Home História Um Balao contra um CBG*

Um Balao contra um CBG*

469
28

… e ele venceu!

perifoto_cusk1

Perifoto do USS Cusk (SS 348) onde aparecem um helicóptero SH-3 e o USS John Paul Jones. Reparem que o Sea King está “dipando” seu sonar (a espuma sobre a água e um cabo entre a mesma espuma e o helicóptero). Neste combate simulado o Cusk escapou de todo o guarda-chuva ASW montado (que incluía não só as escoltas como aeronaves P-3 baseadas em terra e S-2 embarcados, além dos helicópteros orgânicos) e afundou o NAe USS Constellation (CVA 64).

ussconstellation-uss-cusk-attack

perifoto_cusk2

Este evento ocorreu no início de 1967, próximo à costa de San Diego (Califórnia). O Cusk não era nenhum submarino diesel-elétrico moderno, muito menos um submarino de propulsão nuclear. Era apenas um submarino da classe Balao, lançado em julho de 1945.

A MB recebeu dois submarinos classe Balao na década de 1960: o Bahia e o Rio Grande do Sul

* Carrier Battle Group

uss-cusk

FOTOS: USN

Subscribe
Notify of
guest
28 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Wilson Johann
Wilson Johann
11 anos atrás

Confirmando, mais uma vez: “só existem dois tipoa de navios, os alvos e os submarinos”.

Abraços!

Carlos
Carlos
11 anos atrás

Isso aí vale muito mais que qualquer perifoto tirada por IKL, Kilo, Scorpene da vida contra um porta-aviões ou uma força-tarefa toda. Aqueles eram verdadeiras latas de sardinha.

Se os argentinos tivessem usado melhor os seus Guppy (em associação com os IKL), acho que o resulado seria outro nas Malvinas.

Carlos
Carlos
11 anos atrás

Esqueci de dizer, na segunda foto tem um Traker voando baixo com o MAD esticado. Realmente estava todo mundo pra cima do submarino.

Douglas
Douglas
11 anos atrás

bom se a lata velha conseguiu isso tudo, então só confirma que os nossos IKL poderiam dar conta do recado aqui no Atlantico Sul…

Corsario-DF
Corsario-DF
11 anos atrás

O Submarino realmente é a arma Sthealth definitiva!!!

Sds.

Jacubão
11 anos atrás

O submarino é o terror de qualquer fôrça de superfície, tanto que a IKL usa o submarino Tamoio como garoto propaganda por seu impressionante desempenho contra países da OTAN em que furou o bloqueio de unidades de países europeus, composto por diversos navios, helicópteros, aviões e afundou o PRINCIPE DE ASTÚRIAS.

paulo s
paulo s
11 anos atrás

tive a honra de servir no bahia (s12)por 9 anos (1983/1986)e(1987/1993),e posso dar meu testemunho de quanto eficientes eram estes subs,assim como resistentes.nos exercicios com as modernas(na epoca)mk 10,estas nao davam nem para saida.grande bahia.

paulo s
paulo s
11 anos atrás

do meu comentario anterior.isso levando -se em conta que se tratava de exercicios.nao sei se em um conflito real o velho e bom “bahia”,ia se sair tao bem.
boa tarde a todos

Dalton
Dalton
11 anos atrás

A melhor tatica é bombardear a base do submarino, destruindo o maior numero possivel deles e impedindo os que estao no mar de voltar, reabastecer e consertar futuros danos. A vigilancia por satelites é altamente eficiente antes de um bombardeio, pode-se escolher o melhor momento para um ataque a ser feito por avioes ou misseis de cruzeiro. Os exercicios nao trabalham com a chamada ” guerra total” e visam um possivel confronto com potencias que disponham de dezenas de submarinos, pois aí sim colocarao em risco os porta-avioes. Ameaçar mesmo…nao basta apenas a qualidade do submarino e sua tripulaçao. É… Read more »

Icaro
Icaro
11 anos atrás

Ter poucos em um conflito assimetrico pode ser vantagem, levando em consideração que fica ainda mais “agulha num pailheiro”!

Marcelo Ostra
Marcelo Ostra
11 anos atrás

eita nois

E ninguem percebeu ???????

primeira foto o John Paul Jones ????

Ué, um Belknap novo ????????????????

Tsc tsc, o JPJ era um Forrest Sherman

Ah ta, o que era um Forrest Sherman .. ai fica mais caro … hehehehehe

MO

Marcelo Brandão
Marcelo Brandão
11 anos atrás

este fato rendeu um bom filme… que já vi na tv… não lembro o nome.

Dalton
Dalton
11 anos atrás

Marcelo Brandao…

Talvez vc esteja referindo-se ao filme …” The bedford Incident”, ou como foi traduzido aqui,” O caso Bedford”, de 1965,
que trata de um destroyer americano contra um submarino sovietico.

O elenco é de primeira: Richard Widmark, Sidney Poitier, Martin Balsan e Donald Sutherland.

Eu assisti apenas uma vez e faz tempo!

O destroyer em questao, o USS Bedford é ficticio e usaram um modelo de um destroyer Farragut e para quem conhece , mostraram cenas com uma fragata inglesa, se nao me engano.

abraços

Wilson Johann
Wilson Johann
11 anos atrás

É isso aí mesmo, dalton, E o destroyer se deu mal. Lembra da cena em que o camandante (Richard Widmark) diz ao médico do navio (Sidney Poitier), durante uma discussão entre os dois na ponte do navio: “se eles ignorarem meu aviso eu disparo um…”, no que, devido a grande tensão reinante no ambiente, em ato reflexo, o operador de armas aperta o botão e dispara um foguete, presumo que um ASROC, contro o sub russo. Quem viu o filme sabe o que vem depois. Mas uma frase do comandante, em reposta ao questionamento do médico, após terem detectado os… Read more »

Dalton
Dalton
11 anos atrás

Wilson…

Vc lembra mais detalhes do que Eu. Preciso rever este filme.

Porém o Sidney Poitier…fazia o papel de um reporter, isso

lembro bem. Ele nao usava farda.

abraços

Mahan
Mahan
11 anos atrás

O sub tmb foi destruído e o torpedo tinha cabeça nuclear. Além disto, o Cmt do destroyer já o tinha detectado há muito e o Sub estava completamente acuado. O cmt do destroyer estava “brincando” arrogantemente com os comunas.

Dalton
Dalton
11 anos atrás

Foi o que pensei tambem na epoca que assisti, ambos foram destruidos, afinal o asroc da epoca podia levar uma carga de profundidade nuclear.

Marcelo Ostra
Marcelo Ostra
11 anos atrás

Sim, foi isso mesmo, o Asroc CERTOU O SUB, QUE DISPAROU ASSIM QUE DETECTOU O impacto do torpedo (do asroc) na agua (foram 4 torpedos lançados pelo sub

quem disparou erroneamente foi o WEPS (Enc Armamento do Classe Coonts ou C.F. Adams – que representava ser o Bedford, não me lembro preciso qual classe representava entre as duas)

MO

Wilson Johann
Wilson Johann
11 anos atrás

Exatamente, Dalton.
Me confundi, porque ele ficava dando instruções sobre como o comandante poderia instituir programas para o pessoal de bordo relaxar, como exercícios físicos e outras atividades. Ví esse filme mais de duas vezes, mas por causa desse fato, na minha lembrança ele era médico de bordo. Mas não, você esta correto. Obrigado!

Abraços!!!

J Mitchel
J Mitchel
11 anos atrás

Marcelão
Como tá a saúde cara?
At
JM

claudio
claudio
11 anos atrás

Alguem conhece algum jogo de navio ou submarino?

Dalton
Dalton
11 anos atrás

Ostra !

O ficticio Bedford, seria da classe Farragut. O Coontz que vc mencionou pertencia a classe Farragut.

abraços

Wilson Johann
Wilson Johann
11 anos atrás

Claudio, SILENT HUNTER é o melhor nesta categoria. É extremamente realista. Tem uma versão moderna, ou seja, dos dias atuais, mas o melhor é a versão da II Guerra, que já deve ser a “IV”.

Abraços!!

Nimitz
Nimitz
11 anos atrás

Claudio, o melhor da atualidade é Dangerous Waters:

http://www.naval.com.br/blog/?p=558

Vassili Zaitsev
Vassili Zaitsev
11 anos atrás

No fim das contas, tanto o sub como o destróyer vão para as p……..

Mesmo sendo antigo, o filme é bom.

Marcelo Ostra
Marcelo Ostra
11 anos atrás

Correto Dalton

Classe Coonts é uma mania minha e do Zeh

( )´s
MO

trackback
10 anos atrás

[…] Um Balao contra um CBG […]

GUPPY
GUPPY
9 anos atrás

Tá no final do texto: “A MB recebeu dois submarinos classe Balao na década de 1960: o Bahia e o Rio Grande do Sul” O Bahia e o Rio Grande do Sul referidos acima foram: o ex-USS Plaice (SS390) e o ex-USS Sand Lance (SS381), que não foram transformados em GUPPYs. Na década de 1970 a MB recebeu mais tres submarinos da Classe Balao a saber: USS Dogfish (SS350) que foi elevado ao padrão GUPPY II e foi o nosso Bahia S10; o USS Trumpetfish (SS425), elevado ao padrão GUPPY III e foi o nosso Goiás S15; e o USS… Read more »