Home Noticiário Internacional Coréia do Sul encomenda o segundo lote de seis submarinos Type 214

Coréia do Sul encomenda o segundo lote de seis submarinos Type 214

241
41

050607-u214-papanikolis-_1883.jpg

A Coréia do Sul fechou um contrato para a entrega de pacotes de material, a fim de construir mais 6 submarinos da classe U214 para a ROK Navy. O contrato foi feito entre o consórcio HDW/MarineForce Internacional LLP (MFI) e a DAPA (Defense Acquisition Program Administration) da Coréia.
Com esta nova encomenda, aumenta para 24 o total de submarinos U214 encomendados no mundo. O 2º lote da classe também será construído pela Hyundai Heavy Industries. Os dois primeiros navios foram entregues para ROK Navy em dezembro de 2007 e 2008.

41
Deixe um comentário

avatar
41 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
23 Comment authors
Coreia do Sul: Segundo lote de U-214 terá modificaçõesJACUBÃOPaulDouglasRichard Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Norberto Pontes
Visitante
Norberto Pontes

E o Brasil, como ficou?
vai comprar mesmo o submarino francês???

Richard
Visitante
Richard

Me lembro das notícias da época da chegada ao Brasil do sub Tupi. a expectativa era muito grande, mas pelo que me lembro ele apresentou inúmeros problemas na viagem – que foi quase toda feita com o sub emerso. alguém se lembra ?

Douglas
Visitante
Douglas

Bom, O Brasil interrompeu o desenvolvimento dos IKL’s. Vamos ficar com esses 5. A promessa é comerçarmos do zero com os Scorpenes. Mas nem o contrato foi assinado ainda. apenas um acordo diplomático de intenções. Perigamos ter nossa pequena força de subs diminuída, pois os Scorpene não chegarão a tempo de complementar os IKL’s antes que esses comecem a dar baixa. Tudo pela esperança de termos UMA UNIDADE sub nuc depois de 2020. Creio que a Coreia adotou a melhor opção. Em 2020 o Galante vai publicar noticia da poderosa força de SSK’s coreanos. vamos ficar com água na boca.… Read more »

Paul
Visitante
Paul

Boa tarde, acompanho a tempos o blog e as boas discussões. Muito boa a sua colocação Douglas, sem dúvida a continuidade dos IKL’s e ainda com AIP seria uma opção muito melhor que os Scorpènes.

Abraços.

JACUBÃO
Visitante

É, enquanto a Coréia está encomendando o segunlote, o Brasil ainda está fechando o contrato do primeiro.

Vassily Zaitsev
Visitante
Vassily Zaitsev

Douglas,

Eu desisti de falar que o melhor sub SSK para o Brasil seria o U214. Fui convencido pelos colegas de debate quanto a opção da MB (Bosco, Hornet e LM). Só espero que a promessa francesa de nos acessorar no projeto do SSN realmente saia das “intenções de governo”. Pela estratégia defendida pela MB, que visa o uso de submarinos nucleares como poder de dissuasão, creio que a opção feita (Scòrpene) foi acertada, pois a França fabrica submarinos de propulsão nuclear, ao contrário da Alemanha.

abraços.

Ivan
Visitante
Ivan

Vassily e Douglas,
Eu tambem fui convencido pelo Hornet & Cia que a opção da MB pela tecnologia francesa seria o melhor caminho para alcançar o Submarino Nuclear Brasileiro.
Estamos todos na torcida e na vigilância para que o projeto vá adiante.

Nunão
Visitante
Nunão

Como parte do “grupo editorial blog naval”, não fica bem dizer se fui ou não convencido ainda, mas posso dizer que torço para que os primeiros subs da nova safra, dos comedores de baguete, cheguem antes da aposentadoria dos subs da safra anterior, dos comedores de salsichas. Mesmo porque, com um pouco de mostarda, a combinação de ambos fica muito melhor do que separados…

Nelson Lima
Visitante
Nelson Lima

Creio que com modernizações os submarinos 209 e Scorpene poderão operar juntos por muitos anos

Wilson Johann
Visitante
Wilson Johann

É mais um passo que a Coréia dá para se tornar uma “grande” potência regional. Em poucos anos estarão operando uma magnifica frota de submarinos, em número suficiente para atuar em todo o pacífico e se opor a qualquer adversário, mesmo grandes potências. Como os nossos scorpenes só virão depois de 2015, corremos mesmo o risco, como dito acima, de nunca termos um número razoável de subs, pois mesmo com a modernização dos 209, a operação em conjunto com os Scorpenes será por pouco tempo. O que significa que por volta de 2020, ou um pouco mais, teremos apenas os… Read more »

Luciano
Visitante
Luciano

A preocupação da Coréia para investir tanto em defesa é causada pelos seus vizinhos de fronteira. Os submarinos são e sempre serão a melhor forma de dissuasão para o Mar. A extensão territorial Sul coreana é muito menor que a brasileira e mesmo assim sua política de defesa é mais avançada que a brasileira. Acredito que independente da opção brasileira (U214 ou Scorpene) de nada adiantará ter o interesse em absorver tecnologia se não existe a continuidade na construção dos Subs. Prova disso são os IKL construídos no Brasil; porque não continuamos a contruí-los (Sob consultoria alemã) em paralelos aos… Read more »

Vassily Zaitsev
Visitante
Vassily Zaitsev

Nunão,

Baguete com salsichas forma um belo e saboroso Hot-dog. Mas sem a mostarda, pelo amor de Deus. Estraga qualquer gororóba.

abraços.

Nelson Lima,

Sou da mesma opnião, pois os IKL-209 da MB vão serem modernizados nos EUA, capacitando-os a ficar na ativa por mais 15/20 anos.

abraços.

Wolfpack
Visitante
Wolfpack

Os IKL são excelentes, como são também os SU35 e MIG35, porém a opção Brasileira é garantir o mínimo de desenvolvimento e manutenção local para qquer plataforma naval ou aérea operada pelas Forças. Isso é o princípio do E.N.D. divulgado em dezembro último. Além disso o Brasil coloca a França na frente como parceiro estratégico, quando se discute tecnologia militar. Uma excelente opção não pendendo para o lado Russo e também não desagradando o Grande Irmão do Norte. Os Alemães tiveram tempo mais do que suficiente para convencer o pessoal da Marinha, uma vez que foram os fornecedores do atuais… Read more »

Luciano
Visitante
Luciano

Alguém sabe dizer se os Scorpene terão sistemas de propulsão independente da atmosfera? Eles poderão lançar misseis?

Mauro Lima
Visitante
Mauro Lima

A Coréia do Sul está dando um show de planejamento, aqueles comedores de arroz… O planejamento em 3 etapas do desenvolvimento da Classe KDX culminou exatamente como planejado! Agora têm também um planejamento idêntico, em 3 etapas, até construir o seu próprio submarino. O segundo passo é uma força baseada em 9 sub AIP. E o último uma maravilha da tecnologia submersa. Poderíamos ter pego aqueles KDX com as Pohang, reformado nosso estaleiro, e com algum papo cabeça, entrar no desenvolvimento do sub deles que, a julgar pelas KDX e PKX, vai ser do KCT. Poderíamos também contruir aqui mais… Read more »

Wolfpack
Visitante
Wolfpack

Mauro, A história com estaleiros alemães na construção de submarinos acaba com o acordo recente Brasil x França. Os Alemães não dispõe do know how que a MB deseja dominar que são os cerca de 36.000 componentes presentes em um submarino nuclear além do casco. Olhe para a família IKL U209/212/214 e olhe para o casco do Scorpene. Compare somente a forma com os SSN americanos, ingleses e franceses e verá que a hidrodinâmica/forma dos IKLs não se assemelha a nada em um submarino nuclear. Será que a MB é tão incompetente assim? Acredito que a escolha foi a acertada.… Read more »

Nunão
Visitante
Nunão

Vassily,

Que é isso, meu! Mostarda é tudo de bom! E as mostardas francesas são as melhores, embora também goste das holandesas…

Mas fazendo uma ponte da gastronomia para a submarinomia (???!!!), tudo indica que teremos aqui baguetes francesas besuntadas com mostarda também francesa e salsichas alemãs com mostarda norte-americana. Só o tempo pra dizer se isso vai funcionar ou se vai ser uma viagem na maionese…

Everaldo
Visitante
Everaldo

Eu sempre leio as opiniões dos colegas, mas munca escrevo

Gostaria de opinar sobre a polêmica Scorpenes x IKL 214, acho que a opção francesa é melhor por a França ter sub nucl e também acho que a opção alemã já deu que tinha de dar, senão já estaríamos desenvolvendo nos próprios subs.

Gabriel
Visitante
Gabriel

Pra mim o Brisil deveria parar de gastar rios de dinheiro com este submarino nuclear e adquir mais um lote de submarinos convencionais
da França do que adianta termos um submarino nuclear e uma frota
de navios velhos e em numero insuficiente, até parece que o atual orçamento da MB permite desenvolver uma tecnologia destas e uma frota que atenda o cenario de guerra atual ao mesmo tempo.

Victor
Visitante
Victor

Oi, sou leitor do blog (alias blogs) e gostaria de elogiar o trabalho de vcs. Os blogs estao excelentes, só gostaria de comentar que o blog das forças terrestres não é tão atualizado como os outros, fora isso, vcs estão de parabéns. Já leio esse blog desde o ano passado e sempre achei muito legal. Principalmente as séries que vcs fazem. agora desculpa o “off-topic” mas preciso de ajuda e nao sei mais onde procurar. Um conhecido meu está fazendo um trabalho de análise de sedimentos submersos (datação de chumbo, mercúrio, etc) e precisa construir um tipo de uma “mini-plataforma… Read more »

AJS
Visitante
AJS

Em Setembro, terá transcorrido 55 anos do comissionamento do Nautilus, a MB de há muito, planeja (não sonha) com um submarino com propulsão nuclear. Ficássemos nós com os IKL, estaríamos prolongando cada vez mais a incorporação de um SN, acredito que é chegada a hora, ou então nós estaríamos decididos a ficar em 2º plano. Algumas vezes, vejo comentários a respeito de uma época em que a MB detinha uma das mais importantes esquadras do mundo, porém, ninguém diz que isso ocorreu por aproximadamente 4 anos, pois nossos vizinhos também compraram novas e mais possantes naves, o que também foi… Read more »

Excel
Visitante
Excel

“A Coréia do Sul está dando um show de planejamento, aqueles comedores de arroz…”
Brasileiro também come a arroz …. rsrsrs.

Mauro Lima
Visitante
Mauro Lima

Everaldo, com o devido respeito, a gente só não produz os subs porque as nossas forças armadas não valorizam a nossa mão de obra! Aliás este fato parece enraizado na nossa cultura! Quem aproveitou a oportunidade com a Alemanha se deu bem. A própria Coréia do Sul, na segunda etapa do seu planejamento, acordou com subs alemães, e na próxima, irá aproveitar o aprendizado para o seu próprio projeto, JÁ PREVISTO NO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE LONGO PRAZO! ELES, que já mostraram o que é planejamento levado a sério com as KDX, e com as PKX, e vão fazer o mesmo… Read more »

Tikuna
Visitante
Tikuna

Mauro, “Everaldo, com o devido respeito, a gente só não produz os subs porque as nossas forças armadas não valorizam a nossa mão de obra! Aliás este fato parece enraizado na nossa cultura!” Como você tem coragem de afirmar isso? A MB sempre fez questão de fabricar tudo aqui e quando não podia era por limitações técnicas. Quanto você acha que sair para criar essa capacitação? “Quem aproveitou a oportunidade com a Alemanha se deu bem. A própria Coréia do Sul, na segunda etapa do seu planejamento, acordou com subs alemães, e na próxima, irá aproveitar o aprendizado para o… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

AJS lembrou bem…este ano fará 55 anos do comissionamento do USS Nautilus. Visita-lo foi um sonho de infancia, desde que montei um kit da Revell nos anos 70…acredito que muitos de vcs lembrem deste kit de plastico. Mesmo como museu, o Nautilus impressiona pelo tamanho…assim como todo submarino nuclear. Apos ler aqui mesmo sobre os novos submarinos convencionais australianos fiquei ainda mais cético sobre nossa necessidade por submarinos nucleares e a parceria com os franceses, mas espero estar enganado pois como todos aqui só quero o melhor para a MB. Só complementando o pensamento do Mauro, acho que alemaes e… Read more »

Noel
Visitante
Noel

Mauro lima, muita calma nessa hora. Lembre-se que a maioria das escoltas da MB foram produzidas aqui, fassa um levantamento das VTR blindadas, ou não, bem como de boa parte dos equipamentos, qualquer um, utilizados pelo EB, veras que são produzidos aqui, boa parte da frota da FAB, e essa proporção ja foi maior, tambem foram produzidas aqui, materiais gerais e munição, nem se fala…O grande problema em se adquirir maquinas de combate é o orçamento para investimento reduzido ao longo dos anos, alias muitos anos, e pequeno quantidade das encomendas=empresas perdem o interesse no setor defesa=mão de obra capacitada… Read more »

Mauro Lima
Visitante
Mauro Lima

Desculpe Noel… mas depois de 8 anos servindo na Marinha tenho que descordar… não valorizam não!!! Quanto ao comentário sobre a Coréia só saber modifivar projeto… feito pouco acima… descordo também… da mesma forma que adquiriram conhecimento com os KDX I e II, que culminou com um espetacular projeto próprio… o KDX III… assim eles também estão seguindo com o mesmo tipo de planejamento para os Submarinos… Sem dúvida eles vão desenvolver um projeto próprio… assim como a Austrália também está tentando, só que por outros meios! Quanto às escoltas que foram produzidas aqui… não acredito que adquirimos tecnologia, mas… Read more »

Noel
Visitante
Noel

Mauro, vou concordar em parte com suas afirmações, sobre a MB não posso discordar pois essa novela do SubNuc eu ouvi bem antes, e lembrei-me de muitos casos em que a MB fez compras de prateleira. Mas não amplie essa visão para a FAB, pois ela trabalha com Offset a muitos anos, possui organizações que trabalham nessa area, exatamente para nacionalizar tudo quanto possivel, embora faça algumas lambanças de vez em quando. E fico triste pela situação da MB, em relação a ela vc tem motivos convincentes.
Sds.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Vcs esqueceram que os “Rubís” “nasceram” c/ a cara do “Agosta” e somente depois do “Amthyste” é que incorporaram o look familiar dos caçadores-matadores nucleares.
Se a Alemanha não serve, menos ainda a França, pois não há nada nesse Scórpene que minimamente sirva p/ desenvolver um submarino nuclear.
em tempo, 36.000 itens são, segundo a MB, aquilo que 30 industrias nacionais teriam condições de fornecer.
O total de peças, somente no Scórpene é de 250.000!!!

Mauro Lima
Visitante
Mauro Lima

Esta “carta” mostra muito do que eu presenciei na Marinha… e o quanto nossos militares são valorizados…

http://blog.naval.com.br/2007/11/16/repercussoes-da-carta-de-um-ex-oficial-da-mb-3/

matéria deste blog em 16 de nov de 2007.

Mauro Lima
Visitante
Mauro Lima

Repercussões da carta de um ex-oficial da MB

procurem essa matéria no Blog

Marcelo Lopes
Visitante
Marcelo Lopes

Noel

Não querendo ser o chato da historia naum, mas se vc estivesse em um TO tipo Falujjah (não contra macumbeiros haitilicos) vc se garantiri dentro de um Urutu ?

Se vc fosse em uma patrulha em terrtorio hostil ia numa boa em um engesa de fibra

Melhor ter mais calma e melhorar a qualidade dos nossos coletes a provas de impacto

Não é ser do contra naum, mas pergunte a quem precisou …

MO

Noel
Visitante
Noel

Marcelo Lopes, minha ponderação com o Mauro foi pela generalização que ele fez sobre o uso de mão de obra nacional pelas FFAA, não fiz considerações sobre qualidade de produto nacional. Qualquer material bélico, material de apoio, ou de intendencia(até alimentos) somente em combate, pode provar sua real eficiencia, seja nacional ou não. Quem acredita piamente na eficiencia de equipamentos somente pela midia especializada, é amador. Se vc esteve no Haiti, ou quem esteve e te contou, e tem restrições, ao Urutu, ao tal veiculo de fibra, ou ao colete; relate aos escalões superiores, devidamente documentado e protocolado, no minimo… Read more »

Mauro Lima
Visitante
Mauro Lima

“Quanto a me garantir: me garanto em qualquer lugar, a qualquer hora, com quem quer que seja.” Deus te guie meu filho… com esse papo eu só quero distância de você! Sobre a qualidade do que se produz… se não for de qualidade, ainda mais quando se trata de armamento e acessórios, vidas se perdem! Não se prova só em combate não. o Stryker, mesmo sem confrontar o imigo se provou uma grande MMMMMM, tanto que até o exército americano o declarou um lixo, mesmo depois de tê-lo comprado! Nós o operamos sob o título de Piranha!!! Nós não produzimos… Read more »

Mauro Lima
Visitante
Mauro Lima

Em tempo… sou fã da Embraer e empresas assemelhadas… mas no geral… não se tem em território nacional nem o mesmo nível de investimento, nem de emprenho e comprometimento (A Embraer pode se dar ao luxo de formar seus próprios engenheiros… quantas empresas conseguem isso!??) Aquele papo de fazer queixa por escrito sobre o equipamento… só se partir de cima, ou se for francamente uma MER**, caso contrário só vai dar dor de cabeça para o queixoso… não é tão fácil assim fazer uma representação contra um indústria militar não… lá fora, nos States até vai… mas aqui a primeira… Read more »

Marcelo Ostra
Visitante
Marcelo Ostra

è Noel A pratica fica meio diferente da teoria, com o Mauro explanou Muito bom o eu espirito, gostei da resposta (serio, nao ironico), pois uma vez uma mene de uma lista falou que ser malaco é ficar jogando domino em bar de esquina, (devia ser aqueles que foi criado pla avó) Ja me garanti tambem, mas hoje, dibetico, renal cronico e quase cego (mal consigo enchergar o teclado, por isso muitos erros de digitação) emtemdo o que vc fala e principalmente o espirito, isso é o mais importante Um abraço MO (que por cgada minha saiu na msg acima… Read more »

Noel
Visitante
Noel

Após uma avaliação de prós e contras. Relatar por escrito(sempre fiz e faço), da dor de cabeça, muita; resolve, muito pouco; vai mudar o mundo, não; causa aborrecimento essa postura, demais(além de ficar queimado principalmente quando graduado); mas, é melhor que ,apenas, ficar reclamando no rancho, com colegas, ou pior, em casa; além de não adiantar nada, vc fica frustrado. Adiante o problema para a autoridade de direito, ele ganha prá isso; a autoridade não faz nada, pelo menos o abacaxi tá com ele, quando e se der uma mer**, ele que se vire. Vi e continuo vendo isso a… Read more »

Mauro Lima
Visitante
Mauro Lima

Tá bom encerramos então… mas reclamar do rancho é uma coisa… outra coisa é OUTRA COISA!

Noel
Visitante
Noel

Perai, eu escrevi reclamar NO RANCHO; reclamar DO rancho é covardia, até o cozinheiro reclama rsrsrs
Abração Mauro Lima.

trackback

[…] segundo lote de submarinos Type 214 encomendados pela Marinha da Coreia do Sul terá alguns melhoramentos em relação ao lote inicial. […]

trackback

[…] segundo lote de submarinos Type 214 encomendados pela Marinha da Coreia do Sul terá alguns melhoramentos em relação ao lote inicial. […]