quinta-feira, junho 30, 2022

Saab Naval

Nota da Marinha sobre a construção de submarinos

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Em relação à matéria “Um negócio ofensivo”, publicada em 23 de julho de 2009, na qual é abordado o Programa de Desenvolvimento de Submarinos, a Marinha do Brasil (MB) esclarece os seguintes aspectos:

“A IMINENTE submissão do governo Lula à exigência francesa, para a venda ao Brasil de quatro submarinos convencionais, não só da construção de uma nova base naval paga aos vendedores, mas até de que a obra seja entregue à empreiteira Odebrecht, compromete mais do que a moralidade governamental, sempre duvidosa nos negócios. Implica, antes de tudo, a sujeição a um desrespeito ofensivo à soberania brasileira por parte do governo francês, representado pela estatal Direction des Constructions Navales.”

As construções de um estaleiro que atenda aos requisitos tecnológicos e ambientais essenciais, para que nele se possa construir um submarino de propulsão nuclear, bem como de uma nova base naval capaz de abrigá-lo, constituem necessidades apresentadas pela MB desde o final dos anos 1970, quando deu início ao seu Programa Nuclear.

Dessa forma, considera-se equívoco atribuir tais construções à hipotética exigência francesa. Essas obras são necessárias porque os referidos requisitos não são atendidos, hoje, por nenhum dos estaleiros existentes no Brasil. A atual base de submarinos, por exemplo, localizada no interior da Baía de Guanabara, junto à ponte Rio-Niterói, sequer tem profundidade junto ao cais para permitir a atracação de um submarino desse tipo, além de não atender aos requisitos ambientais que se impõem.

Da mesma forma, consiste, no mínimo, exagero, dizer que houve imposição de entrega à empreiteira Odebrecht. Na verdade, existe transferência de tecnologia nessas construções e, como não seria razoável uma empresa francesa executar obras civis no Brasil, houve necessidade de a Directions des Constructions Navales (DCNS), que opera legalmente como empresa privada, associar-se a uma construtora brasileira, para esse mister.

A escolha da parceria com a Odebrecht obedeceu a critérios exclusivos da DCNS, tratando-se de livre associação entre duas empresas privadas. A pergunta que cabe é: que argumentos teria o Governo Brasileiro para recusar a contratação de um consórcio do qual faz parte a Odebrecht?

“Além da compra de submarinos contestados, em um pacote já estimado em dez vezes outras propostas (“O Globo”, 12.jul), a exigência francesa retira do Brasil o domínio de uma obra militar sua e em seu território. Com isso, o Brasil perde o controle dos custos, reajustes e outros expedientes das empreiteiras, e perde os segredos convenientes a uma base militar que se pretenderá estratégica.”

As afirmativas mostram falta de maiores esclarecimentos sobre o assunto, resultando, aparentemente, do uso – sem contestação – de matéria publicada no jornal “O Globo”, edição de 12 de julho. A assertiva de que se possa estar negociando “um pacote já estimado em dez vezes outras propostas” não condiz com a realidade dos fatos.

Caso a MB tivesse sido consultada antes da edição da matéria, ficaria claro que o apresentado como “outras propostas” diz respeito à proposta alemã, referente à construção de, tão-somente, dois submarinos convencionais (isto é, com propulsão diesel-elétrica), que em nada se assemelha ao pacote em questão.

Por outro lado, a proposta francesa inclui quatro submarinos convencionais, com respectiva transferência de tecnologia de construção; a transferência de tecnologia de projeto de submarinos, inclusive de seus sistemas de combate; o projeto e a construção de um submarino de propulsão nuclear; o projeto e a construção de um estaleiro dedicado à fabricação de submarinos de propulsão nuclear (e convencionais) e de uma nova base naval, capaz de abrigá-los.

Considerar tal pacote como “estimado em dez vezes outras propostas”, com certeza, não retrata a totalidade dos fatos.

Da mesma forma, fica difícil compreender como uma obra realizada em território brasileiro, por empresa brasileira, mediante transferência de tecnologia para a MB e para essa mesma empresa possa, em sã consciência, ser considerado como retirar do “Brasil o domínio de uma obra militar sua e em seu território”.

Também, imaginar que um estaleiro e uma base construídos por brasileiros e operados pela MB poderá levar à perda de “segredos convenientes a uma base militar que se pretenderá estratégica”,requer esforço de imaginação fora do comum.

Quanto ao controle dos custos e reajustes, o contrato de construção, ainda em negociação, vem sendo acompanhado, desde já, pelo Tribunal de Contas da União.

“Sob tudo isso perpassa um mistério: que exóticas transações intrometeram a empreiteira Odebrecht em negócios franceses de submarinos? A ponto de os levarem a planejar um negócio de dimensões estapafúrdias, que o governo Lula mostrou-se automaticamente pronto a aceitar.
É muito recomendável a dúvida entre estas duas hipóteses: a intromissão da empreiteira Odebrecht vem de lá para cá, como aparenta, ou foi remetida daqui para entrar lá no negócio e vir com ele, já sem concorrências e outros incômodos, até os gabinetes ministeriais, palácios e cofres brasileiros? Lula se dispõe a assinar o contrato com os franceses no Sete de Setembro, quando da esperada visita do presidente francês. É uma data bem eloquente, para um negócio que submete a soberania.”

Qualquer que fosse a empresa escolhida para construir esse estaleiro, as obras seriam isentas de processo licitatório, tendo em vista as características de sigilo de que, obrigatoriamente, se revestem: são plantas de instalações nucleares militares, envolvendo características que não podem ser objeto de divulgação pública. Como as obras civis de construção do estaleiro e da base serão realizadas no Brasil, somente uma empresa nacional poderá fazê-lo. Como já apresentado acima, não haveria sentido em contratar para isso, por exemplo, uma construtora francesa.

Não existem exóticas nem misteriosas transações nesse processo. Elas são transparentes e públicas até onde permitem os sigilos naturais em qualquer país do mundo, quando se trata de aquisição de equipamentos militares. Esse é um programa concebido e planejado pela MB, e não por qualquer outro país. O processo de escolha dos modelos e fabricantes de submarinos, com análise detalhada de várias opções, foi longo, criterioso, rigorosamente técnico e, sobretudo, determinado pelos altos interesses estratégicos e soberanos do Brasil.

CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

101 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
101 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
MarcoAntonio Lins

Comentario

Minha meus prezado eu já estou cheganto aos 70 anos, portanto não se iludam de que o americano vai tranferir tecnologia para nós,
desde menino que há gente não sai do lugar, portanto não vamos com
utopias.. Esta é a hora é a grande oportunidade de mudar de atitude!
Vamos aceitar a proposta francesa contra tudo e contra todos. Não custa nada arriscar!…O comentario que Boing vai montar aqui tenho minhas duvida.,montadora já temos muitas. Eu quero é o pulo do gato!!!!!…Sera que não se entende isto? o Pulo do gato é como fabricar é a tecnologia!!!!…

Fernando

Bem, para se construir um estaleiro normal, que constroem embarcações bem mais simples do que militares, sem contar em submarinos (principalmente nucleares) e base adequada para recebelos, e toda transferencia de tecnologia acessória, tanto do estaleiro, base e subs convencionais e nucleares. “Na semana passada, um novo projeto veio à tona: o estaleiro BEX, do grupo controlado pelo empresário Eike Batista, a EBX. Orçado em US$ 600 milhões (ou cerca de R$ 1,2 bilhão), o empreendimento será construído em Biguaçu (SC).” (Fonte Estadão) Sugiro que ao comentar os valores deem uma pesquisada, para melhor embasamento sobre as críticas sobre o… Read more »

Wi

Dalton: “Tudo bem, apenas nao esqueçamos que os “yankes” desembarcaram na França em 6 de junho de 1944 para dar uma “modesta” ajuda aos franceses. Nao esqueçamos também o Plano Marshall e a França foi a segunda maior beneficiada . O que seria da França sem estes dolares, sem as tropas americanas em solo frances e os navios da sexta frota no mediterraneo?” ………………….. Olá Dalton, Não se trata de não reconhecer o valor da ajuda norte-americana, más de reconhecer que não tem almoço grátis e de que este almoço pode ficar caro demais ! No caso da França, junto… Read more »

ARCANJO

Meus caros: Li a nota da Marinha e, depois, fiquei lendo a sucessão de HIPPY HURRAS da claque chapa branca e só vejo alienação. A nota é insôssa, pobre e não faz mais que repetir a mesma catilinária que, desde o início tenta justificar essa injustificável operação de Lobby “elegante” para utilizar a versão de Michel Temer, um dos muitos contemplados com viagens , amenidades e mordomias sem fim patrocinadas pelos franceses no afã de vender em condições inaceitáveis aviões e submarinos. Isto para não falar em outras vantagens bem mais consistentes (e conhecidas) que um megalobby desses proporciona a… Read more »

Rui Silva

Desculpem mas o submarino que aparece no link não é o novo ao contrário de dizem os reporteres da tv Indiana.Isto é um problema
quase universal , a ignorancia dos jornalistas em relação às questões de defesa.O submarino que aparece é uma peça de museu até por ter duas portas no casco.

Rui Silva

Lahttp://timesofindia.indiatimes.com/PM-launches-nuclear-submarine-INS-Arihant/videoshow/4821738.cms Lançamento do submarino Indiano (muito esquesito)

Alexandre L

Não vou generalizar,

Mas, reporte neste Brasil só fala me@#@$! Nunca totalmente confie num reporter. A maioria quere somente vender manchete.

GUPPY

Caro Wilson Johann,

Sensacional seu comentário às 0h 12min, acima. Parabéns.

Abraços,

Ricardo

“…Em tempo 1: o jornalista em questão é pessoa séria e sempre combateu a corrupção dos governos…”

E desde quando combater corrupção com fatos distorcidos e textos tendenciosos é correto ?

Seria o mesmo que mandar um terrorista defeder a “liberdade” no ocidente…

Tenha paciencia nê.

Dalton

Caro Wi, vc escreveu… “Não foi a toa que os franceses lá pela década de 60 ou 70 instituiram uma “Reserva CULTURAL”, na tentativa de barrar a invasão norte-americana e com isto provocou fortes protestos e pressões dos yankes, que tentaram derrubar esta reserva francesa. Os franceses resistiram…bravo!” Tudo bem, apenas nao esqueçamos que os “yankes” desembarcaram na França em 6 de junho de 1944 para dar uma “modesta” ajuda aos franceses. Nao esqueçamos também o Plano Marshall e a França foi a segunda maior beneficiada . O que seria da França sem estes dolares, sem as tropas americanas em… Read more »

Wilson Johann

Caro GUPPY,

Obrigado! Sinto-me lisonjeado.

Um abraço!

Felipe Cps

PERFEITAS suas colocações ARCANJO. Repito o que disse: Essa tal Odebrecht é provavelmente a empresa mais corrupta do Brasil; só que o governeco PeTralha de Incitatus protege essa empresa como quem protege a galinha dos ovos de ouro. Não é a toa que ela ganha tudo que é concorrência no Brasil, e que com tudo que o Índio Cocalero (que ocupou refinarias da Petrobrás), o Padreco Safado (que ameaçou Itaipú) e outros bolivarianos fizeram o único que o Mulla mandou o embaixador se retirar (numa atitude que historicamente caracteriza uma situação de pré-beligerância) foi do Equador do Cafetão. Ou seja:… Read more »

Wi

opa! meu comentário saiu duplicado, problemas na hora de copiar e colar do editor de texto para o blog…

Wilson Johann

Caro colega Getulio, Se fôssemos comprar seis Barracudas da França, ou seja, simplesmente comprar, o preço seria o mesmo que custa na França. O colega esquece que não estamos simplesmente comprando um sub pronto, estamos, isto sim, adquirindo sua tecnologia, que não temos e dificilmente teremos por conta própria antes de uns vinte anos. Vou colocar de forma mais clara: vá numa revendedora e compre um carro. Você pagará o preço de tabela (ou mercado), certo? Mas digamos que você não quer simplesmente comprar um carro, você quer é construir um por conta própria, um modelo muito especial, com uma… Read more »

Pampa

Srs. A França não vende a tecnologia nuclear do sub nuclear. Ele esta vendendo o casco e a sua tecnoligia de projeto, assim como das partes/sistemas não nucleares. A França jamais vendeu/venderia o Barracuda. Nenhum pais vende a tencologia nuclear. A Russia deu consultoria para a India e seu subnuc, mas a India já possui tecnologia nuclear.
O negócio q estamos fazendo com a França é muito bom para o Brasil. Quanto ao preço, alguém possui pelo menos uma vaga idéia de quanto custa o “SABER FAZER” subnuc? Cobra quem tem paga quem quer/precisa.

Pampa

Desculpem me, “Cobra quem tem, paga quem quer/precisa”

Corsario 01

O Tópico entrou em looping!!!!!!!!!!!!!!!

AL

Tudo muito bem, tudo muito bom, mas acho que deveria isso ser divulgado como direito de resposta nos Jornais, senão as respostas da Marinha só ficam restrito a nós. Abraços.

Tonelero

Deixo aos colegas o link de um texto para este frio fim de semana brasileiro. Mas atenção! Só pode ser lido por quem tem um pouco de senso crítico…

“FRENCH FIRM GIVEN UNDUE FAVOURS IN SUBMARINE DEAL: AUDITOR”
(Original da agencia de notícias IANS, via Thaindian News)

http://www.thaindian.com/newsportal/uncategorized/french-firm-given-undue-favours-in-submarine-deal-auditor_100222588.html

Saudações a todos.

Getulio - São Paulo

Como eu disse anteriormente, somos torcedores acreditando em melhores dias para o Brasil e a Marinha do Brasil. Se a Marinha do Brasil conseguiu até hoje levar avante o programa nuclear apesar de muitos no mundo tentarem boicotar nosso avanço, espero que dê certo esta confiança que muitos aqui demonstraram na organização naval. Se este é o preço do pedagio para recebermos a tecnologia, que seja, apesar de acreditar que deveriamos ter pressionado mais este acordo para que a estratégia fosse com o Programa Barracuda e não os scorpenes, já há muito criticado e nem faz parte da dotação da… Read more »

Fernando

Lendo alguns comentários, concordo que a imprensa está pegando pesado na questão do sub. O que realmente preocupa, e que estas matérias estão sendo vinculadas em veículos de comunicação de grande circulação e isto poderá gerar enormes problemas para a Marinha Brasileira. Imagina algum dos nossos “honrados” deputados propor algo como uma “CPI do sub nuclear”, ai e que não teremos nem sub nuc e nem ao menos convencional (temos que lembrar que logo terá eleições e a carga será, com certeza, mais pesada). O ideal seria que estas negociações fossem mais discretas possíveis, por motivos óbvios, porém devido as… Read more »

Marcos

Uma boa sugestão Fernando, concordo com vc e que a Globo faça esse documentário e apresente no Globo Reporter ou Fantástico.

Harry

Caro, Getulio negociar então com quem? Quem esta disposto a transferir tecnologia? Desconheco algum pais que esteja vendendo tecnologia completa de Sub Nuclear Quem fez a opção foi a Marinha dentro de criterios tecnicos de e custo, de capacidade de absorção de tecnologia, para desenvolvimento da tecnologia com assistencia dos franceses. A França esta construindo uma aliança no Brasil, a transferir tecnologia Sub Nuclear para o Brasil. Alem disso para quem ta achando o projeto Scopene caro, imagina o Barracuda. Duvido que no preço do Barracuda ( por unidade) esteja incluso o gasto de anos do governo frances no desenvolvimento… Read more »

AJS

Saudade daqueles tempos em que ao visitar os vistosos vasos da MB, contava com explicações detalhadas por parte de tripulantes, explicando em qual batalha havia o navio sido atingido, quando em guerra sob outra bandeira, ao mostratem os remendos no casco e nas torres.
Sempre de futuro.

Musashi

Wilson Johann, Corsário.

Assino embaixo.
Para a maioria oque vale é “hai gobierno soy contra!”, e tudo que o Brasil faz é ruim.

João DS

A SOLUÇÃO PARA O BRASIL |do blog do Prof. Hariovaldo| Mister se faz que tomemos logo as atitudes patrióticas e nescessárias: convocar de pronto o Sindacta em Brasilia, FAB e a Aviação da Marinha de Guerra Brasileira para que não permitam que o Aero-Lula invada o Espaço Aéreo Brasileiro quando da sua volta da viajem turística à Europa (O Velho Mundo, lar nobre dos homens de bons e de bens, continente onde nós, os de belos Olhos Verdes Sensuais, somos paparicados). Instalado o Governo de Fato (como em Honduras, terra de luz nesses dias), trataremos logo de empossar Gilmar Mendes… Read more »

MarcoAntonio Lins

Parabens!..

Parabenizo a resposta de nossa glorioza Marinha. Agora eles tem baixar a bola. Foi otimo ter se manifestado os que criticam não sabem de nada,não tem base, não tem fundamentos.

Callia

Senhores.

a resposta da Marinha para mim é suficiente , até porque para mim não importa nem um pouco a atual experiência alemâ em projeto e construção de submarinos nucleares…esperem um pouco…que experiência?Que sub nuc alemão?

é isso senhores.esse submarino é necessário, e rápido.

qui desiderat pacem preparem belum!

Getulio - São Paulo

O debate está bom. É importante o esclarecimento, afinal o dinheiro é nosso, é no nosso bolso que vão onerar. Penso que o Francisco está certo. É preciso transparência, vai ser gasto no que? Eu digo o mesmo, quanto é afinal o programa dos submarinos? Quanto é a obra da base? Façam me o favor, dizer que a obra civil tem conteudo secreto, tecnologia a ser transferida é no mínimo piada de mau gosto. Não exite alta tecnologia em obra civil. Com relaçao ao programa dos submarinos em sí, há critica a ser feita, pois tudo parece “secreto” nas entre… Read more »

Corsario 01

E apenas para pontuar de uma forma mais educativa, e torcendo para que as pessoas leiam e entendam de vez, a importância deste projeto para o país, segue um pdf bastante elucidativo com o CM explicando o que tem que ser explicado.

Quantos aos valores, gostaria de lembrar que não se pode dar valores ainda, pois nada foi 100% assinado. Assim que forem assinados, certamente poderemos tecer comentários. Até lá, apenas chutes e ataques desnecessários sobre algo que se desconhece.

Quer dizer que 25 bilhões lá na Austrália pode?

E 17.6 aqui no Brasil, não pode? hahahahahahaha

Brasil!!!!

http://d.yimg.com/kq/groups/15900815/990795724/name/Revista%20Techno%20News%20ABR%20MAI%20-%20Comandante%20da%20Marinha.pdf

MarcoAntonio Lins

Apenas comentario e meu pensamento. Os franceses são simples vendedores,não eles que tem que se manifestar! Honestamente não podemos mais penssar pequeno. É caro é! Sabe porque? Porque nunca fizemos uma compra de grande porte,que nos venha dar independenciaa tecnologica. Vivemos a comprar material usado,remendos.É bom para os ferro velhos dos outros paises que nos vende, que não sabem onde coloque mais; desses usados apenas tem minha aprovação são os P3-Orion,de fato foi vantagem;custo de combustivel ,horas de voô(16),grande raio de ação e bastante usados por outros paises.Pela primeira vez estou orgulhoso deste pais, tenho torcido bastante para que haja… Read more »

AJS

Caro Getúlio.
Não dá para comparar valores da época do programa apollo com gastos de hoje, o lapso temporal é muito grande e influencia.
Uma fragata Niterói custou US$ 70 milhões quando comprada.
Quanto custaria hj uma equivalente?
sds.

Wi

Os grandes grupos de mídia “nacionais” não descansam e procuram sempre obstacularizar ao máximo projetos que promovam o desenvolvimento e a soberania do Brasil, nenhuma novidade, já que é para isto que estas empresas de mídia são pagas, a razão da existência das mesmas é defender interesses alheios aos do Brasil. Note-se que estou falando das empresas e não de seus funcionários( jornalistas),que são pagos para obedecer…os jornalistas que quiserem ser independentes, terão que ir para outra freguesia! ……. As potências coloniais européias até fins do século 19 e princípios do século 20, tiveram como política de poder a ocupação… Read more »

Ulisses

AJS

Descordo

Brasil não é mais o país do futuro e nossos projetos militares estão sendo sim financiados por orgãos nacionais e não podemos fazer tudo de uma vez.

Dêem a este país uma chance!

Sds.

RADAR

AJS
LOUVÁVEL SUA OBSERVAÇÃO, PORÉM NÃO HA TEMPO PARA ISSO, OS “TAPA BURACOS NÃO CONSEGUEM COBRIR NEM OS PRÓPRIOS BURACOS QUE VIERAM TAPAR”, A SITUAÇÃO ESTÁ INSUSTENTÁVEL, ACREDITEM NISSO, É REAL…EXPERIÊNCIA DE QUEM TME ALGUMAS CENTENAS DE DIAS DE MAR PELA MB NA CARREIRA…

MarceloRJ

Caro
Wilson Johann
Paravéns pelo seu post!
Acho que vc deveria concorrer ao cargo deste cidadão no jornal, seu post apesar de pequeno falou muito mas que o dito cujo jornalista tentou dizer com um monte de besteiras.
Abração

CosmeBR

E essa imprensa golpista tomou no CUCA…

COMANDANTE MELK

Senhores,

eu não esperava menos da marinha, resposta clara e objetiva.
Vamos aguardar a proxima aleivosia desses arautos da imprensa nacional…

Ricardo

To falando o tal de Janio distorce as coisas discaradamente…

andre

Me enchi de Orgulho agora!!!
Parabens a Marinha!!!!

Lucas Calabrio

Prezados
Vejam a reportagem sobre a Amazônia no globo reporter.
Abraços

Harry

Aos nervosos de plantão, que começaram a criticar o jonalista, marrom, vendido, corrupto, e depois passarem a fazer o mesmo que o jornalista, criticar o governo, PT, sem perceber plafetagem, estavam agindo que nem o jornalistazinho, entre linha “joga este projeto fora e começa tudo de novo e o Brasil que se dane”. Por Favor alguem conhece algum Partido insuspeito, para próxima eleição? Por favor alguem conhece alguma empresa com tecnologia de Sub nuclear que possa participar de uma concorrencia e que não der presentinho? Para que possamos daqui a dois anos começar tudo de novo. Marinha neles. E agora,… Read more »

Baschera

Pelo menos o CCSM divulgou a nota a queima roupa, de imediato.
Não obstante, parece-me que impugnou ou esclareceu, cada ponto importante da controvésia jornalística.
Quanto as comparações pretentidas por colegas, entre este negócio e outros no passado, e que em tese tem-se sempre por tráz um partido político no poder, em detrimento de outro(s)….. digo que, à noite, todos os gatos são pardos.

Para mim, este assunto está encerrado. Vigiemos, porém, para que se faça na maior e melhor lisura possíveis.

Sds.

Wolfpack

Toma… Tá divertido ver os estes jornalistas ignorantes levarem uma atrás de outra… Pessoal da imprensa vamos se interar do tema, pesquisar… Isso aqui não é uma universidade. Não é Fla x Flu.

Fernando Cabral

Gostei, o cara da MB disparou logo uns quatro torpedos, todos no alvo.

Roberto CR

Boa resposta, mas saiu aonde?
Em quais meios? Jornal, TV, rádio?
Saiu na Folha ocupando o mesmo espaço que o Jânio?
Se não for em todo lado não adianta muito.

Harry

Caros, querem honestidade vamos aprender a diferenciar entre ratos e deputados/senadores na hora de votar

Cantarelli1

Vamos crisificar a imprensa como o chapolin fes kkkkkkkkkkkk

Francisco AMX

Vcs acharam a explicação da Marinha convincente? EU NÃO! nem tanto ao céu nem tanto a terra, o Sr. Janio é um comprado, mas a Marinha não falou nada concreto também, poderia ter feito um referencial de valores contratados, só disse que não era bem assim… e pq esta construtora é detentora de tudo que é importante?? sempre ela, que já apareceu em tantos meios, distintos e concorrentes, da imprensa, como sendo pivô de esquemas de pagamento de campanha e propinas mais… será que não existe mais nenhuma empresa acima de suspeitas aqui no Brasil que pudesse encabeçar esta obra??… Read more »

Glauco

Toma Toma!!!! Marinha neles!!
Mangabera Unger dizia Qu eo governo LULA era o mais corrupto de todos os tempos e acabou participando dele rsrsr engraçado neh
enquando ele ganhava para criticar so manda xuva para noso presidente e nosso pais… agora esses “jornalistas” que se dizem informados so mostram a o que a GLOBO quer.
camla aew neh gente
ser contra no presidente, o partido do presidente é uma coisa agora ser CONTRA O BRASIL é totalmente diferente

è isso ai a MB esta de Parabéns

Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Navios da Marinha serão abertos para visitação neste fim de semana em Vitória (ES)

Serão diversas embarcações e cerca de 1.700 militares atuando durante operação da Marinha do Brasil Quem tem vontade de conhecer...
- Advertisement -