunão
Visitante
Nunão

Hum… Mas na suposição de que a matéria acima é confiável, será que a França venderia / faria uma parceria no Barracuda sem ter Scorpène / Marlin no “pacote”, deixando a amarração mais completa?

Se não, obviamente a opção do Nimitz seria a solução lógica, a meu ver. Mas precisa saber se existe essa opção.

Nimitz
Visitante
Nimitz

Só pra lembrar, o Barracuda/Suffren tem 8,8m de boca, o Scorpène só tem 6,2m. Se é pra cortar etapas, melhor ir direto pro bicho.
Comprar submarino Denorex (Scorpène – parece nuclear, mas não é) vai ser torrar dinheiro à toa.

LeoPaiva
Visitante
LeoPaiva

Ops, esqueci de colocar quando o Galante falou isso que postei aí em cima, foi em 11/09/2007.

http://blog.naval.com.br/2007/09/11/sagem-defense-securite-vence-concorrencia-para-fornecer-a-suite-eletronica-dos-submarinos-classe-barracuda/

Leo
Visitante
Leo

Leo Paiva, Há inúmeros trabalhos científicos já publicados sobre o Labgene e alguns de seus acessórios. O reator, seus internos, o pressurizador, geradores de vapor, as bombas do circuíto primário, os condensadores e suas bombas, a turbinas geradoras, etc. Existem fotos publicados do vaso do reator, geradores de vapor, condensadores, pressurizador, e turbinas. Isto significa que todo o hardware já foi produzido dentro dos mais altos padrões de engenharia (ASME, etc.) com testes estáticos, destrutivos etc. Tudo foi aprovado. Falta agora montar e testar os parâmetros de projeto. Isto não é uma tarefa fácil. A operação de um reator naval… Read more »

Alexandre Galante
Visitante

Pessoal, só pra lembrar que o Programa de Reaparelhamento da Marinha requer um investimento de R$ 5,8 bilhões ao longo do período de 2008 a 2014.
O custo de um só submarino “Barracuda”, é de R$ 6,5 bilhões.
Notem que é um valor fora da nossa atual realidade.
Se o Governo resolver comprar esse submarino, terá que alocar recursos para todo o “pacote” para acompanhá-lo: novo estaleiro, nova base, satélite de comunicação etc.
A conta vai passar de R$ 10 bilhões fácil.
Vejam o orçamento da Marinha para 2009:
http://www.forte.jor.br/?p=1056

Zimmer Fernando
Visitante
Zimmer Fernando

Ao invés de gastar com os quatro escorpenes, compre direto o sub nuclear acompanhando sua construção e se puder construa-se outros e vamos aos finalmentes, uma frota nuclear.(2)

Iuri Korolev
Visitante

Caro Leo Paiva O VLS não foi para frente porque ele nunca teve muito prestígio dentro da FAB, nem mesmo dentro do CTA, por incrível que pareça.Pode perguntar a qualquer oficial engenheiro de lá. Quando explodiu o VLS , gastava-se por ano a ridícula quantia de 30 milhões de dólares para todo o programa espacial. O salário dos engenheiros da área espacial no Brasil é risível. A grana para a Marinha foi muito maior. Quanto a comparar a capacidade tecnológica da FAB e da Marinha não dá nem para o começo. O ITA é única (única ! apesar de todas… Read more »

Leo
Visitante
Leo

Iuri, Talvez você estaja confundindo os Leos. rsrs. A FAB foi exitosa na criação da Embraer. Isto é indiscutível. Só que a Embraer é uma empresa civil e que se dedica a aviação comercial. Seus trabalhos na área de defesa são pequenos. O grande problema é a Embraer foi criada às expensas da capacidade operacional da FAB. A MB, por outro lado, usou as instalações do Ipen/Usp para a maior parte de seu programa nuclear e grande parte da verba veio diretamente do antigo Conselho de Segurança Nacional. A solução da MB foi muito inteligente. Até hoje é tratada como… Read more »

LeoPaiva
Visitante
LeoPaiva

Ok Leo, Realmente é brilhante a proposta de trabalho do Labgene, inclusive eles tinham a idéia de montar todo esse laboratório no espaço de uma secção de casco com as mesmas dimensões do casco de um submarino, só não me pergunte qual modelo. Mas depois de tanto tempo em estado vegetativo não sei até onde chegaram com os projetos e testes, por isso lancei dúvidas sobre eles terem concluído o projeto de todo o sistema de propulsão de um sub baseado em reator nuclear. Caro Iuri Korolev Acho que o colega confundiu-se com meu homônimo, de qualquer forma concordo contigo,… Read more »

TENENTE
Visitante
TENENTE

Seria possivel comprar esse “Barracuda” sem o “recheio” e depois terminar aqui no Brasil? Daria para transforma-lo numa “vaca leiteira”,para apoiar os sub´s covencionais?(vide alemaes na II GG). SDS.

CorsarioDF
Visitante
CorsarioDF

Concordo com o Nimitz, Getulio-SP e o Leo. Sempre pensamos em construir aqui, mas o pessoal não se lembra que o primeiro “TUPI” foi construído na Alemanha e os demais montados aqui. Esse seria o nosso 1º Sub Nuclear, sim feito na França, para depois se montar uma linha de montagem aqui, quem sabe??? Também concordo que os Scorpène, não acrescentarão em nada nossa tecnologia Submarina, prefiro os Sub convencionais alemães. Mas lembrando, uma OFERTA como essa NINGUÉM, eu digo NINGUÉM, ofereceu para nós, o muito seria como a Rússia “alugar” (Ela mais que afirma de todos os modos que… Read more »

Iuri Korolev
Visitante

Leo Realmente confundi os Leos !! Rsrs… Mas se até os grandes erram quanto mais eu que sou pequeno … Quanto à Embraer, é a única empresa brasileira que desenvolve projetos de defesa do modo que na minha opinião é o mais correto : pela iniciativa privada. Realmente ela só tem projetos civis porque é o mercado que a paga, agora, coloca na mão dela os vários bilhões de dólares como faz o governo americano com a Boeing para ver se ela não desenvolve até caça furtivo. A Marinha desenvolve os seus projetos por um caminho que para mim não… Read more »

alan
Visitante
alan

leo ou leo paiva, não sei… aonde estão essas fotos dos acesórios (labgene) que voçê comentou antes? passa o link!

alan
Visitante
alan

digo acessórios.

LeoPaiva
Visitante
LeoPaiva
Hornet
Visitante
Hornet

Pessoal, acho que não vai ter compra nenhuma de submarino nuclear (pronto e acabado) da França. O planejamento é para se construir em parceria um sub nuc aqui no Brasil, e isso ao que parece não mudou. A nota publicada, tirada da Folha On Line, não tem a matéria completa. A matéria completa da Folha é essa: “França tenta vender submarino ao Brasil Planalto, porém, mantém opção de construir veículo de propulsão nuclear em parceria e rejeita compra devido ao custo de R$ 3,6 bi. Em visita sigilosa a Brasília, ministro da Defesa francês tentou encontro com Lula, que receberá… Read more »

Hornet
Visitante
Hornet

em tempo: até que se prove o contrário (nunca se sabe, né?) o sentido maior do sub nuc (almejado pelo Brasil) é o domínio da tecnologia para se construir um, e não simplesmente ter um. E ao que parece, nada mudou nesse sentido, a própria reportagem da Folha deixa isso bem claro, quando nós lemos a matéria completa.

abraços novamente

Iuri Korolev
Visitante

Quanto ao SUB, se for o Barracuda. Putz ! Aí você está falando de submarino de ataque de verdade.
Só que é ainda um projeto.A França encomendou 6 deles há 2 anos para a DCNS entregar o 1º em 2016.
Será que eles querem incluir o Brasil neste projeto de longo prazo?

Sds
Iuri

Hornet
Visitante
Hornet

a mesma matéria da Folha (na versão completa) pode ser lida aqui neste link também:

http://www.militar.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=1066

abraços

Aluisio
Visitante
Aluisio

É,o preço é realmente salgado,mas se tiver transferencia de tecnologia,certamente compensaria. Já foi divulgado aqui que faltam profissionais e conhecimento pra projetar o nosso sub,seriam necessários anos para atingir isso,e ainda haveria um risco de o projeto acabar virando um VLS da MB… além do mais,vcs acham que desenvolver toda essa capacidade sairia barato? Como já disseram,desenvolver centrífugas e o ciclo é fácil,projetar um reator nuclear,desenhar um submarino,desenvolver sistemas de armas e navegaçao e todos os outros é que é a parte dificil… e pensem bem: quantos anos estamos atrasados no desenvolvimento desses componentes em relação aos outros operadores de… Read more »

Hornet
Visitante
Hornet

Amigo Iuri,

a matéria não deixa isso claro, mas se a França quer mesmo ser uma parceira estratégica do Brasil…então, por que não? De repente podemos entrar como parceiros no projeto Barracuda…quem sabe? O quie seria muito melhor, na minha opinião, que apenas comprar um Barracuda.

E os Scorpènes seriam “apenas” para ampliarmos a nossa frota de convencionais, além de ser uma espécie de contrapartida brasileira para selar o acordo…enfim…tudo ainda pode acontecer, vamos esperar mais um pouco…a Carla Bruni chega na próxima segunda-feira…

um forte abraço

Hornet
Visitante
Hornet

Lendo umas notícias do ano passado (junho de 2007) encontrei uma entrevista com o Diretor Geral da Thales e ele já falava na possibilidade de se fazer uma espécie de parceria com o Brasil no projeto Barracuda, entre outras coisas…será? aqui está um trecho da entrevista: “[email protected] – Qual a vantagem do Brasil de adqurir o equipamento francês? Laurent Mourre – Se o Brasil decidir no futuro ter submarino nuclear a escolha do equipamento francês é a melhor. Os sistemas de eletrônicos de missão empregados nos submarinos nucleares e convencionais são os mesmos. A DCNS é a única empresa que… Read more »

Invincible
Visitante
Invincible

Bom dia, Preciso pedir desculpa a todos. Ontem no blog fiz críticas que não cabiam ao espaço aberto. Acesso com bastante frequência o blog pois o mesmo é uma fantástica fonte de informação. Esse plano é realmente um passo inédito para a construção de forças armadas condizentes com a condição do Brasil. Tive a infelicidade de me expressa erradamente nos meus comentários. Acompanho os assuntos de defesa a algum tempo e me sinto um pouco cansado com a condição de abandono das nossas forças armadas e com as promessas dos políticos do nosso país. Não falo do presidente Lula nem… Read more »

Barão
Visitante
Barão

Bom em termos de restauração da defesa a curto prazo acho que o ideal seria comprar o Barracuda, e ja solicitamos a tal transferencia de tecnologia e fabricamos o nosso, assim ja que o nosso vai levar mais uns 20 anos pra ficar pronto, pelo menos vamos ter um SNA já a 12 anos patrulhando nossas aguas, isso se nao ficar pronto antes.

Alexandre Assemany
Visitante
Alexandre Assemany

Nossa, nunca me decidi qual seria o melhor, si o IKL214 ou Scorpene / Malin, bom agora uma coisa eu concerteza imagino, este Barracuda concerteza é melhor para o Brasil, se for verdadeira a proposta, os Franceses LITERALMENTE, enfiaram a faca no bolo, e fechou o pacote, que venha os RAFALES, COUGARS, Scorpenes, Freems e Barracudas, poderia o Brasil comprar 2 unidades, sendo uma construida na França, e outra aqui com a parceria entre ambos, acho que o Brasil iria economizar tempo, dinheiro e dores de cabeça, boma ae alguns vao dizer, é produto de prateleiras, sim pode até ser,… Read more »

Infante
Visitante
Infante

O submarino terá um deslocamento de 4.765 ton quando submerso, comprimento de 99 m, e poderá transportar até 20 armas lançadas de tubos, incluindo uma mistura de torpedos pesados, mísseis de cruzeiro MDCN (Scalp Naval) e mísseis antinavio SM39 Exocet.

Sua velocidade máxima será superior a 25 nós, e além dos 60 tripulantes poderá também transportar 15 passageiros (como mergulhadores de combate e forças especiais). A entrega do primeiro BARRACUDA ocorrerá até 2016.

http://www.defesabr.com/MB/mb_subs_Parte2.htm

Wagner_ASW
Visitante
Wagner_ASW

Seria muito interessante a compra deste sub-nuclear Francês, para se ter uma base do processo de produção como um todo. Mas eu sou a favor de dar continuidade na construção de submarinos convencionais Alemães. Quem sabe poderíamos construir aqui no Brasil mais 4 submarinos IKL e deixar de lado os submarinos convencionais franceses e adquirir um submarino nuclear da França. Assim quem sabe no futuro poderíamos produzir um sub nuclear aqui no Brasil. E ainda teríamos uma flotilha de sub convencional em número adequado até a chegada deste sub nuclear !!!!

Norberto Pontes
Visitante
Norberto Pontes

Seria bom a compra nesse momento, fortaleceria o laço de tecnologia com a França(eu ainda prefiro os submarinos alemães), porém estes não fabricam atômicos.
Já que o dinheiro desse país tão rico rola pra cá e pra lá no bolso dos ladrões políticos e toda sua corja por que nnao gastar nesse submarino.. já que tudo é uma bandalheira mesmo….

Fernando Gonzales
Visitante
Fernando Gonzales

Acho que a proposta se for realmente verdadeira, deveria ser aceita. Creio que seria mais um adendo a transferencia de tecnologia do casco, urge para a defesa do Brasil uma maquina poderosa como esta, comprando uma pronta, daria ao país e a marinha, mais tranquilidade na construção de um sub nuclear de tecnologia própria. Alias, acho que o Brasil deveria fazer uma compra de prateleira de alguns meios poderosos de combate, como: Sub nuclear, mais um NAe, mísseis de longo alcance e alguns caças de ultima geração, e colocar no contrato de compra e venda uma clausula que “obrigasse” o… Read more »

Getulio - São Paulo
Visitante

Ao que parece pela vontade política, o plano estrategico dá sinais de que o sub nuclear vem aí mesmo e parece que é para logo, pois as bases políticas e jurídicas estão montadas, vejamos:

10. A Marinha acelerará o trabalho de instalação de suas bases de submarinos, convencionais e de propulsão nuclear.